História Sunday Bloody Sunday - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Aldebaran de Touro, Camus de Aquário, Dohko de Libra, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, June de Camaleão, Kanon de Gêmeos, Kiki de Appendix, Marim de Águia, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Mu de Áries, Saga de Gêmeos, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shaina de Cobra, Shaka de Virgem, Shion de Áries, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shunrei, Shura de Capricórnio
Tags Drama, Final Alternativo, Guerra, Romance, Saint Seiya, Yaoi
Exibições 106
Palavras 1.934
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hoje, o nome do cap. é uma homenagem para a ~Dasf-chan ♥
Uma das melhores fic's que eu li, e que também serviu como inspiração para escrever essa aqui. Se quiserem ler, (são duas fic's, 1a e 2a), o nome é ''No limite da espera - 1a Temporada'', super recomendo!

Como seeempre,
um super agradecimento para quem vem lendo, favoritando e comentando a Fic! ♥♥♥♥

Sem mais delongas..

*Créditos para o(a) Autor(a) da imagem de capa*

Capítulo 8 - No limite da espera


Fanfic / Fanfiction Sunday Bloody Sunday - Capítulo 8 - No limite da espera

 

 

       

 Camus levanta às 06:00 hrs da manhã, como de costume, e deixa a cama impecavelmente arrumada. Após arrumar a cama, ele sempre vai até o banheiro para deixar a banheira enchendo de água, enquanto ele separa as roupas para o treino e as coloca sobre a cama, sempre muito organizado. Seu banho pela manhã era demorado, gostava de ficar bem relaxado e chegava a ficar horas na banheira ouvindo música ou lendo algum livro. Acordava cedo para isso mesmo, já que os treinos apenas começavam 09:30 hrs e iam até às 17:30 hrs. 

           Já Milo acorda sempre 08:00 hr. Gostava de tomar banho antes de dormir, então não achava necessário que acordasse mais cedo para tomar banho. Dormia pelado mesmo, e sempre acordava assustado achando que estava atrasado, já que nunca acordava com o despertador. Fazia sua higiene matinal e tentava arrumar seus cabelos, mas era impossível, então ele deixava desarrumado. Mesmo assim ficava incrivelmente sexy. Seu quarto era uma zona, o guarda-roupa vivia aberto e com roupas penduradas nas gavetas. A cama nunca era arrumada, seguia a filosofia de ‘’para que arrumar a cama, se a noite eu vou bagunça-la de novo?’’. Gostava de tomar um café da manhã reforçado, foi até a cozinha e percebeu que não tinha nada para comer. Ele então vai atrás de comida. No mercado do Santuário? Claro que não. 
          Milo sobe as escadaria até chegar na casa de Aquário. Camus já havia terminado seu banho, e estava penteando seus cabelos quando escuta algumas batidas na porta e vai atender. 

          - Bom dia! – Diz com um sorrisão na cara e entra.

          - Claro que você tem permissão para entrar. – Disse fechando a porta e revirando os olhos. 

          - To sem comida em casa. O que tem de bom pra comer? 

          - Tem um mercadinho no Santuário, não sei se você sabe .

          - É que não vende seu café no mercadinho. 

          - Milo, já é a segunda vez que você fica sem comida em casa essa semana! Você tem que fazer uma despesa para um mês inteiro, não ficar comprando de pouquinho em pouquinho! 

          - Tá bom, eu vou fazer... Mas agora não dá, né. Se não eu vou me atrasar para os treinos. Só hoje, vai! 

          - Ok, vai arrumando a mesinha da varanda que eu vou levar nosso café para lá. – Camus se fazia de difícil, mas a verdade é que ele adorava quando tinha um tempinho com Milo fora dos treinos. 

          - Obrigado! – Milo rouba um selinho de Camus – Você é um ótimo amigo. 

          - MILO! Como ousa?! 

          - Ai, foi só um bejinho. – Disse se virando. 

          - Sabemos que não é apenas um beijinho que queremos. – Segurou a mão me Milo e o puxou para um beijo. Um tão esperado beijo. Sufocante, lento, intenso. 

          - E porque não fizemos isso antes? – Disse entre os beijos. 

          - Não sei – Continuaram se beijando. 

          - To com fome – Disse ainda se beijando .

          - Depois – Continuaram assim por mais um tempo. 

          - É que eu realmente estou com fome – Disse com sua barriga roncando, se separando do beijo. Camus tentava fazer uma cara de bravo, mas não se aguentou e começou a rir.

          - Ta bom Milo, vamos comer! – Os dois arrumam a mesinha e tomam seu café da manhã. Ficam conversando até dar a hora do treino, e descem para a arena. 

 

-- No hospital do Santuário – 13:00 hrs        

 

          Chorando desesperadamente, lutando contra o sentimento de tristeza que invadira seu coração, Hyoga se apega em um ultimo fio de esperança, no limite da espera. Por todos os momentos que passou com Shun, não poderia desistir tão facilmente. Não poderia deixar que tudo se acabasse ali, não deixaria seu medo superar sua esperança. Daria sua vida se fosse preciso. 

          Ainda deitado sobre o peito de Shun, segurou com mais força sua delicada mão, e emanou seu cosmo. Uma áurea branca cobriu os dois no leito do hospital. Hyoga teve o cuidado de não deixar seu cosmo esfriar e concentrou-se ao máximo, não se importando com as consequências. Doaria todo seu cosmo para Shun, assim como ele fizera nas doze casas. Sabia que estava fraco e poderia perder sua vida, assim como Atena havia lhe alertado e até proibido que o fizesse isso. 

          Passaram-se horas, Hyoga continuava concentrando seu cosmo a fim de resgatar o cosmo de Shun, que não se manifestava desde o ocorrido. Shiryu e Seiya chegaram no hospital, mas o loiro não deixou que eles se aproximassem. Os dois sabiam que se Hyoga continuasse poderia acabar morrendo, mas sabiam também que não adiantaria tentar convence-lo de parar. Atena havia proibido Hyoga de realizar esse procedimento porque ele também estava fraco, e devido ao estado de coma profundo, seria a mesma coisa de se sacrificar em vão. Mas Cisne não se importava, tinha que tentar. Saori já havia tentado antes de Hyoga, mas como ela já tinha feito isso no dia que eles voltaram para a terra, não surtiu efeito. 

           Suas pernas fraquejaram e quase perdendo a consciência Hyoga sente sua mão ser levemente apertada. Uma áurea rosa começa a emanar do corpo de Shun, e os dois cosmos se juntam em um só, em completa harmonia. Hyoga olha para sua mão e sem acreditar levanta o olhar para o rosto de Shun e vê um doce sorriso se formar à sua frente. Um sentimento de paz toma conta do seu coração transbordando em lágrimas de alívio. Ele despertara. 

          - N-Não chore..

          - Eu também amo você, Shun. – Fora as únicas palavras que Hyoga conseguira pronunciar. Suas mãos se separam vagarosamente e Hyoga cai desacordado no chão.

          Shiryu rapidamente pega Hyoga no colo e o coloca em uma maca que os médicos já haviam providenciado e o acompanha para um outro quarto. Seiya corre e abraça Shun, derramando algumas lágrimas em seu ombro.

          - Seiya, o que.. O que está a-acontecendo? – Sua voz saíra fraca, Shun estava confuso e sem entender o que realmente estava acontecendo. 

          - Shun, que bom que você está bem! Sentimos muita sua falta. Você ficou dormindo por mais de um mês! Eita sono, hein?

          - M-mas, porque Hyoga desmaiou? 

          - Ele.. Fez por você, o mesmo que você fez por ele. Hyoga foi o que mais sentiu sua falta, ficou ao seu lado esse tempo todo, não aguentava mais a espera e usou o próprio cosmo para despertar o seu, mesmo com a Saori proibindo que ele fizesse isso. Mas você, mais do que ninguém, conhece o cabeça de vendo do Hyoga. 

          - E-ele ficou ao meu lado... Seiya, ele v-vai ficar bem?? – Disse com os olhos marejados. 

          - Vai sim, Shun.. – Disse limpando as lagrimas que caíra dos olhos esmeralda do amigo  – Vai sim. Você ficou bem quando fez aquilo, não ficou? 

          - Fiquei.. E faria o mesmo quantas vezes fosse preciso..  Mas ele não deveria ter arriscado sua vida p-por mim... Ele também está fraco, não está? 

          - Está sim.. Mas assim como você, ele arriscaria a própria vida quantas vezes fosse preciso para te salvar. E estamos em um hospital, já estão cuidando dele. Agora ta vindo uns médicos aí para te examinarem. Hyoga vai ficar bem, ta legal? E eu escutei ele dizendo que te ama – Cutucou levemente o amigo, mudando o tom de voz. – Tipo, O HYOGA DISSE QUE TE AMA! ELE NÃO FALA ISSO PRA NINGUÉM! Até eu senti inveja. E o cosmo de vocês se juntaram! Foi lindo! 

          - Seiya!.. – Shun sussurrou levemente corado, sorrindo, desviando o olhar para baixo. 

          - Já sei, já sei ‘’vocês são só amigos’’. Eu e o Shuiryu também amamos você, ok? – Depositou um beijo na testa do amigo – Agora vou deixar os médicos fazerem o trabalho deles! Tchauzinho! 

          - Também amo vocês... 

 

---x---

 

-- Na arena – 16:00 hrs

 

          Camus estava treinando alguns socos com Afrodite e acaba se distraindo quando sente o cosmo de Hyoga enfraquecendo, e leva um soco em cheio no rosto levando-o a cair no chão. 

          - Camyu! O que aconteceu para você não desviar do meu soco, querido? – Estendeu a mão para ele se levantar. 

          - Hyoga... – Sussurrou, passando a mão onde fora atingido. – Você também sentiu? 

          - Eu senti sim. E também senti que o cosmo de Shun se acendeu novamente. 

          - Droga! Ele deve ter doado todo seu cosmo para Shun.. Pode avisar ao Mestre Shion e ao Milo que tive que ir para o hospital ver como Hyoga está? 

          - Posso sim, agora corre lá! 

          - Obrigado.

 

---x---

 

          Camus chega no hospital e vai direto para o quarto onde Hyoga estava. Shiryu e Seiya também estavam no quarto junto a ele, e começam a explicar para Camus o que aconteceu. Apesar de Hyoga ter praticamente se sacrificado por Shun, uma vez que ele ainda estava fraco, ele não corria risco de vida. Só estava inconsciente e logo acordaria. Nada que algumas horas de descanso não melhorasse. Shiryu e Seiya percebe que Shun já estava voltando para o quarto, e deixam Camus tomando conta do pupilo. 

          Shun passou por diversos médicos para ser examinado, e teria que passar por diversas baterias de exames para saber como estava sua saúde e para saber se o coma havia deixado alguma sequela psicológia ou física. Shiryu entra no quarto de Shun e o abraça, enquanto Seiya senta na ponta da cama e apenas observa:  

          - Shun.. Não assusta mais a gente assim! 

          - Shiryu, seus olhos... Você...

          - Sempre se preocupando com os outros primeiro.. – Disse apertando a bochecha do mais novo – Mas não se preocupe, estou fazendo tratamento para voltar a enxergar. Já estou acostumado. 

          - Espero que melhore rápido! Como está Hyoga? E o olho dele?  Não pude reparar como estava, e agora ele está desacordado por minha causa.. 

          - Calma Shun. O Hyoga está bem, porém desacordado. – Shiryu explica. 

          - É, e o olho dele já está melhor. Mas ainda tem que usar a faixa por mais um tempo. – Seiya conclui. 

          - E... E o meu i-irmão? Onde ele está? – Disse com voz chorosa. 

          Seiya olhou para Shiryu, que abaixou a cabeça. Os dois não tinham o mesmo jeito que Hyoga tinha para conversar com Shun sobre assuntos delicados como esse. Tentaram explicar da melhor forma. Mesmo conhecendo a personalidade de Ikki, Shun sempre se entristecia quando o irmão se afastava de seus amigos. Seiya tratou de mudar de assunto, e os três começaram a conversar amenidades. 

         

---x---

 

          Assim que o treino acaba, Milo vai para o hospital para ver como Hyoga estava. Ele entra no quarto e Camus está em uma poltrona, com as pernas cruzadas esperando que Hyoga desperte. Milo se aproxima e senta no braço da poltrona, puxando delicadamente a cabeça de Camus para seu peito. Os dois ficam em silêncio. Hyoga começa a despertar, e abre os olhos. Camus se levanta e fica ao lado da cama, observando o mais novo. Ele se senta na cama, e olha para os lados, tentando entender o que aconteceu. 

          - Você ficou inconsciente por algumas horas, é normal estar confuso.

          - Shun, eu preciso ver o Shun!

          - Não, você tem que descansar..

          - Camus... Deixa ele ir ve-lo. – Milo coloca uma mão no ombro de Camus.

          - Por favor, mestre...

           - Ele está no quarto ao lado.

          Hyoga se levanta, e agradece seu mestre abraçando-o forte. Mesmo cambaleando, ele vai se escorando pelas paredes até o quarto ao lado. Camus apenas observa. Milo apenas sorri, e dá uns tapinhas nas costas do amigo: 

          - É, Camus. Acho que você não conseguiu treinar-lo direito. 

          - Como assim? 

          - Ele nunca terá um coração de gelo enquanto estiver ao lado de Shun.   

 

 


Notas Finais


Finalmenteeee varias coisas!

Se quiserem deixar um coment. aqui em baixo, sintam-se em casa ♥

É isso gente! Beijos, e até ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...