História Sumblime - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cine, Giovanna Lancellotti, Restart
Personagens Bruno Prado, Danilo Valbusa, David Casali, Diego "DH" Silveira, Koba, Pe Lanza, Pe Lu, Pedro Caropreso, Thomas
Tags Bruno, Danilo Pedro, Koba, Pe Lanza, Pedro Lucas
Exibições 21
Palavras 1.704
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


capitulo de hoje pessoas lindas, espero que gostem <3

Capítulo 8 - O Encontro


Fanfic / Fanfiction Sumblime - Capítulo 8 - O Encontro

Rebecca

 

Ao chegar no cinema, compramos os ingressos, pipocas e refrigerantes. Nossa sessão vai começar as dez e ainda são 20:30. Decidimos ir no Mc Donalds comer um lanche.

Ao chegar na lanchonete, varias fãs veio nos cumprimentar, pedir autógrafos e etc.. É esqueci que eu estava saindo com uma celebridade teen. SOCOORRO (kkkk)

-Então “thoso” – Falei fazendo aspas com as mãos – Me fale mais sobre você.

-Uii ela sabe como elas me chamam – Ele fez pose e eu não segurei a gargalhada.

-Bobo – falei entre o sorriso.

-Bom, eu toco batera, não canto minha voz é péssima, preciso fazer umas aulas de canto... – Enquanto ele falava, eu só conseguia prestar atenção em uma coisa, o jeito dele, de brincar com as palavras, de comer enquanto fala, o sorriso meio falhado mas que na verdade deixava ainda mais charmoso, seus olhos brilhando, o piercing na sua boca... Ele é fofo. Por mais que seja uma celebridade teen. – E você ?

-Ããn? – Falei saindo dos pensamentos

-O que você faz – ele perguntou – eu sei que eu sou um bobo alegre maas – ele levantou as mãos em sinal de rendição.

-Que isso – eu sorri – Você é divertido, e eu gosto de caras assim – passei a mão em seu rosto.

-Sério? – ele ficou sério.

-Sério pow – falei nos aproximando.

-Bom, então estamos kits, por que eu gosto de garotas como você – Ele falou aproximando seu halito perto de mim.

-Como eu ? – Perguntei

-Sim, bonita, divertida, madura mas ao mesmo tempo brincalhona. – Ele sorriu – Cheirosa – Ele se aproximou de meu pescoço e sentiu meu cheiro. – Romantica.

-É.. eu não quero apressar as coisas – falei baixo.

-Nem eu – ele sorriu e me olhou nos olhos.

-Nosso filme já vai começar.. – eu sorri e ele me deu um beijo na testa.

-Vamos então? – ele pegou na minha mão.

-Vamos. – Segurei em sua mão e caminhamos em direção ao cinema.

Assistimos jogos vorazes que está em cartaz (estamos em dois mil e quatorze)

 

{...}

 

-E ai, gostou do filme? – Ele estacionou o carro em frente ao prédio.

-Gostei – eu sorri e abaixei a cabeça deixando parte da franja cair sobre meu rosto.

-Também gostei. – ele passou a mão arrumando minha franja atrás da orelha – Gostei mais da companhia. – Ele se aproximou e eu fiquei em silencio, eu quero esse beijo tanto quanto ele, é diferente como as coisas funcionam. Eu e ele, somos completamente diferentes, mas mesmo assim eu me sinto atraída por ele.

No som da radio estava tocando Scracho-Seu sorriso é meu. E por milésimos de segundos nossos lábios se aproximaram, um beijo calmo, maravilhoso. Logo sua língua pediu passagem e eu cedi, sua mão segurava minha nuca e senti arrepio por todo o corpo, paramos o beijo por falta de ar.

-Desculpa – Ele sorriu – Não resisti.

-Tudo bem – eu sorri – Boa noite. – Falei abrindo a porta.

-Posso te ligar? – Ele falou antes de eu sair.

-Pode – Eu sai antes que o agarrasse ali mesmo.

Fechei a porta do carro e acenei enquanto ele saia. Depois entrei com um sorriso maravilhoso no rosto. Encontro perfeito <3

 

 

Lanza

 

- DROGA! – Chutei a cômoda do quarto. Minha raiva era intensa, eu não acredito que perdi essa aposta, eu não acredito que eu perdi ela, seus olhos verdes e seu sorriso lindo, não acredito não acredito.

Estou sozinho em casa, os meninos saíram. Vou tomar um banho e tentar dormir.

Entrei no chuveiro e fiquei por alguns minutos até que eu ouvi a campainha tocar.

-Será que um deles esqueceu a chave? – falei enrolando a toalha na cintura indo abrir a porta.

- Oi Pê – Ela me olhava com os olhos lagrimejados e um sorriso falho.

-Gio? – Perguntei assustado – O que você ta fazendo aqui?

-Eu vim te ver – ela sorriu – Posso entrar?

- Gio olha, eu to sozinho, a gente terminou, vai pegar mal pra você – Falei tentando convece-la de ir embora.

-Eu não vou embora – Ela cruzou os braços – A gente terminou por um motivo besta mas podemos ser amigos – Ela sorriu e eu dei espaço pra ela.

-Ta. Senta ai, vou colocar uma roupa e já veio – Falei fechando a porta e caminhei em direção do quarto.

Coloquei uma bermuda e uma camiseta mesmo e voltei pra sala. E lá estava ela, vendo os CD’s da estante.

-Quer um suco? – falei puxando assunto e ela se virou.

-Não valeu – ela sorriu.

-Então senta ai – Eu sorri.

-O que anda fazendo? – Ela se sentou ao meu lado.

-Show, musica – sorri – e você?

-Novela, Novela e mais novela – Ela brincou e eu sorri.

-Bom, então quer dizer que agora você é atriz? – Ela me olhou e ficou séria.

-Eu ainda não te esqueci – Ela mudou completamente o assunto.

-Gio a gente já conversou sobre isso.. – Falei explicando – Eu to em outra e..

-Quem ? – Ela levantou a cabeça.

-Quem o que?? – Falei sem entender.

-Quem é a outra?

- Você não conhece – Cocei a nuca – Olha acho melhor você ir.

-Não Pedro – ela passou a mão no meu rosto – eu não nadei até aqui pra morrer afogada.

-Gio – ela se aproximou e me beijou. Eu cedi o beijo, porem foi por que não queria rejeita-lá. E me distrair um pouco não seria nada de mais. O Beijo não durou muito por que alguém abriu a porta e esse alguém era o Thomas.

-Podem continuar – ele falou fazendo sinal com a mão – Eu to indo pro quarto – Oi giio – Ele sorriu e saiu.

-Acho melhor você ir embora – Falei logo em seguida.

-Eu vou, por que ta tarde – ela sorriu. – Boa noite.

Eu me levantei para abrir a porta pra ela e ela me acompanhou.

-Tchau – Ela sorriu de lado.

-Olha Giovanna, o que aconteceu hoje – dei uma pausa – não significou absolutamente nada.

-Ok Pedro, mas ainda vou continuar tentando – Ela falou e logo em seguida saiu.

Não quero mais nada com ela, e ela vai ter que entender isso, nosso relacionamento era bom, tínhamos umas brigas de vez em quando porem a gente se gostava. Só que isso foi se desgastando, não quero dar esperanças aonde não tem. Agora eu quero conquistar a Rebecca.

Idaí que eu perdi essa porcaria de aposta?  Eu não vou desistir dela.

 

 

Pedro Lucas

 

 

Tivemos uma noite perfeita, senti seu corpo no meu, senti sua pele macia sobre a minha, seu cheiro, seu toque, era tudo o que eu precisava.

 

-Pedro , eu não quero que a gente vá rápido de mais, e nem que você pense que eu sei lá – Ela sorriu mexendo o cabelo – Eu esteja desesperada.

-que isso linda – Passei a mão em seus cabelos – Eu nunca iria pensar isso de ti, pelo contrario. E nós não vamos rápido entendi. Não podemos pular etapas.

-Isso – ela me deu um selinho – quer comer algo?

-Quero – fiz bico – Vamos fazer uns hambúrguer juntos.

-Vamos – ela se levantou e vestiu minha camisa.

-Tá linda – Eu sorri.

Fomos até a cozinha e preparamos o lanche até que a campainha tocou.

-Pê acho que a  Rebecca esqueceu a chave, abre pra mim.

-Ta bom – Dei um beijo na sua bochecha e fui abrir a porta. E para o meu desgosto, era o Thiago.

- Cadê a Floriana ? – Ele me empurrou ao me ver e entrou.

-Ei você não pode entrar aqui assim não! – eu gritei e fui atrás dele.

-Thiago! – Ela gritou – O que você ta fazendo aqui?

-Eu vim aqui pra gente conversar – Ele abriu os braços – Mas to vendo que não tem mais conversa.

-Achei que já tínhamos conversado! – ela falou e me olhou.

-É, mas vim aqui tentar uma nova chance por que quatro anos juntos pra mim significou alguma coisa. Mas pelo visto pra você não – Ele se aproximou dela – Você já ta aqui com esse cantorzinho, vestindo a camisa dele. – Ele se virou pra mim – Vocês transaram? Que ridículo ! trocar um relacionamento de 4 anos pra ficar com um cara que acabou de conhecer. Você é uma vadia mesmo.

-CALA A BOCA –

gritei logo em seguida – Eu Não te dou o direito de falar isso dela – Ele eu ia pra cima dele porem ela entrou no meio.

-THIAGO CHEGA ! – Ela gritou – A GENTE JÁ CONVERSOU. E ALIAS, UM RELACIONAMENTO DE QUATRO ANOS ONDE SÓ VOCÊ ESTAVA FELIZ EU NÃO ESTAVA, ONDE EU SOFRIA CALADA, ONDE EU ACEITAVA SEUS TAPAS, SUAS MARCAS NA MINHA PELE, E ME CALAVA. AGORA CHEGA! EU NÃO QUERO MAIS PASSAR POR ISSO. COMO EU TE DISSE A GENTE JÁ CONVERSOU, E NÃO EXISTE MAIS NADA ENTRE NÓS. FUI CLARA?! – ela caminhou até a porta – Agora vai embora antes que eu perca a minha cabeça aqui.

 

-Você ainda vai se arrepender. – Ele me olhou e olhou pra ela e saiu.

-Pedro desculpa –Ela colocou a mão na cabeça.

-Desculpa eu, causei mow confusão aqui – Me senti culpado por tudo isso.

-Não eu que peço desculpas, ele não tinha o direito de vim aqui e falar essas coisas.

-Tudo bem. O importante é que você não estava sozinha quando ele veio – passei a mão em seus cabelos.

-Ok – Ela deu um sorriso.

- Geeeente – Becca entrou no apartamento – Thiago desceu todo nervoso. – Ela escorou na parede – Já sei, ele viu vocês juntinhos – Ela sorriu maliciosamente e colocou um dedo na boca.

-Deixa isso pra lá – Flor me puxou para o sofá pra sentar – Senta e conta como foi o encontro.

-É fala ai, Meu loiro cuidou bem de você né – Falei fazendo bico e elas riram.

-A gente se beijou – Ela falou rápido e sorriu sentando no sofá.

-COMO ASSIM!? – Flor gritou surpresa – Não é você a menina que NUNCA beija no primeiro encontro?

-É parece que eu to sobrando – Eu sorri – Gente eu vou nessa, aproveitem a fofoca – falei sorrindo

-Aaah mas já? – becca fez bico – Senta ai e me conta mais sobre o Thomas.

-Huuum quando ela faz isso é por que tem um interesse – Flor sorriu.

Eu me via entrando em uma fria, por que por mais que o Thomas fosse um cara divertido, carinhoso e tivesse as milhares de qualidades que ele tem, o fato é que ele é mulherengo, e nada muda a aposta que ele fez com o Lanza pra ficar com a Rebecca. Espero que ela nunca descubra dessa aposta.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...