História Summer Love - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Amizade, Drama, Romance, Superação
Visualizações 76
Palavras 3.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 49 - Revenge


Fanfic / Fanfiction Summer Love - Capítulo 49 - Revenge

Louis colocou todos os sacos de lixo pra fora e jogou-se na poltrona, exausto. Camille estava no outro sofá e o olhava divertida.

_ Cansado?

_ Eu achei que nunca mais ia ver o piso do meu apartamento novamente! – ele disse dramático – como é possível fazer tanta bagunça em tão pouco espaço?

_ Universitários são uma raça estranha! – ela riu.

_ Desculpa estragar seu fim de semana. - disse parecendo culpado.

_ Ele ainda não acabou... - disse a garota, de modo sapeca.

_ Você está me provocando desde que chegou aqui – ele se aproximou dela – está me testando por algum motivo? Eu sei que não tenho uma fama muito boa, mas não sou esse cafajeste que a maioria pensa.

_ Estou com fome e você? – ela levantou-se e se afastou dele.

_ Vou pedir alguma coisa para comermos – ele grunhiu frustrado – eu me recuso a cozinhar hoje! Alguma preferência?

_ Mexicana? –ela sugeriu..

_ Boa pedida...vamos apimentar mais o nosso dia!

Louis fez o pedido e ficou olhando-a, parada na sacada do apartamento. Tinha uma bela visão da cidade, mas não era isso que Louis estava olhando. Aquela garota o confundia. Caminhou até ela hesitante.

_ Tem uma bela vista daqui...isso é lindo! – ela disse .

_ Eu concordo. – ele estava parado atrás dela e aspirava seu doce perfume com o rosto entre seus cabelos – isso é perfeito.

Camille fechou os olhos quando sentiu o calor do corpo de Louis, colado ao seu e seu hálito quente em seus cabelos. Passaram o dia todo como gato e rato, provocando e se afastando...não sabia porque esse garoto tinha tanto fascínio sobre ela.

_ O que está fazendo Louis? – ela se virou, ficando presa em seus braços.

_ Temos assuntos inacabados mocinha! – ele disse com os lábios quase roçando nos dela – não vai fugir dessa vez!

_ Talvez eu não queira mesmo fugir . – ela passou os braços pelo pescoço dele e sorriu.

Louis se inclinou para beijá-la e a campainha tocou, interrompendo o momento dos dois.

_ Eu vou matar quem estiver nessa porta! – ele resmungou.

_ Pegue a comida antes de matar o entregador! – ela se divertia.

Louis disse um palavrão antes de abrir a porta e se deparar com Caroline parada lá. Ela se jogou no pescoço dele e deu um beijo estalado em sua bochecha.

_ Que surpresa Carol -  ele tentava se desvencilhar do abraço – não avisou que vinha.

_ Eu decidi de ultima hora – ela foi entrando – Zayn está no quarto?

_ Ah...sobre isso...tem uma coisa que precisa saber...

Camille ouviu vozes e entrou na sala e se deparou com aquela linda loira parada lá, parecendo muito intima de Louis.

_ Ola estranha. – Carol disse sorrindo – eu interrompi alguma coisa?

_ Camille...essa é a Carol, namorada do Zayn.

_ Como vai? – Camille sorriu e viu a preocupação nos olhos de Louis – e você não interrompeu nada...nada que não possamos recomeçar.

Louis sorriu. Mas ainda não sabia como contar a Caroline o que havia acontecido com Zayn. Certamente ela ia ter um ataque.

_ Onde está o Zayn?

_ No hospital.

_ O que aconteceu? –ela se preocupou.

_ Demos uma festa ontem a noite – Camille falou antes de Louis – ele exagerou um pouco na bebida. Na verdade todos nós nos excedemos um pouco na noite passada...mas acho que ele não comeu nada e acabou passando mal. Não é nada de grave na verdade, ele vai ter alta no fim do dia.

_ Em que hospital ele está Tommo? – ela se virou para Louis.

_ Vou pegar o endereço. – ele se afastou.

_ Ei, eu gostei de você! – Caroline segredou – esse garoto merece uma garota legal pra tomar conta dele.

_ Ainda não temos nada – Camille corou – estamos nos conhecendo!

_ Depois que beija Louis Tomlinson uma vez, você não quer parar nunca mais...só eu sei o quanto me custou! – Caroline se abanava – Oh, desculpa, acho que eu não devia ter dito isso, não é?

_ Aqui está Carol. – Louis estendeu um papel.

_ Vou lá dar umas broncas naquele safado.

_ Pega leve, ok? – Louis sorriu quando ela o abraçou e beijou novamente na bochecha de forma barulhenta.

Despediu-se de Camille com um sorriso e saiu feito um furacão.

_ Vocês dois já tiveram alguma coisa? – Camille o encarou.

_ Eu e a Carol, não! – ele negou – por que isso agora?

_ Ela disse que você beija bem!

_ Estudávamos juntos no colegial e ela me roubou alguns beijos...longa história! Eu tinha namorada e ela estava se enrolando com um dos meus melhores amigos. Se eu a beijei? Sim. Mas não passou disso. E por que isso incomoda você?

_ Talvez porque eu ainda não sei se você beija bem ou não!

Louis  atravessou a sala com passos rápidos e a beijou. Um beijo suave, tranquilo e foi deslizando as mãos para sua nuca e a trazendo mais para perto. Camille se encostou no peito dele e abriu os lábios dando passagem para que sua língua invadisse sua boca. Louis realmente tinha um beijo viciante e mesmo sem ar, os dois não conseguiam parar de se beijar.

A campainha novamente e dessa vez era a comida que Louis havia pedido. Os dois comeram em silêncio mas sem tirar os olhos um do outro. O que era aquilo que estava acontecendo entre os dois?

Depois ela o ajudou a recolher a bagunça que fizeram e levar pra cozinha e ficou um clima estranho entre eles.

_ E então? – ele se virou sorrindo – a Carol tinha razão?

_ Sobre o que? – ela se fez de desentendida.

_ Sobre... – ele mordeu o lábio nervoso – nada! Deixa pra lá...

Louis a deixou sozinha na cozinha e foi para seu quarto. Aquela garota o deixava confuso demais e ele já estava muito cansado. Jogou-se em sua cama  e esticou o corpo, ouvindo os estalos. Sabia que tinha muita coisa para estudar mas não estava afim. Precisava dormir...

_ Louis? – Camille estava parada na porta.

_ Eu estou cansado desse joguinho... – ele resmungou de olhos fechados – e preciso dormir um pouco. Estou morto!

Ele sentiu quando a cama afundou ao seu lado e Camille se enroscou em seus braços, se aconchegando ao seu corpo como um gatinho.

_ O que está fazendo? – ele a encarou nervoso.

_ Você disse que precisava dormir...vou dormir com você!

_ Isso não vai funcionar – ele tentou se afastar – eu não sou nenhum santo Camille e não devia me provocar assim.

_ A Carol tinha razão! – ela disse enquanto deslizava os dedos pelo peito dele – seu beijo é viciante e faz a gente querer mais...

_ Não faz isso comigo... – ele pediu rouco.

Camille ignorou seus protestos e o beijou, colando seu corpo no dele. Louis parou de resistir assim que seus lábios tocou os dela e a puxou para mais perto, aprofundando o beijo.

O sono e o cansaço dele desapareceram quase que instantaneamente. Só conseguia pensar naquela boca contra a sua, naquele corpo que o estava deixando louco. Aquilo estava indo rápido demais mas os dois não podiam evitar aquela necessidade de mais proximidade.

Louis rolou sobre ela na cama e começou a beijar-lhe o pescoço, o que fazia a garota gemer de uma maneira deliciosa. Em minutos ela estava sem a blusa , com os belos seios expostos e Louis estava sem a camiseta, suas peles se tocavam incendiando a ambos. Novamente estavam se beijando com urgência e as mãos passeando pelos corpos, seus gemidos abafados pelo beijo e Louis libertou os lábios dela, apenas para aprisionar um de seus seios em sua boca. Aquela pele macia entre seus lábios o deixava louco e ela segurava os cabelos dele, guiando seus lábios mais para baixo e ele foi deslizando a língua pelo seu abdômen e descendo...e descendo...

Camille observou ansiosa quando Louis retirou a calça dela, juntamente com a calcinha e também se livrou das próprias roupas, exibindo sua orgulhosa ereção. A garota prendeu o folego ao observar aquele belo corpo, com pernas bem torneadas e grossas, aquele peitoral tatuado, aquele abdômen com gominhos de tão perfeito. Louis era absolutamente lindo  e as histórias sobre sua bela bunda eram todas verdadeiras! Não parecia normal um homem ter uma bunda daquela!

Louis percebeu que estava sendo analisado e sorriu. Então se colocou entre as pernas dela e mordeu de leve suas coxas e começou a deslizar a língua pela sua virilha, torturando-a enquanto ela gemia descontrolada. Finalmente ele introduziu a língua em sua intimidade, chupando-a avidamente e ela quase gritou com tamanho prazer. Ele empurrava e tirava a língua de dentro dela com tanta habilidade que ela não demorou a ter um orgasmo. Seu corpo todo estremeceu e ele a beijou novamente. Sem esperar que ela se recuperasse, ele a penetrou com tudo e ambos gemeram com a sensação dos corpos se unindo. Camille se agarrou as costas dele, o arranhando um pouco, enquanto ele aumentava o ritmo das estocadas e ela o acompanhava nessa dança sensual.

Mudaram de posição e ele ficou colado nas costas dela e voltou ao ritmo frenético das estocadas. Seus lábios estavam colados no ouvido dela e ele dizia coisas muito safadas que só a deixava mais louca de prazer, suas mãos apertavam os seios dela ou acariciava seu clitóris. Seus corpos suados e as respirações fora do compasso. Ela sentia o atrito de seus corpos, a virilha de Louis batendo em seu bumbum quando ele a penetrava mais e mais fundo, seus gemidos se misturaram quando ela sentiu novamente os estremecimentos e mais um orgasmo chegando. Louis gozou logo depois.

Ficaram quietos por um tempo, corpos colados, suas respirações voltando ao normal, o cheiro de sexo impregnando o quarto. Ela se virou para ele devagar e o beijou, um beijo tranquilo e sentiu que ele sorria entre seus lábios.

_ Realmente viciante... – ela murmurou contra o pescoço dele – você é muito melhor do que a lenda...

_ Garota...você vai ser minha perdição! – ele gemeu baixinho e ela riu.

Camille se aninhou no peito dele e depois de trocarem mais alguns beijos, foram vencidos pelo cansaço e adormeceram.

 

Não muito longe dali...

Dia de jogo e o campo estava lotado de estudantes e torcedores.

Tyler estava nervoso, pois o prazo dado por Nathan estava se esgotando e o plano “VINGANÇA” de Pietra, seria testado naquela noite.

Na verdade, era um plano que já estava em andamento. Ele os amigos passaram metade da semana observando Nathan, quase como perseguidores mesmo, conhecendo seus gostos, os lugares que frequentava, as pessoas que encontrava , até o que ele comia no almoço!

Mandaram várias mensagens de texto de um celular descartável e aquilo já estava ficando divertido demais. O garoto parecia atordoado e era visível o quanto parecia gostar das misteriosas mensagens que recebia.

Harry e Niall apimentaram as coisas, mandando mensagens bem safadas ou deixando bilhetes quase pornográficos no armário dele, o que rendia boas risadas nos intervalos. O mais engraçado foi quando ele começou a responder as mensagens e quis marcar um encontro. Naturalmente ele achava que estava recebendo mensagens de uma garota!

Era ai que Tyler entraria em cena. Ele sabia que aquilo não seria fácil, mas era um ato desesperado. Sabia de todas as coisas horríveis que Nathan fazia com os calouros ou com pessoas que ele considerava inferior. Sabia de tudo o que ele poderia fazer quando descobrisse que estava trocando mensagens com um garoto. Sabia de tudo o que ele tinha feito com Harry. Teria que tirar todas essas coisas de sua mente se quisesse parecer, minimamente interessado naquele crápula.

Não podia negar que Nathan era um garoto bonito, tão alto quanto Harry, com um belo físico, cabelos negros, pele clara e olhos azuis... quando foi que começou a reparar em Nathan? O que ele tinha de belo tinha de malvado...aquele garoto tinha um coração negro, se é que tinha um coração!

_ Animado pro jogo? – Harry parou ao lado dele.

_ Qual deles? – Tyler disse azedo. – para o campo estou sempre pronto! Para o outro jogo...eu não sei.

_ Sabe que não precisa fazer isso, não sabe? – Harry o olhou sério – podemos encontrar outra maneira de resolver isso.

_ Eu preciso Harry! Se eu deixar ele me manipular agora, isso não vai acabar nunca!

_ Admiro a sua coragem! – o outro o abraçou – lembre-se que estaremos te dando cobertura. Ok?

_ Obrigado. Agora eu preciso ir.

_ Bom jogo!

 

O jogo já havia começado  e Harry estava fotografando todos os lances.

Sua câmera permitia enxergar mais longe por conta do zoom e ele se pegou observando Nathan. Ele estava no banco de reservas agora e olhava disfarçadamente para as coxas...de Tyler? Harry bateu a foto no exato momento em que Tyler passou correndo com a bola e Nathan o seguiu com o olhar fixo em suas musculosas coxas.

_ Pietra, você estava certa! – ele se aproximou da namorada.

_ Sobre o que? – ela estranhou.

_ Dá uma olhada nessa foto...o que você vê?

_ Tyler correndo com a bola...Nathan está secando as pernas dele?

_ Deixa eu ver isso! – Niall pegou a câmera de Harry – só está olhando na mesma direção. Isso não prova nada!

_ Com certeza ele está olhando para as pernas do Ty! – Helena disse – está com o mesmo olhar do Niall quando olha para as minhas pernas... cobiça!

Niall ficou vermelho. Harry e Pietra caíram na risada.

_ Então ele tem mesmo um crush pelo Tyler! – Niall disse.

_ Mas eu ainda não sei se o Tyler vai conseguir levar isso adiante. – Harry disse preocupado – isso pode não acabar bem.

_ Não dá mais para voltar atrás. – Pietra disse – deixe-o tentar em se não der certo, pensamos em outra coisa!

_ Não quero alarmar ninguém... – Helena lembrou – mas estamos ficando sem tempo.

_ E se ele machucar o Tyler? – Harry ainda preocupado.

_ Essa sua foto confirma que ele sente atração por garotos! - Pietra disse - ou pelo menos sente pelo Tyler.

_ O que não significa que ele vai admitir isso! – Harry insistia.- eu devia ir com ele, para protege-lo!

_ Você vai ficar bem longe do Nathan, está me ouvindo? – Pietra falou muito séria – sua cota em hospitais esse ano, já esgotou. Eu não aguento mais isso!

Harry sorriu e abraçou a namorada. Sabia bem que ela tinha passado maus bocados com ele.

_ Ok diabinha – ele a beijou de leve – eu vou ficar longe, eu prometo. Nada de hospitais pra mim. Mas alguém tem que filmar os dois.

_ Eu faço isso – Niall se ofereceu – as meninas não podem entrar nos vestiário masculino.

O time da casa ganhou o jogo, com dois gols de Tyler, que estava se tornando  a estrela do time. Isso deixava Nathan ainda mais furioso.

No vestiário, como sempre Tyler foi o ultimo a entrar no chuveiro e nem se surpreendeu quando Nathan apareceu, depois que todos saíram. O garoto tentou manter a calma ou aquilo poderia dar muito errado.

Tomou seu banho e saiu enrolado na toalha. Nathan o encarava, encostado nos armários.

_ E então sua bichinha! – Nathan disse desdenhoso – seu tempo está acabando e não vejo você fazendo nada para cumprir o que te mandei fazer.

_ Eu disse que não dependia de mim!

_ Você quer que eu conte para escola inteira do que você realmente gosta? – Nathan ameaçou.

_ E do que você gosta, Nate? – Tyler o encarou – por que  me odeia tanto? O que foi que eu te fiz?

_ Você é só um viadinho de merda!

_ Eu tenho uma teoria. – Tyler se aproximou dele muito calmo – eu acho que quem desdenha, quer comprar.

_ Não se aproxime de mim ou vou partir a sua cara!

_ Eu acho Nate... – Tyler deixou a toalha cair revelando seu belo corpo nu – que na verdade, você gosta do que está vendo e se odeia por isso.

_ Eu vou matar você, seu viado! – ele levantou a mão e Tyler a segurou, levando-a até seu corpo .

_ Sente vontade de me tocar? – ele dizia com uma voz maliciosa – sentir minha pele...vai em frente, nós dois sabemos que você quer isso!

Tyler esperava que ele o afastasse ou tentasse bater nele novamente, mas, para sua surpresa, Nathan o puxou para mais perto, agarrou sua cintura e o beijou. Tyler correspondeu ao beijo apenas para ver aonde aquilo ia dar.

Nathan o empurrou contra os armários e o beijava de forma desesperada, suas mãos passeando pelo corpo de Tyler. Isso começou a incomodá-lo, aquilo já estava indo longe demais, seu corpo não devia estar reagindo daquela forma. Ia se afastar, quando sentiu Nathan deslizando a boca pelo seu peito, seu estomago e chegando rapidamente ao seu membro, já parcialmente ereto. Sem a menor vergonha ele fez o melhor boquete que Tyler já recebeu na vida!

_ Caraca! Isso é melhor que filme pornô! – Niall saiu de trás do armário de onde estava gravando tudo – ótima atuação Tyler!

_ O que está acontecendo aqui? – Nathan olhava de um pro outro – o que vocês fizeram?

_ Eu acabo de ter um boquete memorável! – Tyler riu e começou a se vestir – obrigado por isso Nate! Para um homofóbico, você sabe exatamente como usar essa boca. Uma delicia!!!

_ Ei, não olhe pra mim! – Niall levantou os braços como quem não sabe de nada – eu apenas gravei um pornô gay que vai fazer sucesso no youtube. Vou mandar link para toda a escola e recomendar.

_ Não, você não pode fazer isso! – Nathan quase implorava – isso vai acabar com minha reputação e meus pais vão me matar!

_ Que ironia, não acha Tyler? – Niall disse maldoso – não é tão divertido quando acontece com você, não é mesmo Nathan?!

_ Vocês armaram pra mim! – ele acusou.

_ Armamos. – Niall admitiu – mas eu realmente não esperava que você fosse agarrar o  eu amigo aqui com tanta vontade. Foi bom pra você?

_ Pra mim foi ótimo! – Tyler sorriu para Niall.

_ O que vocês querem para não mostrar esse vídeo para ninguém?

_ Respeito! – Tyler o encarou – é apenas isso que eu peço. Deixe de ser um babaca que fica pisando nos outros. Eu poderia usar isso contra você, mas não vou descer ao seu nível. Essa historia morre aqui e você nunca mais vai se aproximar de mim ou de qualquer um dos meus amigos, eu fui claro? Ah, eu espero que não tenha mencionado aquela historia da minha outra escola com ninguém...seria uma pena, se esse nosso videozinho vazasse na internet, não acha?

Niall gargalhou e aquela sua risada ecoou no vestiário vazio. Ele e Tyler deixaram o vestiário com a sensação de missão cumprida.

Nathan escorregou pelo armário, caindo sentado no chão, abraçou os joelhos e chorou.

 


Notas Finais


Nathan vai aprender a nunca mais julgar as pessoas por suas opções sexuais kkkk
Me digam o que acharam disso...
seus comentários são muito importantes...
Love always


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...