História Sunddely Love - Capítulo 9


Escrita por: ~

Exibições 38
Palavras 2.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi amores eu fiquei desapontada pelo o números de comentários que tivemos no capítulo anterior, mas agradeço a quem comentou e espero de coração que continuem comentando, não abandonem a fic, pois virar ainda muitas surpresas. Desculpem os erros de português se houver. Queria agradecer a minha amiga Andy me ajudou neste capítulo. Te amo Paçoca kk💕🍃 Boa leitura.

Capítulo 9 - Clashes.


Fanfic / Fanfiction Sunddely Love - Capítulo 9 - Clashes.

Jessie point of view

Eu precisava de ajuda, eu não sabia mais o que fazer estava perdida. Alguém tinha que fazer o Robert parar e esse alguém seria eu, então ao invés de ir para a agência fui para o galpão precisava olhar nos olhos daquele desgraçado como ele pode tocar na Chantel.

Geralmente a frente do galpão fica empesteada de brutamontes, mas eu não fui pela frente e sim pelos fundos. Estacionei o carro no fundo do galpão, mandei uma mensagem para o Ryan avisando onde eu estava o caso algo der errado, corri o mais rápido que pude, tirei uma enorme madeira que estava na passagem. Essa porra era pesada, a encostei na parede e caminhei para o escritório do Robert. Para a minha surpresa a Stella estava bem na minha frente sentada na cadeira atrás da mesa do Robert, dei um sorriso e em meus pensamentos veio à frase “Te peguei vadia!”. Ela por um instante perdeu a cor, a vadia ficou branca igual papel, e é lógico que não poderia perder essa oportunidade.

— Nossa! Que prazer te encontrar aqui assim tão cheia de vida. — digo ironicamente.

— Como você entrou aqui? — ela pergunta assustada.

— Stella, eu achei que ficaria feliz em me ver depois que você destruiu a minha vida.

— Cala boca e vai embora daqui, eu vou chamar os seguranças. — diz ela irritada e levantando da cadeira.

— Isso chamar os seguranças vadia, chama quem você quiser, mas eu vou ter que contar para o Justin que a vagabunda da mulherzinha dele esta viva e esta com o meu ex-marido. — eu digo me aproximando dela.

— Quer saber? Vai se foder vadia. — ela diz, me empurrando.

Eu não penso duas vezes e dou um tapa com toda a minha força em sua face magra, cheguei a sentir a palma da minha mão arder.

— Vamos acertar as nossas diferenças agora.

— Vou acabar com você. 

Stella foi para cima de mim, suas mãos agarraram os meus cabelos loiros. Eu tentei empurra-la, mas senti os fios sendo puxados. Dou um chute nas suas pernas finas e curtas, empurro a cadela que se desequilibrou e bateu as costas na mesa da sala. Minhas mãos foram direto para os seus cabelos e a joguei no chão.

— Agora você vai ver com quem esta se metendo, vadia. — me sentei em cima dela.

— Sai de cima de mim. — ela gritou desesperada. Então eu voltei a dá tapas na sua carinha de vadia mal comida.

Justin point of view.

Eu estava muito preocupado com o Ryan até agora ele não apareceu aqui na agência, deve ter acontecido alguma coisa com ele. Ando de um lado a outro na minha sala com os pensamentos nada bons, então escuto a porta da sala ser aberta e o Ryan finalmente aparece me fazendo suspirar aliviado.

— Onde você estava? — pergunto rude e franzo o cenho esperando uma resposta.

— Calma cara, eu fui resolver uns problemas pessoais. Aconteceu alguma coisa?

— Sim, o Walker invadiu a minha casa ontem à noite quando eu estava no restaurante com a Jessie e me deixou isso. — digo lhe entregando o bilhete.

— Puta que pariu. — ele diz ao terminar de ler e sua expressão era de preocupação.

— Ryan, você sabe de alguma coisa? 

— A única coisa que sei é que o Robert não esta para brincadeira, esse cara é perigoso. — ele diz nervoso.

— Eu sei, e a Jessie esta correndo perigo cara, agora eu não entendi o porquê dele me pedi pra ficar longe dela.

— Eu sei que a Jessie vai me matar, mas preciso te contar algo. — ele diz, e noto um leve tom de preocupação em seu olhar.

— O que houve? — digo estranhando a sua expressão.

— Jessie foi atrás do Robert no galpão e me mandou mensagem dizendo que se ela não voltasse daqui às treze horas da tarde era pra eu ir atrás dela, já estou começando a ficar preocupado porque já passou desse horário.

— Caralho Ryan, por que você não me falou isso antes? — pergunto irritado e indo em direção à porta.

— Justin, me espera você não pode se envolver nessa história.

— Ah não?! Eu não vou deixar a Jessie nas mãos desse desgraçado.

Caminho ate recepção e peço para a secretária cancelar todos os meus compromissos, depois vou para o estacionamento e o Ryan vem logo atrás de mim.

— Justin, isso é loucura. Nós temos que ligar para a polícia.

— Ryan, para de ser cagão. Você vai comigo ou eu vou sozinho. — digo entrando no carro. Ryan revira os olhos e logo entra no veículo também, ocupando o lugar do passageiro.

— Já vi que não posso fazer você mudar de ideia.

— Até que fim que você entendeu, sabe onde fica esse galpão? — pergunto, dando partida no carro.

— O único galpão abandonado que conheço fica a duas quadras daqui.

– Então vamos a ele enquanto isso tenta ligar para a Jessie. — digo mantendo os olhos na estrada.
Ryan pega o celular e liga, mas chama e ninguém atende, ele liga novamente e coloca o celular em viva voz.

— Alô? — uma voz masculina soa me fazendo frear bruscamente o carro. Ryan me olhou assustado pelo que acabei de fazer.

— Robert seu desgraçado, onde esta a Jessie? — pergunto irritado.

— Bieber? Nossa, que surpresa! — ele diz entre gargalhadas. 

— Desgraçado, deixa ela em paz. O que você quer?

— Eu quero que você venha ajudar a Sra. Collins ela está precisando.

— Não toque nela.

— Acho que você precisa ouvi-la pedir – ele diz em seguida escuto a voz de choro da Jessie.

—Socorro, Justin, por favor, me ajuda. — ela grita.

— Deixa ela em paz. — digo batendo os pulsos no volante.

— Estamos te esperando Bieber. — ele disse antes de finalizar a ligação.

— Filho da puta. — digo inquieto.
Olho para o Ryan e ele está paralisado temos que ajudá-la. Nós temos que fazer alguma coisa.

— Temos que ajudar a Jessie, ele pode matá-la. — diz o Ryan que parecia esta tão puto quanto eu.

— Ele não pode fazer isso, eu não vou deixar.

O que está acontecendo? Em fração de segundos me encontrei totalmente sem saída, pois não posso ligar para a polícia, mas também não posso deixar a Jessie nas mãos desse canalha. Sentia que ela precisava de mim e se eu podia, então iria ajuda-la não queria me sentir impotente como me senti quando a Stella morreu, eu vou tira-la de lá. Dou novamente partida no carro. 

Eu nunca fui com a cara do ex-marido da Jessie, as minhas diferenças com Robert vão muito além da agência, o meu erro foi me envolver em coisas erradas sem falar que eu e ele já trocamos alguns socos nos bastidores.

Eu sei do que ele é capaz e quer me atingir de alguma forma provavelmente por causa daquela situação do passado.

E o pior que nem a ex-mulher dele esse imbecil poupou, mas primeiro tenho que tirar a Jessie de lá depois eu vejo como resolver de vez essa situação. Entro em uma estrada de terra e o já vejo o galpão um carro preto estacionado na frente com muitos seguranças, então estacionei o meu carro um pouco distante.

— Com certeza é aqui. Ryan, você fica aqui eu vou tirar a Jessie e se eu não voltar daqui a duas horas, você pode ligar para a policia. — digo abrindo o porta-luvas e pegando uma pistola que tinha.

— Eu te dou cobertura, mas toma cuidado, Justin. — ele diz e fazemos um toque com as mãos.

Saio do veiculo, fecho a porta do carro e levanto a camisa e escondo a pistola nas costas, abaixo a camisa arrumando a mesma no meu corpo e caminho em direção ao galpão. Os seguranças me olham tentando me intimidar, mas eu simplesmente os ignoro e caminho em direção a um deles.

— Avisa o imbecil do seu chefe que estou aqui. — digo um com uma leve irritação.

— Não preciso avisar, o Sr. Walker já está a sua espera e te garanto que a festinha vai ser muito boa. — ele responde sarcástico.

Eu nem respondo, tenho que tirar a Jessie daqui logo entro no local e me deparo com o desgraçado encostado na parede com um copo de uísque em mão, e logo atrás  dele dois seguranças.

— Cadê a Jessie? — pergunto irritado e procurando por ela na sala.

— Calma Bieber, pra que a presa? — ele pergunta, bebericando o seu uísque.

— Eu não estou aqui para um diálogo Robert, eu quero saber onde a Jessie estar.

— Há quanto tempo não nós vemos Bieber? Bom, você quer ver a Jessie, né? — ele sorri e pousa o copo na mesa, então se aproxima de mim.

— Eu a quero aqui e agora! — digo
rude.

— Traga ela. — ele diz e revira os olhos. Dois seguranças trazem a Jessie que esta com o rosto machucado, eu não acredito que esse covarde bateu em uma mulher.

Jessie point of view.

Deparo-me com o Justin em minha frente me olhando um pouco aliviado por ver que estou viva. Dois brutamontes me seguram forte cada um em meu braço a vadia da Stella conseguiu escapar, mas dei uma surra bem dada na vagabunda e aqui estou eu sem saber o que fazer toda dolorida da surra que o Robert me deu sem falar na dor na cabeça. O cretino do meu ex-marido me olha fixamente.

— Ai está ela, um pouco machucada, mas está viva. — ele diz e olha para o Justin.

— Solta ela! — ele diz, travando o maxilar.

— Vou soltar, mas antes eu quero me divertir um pouco. Robert diz e faz sinal para o segurança, mas dois entram no galpão e o segura um em cada braço. Ao ver aquilo começo a me debater tentando me soltar dos capangas e ajudar o Justin, mas é em vão.

— Solta ele, Robert, por favor, ele não tem nada haver com isso. Por favor, o deixa ir embora. — digo desesperada.

— Você que pensa que ele não tem nada haver, fica quentinha e aprecie o show. — ele diz e caminha em direção ao Justin.

— Me larga, você é um covarde precisa da ajuda da sua quadrilha, vem aqui e vamos resolver nós dois como homem. — diz o Justin.

Robert dá um soco no abdômen do Justin que a dor faz com que ele caia de joelhos, ele pega Justin pelo os cabelos e dar uma joelhada em seu rosto, o loiro grita de dor. Tento fazer força para frente, puxando os meus braços dos seguranças.

— Para Robert, por favor. É a mim que você quer, então o deixe ir embora. — digo me debatendo e me afundando em lagrimas. Justin levanta a cabeça e eu posso ver o sangue sair pelo seu nariz.

— Jessie, não faça isso. — diz Justin em um sussurro.

— Isso é bom demais, que bela demonstração de amor Jessie. — ele diz, dando mais um chute certeiro no Justin que geme alto de dor.

— Para, por favor! — digo  chorando bastante.

— A soltem. — ele diz sorrindo. Saio correndo e vou até Justin que esta jogado no chão todo ensanguentado, pego o loiro pelo braço tentando colocá-lo de pé, mas o seu corpo esta mole.

— Justin, olha pra mim estou aqui, me desculpa por tudo isso. — digo aflita.

— Está tudo bem. — ele diz e vejo os seus dentes brancos manchado de sangue.

— Agora sim vocês podem ir embora, cansei de brincar. — diz o Robert, soltando uma gargalhada.

— Isso não vai ficar assim.  — digo irritada.

— Adorei a visita, voltem mais vezes. — ele diz com um sorriso irônico.

Esse homem me causa nojo. Como eu pude me casar com um cara assim? Minha vida virou um inferno. Justin se apoia em mim e caminhamos com dificuldade para o fundo do galpão onde esta o meu carro destravo o veiculo, abro a porta, então Justin entra no mesmo, depois entro tomando o lugar do motorista.

   


Notas Finais


O que vocês acharam da briga da Jessie e da Stella? O Justin super fofo, foi salvar a Jessie! E o Robert um cretino. Comentem muito


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...