História Sunshine - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Chris Evans, Chris Hemsworth, Homem de Ferro (Iron Man), Os Vingadores (The Avengers), Robert Downey Jr., Scarlett Johansson, Sebastian Stan, Thor, Viúva-Negra (Black Widow)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Chris Evans, Chris Hemsworth, James Buchanan "Bucky" Barnes, Natasha Romanoff, Pepper Potts, Robert Downey Jr., Scarlet Johanson, Sebastian Stan, Steve Rogers, Thor
Tags Amor, Anthony, Baixaria, Bucky, Capitão América, Ciumes, Conhecidos, Crianças, Downevans, Drama, Família, Fanfic, Homem De Ferro, Natasha, Natorsha, Rogers, safadeza, Stark, Stony, Thor, Thortasha, Tony Ama Steve
Exibições 138
Palavras 1.715
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey everyone's mais um cap para vocês, espero que gostem. Desculpem os erros ortográficos

Missing - The XX

Capítulo 15 - Missing


Fanfic / Fanfiction Sunshine - Capítulo 15 - Missing

Steve desceu as escadas com lágrimas nos olhos, abandonando a enorme casa.

Tony também deslocou-se até o andar de baixo rapidamente, tentando de algum modo encontrar o loiro e impedir sua partida, o que foi em vão. O bilionário sentou no enorme estofado de couro sintético preto, apenas deixando seu sofrimento translúcido.

- Pai, cade o papai Steve? - Ben perguntou enquanto segurava uma folha de papel, que exibia seu desenho.

- Eu não sei meu amor, realmente não sei.

Quatro dias atrás

Natasha ainda estava incrivelmente abalada, o sofrimento que emanava, parecia dissipar seu coração. A médica passou inteiros três dias, trancada em seu quarto sem ao menos consegui levantar-se, seu corpo parecia pesar toneladas e sua cabeça doía como nunca antes, por sorte, Steve e sua mãe foram ajuda-la e a ruiva, com sacrifício consegui sair da curta depressão.

Antes que a moça afundasse novamente em tristeza, recebeu um telefonema que a deixou um tanto confusa e pensativa. Natasha foi convidada para trabalhar em um grande hospital em Moscou/Rússia, era uma oferta realmente tentadora, com um salário maravilhoso, e ainda teria um apartamento no centro. A jovem médica pensou muito e resolveu aceitar o convite, afinal ninguém iria impedi-la e seria uma ótima oportunidade de emprego, ganharia pontos para o currículo, sem contar que ainda aprenderia uma nova língua.

Steve deu o maior apoio que conseguiu, ajudando-a a fazer as malas, comprando roupas e tirando o visto, ele a levou no aeroporto e depois de uma longa despedida, a atraente mulher se foi, foi-se embora com sede de novos ares, quem sabe um novo amor.

 Dias atuais

- Então quer dizer que ele fez isso? Real? - Bucky perguntou descrente enquanto entregava uma xícara de chá para o amigo.

- É! E ainda teve a cara de pau de dizer que " não era Isso que eu estava pensando" - o loiro fez aspas utilizando os dedos, enquanto exibia uma expressão desgostosa.

- Não fica assim Steve.. aposto que existe uma explicação bem lógica para isso tudo. - James tentou confortar o amigo, apertando-lhe o ombro.

- É, a explicação é que ele é um canalha. - o arquiteto depositou o recipiente de porcelana em cima da mesinha de centro e cruzou os braços, bufando em seguida. - E o pior é que irei morrer de saudades do Ben.. - Suspirou.

- Então você realmente vai fazer isso? Você vai embora? - Bucky parecia decepcionado.

- Ahh, eu não sei..tipo, eu só tenho vinte e quatro anos e a Natasha está em Moscou.. e disse que posso ficar lá. - Steve estalou os dedos em sinal de tédio.

- Entendi, só não quero que tome uma decisão precipitada..

Bucky levantou da pequena poltrona florida e caminhou até a cozinha, onde depositou as xícaras, que ainda estavam com o restante de chá, na pia.

- E a sua mãe? - o engenheiro questionou, sentando-se novamente no acolchoado estampado.

- Bom…ela irá comigo. - Steve levantou-se - Muito obrigado Bucky, por me escutar.. e me ajudar. - Sorriu - Você é um ótimo amigo.

- É..amigo - sussurrou um pouco desconsolado - Boa sorte, na sua nova vida. - James sorriu de enquanto abraçava brevemente o companheiro. - Pelo menos não estará com aquele idiota - pensou.

- Adeus Bucky.. - Steve sorriu e se foi.

- Adeus. - O moreno sussurrou antes de fechar a porta do apartamento, de número 220, que tanto gostava.

…..

Haviam se passado dois dias desde a saída de Steve da residência Stark, Tony tentava ocupar seu tempo cuidando do Ben, ajudando-o no dever de casa e brincando com o pequenino, depois do que Pepper fez, o bilionário precisou responsabilizar-se novamente, por todo funcionamento das indústrias, que carregava seu sobrenome.

O gênio também considerou contratar algumas pessoas para o auxiliarem, e assim o fez. Contratando um motorista, Harold Joseph Hogan, ou Happy, como o filantropo preferia chamá-lo e uma babá Sharon Carter.

Apesar de necessitar da sua atenção redobrada no funcionamento das empresas, o gênio tinha em mente, o quão importante era dedicar a atenção devida ao seu pequenino Ben, afinal não gostaria do mesmo destino que seu pai Howard Stark deu a si.

Ao anoitecer, Tony resolveu preencher seu tempo com o Ben, ele estava sentado, juntamente com o pequenino, no enorme tapete felpudo de cor acinzentada, que ocupava uma grande parte da sala de estar.

- Pai, olha oque eu fiz!

O garotinho mostrou o desenho que ilustrava uma família diferente, à esquerda um homem loiro, alto e forte, à direita outro homem, de altura menor e de madeixas escuras e no meio uma criança pequenina, de olhos verdes e cabelo acastanhado.

- Olha, eu, você e o papai Steve. - o pequenino apontou a folha de papel, com seus dedinhos gordinhos.

- Que lindo, meu príncipe.

Tony analisou a pequena obra de arte, inebriando-se nas lembranças que ainda possuía de Steve. O bilionário desejou anelantemente conceber algum tipo de ideia que prorrogasse a estabilidade do casal.

- Senhor? - Jarvis, tirou-o de seus devaneios

- Sim amigo? - o gênio entregou o desenhou ao filho, no mesmo momento em que aguardava o parecer da voz mecanizada.

- Devo-lhe mostrar as imagens de segurança da última quarta feira?

- Claro! Como não pensei nisso antes.. as imagens.- Tony chocarreou - Mostre-me a verdade, Jarvis.

No mesmo momento as luzes do espaço gradativamente escureceram e um holograma ocupou o cômodo, retratando a cena que acontecera dias atrás.

Pepper conversava pacificamente com o bilionário, até perceber a abertura da porta de entrada, a empresária jogou-se nos braços do gênio, beijando-o com lasciva.

- Eu preciso mostrar isso ao Steve.. - Tony murmurou com as sobrancelhas encrespadas e o maxilar travado.

- Creio que está muito tarde e o senhor precise colocar o Ben na cama. - A voz robótica comentou.

Tony procurou com os olhos rapidamente, encontrando seu filho deitado no estofado de couro, onde envolvia-se num sono leve. O moreno sorriu enquanto apanhava a criança em seus braços levemente bronzeados. O filantropo levou o pequeno até o último quarto do corredor, onde colocou o mesmo na pequena cama, que possuía o formato de Ferrari vermelho sangue.

Naquela madrugada, Tony mal conseguiu pregar os olhos, ele estava incrivelmente ansioso. Quando os primeiros raios de sol invadiram o seu quarto, ele pulou do macio colchão e desceu as escadas em disparada, encontrando o seu mais novo motorista e a babá, que tomavam o café da manhã pacientemente.

- Bom dia! - o gênio esbravejou

- O senhor parece animado, algum motivo especial? - Happy questionou, depois de um longo suspiro.

- Primeiramente, o senhor tá no céu e sim.. eu estou muito animado! e o motivo é muito especial. - o bilionário sorriu abertamente.

- Sharon sorriu docemente - Fico feliz por você Tony, agora com licença, o Starkzinho já vai acorda. - a moça levantou e desfilou até o andar mais alto, sumindo da visão de todos presentes.

- Bom..é melhor eu ir. Jarvis, eu preciso que você envie o vídeo para o meu celular. Happy, leve o Ben pra ver escola, sim? - Tony sorriu.

- Você que manda chefe. - O motorista e a voz mecanizada disseram em unísoro, o que fez o filantropo rir brevemente.

Tony saiu apressadamente da mansão, ele entrou em seu conversível branco, sem esquecer do óculos de sol e dirigiu o mais rápido que pôde, respeitando o limite de velocidade, a música que tocava no rádio do veículo era animada, uma das canções favoritas do bilionário. Fall out da banda The Police.

I never thought of leading

I´ve got my own machine

And I´ve paid my dues all along

Eu nunca pensei em liderar

Eu tenho minha própria máquina

E eu paguei minhas dívidas o tempo todo

All set for breaking when

I Missed those other people ´cause

I knew that I was really alone

Tudo pronto para quebrar

Quando eu perdi as outras pessoas

Porque eu sabia que eu estava realmente sozinho

Fall out

Fall out with all the leaders and guys

Fall out

Fall out with all the leaders and guys

Cair

Cair com todos os líderes e os caras

Cair

Cair com todos os líderes e os caras


O mar estava agitado e o vento tornava-se presente a todo momento, o sol brilhava, talvez, como nunca antes, seus raios encostavam levemente na pele já bronzeada do moreno, esquentando-a.

Tony possuía um semblante esperançoso enquanto vagava pela avenida da cidade, ele lembrou que o seu loiro contou que na última briga teria refugiado-se na casa de James, então resolveu dirigir até a mesma, depois de pedi a Jarvis para encontrar a tal residência. Um prédio simples, as paredes tingidas em um tom de verde musgo desbotado, tornava o lugar ainda mais usual e despojado, o bilionário precisou trocar a campainha mais de uma vez até o moreno de cabelos compridos abrir a porta, com o rosto ainda de sono.

- Sim? - Bucky bocejou enquanto esfregava seus olhos.

- Onde o Steve está? - Tony perguntou olhando por cima do ombro do homem, com a intenção de encontrar o loiro em algum lugar.

- Desculpe, mas o Steve não está aqui. - Sorriu levemente debochado - Na verdade ele deve estar esse exato momento no aeroporto embarcando pra bem longe de você. - James comentou esbanjando sarcasmo, antes de fechar a porta.

- Não!

Tony correu o mais depressa possível, agora não fazia a mínima questão de respeitar qualquer limite que fosse imposto a ele. O gênio chegou ao Miami International Airport ( Aeroporto internacional de Miami ) rapidamente, ele adentrou o local e caminhou freneticamente até a área de embarque.

Haviam muitas pessoas e foi realmente difícil, porém o bilionário conseguiu avistar o loiro, que encontrava-se de costas, então ele correu até o mesmo o abraçando por trás.

- Tony? - Steve virou, ficando frente à frente. - Veio contar mais alguma mentira? - Rispidamente questionou.

- Não Stee.. eu vi te mostrar a verdade.

Tony sorriu tirando o celular do bolso e apertando o play no pequeno vídeo.

…..

- Tony...- Steve suspirou - me perdoa.. eu …

Steve mal teve tempo de terminar a frase, seus lábios foram tomados pelo beijo sedento do bilionário, o loiro deixou que sua mochila caísse no chão, libertando sua mãos, colocando-a na nuca do moreno.

O beijo chegou ao seu epílogo quando o ar tornou-se necessário. - Se eu não tivesse perdoado você, não estaria aqui. - Tony sorriu, voltando a beijar o arquiteto.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...