História Sun And Stars - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Tags Clexa, Drama, Romance, The 100
Visualizações 71
Palavras 3.642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Orange
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi oi gente tudo bem com vocês?? comigo ta tudo bem.
IMPORTANTE: Me digam se estão gostando dos últimos capítulos só para eu ter uma media do que eu to fazendo.
IMPORTANTE 2: Mais ou menos daqui a 25 dias os capítulos sairão toda semana e também vou volta a escrever Como Eu Era Antes De Você (sei que to em divida nisso)

Capítulo 34 - Eu serei rei.


Lexa

 

Podia ver as estrelas cobrirem o céu e eu nem sabia exatamente onde estava, tudo que me lembrava era de ser levada brutalmente por um homem e agora o enjoo me fazia delirar como se eu tivesse no mar, mas eu não queria navegar a lugar nenhum a não ser pra casa.

- Olá dorminhoca. – Disse o homem que tinha me levado, seu rosto não poderia esquecer ate que tivesse colocado uma faca no seu pescoço. – Como você esta?

- Estava bem ate antes de vocês aparecerem. – Respondi. – Onde estamos?

- Em algum lugar no mar indo para as cidades livres. – O homem tinha um sorriso estranho. – Eu acho que você não sabe meu nome, eu sou Cla...

- Claus. – Jamais esqueceria o irmão do monstro que me torturou. – Você é irmão da princesa.

- Sim sou irmão de Ashara, mas não concordo com ela. – Claus sentou do meu lado e me analisou de perto. – Minha irmã acredita que tudo que ela vê é dela, e bem, mas coisas não são assim. Acredito em acordos pacíficos.

- Acredito que você seja mais sensato que ela. – Tentei me sentar, mas minhas costelas doíam. – A estupidez da sua irmã vai causar a morte dela.

- Minha irmã é mais esperta que aparenta. Ela tem uma aliança com Illyrio, um comerciante. – Um traidor, quem eu menos suspeitava. – E também um Lord chamado Lincoln se juntou a minha irmã nesse meio tempo. – Meu irmão me veio a memoria, desde a morte de nosso pai nossa relação jamais foi à mesma, não sei se era minha culpa ou seu instinto me levou para longe. – Eles vão tomar seu reino à força.

- Meu exercito tem um novo Comandante, sem duvida meu filho assumiu o posto e claro a rainha não deixara nada acontecer, ela tem o comando do reino. – Não importa o que acontecesse comigo, Aden protegeria nossa família, assim como Griff e todos os outros. – Por que esta me levando embora?

- Pela marca que você tem no seu peito. – Mais uma vez Claus sorriu da mim de forma sarcástica. – Todos conhecem você, sua fama roda o mundo Lexa. Estou te levando para um lugar que você vai adorar conhecer.

- Um lugar lindo e perigoso. – Uma mulher entrou na cabine sorridente parecendo estar feliz por me vê viva. – As cidades livres são sem duvida um bom lugar para você Comandante.

- E quem é você? – Seu sorriso era doce e sua pele parecia ser macia, mas não se comparava a Clarke. Minha rainha não saia da minha mente, eu precisava voltar para ela, ou então sei que ela jamais me perdoaria.

- Nyla, eu sou uma comerciante das cidades livres. Comercializo escravos. –Disse a mulher.

- Eu não sou escrava, eu sou uma Comandante e esposa de uma rainha – Tentei levantar, mas seria impossível. A surra que Ashara me deu me deixou incapaz de lutar pelo menos por um mês. – Você pegou a pessoa errada.

- Aprendera a ser uma escrava. – Ninguém poderia me prender, não deixaria me transformarem em algo que não sou. – Ate que as coisas em seu reino se acalmem e você possa retornar.

- Se acalmarem? – Se algo acontecesse a Clarke ou a Ellaria eu não me perdoaria. – Sinto muito, mas se algo tiver acontecendo eu preciso esta com minha família.

- “Algo” vai acontecer se você ficar... Eles estão te caçando. – Claus me impediu de sair da cama. – Sua cabeça esta valendo muito nas cidades livres pelo que você fez aos irmãos Rose, e tanto Illyrio quanto Ashara querem sua cabeça e seu irmão, quer o seu reino. São fortes e perigosos juntos.

- Ainda sim posso detê-los.

- Você quebrou duas costelas, perdeu sangue e esta praticamente sem visão do olho esquerdo. - Disse Claus sério. – Seu exercito não esta apoiando seu sucessor, pelo contrario, estão apoiando o sangue, seu irmão que por coincidência também esta associado à Ashara.

- Então me diga Lexa, como você vai salvar seu reino? – Nyla me encarava com seus olhos frios. – Sozinha? Pelo que sei vinte homens de Ashara lhe pegaram fácil.

- Não posso deixar que maltratem minha família.

- E não vão. – Claus afirmou. – Margary vai cuidar bem de sua esposa e da sua filha e seu filho, bom... Espero que ele saiba se cuidar.

- O que querem de mim? – Sempre existe uma saída e eu faria o que tivesse que fazer.

- Queremos que lute como minha escrava.  – Nyla colocou um pano de agua quente na minha testa. – Direi que capturei você e você será minha escrava e vencera algumas lutas por mim, em troca eu consigo os apoiadores necessários para resgatar sua família e seu reino.

- E como posso confiar em vocês? – Não acreditava nessa mulher muito menos em Claus. – Vocês podem me transformar numa escrava de verdade e ai não terá como escapar.

Nyla sorriu.

- Tem razão, mas se eu quisesse fazer de você uma escrava eu não teria perdido meu tempo conversando, eu simplesmente cortaria sua língua. – O sorriso desapareceu de seu rosto novamente. – Pense nisso Comandante Lexa.

 

Griff

 

O retorno de Aden e Clarke sem Lexa foi a pior coisa que já vi. A rainha não recusou não chorar e o jovem Lord se nutria do ódio de ter falhado na sua primeira missão como Comandante, um verdadeiro lamento e pior que isso só a chegada de Lincoln e sua família ao castelo. O irmão estava diferente e não parecia mais o lacaio que foi de Lexa durante a guerra, seus olhos agora eram incertos.

Por outro lado desde que voltou Clarke tem encontrado o lado que ela jamais demonstrou ter. A jovem rainha olhava a princesa Ashara com ódio enquanto apreciava uma taça de vinho e via o espetáculo de tortura.

- Mais vinho, por favor. – Disse a rainha estendendo a taça.

- Devia ir com calma minha rainha. – Raven alertou sabiamente. Se alguém podia segurar Clarke esse alguém era minha esposa. – Não queremos que fique bêbada.

- Eu não me importo em ficar bêbada. – Disse. Seus olhos não saiam nem um minuto sequer de Ashara. – Mais vinho.

A princesa estava sangrando igual um rio, seu sangue já estava espalhado pelo chão se transformando numa poça enorme, se continuasse assim mais um pouco ela não aguentaria.

- Minha rainha, se me permite. – Olhei seus olhos azuis. – Poupe Ashara por hoje, não conseguira mais nada dela e se continuar assim ela vai morrer.

- E exatamente isso que eu quero... Que ela morra.

- Mas Vossa Graça, se ela morrer jamais saberá aonde esta Lexa. – Se Clarke não me ouvisse só restaria os Deuses para interceder. – O dia foi cansativo para todos, permita que ela descanse e descanse também.

- Não vou descansar ate achar Lexa.

- Não achara Lexa fraca desse jeito e também não poderá proteger seu povo. – Meu coração batia forte, uma palavra sequer e meu pescoço rolaria pelo chão. – Aceite meu conselho.

- Lord Griff. – A rainha estendeu sua taça para mim. – Cale sua boca se não quiser perde-la.

- Minha mãe. – Aden se aproximou. – Escute Griff e descanse um pouco, você precisa disso e nós também. Ashara continuara aqui, já reforcei a segurança, ninguém entra ou sai sem nossa permissão.

A rainha o olhou e respirou fundo por alguns instantes, o salão ficou em completo silencio.

- Eu entendo que todos estejam cansados e queiram dormir, mas eu não estou os obrigando a ficar aqui. – Clarke levantou de seu trono e me olhou. – Griff podemos conversar um pouco?

- Como desejar Vossa Graça.

- Saiam. – A rainha olhou furiosa para Ashara. – Tirem essa coisa da minha frente e limpem esse chão, não quero esse sangue nojento manchando meu piso.

Aos poucos todos se retiraram da sala, inclusive o jovem Lord. Clarke permaneceu em silencio ate todos irem embora.

- Vossa Graça...

- Eu vivi minha vida inteira nessa cidade, conheci cada rua e viela, cada senhor e ate mesmo as donas dos cabarés e ainda sim eu não me sinto como se pertencesse a essa cidade, embora seja a rainha deles. – Clarke encheu mais uma vez sua taça. – Fui mais feliz no norte, com Lexa. Ela dizia que ia me mostrar alguns lugares, mas nunca tivemos tempo, nunca podemos. Estávamos sempre ocupadas e agora ela desaparece e me deixa sozinha, sem norte ou sul. O que eu faço Griff? Você sempre foi um conselheiro para Lexa, seja para mim também.

- Vossa Graça, Lexa e eu sempre conversamos muito e acredite, ela não sentia como se pertencesse a esse lugar, na verdade, ela sempre me falava da ilha e seu desejo de retornar. – Lexa sempre sonhou em deixar tudo e ficar apenas ela, Ellaria e Clarke na ilha vivendo e sendo felizes, era um sonho que podia se vê em apenas falar. – Mas o dever dela com você sempre foi mais alto, embora Lexa ame a ilha ela ama muito mais o que tem aqui e é por isso que ela não desiste nunca.

- Você entende então que é meu dever encontrar ela e proteger nossa família e esse povo? Sem Lexa eu fico sem forças, mas ainda sim preciso lutar pelo bem do meu povo, é meu dever.

- Esta certa Vossa Graça, nós encontraremos Lexa e tudo se resolverá em breve acredi...

As portas do salão se abriram em um estrondo e vários homens entraram sem nenhuma permissão, segurei minha espada assim que os vi se aproximar.

- Guarde a arma Lord. – Ouvi a voz de Lincoln. – Estamos em família não é?

- A que devo a honra da visita? – Clarke voltou a sua postura formal de rainha.

- Minha irmã. – Lincoln estampou em seu rosto um sorriso. – Soube que ela anda precisando de ajuda e vocês também pelo visto, aonde esta minha irmãzinha?

- Por que pergunta se já sabe a resposta?  - Perguntei.

- Tem razão, vamos direto ao assunto. – O lord voltou sua atenção a Clarke. – Clarke minha cunhada, tenho alguns pedidos para você.

- Como você entrou aqui Lord? – A rainha não abaixou a cabeça. – Pelo que eu saiba não o convidamos.

- Preciso de convite para ver minha irmã, minha sobrinha e minha cunhada?

- Não...

- Ótimo. – O Lord olhou para trás e fez um pequeno gesto. – Acho que vocês conhecem meu querido Illyrio.

- Infelizmente conhecemos. – Enfim encontramos nosso traidor e tudo que queria era colocar uma adaga bem no meio da sua garganta e cortar de orelha a orelha. – E um prazer que esteja de volta Illyrio.

- É um prazer também Griff.

- Então podemos falar sobre meus pedidos? – Lincoln encheu uma taça com vinho e apreciou o gosto.

- O que deseja Lord? – A rainha perguntou mantendo-se calma.

- Primeiramente desejo que Ashara Mandaly seja libertada. Em segundo lugar...

- Ashara é minha prisioneira e ela diz respeito a mim. – Clarke o interveio, seu desejo era de matar todos eu via em seus olhos. – Não posso atender ao seu desejo ate por que você não tem direito nenhum em vir a minhas terras, entrar no meu castelo e fazer exigências estupidas.

- Meu segundo desejo tinha haver exatamente com isso. – O Lord traidor sorriu. – Desejo que renuncie e me de a coroa.

- Ou o que? – Clarke encarou Lincoln por alguns instantes. – Vai me matar? Tomar meu castelo? Você não tem poder sobre mim.

- Será?

- Mamãe? – Ellaria se arrastava pelo salão com suas perninhas pequenas segurando uma bonequinha de pano. – Quem são essas pessoas?

Olá Ellaria. – Lincoln sorriu e se abaixou para vê melhor a menina, meu coração doeu. Ele não conseguiria fazer mal a ela, não podia. – É um prazer finalmente conhecer você.

- Quem é você? – A única parte da família de Lexa que Ellaria conhecia era sua vô Joanna. – Você trabalha para minha mamãe? É um guerreiro? Quando eu crescer vou ser uma guerreira, igual minha mamãe Lexa.

- Eu sou irmão da sua mamãe, eu sou seu tio...

- Saia de perto dela. – Clarke tomou Ellaria dos braços de Lincoln. – Não toque na minha filha.

- Clarke eu sou o tio dela.

- Saia daqui. – Ordenou Clarke, ela estava com medo, mas graças os homens da guarda real chegaram formando um circulo ao redor da rainha. – SAIA DAQUI.

- Clarke não tente lutar, não queremos que nada de mal aconteça com ela não é? – Lincoln olhou Ellaria nos olhos. – Um dia você será tão grande quanto Lexa foi, posso fazer de você uma guerreira, assim como fiz com sua mãe.

- Saia daqui agora Lincoln. Va embora e não volte, você não terá coroa, ouro, terras, nada... VOCÊ NÃO É NADA. SAIA.

- Aceite meus termos Clarke, não é tão difícil. Posso manter o mesmo luxo que você tinha com minha irmã, só quero o que é meu por direito. Você é da minha família eu vou continuar cuidando de vocês, honrando a morte de Lexa.

- Lexa não morreu...

- SAIAM DAQUI AGORA.

 

Rainha.

 

Eu não sabia se deveria matar Lincoln ou me matar por deixar tudo isso acontecer assim sem mais nem menos. Com minha adorada esposa desaparecida ficava quase incontrolável manter aliados, já que dentre todos no nosso reino as ligações eram feitas e mantidas por Lexa e eu era apenas a responsável por controlar tudo, no final das contas à verdadeira rainha realmente era ela e não eu.

- Mamãe... – Ellaria me olhou e por um momento ficou achei que fosse Lexa. – Por que você gritou com o irmão da mami?

- Ellaria, eu vou lhe pedir para ficar longe dele, Lincoln é perigoso. – Minha filha tão jovem e já correndo tanto risco, isso era algo que eu deveria cuidar. Minha família não poderia correr risco algum e de forma alguma. – Eu gritei com ele por que ele quer coisas que eu não posso dar senão todos podem sofrer.

- Inclusive a gente?

- Inclusive a gente. – Beijei sua testa. – Prometa para mim que não vai chegar perto dele.

- Eu prometo mamãe, mas... – A pequena princesa pensou e suspirou. – Ele é o irmão da mami não é? Por que deveria ter medo e ficar longe dele?

- Porque ele quer nosso mal, simples assim. Agora chega de tudo isso, não se aproxime dele em hipótese alguma.

Era inevitável não se lembrar de Lexa quando Ellaria falava, suas primeiras palavras foram quando minha Comandante se arrumava para sair e as ultimas que Lexa disse para Ellaria era que voltaria em breve, mas esse breve estava demorando, então cabia a mim busca-la de volta para mim.

- Minha filha eu tenho algo a mostrar para você. – Peguei o arco de Lexa que estava sobre a mesa. – Sabe que esse arco é da sua mãe não é?

- Sim ela nunca sai sem ele.

- É verdade. – O arco contava toda uma historia, desde as marcas das pancadas quanto das flechas que já atirou. – Lexa tem esse arco desde que a conheci, ela faz uma marca em todas as lutas importantes que ela já enfrentou. – Vi o sorriso de Ellaria aparecer no rosto, ela foi feita para lutar assim como a mãe e isso a chamava. – Quero que cuide bem desse arco ate que sua mãe retorne.

- Eu sei o quanto minha mãe é importante para você. – Disse. – Eu sei que ela vai voltar mami nunca nos deixaria.

- Que bom que sabe... – Envolvi Ellaria nos meus braços e imaginei tudo como era antes, eu Lexa e nossa filha deitadas na cama deixando o mundo lá fora e se concentrando apenas em nós. – Queria que você não crescesse tão rápido meu amor.

- Vossa Graça? – Ouvi a voz de Raven me chamar. – Desculpe, mas Lincoln e Aden estão lutando.

- Não acredito nisso, ele deveria esta descansando. – Coloquei Ellaria em cima da mesa. – Fique aqui. Raven cuide dela.

Confrontar Lincoln a essa altura seria uma perda de tempo e energia, o Comandante esta se mostrando um garoto, talvez sua mentora estivesse certa.

Atravessei o castelo ate o lado de fora onde encontrei meu filho querido e meu cunhado. Os dois estavam um de frente pro outro com suas espadas empunhadas.

- O que esta acontecendo? – Perguntei a Qhorin.

- Lincoln chamou Aden para um duelo. – O velho estava olhando os dois friamente.

- Pare esse duelo agora. – Os dois apenas se encaravam, mas nenhum parecia atacar. – Enquanto estiverem na minha casa eu quero respeito.

- JÁ CHEGA. – Disse Qhorin seguindo minhas ordens. – Esse duelo acabou.

- Mas acabou de começar. – Aden abaixou a espada e olhou em minha direção.

- Não importa... Estão proibidas quaisquer lutas dentro do castelo. – Observei o Lord Lincoln demonstrar seu ódio. – Se quiserem brigar saiam do meu castelo.

- ESSE CASTELO NÂO SERÁ SEU POR MUITO TEMPO. – O Lord guardou sua espada e se aproximou de mim. – Você esta fraca e sozinha, não poderá lutar contra mim.

- Então morrerei tentando...

 

Lady Joanna.

 

Meu filho retornou para mim felizmente e infelizmente minha filha desaparece. Eu não sei o que acontecia entre os dois, mas mesmo irmãos Lexa e Lincoln eram completamente diferentes e de certa forma, meu filho sempre teve inveja da irmã e tudo piorou com a morte do meu marido. Agora a nossa família entraria em um caminho sem volta, o caminho da destruição precisamente onde irmão e irmã iriam lutar, mas nessa luta Lincoln estava saindo melhor embora Lexa fosse mais inteligente que ele, não sei quem o esta acobertando, mas devo fazer algo pela minha filha ao menos uma vez, é a minha redenção com ela.

A biblioteca era o cômodo do castelo mais triste sem minha filha, todos os livros fora de lugar lembravam ela e sem duvida a saudade batia, era minha única filha e eu passei a odiá-la quando ela escolheu lutar, mas sempre senti orgulho por ela.

- Você não veio me procurar mãe. – Disse Lincoln parado na porta me olhando como um cachorro com rainha. – Minha chegada não lhe agradou?

- Claro que me agradou meu filho, mas estava ocupada e sabia que viria atrás de mim. – Menti nunca foi meu forte, mas precisava ser.

- Como sabia?

-Você é meu filho, apenas isso. – Lincoln estava com ideias de grandeza e eu não entendia por que, sua irmã lhe deixou o comando da ilha para que fizesse o que quisesse. – Como esta a família?

- Ótima obrigada por perguntar. – Lincoln sentou bem na minha frente e pegou a taça de vinho das minhas mãos. – Falando em família, minha irmã não parece se importa com a dela, não é?

- Lexa se importa. Tenho certeza que ela sabe o que esta fazendo.

- E se não souber? – O garoto sorriu. – A rainha esta amedrontada, Aden não é um bom líder, o exercito vermelho esta me apoiando...

- Traidores do exercito vermelho estão lhe apoiando. – Meu vinho parecia esquecer de que Lexa era a Comandante e Aden seu sucessor. – Se traíram o sucessor de Lexa com certeza irão trair você também.

- Sou filho de Titus...

- Aden é filho de Lexa. – Talvez meu filho estivesse sofrendo de um complexo de Deus e isso era horrível para todos.

- Não de sangue.

- Desde quando o sangue vale mais do que a força para nossa família? – O fascínio que eu tenho pela família é o simples fato de que não é um sangue ou um pênis que governam nosso pais e sim a força e a liderança, e Lincoln nunca teve isso. – Você se esquece das nossas tradições e dos nossos deuses meu filho?

- Mãe, eu também tenho direitos nessa família...

- Usurpar não é direito. Essa conquista é de Lexa.

- Não ira me apoiar? – O lord se levantou e encheu o pulmão de ar como se fosse gritar. – Você é minha mãe se não esta comigo esta contra mim.

- Cale a boca e se sente. – Puxei a adaga e coloquei no seu pescoço. – Antes de me ameaçar lembre que sou sua mãe. E me respeite quando digo que você não tem direitos sobre essas terras. Você não é mais criança e você tem uma família, volte para ilha e volte para eles, seja um pai e um Lord... Isso não é para você.

- Então para quem é? – Perguntou suspirando de raiva.

- De Lexa, da família dela.

- Minha oportunidade quando vai chegar?

- Não existira... O comando ou a coroa não são para você meu filho. – Meu filho não entendia nada, era um completo idiota, mas não conseguiria impedi-lo mesmo que quisesse. Ele é um homem e já esta certo de suas decisões.

- Não me importa que não me sirva, eu serei rei e comandante.

- Então faça por merecer. – Tirei a adaga do seu pescoço.

- Como? – Lincoln bebeu todo o vinho de uma só vez deixando o liquido escorrer pela garganta.

- Se é uma coroa que você quer, peça a Clarke. Convença-a abrir os portões da cidade. – Mesmo não querendo, não podia negar ajuda ao único filho que me restou. – Ganhe a simpatia da cidade e destrone a rainha quando ela tiver vulnerável.

- Vulnerável? Quando seria isso?

- Distraia a atenção dos conselheiros dela, faça Clarke manda-los de volta as terras... Invente noticias falsas e deixe ela sozinha, assim pode assumir o lugar. – Segurei seu rosto sorridente. – Mas não a machuque nem machuque meus netos, ou então, eu mesmo mato você, entendeu?

- Entendi.

- Bom. – Eu não poderia deter Lincoln mesmo se quisesse. Ele tinha o apoio do exercito da Comandante e de mais pessoas, mas para mim não importa quem governa o reino, desde que consiga encontrar minha filha e me redimir com ela e com nossa família. Lexa voltaria, ao contrario dos outros ela não trairia quem mais ama, só esperto que seu regresso não demore. – Não quero ter que te matar, mas matarei se você pensar em machuca-los.


Notas Finais


Se você gostou comenta e favorita, da sua opinião que é importante... um beijo e espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...