História Summer Love - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Amizade, Drama, Romance, Superação
Visualizações 80
Palavras 2.762
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 42 - Back to dark


Fanfic / Fanfiction Summer Love - Capítulo 42 - Back to dark

Harry sentia que o ar faltava...a escuridão era opressora e ele não conseguia enxergar nada...respirava com dificuldade...tateou pelas paredes e gritou até perceber que não  tinha voz...sabia que ninguém estava escutando...sufocando...viu a porta de abrir e aquele homem que vinha em sua direção...começou a se debater, não aguentava mais aquilo...sufocando...aquelas mãos o segurando com força...sufocando...estava sendo arrastado e começou a se debater...gritou por socorro e aquelas mãos continuavam a segurá-lo com firmeza...

_ Harry! – Louis sacudia o amigo – precisa acordar agora.

O garoto abriu os olhos confuso, estava banhado em suor e lágrimas.

Niall e Louis o encaravam com cara de preocupados.

Como aqueles dois foram parar ali? Sentia seu coração disparando e ainda tinha dificuldade para respirar.

_ Toma, bebe isso. – Louis lhe estendeu um comprimido e um copo de água – está sentindo alguma coisa?

Harry sentia medo, um medo inexplicável de ser abandonado e ficar novamente naquela sala escura, mas não disse nada.

Tomou o remédio e depois se encolheu na cama, como um animalzinho ferido. Estava envergonhado pelo descontrole.

_ Tente dormir um pouco... – Louis limpou o suor de sua teste e acariciou seus cabelos com carinho - precisa descansar.

_ Tenho medo de dormir... – ele gemeu baixinho.

_ Eu sei... – Louis beijou-lhe na testa – eu vou ficar aqui, não vou deixar você sozinho nunca mais, eu prometo.

Harry tentou resistir, mas o efeito do comprimido e a voz tranquila de Louis o venceu. Acabou adormecendo novamente.

_ Ele está piorando! – Louis disse a Niall – não sei mais o que fazer.

_ Os remédios não estão adiantando mais... e já faz mais de uma semana. – Niall olhou o amigo dormindo tranquilamente – ele precisa da Pietra. Tudo o que aconteceu fez com que ele entrasse em colapso.

_ Eu tentei falar com ela, mas não quer vê-lo, mesmo que esteja morrendo de preocupação. - Louis disse frustrado - eu me sinto impotente e juro por Deus, que as vezes quero amarrar esses dois juntos até resolverem isso! Odeio ver meu amigo sofrendo tanto, mas Pietra não quer ceder!

_ Não dá para culpa-la! – Niall sentou-se no parapeito da janela – Harry pisou feio na bola.

_ Até agora não entendi porque ele fez isso!

_ Você já viu a Samantha? Ela é absolutamente linda e sedutora...aquela garota sabe usar os atributos que Deus lhe deu. – Niall riu amargo – de alguma forma ela envolveu Harry em sua teia de sedução.

_ Mesmo assim...Harry é perdidamente apaixonado pela Pietra...porque iria procurar diversão com outra garota? Ainda mais em um lugar que certamente seria descoberto? – Louis insistia – tem alguma coisa nessa história que não se encaixa.

_ Falando nisso, eu preciso ir pra escola – Niall pegou sua mochila- qualquer emergência me liga.

_ Vai na boa Niall, eu cuido do nosso bebê travesso! – Louis riu.

Quando Niall saiu, Louis sentou-se na poltrona ao lado da cama de Harry e ficou observando-o preocupado. Ele estava indo tão bem com o tratamento, as crises tinham parado, os pesadelos e a insônia eram raros. Mas então teve toda aquela confusão com Nathan e o rompimento com Pietra.

Louis estava voltando para a faculdade, depois do nascimento do filho de Liam, quando Anne ligou desesperada porque Harry estava tendo uma crise e gritando a noite por causa dos pesadelos. Louis não pensou duas vezes e voltou até a casa do amigo...e estava lá havia mais de uma semana, tentando ajudar Harry  a lidar com seus demônios internos.

Harry não estava indo para a escola, então Niall aparecia todos os dias com a matéria que ele vinha perdendo. Nenhum dos outros amigos havia aparecido e Harry dizia que não queria ver nenhum deles. Talvez não quisesse que o vissem descontrolado como estava ou talvez apenas estivesse envergonhado por seu comportamento nos últimos dias.

 

Niall entrou na sala e sentou-se ao lado de Pietra.

_ Quer saber como ele está? – perguntou cauteloso.

_ Na verdade não! – ela mantinha o olhar fixo no livro.

_ Harry precisa de você Pietra! - aqueles olhos azuis pareciam implorar.

_ Ele precisa de um especialista! - disse desviando o olhar.

_ Sabe por que ele está assim, não sabe? - Niall insistiu, teimoso.

_ Porque a “Sam” o envenenou? – ela disse sarcástica.

_ Não seja teimosa. – Niall segurou a mão dela – nós dois sabemos que está louca para estar com ele. Apenas você pode resgatá-lo das trevas onde ele está agora. Louis e eu já tentamos de tudo e estamos ficando sem opções.

_ Eu não consigo Niall – ela confessou.

_ Os pesadelos tem piorado...os medicamentos não fazem mais efeito e os médicos acham que é psicológico. A mente dele está perdida em algum lugar na escuridão. - Niall tinha os olhos marejados - Harry precisa ser regatado. E rápido!

_ Talvez esteja perdido no meio da culpa! - ela continuava se negando.

_ Pietra! – Niall disse um pouco alto demais.

_ Srta Storm e Sr. Horan! Qual o tema dessa conversa tão interessante? – o professor encarava os dois e a sala ria.

_ Estávamos discutindo a ausência de Harry Styles! – Niall disse e Pietra o fuzilou com o olhar.

_ A Sra Styles comunicou a direção que Harry está muito doente e por isso tem faltado as aulas. Alguém de vocês sabe exatamente o que ele tem?

_ Coração partido! – alguém gritou no fundo as sala.

_ Se exercitou em excesso na piscina. – Samantha disse maliciosa.

Pietra estava pronta a voar no pescoço daquela vadia, mas a mão firme de Niall e seu braço a conteve.

A sala toda comentava as possíveis causas do sumiço de Harry e Samantha alimentava aquelas teorias malucas.

Pietra sabia exatamente qual era o problema de Harry e é claro que estava preocupada.

Mas estava muito magoada e não queria estar perto dele nesse momento. Nada de bom viria disso!

As coisas fugiram de controle. Depois do nascimento do bebê de Sophie e Liam, ela havia chorado tudo o que estava entalado em sua garganta e chorara nos braços de Louis. Ele não perguntou o motivo de suas lágrimas e nem ela fez questão de dizer. Bastava a proteção e o carinho que sentiu nos braços dele.

Harry não apareceu no hospital. Pietra havia recusado a ajuda dele para socorrer Sophia, estava ferida demais naquele momento e se entrasse no mesmo carro que ele, seria capaz de mata-lo, então decidiu que iria com Niall. Mas nada o impedia de vir ao hospital depois, mas ele não apareceu e nem ligou para saber se estava tudo bem. Todos os amigos estavam lá, exceto Harry. Provavelmente ficou na escola com sua mais nova paixão.

Ciume era mesmo um veneno que entra em nossas veias e nos deixa cegos. Pietra não conhecia mais Harry...

 

_ Louis... – Harry falou baixinho.

_ Estou aqui – Louis segurou  a mão dele – precisa de alguma coisa?

_ Eu quero morrer...

_ Nunca mais diga isso pra mim! – Louis sentiu as lágrimas em seus olhos – você tem mil motivos para viver!

_ Eu estraguei tudo Lou... – Harry resmungava baixinho – sou um vaso quebrado e que não tem conserto.

_ Harry, precisa reagir. - Louis implorou, sentindo que ele mesmo estava quase desabando.

_ Eu perdi a Pietra... afastei meus amigos e me tornei a pior pessoa que eu poderia ser...

_ Você fez besteira, mas podemos consertar isso. – Louis disse – eu ajudo você...não desista cara!

_ Você ainda ama a Pietra?

_ O que isso importa agora?

_ Apenas responda – Harry pediu e tinha lagrimas nos olhos.

_ Eu a amo, mas eu nunca...

_ Você e ela estão me enganando?

_ Não! O que... – Louis hesitou – Pietra ama você!

Harry sentou-se na cama e encarou Louis, precisava ouvir dele.

_ Eu sei que ela esteve na sua casa, naquela noite que brigamos com Nathan...e eu vi uma foto de vocês dois abraçados na varanda...você dormiu com ela? - foi direto ao perguntar isso.

_ Nunca! – Louis olhou nos olhos dele – Pietra foi a minha casa porque achava que você a estava traindo!

_ Eu traindo? Do que está falando?

_ Ela recebeu uma mensagem com uma foto sua beijando uma tal de Samantha!

_ Mas eu beijei Samantha apenas depois...espera um pouco ai! - Harry pareceu pensar e enfim ligou todos  os pontos -  Eu fiz respiração boca a boca nela, porque estava se afogando na piscina...alguém deve ter fotografado isso. Ela armou pra mim?

_ Fica calmo Harry! – Louis percebeu que ele estava começando a arfar novamente – precisa se deitar.

_ Eu achei que você e a Pietra estavam me traindo – ele deitou-se envergonhado e fechou os olhos – é tudo culpa minha!

_ Eu cheguei em casa naquela noite e ela estava lá, chorando desesperada. Me mostrou a foto e eu tentei dizer que poderia ser uma montagem e que talvez você tivesse uma boa explicação. Ela decidiu ir embora, mas eu estava bêbado demais para dirigir e por isso liguei para você ir pegá-la. Lembra disso?

_ Ela veio aqui pra casa mas acabamos pegando no sono antes de conversarmos – Harry pensou um pouco – a mensagem era pra ela e eu vi no celular dela, por acaso.

_ E acreditou que ela tinha passado a noite comigo? – Louis o encarou surpreso – eu achei que eu merecia mais credito do que isso.

_ Eu fiquei cego Louis...e fui pra escola e fiz a minha maior burrada, transei com a Samantha! – Harry levou as mãos ao rosto – Pietra nunca vai me perdoar por isso!

_ Já se colocou no lugar dela? – Louis o encarou.

_ O que eu faço agora Lou? – ele chorou.

_ Primeiro precisa ficar bem, sair dessa depressão e então recuperar sua garota!

 

No dia seguinte, Harry acordou sentindo-se um pouco mais disposto. Louis dormia ao seu lado e ele sorriu. “Meu namoradinho! Se Nathan pudesse nos ver agora!”. Tomou um longo banho e decidiu que estava na hora de reagir e pegar de volta tudo o que havia perdido por ser um completo idiota. Ficou com pena de acordar Louis, então deixou um bilhete.

No estacionamento da escola, bateu pânico diante daquele prédio, medo do que iria encontrar lá dentro, das pessoas que ele afastara e que provavelmente iriam ignorá-lo agora. E ele sabia que merecia isso, depois da tremenda burrada que havia feito.

_ Olha só pessoal , a mocinha voltou! – Nathan o cercou com seus amigos – já passou o período de menstruação?

_ Eu não quero confusão, Nathan. – ele disse sério.

_ Não quer confusão porque seu namoradinho não está aqui para defende-lo? – o outro provocou – e eu soube que seus outros amigos também o abandonaram.

_ Qual o seu problema comigo? – Harry o encarou.

_ Você se acha o rei do pedaço. O bonitão que as garotas querem namorar. O menino inteligente, gentil e educado que serve de exemplo para todos nós! – Nathan disse debochado – o senhor perfeitinho, com sua namorada perfeita, seus amigos perfeitos.

_ Tudo isso por ciúmes? Porque quer ser como eu? – Harry ainda o encarava – você não sabe NADA da minha vida e acredite, não ia querer estar no meu lugar.

Nathan o empurrou e Harry bateu as costas contra seu carro, mas estava decidido a não aceitar provocação.

_ Você é tão covarde que precisa do time inteiro para te dar cobertura? – Harry o provocou.

_ Ninguém se mete! – Nathan avisou os companheiros – eu vou ensinar algumas coisas a essa bichinha!

_ Não vou brigar com você Nathan! – Harry riu e começou a se afastar.

_ Talvez eu pegue a sua garota, como se chama mesmo? Pietra, certo? Já que você não gosta da fruta, eu vou me divertir com aquela gostosa...como você se divertiu com a Sam!

_ Se tocar num único fio do cabelo dela, eu mato você! – Harry o agarrou pelo colarinho – não mexa comigo Danvers!

Nathan ficou assustado com a fúria contida naqueles olhos verdes, que faiscavam .E também porque Harry o havia levantado do chão pelo colarinho, ele era mais forte do imaginava. Engoliu em seco e tentou disfarçar o quanto estava abalado.

_ Me põe no chão Styles! – ele rosnou.

Harry o soltou com tanta violência que ele foi jogado no chão. O garoto virou as costas e caminhava em direção a escola, quando Nathan avançou sobre ele e o derrubou no chão, começando a socar seu estomago, enquanto os outros gritavam.

Harry sentiu o sangue em sua boca e o ar faltando quando levou mais uma pancada no estomago. Suas vistas viraram sombras e só escutava os gritos e os palavrões que Nathan dizia contra ele . Não se defendeu de nenhum golpe, apenas fechou os olhos e tentou ignorar a dor e então tudo parou.

 

Louis acordou e percebeu que Harry já havia saído para a escola. Aquilo poderia ser um bom sinal, mas ele não podia deixar de se preocupar com a pressão que ele enfrentaria na escola. Contrariando  a si mesmo, resolveu dar uma olhada no garoto, mesmo que discretamente.

Quando chegou ao estacionamento, viu uma briga em andamento. Teria ignorado aquilo se não identificasse Nathan no meio do tumulto, berrando palavrões e chutando uma pessoa caída no chão...Harry!

Louis ficou cego nesse momento e correu em socorro ao amigo. Atingiu Nathan  como um foguete e socou-o sem parar, tomado de fúria...

_ Tommo, tem que parar, vai matar ele! – alguém o arrancou de cima do jogador.

Louis viu o rosto estourado de Nathan e os olhares assustados das pessoas ao redor e então viu Harry, também todo machucado e sangrando.

_ Por que não o impediram? – ele olhou todos ali, revoltado  – ele poderia ter matado o Harry! Mas me impediram de fazer o mesmo com ele? Bando de covardes!

_ Harry precisa de ajuda...não está respirando... – como Niall havia chegado ali? – alguém chame uma ambulância, rápido!

_ Não temos tempo Niall – Louis começou a erguer Harry – me ajude a coloca-lo no meu carro.

_ Ele pode ter algo quebrado, não devíamos mexer no corpo dele.

_ Ele pode morrer Niall! – Louis encarou o  amigo – quer arriscar?

Niall não discutiu e colocaram Harry no banco traseiro do carro de Louis e ambos partiram em alta velocidade para o hospital. Alguém chamou uma ambulância para Nathan que também estava bastante ferido.

Pouco depois estavam no hospital e só então Louis notou suas mãos ensanguentadas. Velhas lembranças de quando quase matou seu próprio pai de pancadas, quando descobriu Harry no sótão. Novamente quase matara outra pessoa para salvar Harry! Suspirou  e rezou secretamente para que o amigo sobrevivesse a mais essa batalha.

Niall ligou para Helena avisando o que havia acontecido e pediu que ela avisasse Pietra, da forma mais delicada que fosse possível.

Helena desligou o telefone e observou Pietra pegando suas coisas no armário. Não existia uma maneira delicada de dizer que Harry havia sido espancado no estacionamento e que agora estava no hospital. Viu quando Tyler se aproximou e decidiu que precisaria de ajuda nessa missão.

_ Pietra...

_ Bom dia Helena. Oi Tyler. – a garota disse e então os olhou com mais atenção – algum problema?

_ É o Harry...

_ O que ele aprontou dessa vez? – ela fechou o armário com raiva.

_ Ahn... – Helena olhou Tyler em busca de socorro. – aconteceu uma coisa...

_ Nathan o espancou no estacionamento! – Tyler disse de um folego só e Pietra sentiu suas pernas falharem – não tem jeito fácil de dizer isso.

_ Onde ele está? – Pietra estava branca feito papel.

_ Louis e Niall o levaram para o hospital! – Helena disse.

_ O que Louis estava fazendo aqui!?

_ Sendo o anjo da guarda de Harry, como sempre. – Helena explicou – se ele não tivesse chegado a tempo, talvez Harry...

_ Eu preciso vê-lo! – Pietra já caminhava para fora.

_ Finalmente! – Helena resmungou e Tyler a olhou meio rindo.

Ninguém mais aguentava a briga daqueles dois, mesmo sabendo que Harry havia errado feio, era estranho ver os dois amigos separados.

 

No hospital...Harry estava muito mal, uma costela quebrada e sérios problemas respiratórios. Teve uma parada cardiorrespiratória e por isso foi colocado na UTI e respirava com a ajuda de aparelhos. Seu estado de saúde era muito delicado e os médicos estavam preocupados.

Louis viu quando Pietra chegou e abriu os braços para ela, que se escondeu em seu peito, como sempre fazia.

_ Por que ele não para de nos dar esses sustos? – ela reclamou entre lágrimas – não aguento mais isso.

_ Harry vai ficar bem, ele sempre fica! – Louis tentava convencer  a ambos disso – nosso garoto não vai nos abandonar...não vai...

 

"...Preste muita atenção, espero que você escute

porque estou desprotegido no momento, estou completamente sem defesa..."

(If I could fly - One Direction)

 


Notas Finais


Postei e sai correndo...
Agora é só esperar pelos comentários...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...