História Sunday - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais, V
Tags Bts, Jungkook, Pwp, Sunday, Taekook, Vkook
Exibições 774
Palavras 4.862
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Prometido é devido. E como eu prometi que iria apenas colocar esta os no domingo, eu coloquei! kkkk
E se vier reclamar eu vou e carrego você que nem saco de batatas! Já pode parar de reclamar da faculdade e animar com isto aqui kkk

Boa leitura kkk'

Capítulo 1 - Capítulo Único - Os domingos que são sempre os mesmos.


Fanfic / Fanfiction Sunday - Capítulo 1 - Capítulo Único - Os domingos que são sempre os mesmos.

Um dia ensolarado havia começado novamente na tão conhecida cidade de Seul, não era à toa que a mesma era tão ambicionada por grande parte dos cidadãos coreanos. A cidade em si era um dos melhores sítios para se morar, havia inúmeras vertentes de transportes variados, mercados de vários tamanhos e horários sempre funcionais, várias escolas para vários bolsos, e a probabilidade de se trabalhar em algum lado era maior.

A maioria que conseguia morar naquela cidade eram jovens, mas grande parte desses jovens eram sonhadores que se arriscaram em uma busca para atingir seus objectivos. Jungkook era um desses jovens ambiciosos, talvez fosse ambicioso demais e impulsivo demais para conseguir a perfeição que sempre buscava no que fazia.

O garoto era um dos muitos alunos de uma das faculdades de artes daquela cidade. E como grande parte dos alunos bolsistas que lá estudavam, precisou arrumar um emprego parcial para conseguir pagar as despesas não só da faculdade, mas sim de um apartamento que dividia com um dos veteranos de sua faculdade. Kim Taehyung era esse veterano que iludia muita gente com seu sorriso quadrado e sua personalidade aparentemente infantil.

O mais novo já tinha aquela rotina desde que começou a estudar naquela faculdade, e a empatia que ganhou com o dono do mercado onde trabalhava lhe rendeu um aumentou suficiente para não ter que ir trabalhar diariamente, mas Jungkook ia, todos os dias da semana. Ou assim seus pais pensavam.

A manhã daquele domingo mostrava que o dia ia ser ensolarado o suficiente para não ser preciso nada mais que um casaco leve para não ser atingir por aquela brisa fresca. Não demorou para o despertador do Jeon tocar e lhe fazer logo começar a resmungar injúrias que nem ele nem ninguém iriam intender. Tentou tatear pela cama seu celular que parecia histérico demais para ser suportado, mas não demorou para logo sentir um remexer incomodado na cama, remexer esse que o fez bufar frustrado por seu corpo ser agarrado mais ainda e se tornar impossível pegar o aparelho sem acordar aquele ser aninhado em seu corpo.

- Saí peste. Tenho que pegar essa merda de celular. - o primeiro tom do mais novo havia sido logo o frustrado e irritado por estar sentindo um desespero cada vez maior em desligar aquela maldita música repetitiva, e ter o peso alheio tão grudado em si, não ajudava em nada.

- Tem é que me pegar gostoso Kookie. - a resposta alheia em nada se mostrou atingida pelo tom do outro, havia usado um tom animado e totalmente provocante. E esse era o lado que apenas Jeon Jungkook conhecia.

- Seu sensor de ousadia activa mal volta à consciência é? - o mais novo não deixou de se sentir atingido pela provocação do mais velho, sempre seria atingido e seu humor sempre iria mudar com isso. Suspirou aliviado quando o despertador deixou de tocar e logo percebeu que o mais velho havia sido a causa daquele silêncio desejado. Mas mesmo antes de poder falar algo ou até se levantar da cama, seu corpo foi atingido pelo peso alheio que não se demorou na espera para tomar os lábios do Jeon. Taehyung já o conhecia bem o suficiente para saber que se demorasse mais um segundo, sua intenção seria travada e o mais novo impediria que aquele beijo levasse a avante.

Inicialmente era um beijo calmo e sem malícia, apenas para que o mais velho tivesse certezas da entrega alheia, e quando sentiu as mãos do Jeon descerem por suas costas despidas e apertarem sua bunda, logo deu uma maior intensidade e afobação ao beijo enquanto se ajeitava no corpo daquele que grunhiu ao sentir o rebolar do Kim em sua parte sensível. E quando o ar se fez necessitado, os lábios famintos de Taehyung desceram até ao pescoço alvo do Jeon que o apertou mais ainda contendo um gemido.

- T-Tae... Já chega... Tenho que ir trabalhar. - o mais novo ainda tentou afastar o outro que parecia cada vez mais grudado em seu corpo que esquentava rápido demais para a estadia de sua sanidade.

Mas mesmo tendo consciência que tinha mais força que o outro, o tratamento que seu pescoço sofria em nada ajudava. Sabia que marcas seriam seu presente quando se olhasse ao espelho, mas não é como se realmente tivesse importado. As sensações causadas eram boas demais. Seu corpo respondia no automático e lançava pedidos de mais a seu cérebro enquanto sua boca soltava gemidos cada vez mais altos e frequentes quando sentiu a mão atrevida entrar por sua boxer e acariciar com a ponta dos dedos o membro semi desperto.

- É domingo Kookie... Você não tem que ir trabalhar. Você só tem que me deixar de quatro enquanto fico sem voz.

A última frase havia sido sussurrada no ouvido de Jungkook que sentiu toda a sanidade esvair depois da suave mordida que seu lóbulo sofreu. Estava decidido a novamente faltar e acatar o pedido do mais velho que sorriu quando subitamente as posições inverteram e a boca de Jeon começou a trilhar sugadas e beijos famintos em seu pescoço. Um sorriso sapeca nasceu nos lábios do Kim que desceu as mãos pelas costas largamente tonificadas do outro que deixou uma mordida mais forte quando sentiu seus glúteos serem apertados possessivamente. Era um segredo que apenas eles compartilhavam, mas Taehyung desde que colocou os olhos no mais novo que ficou com uma enorme tara pela bunda do mesmo.

- Vou fazer você andar diferente por uma sema... - de repente o celular do mais novo começou ecoando pelo quarto indicando uma chamada, e Jungkook só quis acreditar que era do trabalho ou do capeta para se atreverem a interromper aquele momento.

- Só pode ser zoeira comigo! - pouco depois de conseguir pegar seu celular e checar quem era, não foi preciso mais nada para o mais velho intender quem ligava ao amigo.

- Vai ter que aceitar que vão ligar todos os domingos. Atende logo Kookie. - um suspiro pesado saiu dos lábios do Jeon quando se viu sem a escolha de poder ignorar a chamada e apenas aceitou as palavras do mais velho que parecia levemente frustrado por terem sido interrompidos.

- Alô...

- Finalmente filho! Demorou para atender...

- Ahm... P-Pois... Desculpe. - a concentração de Jungkook foi roubada na hora que sentiu o corpo do mais velho se mexer ao seu lado e começar a descer até se alojar entre suas pernas e lhe sorrir mais sapeca que o normal. Não queria acreditar no que estava para acontecer. Não queria acreditar que o mais velho teria coragem para aquela ousadia aparente.

- Está tudo bem filho? Parece estranho...

- Ahm... Sim mãe. Apenas estava distraído. Mas o que a senhora quer? - Jeon tentou ao máximo ignorar e esconder o estrago que o toque molhado em seu membro coberto junto das unhas curtas em suas coxas em nada o incomodavam.

- Que venha cá almoçar. Você trabalha todos os dias e como normalmente ao domingo é folga, você podia vir.

- Eu sei mãe... Mas... Filho da puta! - o raciocínio do mais novo desapareceu na hora que seu membro foi retirado da boxer e acolhido na boca alheia que o fez soltar um insulto com o espasmo causado.

- Jeon Jungkook! Onde está aprendendo ser boca suja assim?!

- Ahm... Desculpa mãe... Ahm! É que eu esbarrei em um canto... - rapidamente sua respiração se tornou pesada demais e seus gemidos contidos começavam a sair em meio das palavras que custavam a ser processadas em seu cérebro pela maneira cada vez mais dedicada com que era chupado e o quanto prazeroso era a maldita língua do Kim contornar sua glande sensível demais.

- Venha aqui almoçar Jungkook. Temos saudades suas e você já sabe que está aqui a família toda e perguntam por você.

- É. Mas eu... Eu não... PORRA!!!

Como se já não fosse suficiente para Taehyung estar se divertindo demais com o quanto o Jeon se contorcia na cama e levava o quadril de encontro com sua boca, surpreendeu o mesmo com o indicador, que foi lubrificado sem ser notado, e o adentrou no moreno que soltou todo o ar controlado e um palavrão misturado de surpresa e o estranho prazer que aquilo lhe causou.

Taehyung podia sempre ser o passivo, e estava longe de se incomodar com isso, quando Jungkook fora o primeiro a deixa-lo insano em prazer e faze-lo gozar unicamente com as estocadas impiedosas em sua próstata. Não tinha dúvidas do quanto amava ser fodido pelo mais novo, mas sua fama de extravagante não era apenas uma simples fama por sua personalidade diversificada. E Jungkook teve a prova disso ao ser penetrado enquanto era chupado. O prazer se multiplicou drasticamente.

- JEON JUNGKOOK!!! Olha essa língua caramba! Você precisa mais de Deus em sua vida querido. Vem cá hoje e a gente vai...

- Me perdoe mãe mas não vai dar. Tenho muito trabalho a fazer. - os olhos negros brilhavam em prazer mas também em uma luxúria que era correspondida pela mesma intensidade dos olhos avelãs que o encaravam pesadamente e ainda tinha o membro em sua boca.

Aquelas palavras podiam parecer inocentes aos ouvidos da progenitora, mas para o garoto que era o foco do Jeon, em nada eram inocentes, recebeu direitinho o significado. Soube pelo suave baque na cama que o mais novo havia desligado e deixado o celular em algum canto e que iria receber o pagamento por ter sido tão ousado quando o Jeon puxou seus cabelos para se afastar do falo pulsante e seu corpo foi erguido sem gentileza alguma e colocado abaixo do corpo forte de Jungkook que arfava.

- Você me paga por isso!

A sentença do mais novo, mesmo saída em um tom raivoso, era melodia para os ouvidos do Kim que estava demasiado necessitado para esperar que a conversa alheia terminasse. Não precisava de mais provas além da de todos os domingos que passaram, que aquela conversa do outro com a progenitora, era longa demais para seu corpo necessitado de mais esperar pacientemente pelo fim.

O raciocínio do mais velho evaporou quando os lábios de Jungkook desceram em um rasto de saliva causado pela ponta da língua até seus mamilos, recebeu uma rápida sugada em cada um que o fez rebolar em busca de maior calor daquele corpo em cima de si, e logo sentiu um de seus mamilos receber um tratamento molhado que variava entre o contornar da língua e as sugadas atrevidas do garoto que apertava sua cintura para se manter prensado no colchão. Seu lábio inferior era quase comido por seus dentes que se vincavam firmemente para não soltar seus gemidos altos e dar o gosto do quanto necessitado estava e não mostrar como era brutalmente atingido com aquelas pequenas carícias.

- Porque ainda se contém Tae? Quero ouvir seus gemidos de puta. A minha puta.

Algo que realmente deixava Taehyung fora de órbita, era quando o mais novo usava palavras de baixo calão naquele tom rouco banhando em dominação e desejo, seus olhos reviraram e não conteve o gemido que deixou sua boca quando aquelas palavras baixas causaram uma junção gostosa demais com o tapa sofrido em sua coxa que logo foi puxada para contornar o quadril alheio.

- Talvez você não se esteja esforçando o necessário Kookie. - o mais velho sussurrou em deboche pois sabia o quanto isso iria provocar o lado selvagem do outro que não demorou para sentir seu sangue ferver com aquelas palavras.

O Kim podia ter noção que provocar Jungkook daquele jeito era o mesmo que ficar brincando com o fogo e que iria se queimar com todas as certezas, mas seu lado masoquista era mais forte que seu bom senso naquelas horas. E como seria de esperar, o peso de suas palavras não tardou sem receber a consequência do estrago que fez na sanidade alheia, a sanidade que desapareceu em um ápice.

O mais novo rosnou com o quanto se sentiu desafiado e ainda mais motivado se sentiu em fazer jus a suas palavras. Se afastou até ficar apoiado nos próprios joelhos que ficaram com as pernas alheias entre si para assim virar o mais velho de barriga para baixo enquanto com toda a ânsia e indelicadeza, forçou o Kim a manter a cabeça enterrada na almofada ao mesmo tempo que puxou o quadril até deixar o mesmo apoiado nos joelhos.

A extensão, inteiramente exposta e ainda com algumas marcas da noite passada, da pele das costas do mais velho pareciam gritar por seu toque que não tardou. Sentiu o corpo abaixo de si estremecer ao mesmo tempo que um gemido ecoou pelo quarto quando seus lábios encontraram a parte final de suas costas e começou subindo variando entre beijos e sugadas nas mais variadas intensidades. Insatisfeito com os pequenos grunhidos e gemidos do outro, Jungkook desceu em um puxão único a calça de moletom, não se espantando com o facto do maior não usar nada por baixo e deixou um tapa seguido e um aperto forte em uma das nádegas, logo recebendo um gemido no tom alto que almejava.

- Ainda acha que não me esforço? - o sussurro no ouvido do mais velho foi acompanhado pelo estalar alto que sua outra nádega havia sofrido, e isso o impossibilitava de responder algo além de mais um gemido alto.

- Agora você quem tem que se esforçar.

Subitamente as costas do Kim foram abandonadas pelo calor da boca alheia e um grunhido insatisfeito saiu de sua boca intreaberta. E mesmo antes que podesse falar algo para tentar inverter aquela sentença, seu corpo inteiro vibrou e um grito de puro prazer saiu de seus lábios quando, depois de ambas as mãos de Jeon separarem seus glúteos, a língua do mesmo entrou em contacto com sua entrada piscante.

Os olhos do Kim reviraram e suas mãos apertaram os lençóis já bagunçados da cama com todo o êxtase que aquele músculo molhado lhe causava, se sentia capaz de gozar com o quanto aquela língua trabalhava em rodear e estocar seu interior majestosamente. Sabia que a sentença do outro era o fazer apelar a ser fodido, mas ainda melhor sabia que recebeu a mesma por o outro saber perfeitamente o quanto orgulhoso era. E apelar era algo que feria seu orgulho firmado.

- K-Kookie... Anda logo. - o Kim não estava mais aguentando aquilo, e por mais gostoso que fosse, não era mais suficiente para saciar sua vontade.

- Só quando pedir com jeitinho.

Outro grunhido foi solto por Taehyung que já sentia seu orgulho tocado com aquela hipótese, e como se aquilo não fosse torturante o suficiente, dois dedos o invadiram e logo rodaram em seu interior antes de começar a estocar o mesmo a uma velocidade rápida demais para evitar seus gemidos gritantes. Sua próstata logo foi encontrada e não mais deixou de ser mal tratada por aquelas estocadas insanas.

Um gemido engasgado saiu de sua garganta já dolorida quando novamente foi surpreendido pela língua alheia que se juntou às estocadas fortes. Seus joelhos quase cederam aos espasmos de seu corpo na hora que um de seus mamilos foi acariciado pelos dedos livres, e isso se tornou o estupim de seu limite, seus gemidos se atropelavam entre o gritante pelo prazer e o rouco pelo esforço anormal de sua voz, seu corpo não aguentavam mais todo o misto de sensações e quando as estocadas subitamente pararam e apenas os dedos acariciavam seu interior, seus joelhos cederam e seu corpo tombou por completo na cama.

- Pelo amor de deus Jungkook... Me fode... Não aguento mais...

O estado ofegante e totalmente bagunçado do mais velho era como uma pequena vitória para o garoto que sorriu ladino e retirou seus dedos para logo ser agraciado com um resmungo desaprovador. Se afastou minimamente apenas para retirar de vez a calça do maior e assim poder afastar o máximo possível as pernas do mesmo que suspirou em deleite quando sentiu a boca do mais novo passear pelo interior de suas coxas e logo morder uma de suas nádegas enquanto roçava a ponta do indicador em sua entrada, apenas ameaçando entrar a qualquer instante, mas em nenhum momento entrar.

- É só implorar e eu te fodo do jeitinho que quer. - Jeon tomou seu melhor tom provocante e divertido para sussurrar ao ouvido do mais velho que se empinava desesperado por mais, e antes que fosse pensar em falar algo, um gemido rouco abandonou seus lábios quando novamente foi invadido pelos dedos alheios.

- J-Jungkook... - as estocadas logo começaram rápidas demais para a sanidade do mais velho, e mesmo sendo unicamente estocado por três dedos, sua próstata sofria um estímulo doentio que o fazia sentir cada vez mais perto de gozar.

- Eu vou go... PORRA!!! - não deu tempo para o Kim avisar que iria gozar pois seu orgasmo chegou mais rápido do que esperava e seu corpo logo começou a sofrer espasmos enquanto sentia seu gozo grudar no seu abdómen e nos lençóis da cama.

- Já gozou, hyung? - o tom sedutoramente debochado junto do honorífico proferido pelos lábios do Jeon deixaram o Kim novamente sedento de mais.

Apesar de ter gozado, não estava satisfeito apenas com aquilo, queria mais do outro, queria sentir Jungkook por completo. Poderia parecer necessitado demais ou até viciado demais em sexo, mas nessas horas sempre iria colocar a culpa no mais novo que desde o começo se mostrou uma máquina erótica que parecia uma bomba pecaminosa de sedução e se tornou seu verdadeiro vício desde que tomou o Kim pela primeira vez, em uma das noites que devia apenas ser destinada a uma maratona de animes.

- Por... Por favor me fode Kookie.

A insanidade misturada à temperatura elevada demais de seu corpo debilitado pela urgência em ter algo mais que os dedos do Jeon, fizeram Taehyung ceder mais uma vez seu orgulho e acatar o pedido de mais cedo do outro que soltou uma risada anasalada em sinal de vitória.

Suas costas foram perdendo o calor viciante do corpo alheio enquanto os lábios do mesmo desciam em um roçar que queimava de uma maneira tão gostosa que fez o Kim arquear o quadril de uma maneira que o fez receber alguns tapas resultando em gemidos cada vez mais alto com a mistura entre a ardência e o calor seguido causado pelo aperto na zona atingida.

As unhas do mais novo passearam pelo interior de suas coxas antes de seu quadril ser erguido o máximo possível e ser surpreendido pela invasão surpresa do membro latejante do outro. Foi impossível conter o grito prazeroso que saiu falhado pela já falta de voz de tanto que o outro o fazia gemer, e mesmo que tentasse se conter e talvez se importar com os vizinhos, a maneira como Jungkook rebolava o quadril e causava um roçar insano em sua próstata, o impedia de sequer ponderar se conter.

- Você é tão putinha gemendo. E eu amo tanto isso em você.

As palavras soltas pelos lábios do Jeon causaram quase um outro orgasmo no mais velho que gemeu ainda mais com aquilo. As estocadas eram quase imperceptíveis pelo rebolado lento, mas lhe causavam espasmos e uma maior necessidade de sentir mais do outro. Seu corpo estava ainda mais sensível ao outro.

- Kookie... - o mais velho falou em um tom ainda mais necessitado e totalmente implorativo, e isso foi o suficiente para o mais novo grunhir em deleite.

A resposta àquele gemido dengoso foi o oposto ao modo como o apelido do Jeon saiu. A entrada do Kim recebeu o abandono ao mesmo tempo que no mesmo segundo o seu corpo foi girado como se fosse da leveza de apenas um saco de batatas, e logo suas costas encontraram os lençóis mais frios que sua pele, lhe causando um arrepio. Jungkook sorriu presunçoso ao ver a bagunça que deixou o outro, e quando sua visão percorreu o corpo esbelto, notou a pequena mancha do primeiro orgasmo do Kim.

Um sorriso ainda maior se formou nos lábios do Jeon com a ideia que surgiu em sua mente nublada, e não demorou para levar sua língua a limpar a zona abdominal suja e subir toda a restante extensão apenas com a ponta da língua, para pouco depois fixar seu olhar negro no olhar avelã, e tomar os lábios inchados em um beijo inicialmente calmo que logo se tornou em uma confusão de línguas e saliva.

O mais novo aproveitou a distracção alheia para levar sua mão ao membro necessitado do Kim que automaticamente estremeceu com o contacto surpresa e não conseguiu manter por mais tempo o foco no beijo quando a masturbação se tornou rápida demais para engolir os gemidos incessantes que sua boca explia sem permissão alguma. Mas Taehyung também não queria mais conter a demonstração da imensidão de prazer que sentia.

- Porra. Caralho. Assim... Ahm... Assim vou gozar... De novo... Ahm!

Por mais que seu corpo implorasse para um segundo alívio, Taehyung não queria novamente se desfazer tão facilmente e ainda sem ser com o outro o estocando sem piedade alguma. Tinha esperança que Jungkook lhe poupasse de gozar novamente e lhe fodesse do jeito que tanto almejava, mas Kim sabia bem que seus vários orgasmos eram como uma vitória para o mais novo, principalmente quando vinham naquela facilidade. Apenas provavam o quanto seu corpo era necessitado e sensível a si.

Tentou segurar o pulso do Jeon quando sentiu seu orgasmo perto demais para continuar a ser contido, mas de nada adiantou, a masturbação que seu membro sofria junto com os beijos molhados em seu pescoço e ombro, lhe trouxeram a segunda dose de espasmos corporais e gemidos longos que indicavam perfeitamente mais um orgasmo que o fez contornar a cintura alheia com as pernas.

- Tão gostoso... - o mais novo falou depois de cesar a masturbação e lamber o gozo que havia escapulido para sua mão sob o olhar do mais velho que mordeu o lábio inferior com tamanha visão.

- Se abra como a boa putinha que você é. Vai. - o tom de Jungkook veio grosseiro e autoritário demais, no entanto, isso apenas estimulou o Kim a querer descartar o cansaço e continuar com aquilo.

Poderia ser estranho ou até mesmo incomum alguém se excitar com um tom daqueles junto de uma humilhação em baixo calão, mas Taehyung realmente ficava louco de tesão quando era tratado assim. Sua personalidade orgulhosa poderia não permitir tal, mas o garoto escondia um lado que apenas Jungkook descobriu. O lado onde ser tratado daquele jeito lhe fazia trepar paredes de tamanha excitação que lhe causava.

- Anda logo! - a demora de Taehyung a obedecer à vontade alheia lhe rendeu um tapa forte na coxa e um estremecer intenso demais foi a consequência. Seu corpo ainda estava tentando recuperar o estopim do orgasmo, ainda estava sensível demais a qualquer toque.

Com um pouco de esforço e tentando reorganizar a ordem em seus nervos extasiados, Taehyung acatou a ordem abrindo ao máximo suas pernas e dando ao mais novo o acesso privilegiado de sua entrada, logo vendo o mesmo puxar seu quadril com brutalidade para juntar os corpos. Jungkook não poupava provocações nos estímulos ao mais velho, roçou seu membro na entrada alheia logo sendo presenciado com um gemido esganiçado e um rebolado necessitado.

Observou a forma como a entrada do Kim piscava em reacção ao modo como seu membro imitava o vai e vem das estocadas que deviam ser dentro do outro e não entre as nádegas do mesmo. O rebolado necessitado se tornou mais feroz em uma tentativa de ser penetrado, mas Jeon gostava demais de provocar cada determinação nervosa de Taehyung, e o levar ao limbo da insanidade do desejo.

- Por favor Jungkook... Por... Favor... Me fode...

- Adoro quando a minha putinha implora assim para mim.

As palavras trocadas foram substituídas por um grito exaltado em prazer quando finalmente Jungkook abandonou as provocações e forçou de forma bruta seu membro a entrar na cavidade do Kim que se contorcia além do normal devido à sensibilidade que morava em seu corpo. Não sentiu dor nenhuma além da suave ardência pelo comprimento e grossura do pénis do Jeon que logo atingiu sua próstata sensível demais por todas as vezes que fora atacada impiedosamente. Taehyung tentou controlar seu corpo, mas o mesmo tremia em espasmos e rebolava automaticamente em uma necessidade de mais. Suas pernas doíam de tanto que se abriam e tremiam de prazer, e como se o mais novo soubesse, segurou os joelhos alheios e os levou até ao peito do Kim que revirou os olhos e novamente gritou com a dimensão de prazer que aquela posição causava.

Não tardou para as estocadas experimentais se tornarem em estocadas precisas e fortes, levando o mais velho a gemer tão alto que alguns de seus gemidos eram um fio de voz devido à rouquidão causada pelo mais novo, sorriu em meio ao prazer ao concluir que realmente Jungkook sempre cumpria sua palavra, e a garantia de estar perto de ficar sem voz era a prova disso. Subitamente as estocadas cesaram e o membro do Jeon permaneceu fundo em seu interior enquanto o garoto deixava alguns tapas nas coxas fardas e sugadas marcantes em seu pescoço.

Subitamente o corpo de Jungkook abandonou o do Kim que praguejou aos infernos por terem parado, mas quando notou o peso do outro ao seu lado sentado, rapidamente rodou desengonçado até sentar no membro gotejante e fazer ambos gemer com a onda de prazer que os atingiu. Taehyung rebolou um pouco ainda se sentindo incapaz de se segurar para cavalgar, grunhiu em deleite quando sua bunda foi apertada com força e com algum esforço começou cavalgando no membro alheio.

O prazer sentido e a ânsia de sentir mais motivou o Kim a acelerar o ritmo, e quando suas pernas começaram a fraquejar pelas estocadas furtivas em sua próstata que só o fazia estremecer em prazer, fizeram com que Jeon intendesse e fosse de encontro ao quadril do garoto que não suportou mais manter o apoio em suas pernas e levou seus braços a contornar o pescoço do mais novo.

Cada cutucada forte que a próstata de Taehyung sofria naquela rapidez insana, fazia seus olhos revirar ao mesmo tempo que se aproximava de mais um orgasmo, e quando se sentiu perto demais, seu corpo foi jogado com força na cama para logo sentir o peso do mais novo em si. Seu estado ofegante e de moleza foram presenciados pelo modo como Jungkook colocou uma de suas pernas no ombro largo enquanto novamente invadia o interior do Kim lhe causando espasmos de puro prazer, e não demorou para voltar às estocadas que atingiram uma velocidade tão alta que fazia a cama se arrastar no chão e causar uma harmonia gostosa entre gemidos e o ranger no pavimento de madeira.

- Vem... Goza para mim Tae.

Nada mais foi preciso para que Taehyung começasse sentindo uma enorme onda de calor atravessar suas veias e um formigamento em seu baixo ventre para logo acatar o pedido alheio e gozar com o nome do mesmo entre seus lábios. A continuação das estocadas que pareciam ainda mais fundas o faziam revirar os olhos enquanto vincava as unhas nas omoplatas do mais novo que aparentava estar cada vez mais perto do auge. E Taehyung sabia exactamente o que falar para que o outro se aliviasse rapidamente.

- Me faz sentir seu gozo.

- Puta merda!

Exactamente como esperava surtir efeito, o sussurro banhado em êxtase que o ouvido do Jeon recebeu, o fez dar as estocadas certeiras que junto com as contracções da entrada alheia lhe fizeram urrar de prazer dentro do mais velho que gemeu deleitado com a sensação do gozo alheio dentro de si, o fazendo sentir preenchido e completo.

O mais novo rebolou um pouco apenas para prolongar o prazer de ambos e retirou cuidadosamente a perna de seu ombro antes de sair lentamente do interior de Kim que sorriu ao presenciar o quanto o outro adorava a visão de ver seu próprio gozo escorrer de sua entrada. Logo ambos estavam jogados na cama, com as respirações descontroladas enquanto um sorriso bobo estava estampado nos lábios dos dois.

- Você já notou que é o sexto domingo que falto no trabalho? - apenas quando sua respiração normalizou e cobriu ambos com o edredom, é que Jungkook tomou consciência de sua realidade.

- Não tenho culpa que você seja viciante. - Taehyung falou no seu tom mais inocente enquanto se enroscava nos braços fortes do outro que sorriu e começou acariciando seus cabelos.

- Também não tenho culpa de não haver melhor forma de passar um domingo a não ser com você.

O mais novo falou em um tom manhoso mas sincero, era raro as vezes, mas desta permitiu que seu coração falasse e um sorriso bobo apaixonado brotou em seus lábios quando achou a imagem de Kim Taehyung adormecido em seus braços algo perfeito demais para não ser admirado. Realmente havia começado a gostar dos domingos, ou até a deseja-los mais que tudo.


Notas Finais


Minha primeira pwp e até que eu gostei... Se tiver bom para vocês, faço mais :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...