História Summer Love - Capítulo 35


Escrita por: ~ e ~DarkLipa

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Drama, Festa, Pegação, Summer
Exibições 49
Palavras 1.416
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


➧ COMEÇANDO PEDINDO DESCULPA POR NÃO TER POSTADO QUINTA, EU ESQUECI DKKDLKLDKDK É QUE SÃO TANTAS FICS
➧ VAI TER CAP HOJE SIM E VAI TER CAP QUINTA SIM! SEMANA SUMMER LOVE KDKDKLDLK
➧ NÃO NOS MATEM DEPOIS DE LER O CAP DE HOJE, POR FAVOR!
➧ GOSTARIAMOS MUITO DE LER A OPINIÃO DE VCS SOBRE O QUE IRA ACONTECER, ENTÃO NÃO DEIXEM DE COMENTAR :)
➧ AMAMOS VCS E BOA LEITURA

Capítulo 35 - Two years later.


Fanfic / Fanfiction Summer Love - Capítulo 35 - Two years later.

(...)

 Dois anos depois.

– Summer? – Ouvi alguém me chamando da cozinha.

– Já vou. – Coloquei minha pequena no berço e fui pra cozinha.

– Ah, você tá ai? Te trouxe umas coisas. – Kian colocou umas sacolas na mesa.

– É fralda? Porque eu tô precisando.

– Pra você ou pra ela? – Ele riu.

– Não sou tão velha assim. – Bati na cabeça dele.

– Eu acho que é.

– Cala a boca, você é mais, eu só tenho 21.

– E eu 24.

– Você que precisa das fraldas. – Rimos. – O que você trouxe?

– Umas coisinhas pra comer.

– Sabe que eu mudei minha dieta, né? Só salada agora... Brincadeira, deixa eu ver. – Fui até as sacolas.

– Nojentinha, posso ver minha bebê favorita?

– Não! Ela está dormindo, deixa ela lá.

– Nossa. – Ele cruzou os braços. – Bom, e aí? Como tá sendo viver aqui?

– Eu moro aqui faz dois anos e você só pergunta agora?

– Vai que mudou alguma coisa e tal... Já o viu algum dia?

– Ele é meu vizinho, literalmente meu vizinho, uma parede nos separa e eu só vi ele uma vez, acho que Deus está ao meu favor.

– Vocês se falaram?

– Ele não me viu, estava beijando aquela escandalosa. – Revirei os olhos. – A gente se conhece, essa puta bateu aqui na porta uma vez pra reclamar do choro da Geovanna, mas se ela desligasse aquela droga de rádio, a menina conseguia dormir.

– Será que ela te reconheceu?

– Acho que não, também depois disso não nos falamos mais.

– Hm... O que sente quando o vê?

– Só foi uma vez, eu senti ódio, por causa dele, eu quase perdi minha filha.

– Isso é estranho.

– O que? – Comecei a tirar as coisas das sacolas.

– Vocês têm uma filha, isso não pode negar, ela é mais a cara dele do que a sua, isso você também não pode negar, são vizinhos, se amam e não estão juntos.

– É a vida, acho que era pra ter acontecido assim, foi escrito, provavelmente por duas loucas desocupadas e Deus aprovou.

– Por que não batalha por ele? Assim como ele batalha por você?

– O que ele faz por mim? Eu nunca vi ele fazendo nada.

– Praticamente, todos os dias, Niall aparece na empresa do papai procurando por você, ele não para de ligar para os meninos e ainda vai na nossa casa pra saber se você está lá ou aonde você mora.

– Kian, eu não consigo, simplesmente não dá mais. Eu tentei, você e Louis sabem que eu tentei.

– Você não tentou, ficou se escondendo dele, não o ouviu se explicar sobre as mensagens e nem o ligou mais.

– Vamos parar de falar nisso, não quero que Geovanna escute isso, você sabe como ela é.

– Ela tem que saber, ele também, você precisa tomar coragem.

– Um dia, sei que ele está próximo, não vou tentar impedir, se acontecer, aconteceu.

– Deveria dar um empurrão.

– Talvez. – Sentei na bancada. – Agora, chega.

– É porque eu preciso ir. Só vim deixar essas coisas.

– Já vai? Ah não, não quero ficar sozinha.

– Preciso fechar os negócios do papai, sabe que ele não faz mais isso.

– Por que o chama assim? É estranho, você tem 24 anos e parece que não teve um pai de verdade.

– Você sabe que eu não tive.

– Eu sei. Parece que ele está velho do jeito que você fala. Ele é novinho ainda, está gato, ainda trabalha, só que agora é um pouco mais família.

– É, ficou sabendo que ele quer ter outro filho?

– Aquele velho é louco, está parecendo minha mãe, ainda bem que Louis não tá afim.

– Por falar neles, ficou sabendo que Louis vai pedi-la em casamento?

– Não é só porque eu não moro mais lá, que fiquei excluída das fofocas. Por mim, eles podem casar.

– Então, ele vai pedir. Quando, eu não sei.

– Ele falou que vai ser depois da minha formatura, o que está pra chegar.

– Hm... É quando mesmo?

– Daqui uns meses, eu amo cinema, mas não sei se vou trabalhar com isso.

– Deveria, vai te render uma boa grana.

– Eu sei, mas tem a Geo, não gosto de deixá-la com babá.

– Deixa comigo!

– Não. Agora vai trabalhar.

– Tá. Beijo, beijo. – Ele beijou minhas bochechas. – Tchau.

– Você precisa de uma namorada. – O levei até a porta.

– Também acho.

– Até. – Ele foi embora.

Fiquei encarando o corredor, até Kian entrar no elevador. Fechei a porta e voltei pro quarto da minha loirinha. A olhei e realmente, ela tem a cara do pai. Ela não se parece muito comigo, até os olhos é daquele infeliz. Ela deveria se parecer comigo, eu que estou aqui com ela todos os dias enquanto aquele canalha está transando com aquela vadia de quinta. Sentei na poltrona dela e fique relembrando de tudo o que passou. Esses dois anos não foram fáceis pra nós duas, mas os superamos. É difícil viver sozinha, ainda mais com um bebê. Geo nasceu prematura, ela ficou meses no hospital, isso me fazia chorar todos os dias. Não gostava de vê-la toda entubada e tendo várias complicações sem alguém ao meu lado, mas graças a Deus superamos e hoje somos felizes. E sempre seremos. Ela é tão esperta, sabe andar e também fala, não completa muitas frases, mas dá pra entender o que ela quer. É bonitinho, quando me pede comida, principalmente doces. Isso ela puxou do pai, acho que é de sangue. Ela é todinha o pai. As vezes, fico triste por isso, queria um pequeno traço meu nela. Nossas bocas são iguais, isso eu tenho que admitir, mas é apenas isso. Pelo menos, vamos ter a personalidade iguais, acho que teremos.

(...)

Já havia anoitecido, Geo estava brincando com o “tio” Harry na sala, ele vai dormir aqui hoje, mesmo sendo sábado e Niall fazendo festa ai do lado. Ela estava um pouca agitada, acho que é por conta do som alto. Ficava dançando e pulando no colo do Harry, é um momento fofo e até gravei um vídeo deles. Tenho gravado bastante coisa durante esses anos. Gosto de guardar tudo pra mostrá-la no futuro.

Eu descobri que Zayn está morando no Brasil, ele sabe que tenho uma filha, nos falamos vez ou outra, eu só não sei porque ele foi embora, espero que volte. Ele faz falta com aquelas idiotices e papos sem nenhuma noção. Disse que vem pra cá esse ano, está doido pra conhecer a minha pequena. Espero que venha mesmo, afinal não é a primeira vez que ele diz que irá vim, também não é a primeira vez que some do nada, Zayn é esquisito. Deve ser loucura da cabeça dele, só pode.

Daqui a pouco da meia noite e eu vou poder dormir, Niall finalmente vai abaixar a porra do som. Se ele não fizer isso, vai rolar barraco porque eu vou chamar a polícia. Harry me chamou e me avisou que Geo já havia dormido. Peguei minha loirinha no colo e a coloquei no berço, voltei pra sala, onde fiquei conversando com Harry. Sabe, eu estava muito frágil depois que Geovanna nasceu, então eu acabei ficando com Harry. Foi apenas uns beijos, nada demais. Devo admitir que foi muito bom, acho que foi porque fazia muito tempo que eu não beijava alguém. Harry é um bom tio pra minha pequena, adoro quando ele dorme aqui. Parece que ele nos protege, ele tem esse dom de me passar segurança. Kian também, eles são ótimos nisso.

Ouvi um barulho e depois alguém batendo em minha porta. Olhei pro Harry um pouco surpresa e fui ver quem é pelo olho-mágico. Voltei a olhar Harry e ele fez uma cara de "fala quem é" e respondi que era Louis, mas não o deixaria entrar. Ele bateu de novo e ficou gritando "me deixa entrar". Abri a porta com rapidez e o puxei pra dentro de casa.

– Opa! Calma ai, calma ai! – Ele cambaleou pra frente e pra trás.

– Louis, não deveria estar aqui.

– Mas eu tô. – O mesmo riu e soluçou. – Tô com soninho.

– Vai pra casa, sabe que ninguém pode te ver aqui.

– Ninguém vai ver, delicinha.

– Vai deitar lá no meu quarto, eu durmo na sala com Harry.

– Vem comigo, gatinha?

– Odeio gente bêbada. – O levei pro meu quarto.

– Aqui que vai rolar o abate? – Ele começou a se despir.

– Vai, deita aí. – Tranquei a porta do banheiro.

– Então pode vim, que eu tô pronto.

– Eu sei que está. – O deixei deitado na cama e sai do quarto trancando a porta do mesmo.

Louis começou a gritar, mas logo se calou. Me ajeitei no colchão na sala com o Harry e adormeci.

 


Notas Finais


Ah, não deixem de comentar esse capitulo, gostariamos de saber a opinião de vcs sobre essa nova fase da vida da Summer :)
Tha&Nany


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...