História Sunshine - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Anos 70, Comedia, Jelena
Visualizações 197
Palavras 1.061
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá.
Chegamos a faixa de 150 favoritos. Caramba! Obrigada sz

➡ Esse capítulo é um bônus. Totalmente narrado pela Selena, um dia antes do acidente que deixou o Justin em coma.
➡ Desculpem qualquer erro. Eu digito e beto pelo celular, e posto também né. Vida dura sempre.

Boa leitura!

Capítulo 7 - 06. Não sou eu quem deve dizer isso a ele.


Fanfic / Fanfiction Sunshine - Capítulo 7 - 06. Não sou eu quem deve dizer isso a ele.

Selena Gomez

2015   Um dia antes do acidente

Repito meus movimentos, fazendo com que a bola de basquete se choque contra o piso, voltando para minhas mãos todas as vezes. Me sinto cansada. Olhos pesados, garganta seca e costas doloridas. Estou um caco.

Posso ver a arquibancada quase totalmente vazia, sendo preenchida apenas em um canto específico. Todo o barulho que está fora do jogo, vem daquela área. Os garotos cochicham algumas coisas, após olharem para todas as presenças femininas atentas à competição de basquete.

O treinador faz uso de seu apito, dando-me a deixa para escapar dessa atividade após meia hora. Bebo um pouco da água morna, retendo um pouco do líquido em meus dedos, passando-o, em seguida, sobre minha testa. Suspiro. Tonta, me sento.

Respiro e inspiro. Uma, duas, três vezes.

O lugar ao meu lado é preenchido. Encaro a pessoa que ocupa tal espaço. Ryan sorri, quase gentilmente. Permaneço em silêncio. Não entendo o porquê dele estar aqui, mesmo tendo a noção de que este não participa de nenhuma das aulas de educação física.

Não posso conter o impulso de encarar todos os cantos à procura do melhor amigo da figura em questão.

— Ele não está aqui. —Butler afirma. De modo ligeiro, o fito.

Tento conter a expressão de espanto que preenche minha face. Falho drasticamente.

— Do que está falando? —Pergunto, mantendo-me séria o suficiente. Ele ri.

— Você deveria ser atriz. Quase convence. —Dá de ombros. Os lábios se erguem em um sorriso pretensioso. Olho-o com estranheza.

— Por que está falando comigo?

— Por que você está sempre na defensiva? Qual é. —Resmunga. As íris claras se reviram.— Sei que gosta dele. —Constata. Engasgo. Libero um riso, que parece soar como deboche, porém, para mim, se parece muito com desespero.

— Não sei do que você está falando. —Rebato.

— E a Terra é plana. —Zomba.— Eu não sou o Justin. E se te deixa melhor, ele não sabe.

— Está delirando.

— Se eu estivesse, não estaria tão irritada. —Cruza os braços. Bufo.— Admite, Selena. Deve ser bom fazer isso em voz alta, às vezes.

— Eu preferia quando estava longe, sem falar comigo e sem essa quantia extravagante de perfume, certo? —Sorrio forçado, ouvindo sua gargalhada preencher meus ouvidos.

— Ouch. —Leva a mão ao coração.— Ele chegou.

Olho para entrada, mas não há ninguém ali. Ryan ri. Minhas bochechas ardem, e sei que estão coradas agora.

— Eu estou delirando? —Questiona, humorado. Minhas mãos tremem por um momento.

— Apenas não diga nada. —Murmuro. Butler está sério agora.

— Eu já disse, mas ele não acreditou. —Confessa.— Não sou eu quem deve dizer isso a ele.

— Bom, eu também já fiz isso. —Sou cínica.— Veja só no que deu.

— Ele estava sóbrio? Acordado? Lúcido? —Dispara. Parece disposto a defender o amigo.— Justin pode ser um idiota. Mas não o suficiente para te tratar assim, tendo noção de algo do tipo.

— Ele estava bêbado, mas isso não importa. Não mais.

— Justin não irá se apaixonar por você, se não tiver um motivo para enxergá-la. —Me olha.— Às vezes precisamos que as pessoas nos vejam como realmente somos, Selena. —Sorri. Parece fraternal. Por um momento penso em retribuir o ato, entretanto,  não o faço.— É, eu preciso mesmo participar dessa aula, senão vou zerar.

Não digo nada. Ryan se levanta, esticando seus braços em um aquecimento. Exausta, respiro profundamente. Ele está certo, afinal de contas.

— E, ah! Bieber estará na festa amanhã de noite. —Informa, lançando-me um sorriso e uma piscadela.— Eu diria, se fosse você. —Estala os dedos.— Mesmo que eu seja muito mais bonito.

Então finalmente rio. Pela primeira vez no dia e provavelmente, na semana,me sinto confortável.


[...]

Assisto à algum programa de TV aleatório, enquanto saboreio o restante de um sorvete de chocolate. Deixo o pote de lado, bebendo um pouco da Coca-Cola.

A porta do quarto é aberta, revelando a carranca mal humorada de minha mãe. Encolho-me. Seus olhos vagueiam pelo quarto, capturando toda e qualquer imagem de aperitivos que possam ter sido ingeridos em questão de uma hora.

De modo ágil, ela recolhe as embalagens, quase com brutalidade. Aperto meus braços, preparando-me para o que virá em seguida.

A mais velha segura meu rosto, pressionando meu maxilar, erguendo-o para cima. Sua expressão é raivosa.

— Você está engordando. —Afasta-se.— Quantas vezes eu já não lhe disse para não comer essas besteiras? —Pergunta. Fico quieta.— Eu te fiz uma pergunta.

— Muitas vezes. —Sussurro.

— Quer ser uma bailarina gorda, Selena?

Sinto quando as lágrimas queimam em meus olhos, ardendo como brasa. Contenho o choro.

— Não, mamãe. —Respondo.

— Não terá o garoto que quiser se estiver obesa, hum?

— Não. —Repito.

— Então por que continua comendo dessa maneira? —Arqueia uma das sobrancelhas, sorrindo em seguida.— Estou de saída. Não quero nada disso aqui quando eu voltar. Entendeu?

— Sim.

— O que você quer, minha filha?

— Ser uma bailarina.

— E o que está fazendo?

— Não estou me dedicando. —Digo.

Ela sorri.

Estou sozinha novamente. A porta fechada. O vento gelado entrando pela janela.

Então eu choro.

Me levanto. Tranco a porta.

Caminho até o banheiro. Observo meu reflexo no espelho. Retiro minha camisa. Deslizo meus dedos sobre minha barriga, tateando a pele de forma quase dolorosa. Aperto algumas regiões entre meus dedos, dando-me beliscões.

Choro e choro. Compulsivamente.

Eu preciso ser boa. Garotas desejáveis  conseguem tudo o que querem. Eu preciso ser perfeita.

Meu campo de visão está turvo. Me ajoelho.

Com o dedo indicador e o do meio, pressiono minha goela, não conseguindo de primeira. Mas logo tudo vem.

E enquanto libero tudo aquilo que ingeri, sei que talvez assim, eu possa ser bonita.

Só uma garota bonita.

Eu me livro de tudo aquilo. O gosto amargo preso em meu paladar. Faço de novo, e de novo.

Sinto meu corpo fraquejar à medida que soluço, vomitando ainda mais um pouco da dor. Mas não para de doer, nunca para.

Lavo minha boca na pia, escovando meus dentes duas vezes seguidas.

Tento sorrir. Sem efeito.

Pego o celular. Eu disco o seu número. Tenho medo de que ele atenda, mas mesmo assim preciso que o faça. Quando acontece, o outro lado da linha fica mudo por alguns instantes.

Alô? —O silêncio é partido. Quero dizer algo. Preciso dizer algo.— Oi? Eu acho que a ligação está com problema. —Ele diz.

Eu desligo.

Choro novamente. Sentindo-me suja. Pesada. Derrotada.

Já é tarde para dizer que preciso de sua ajuda. 

 


Notas Finais


Então?

Ambas as Selenas possuem o mesmo problema: Bulimia. Que é o transtorno onde a pessoa ingere uma quantidade absurda de alimentos, e os coloca para fora depois. O indivíduo se enxerga com um peso maior do que realmente tem. Não é uma doença genética, é um transtorno. Adquirido por pressão de pessoas ao redor, do mundo todo. Okay?

Não haverá romantização disso. Selena é portadora do transtorno, e isso será relatado da maneira mais realista o possível. Beleza?

Deixem suas opiniões aí embaixo. Nem teve jelena direito, desculpa. Justin só aparece na frase ali, na ligação.

Até logo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...