História Superando Pré-conceitos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai, Personagens Originais
Tags Aikimsoo, Dika, Exo, Exocomeback, Exopósexo, Kadi, Kaido, Kaisoo, Romance, Sookai, Taeji, Taeko, Yaoi
Visualizações 909
Palavras 696
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AiKimSoo, querida, o que faz aqui?
Vim trazer mais um plot fresquinho pra vocês. Ele vai ter como principal Kaisoo e TaeKo ou TaeJi (Couple criado em Exo pós Exo, fanfic de minha autoria com Hyruliam, porém, essa fic aqui nada tem a ver com EPE e não precisam ler a fic para entender).
O drama não contém morte de ninguém.
Esses nas fotos são o TaeOh e o Koji.
Espero que gostem, eu realmente amei escrever.
Sobre as postagens: 2 caps por dia.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Superando Pré-conceitos - Capítulo 1 - Prólogo

 

-EU JÁ DISSE QUE NÃO ACEITO ISSO! - TaeOh gritou a plenos pulmões e jogou tudo que estava na estante da sala, no chão.

-EU JÁ MANDEI VOCÊ PARAR! KIM TAEOH, PARE AGORA MESMO! - Jongin gritou de uma forma tão alterada, que Kyungsoo precisou segurar o pulso do moreno para ter certeza de que não avançaria no adolescente. Nunca tinha visto o maior daquele jeito.

-TaeOh, por favor, acalme...

-NÃO FALE COMIGO! EU NÃO ACEITO QUE FALE COMIGO! SAIA DA MINHA CASA AGORA MESMO! - o adolescente de 16 anos ordenou e Kyungsoo se retraiu um pouco, o que fez com que quase soltasse o aperto no pulso de Jongin.

-ESSA CASA É MINHA E KYUNGSOO FICA! VÁ PRO SEU...

-EU VOU PRA RUA! - TaeOh interrompeu ao pai e deu as costas.

-TAEOH, VOLTA AQUI AGORA MESMO! - Jongin ordenou em vão, porque recebeu como resposta a porta de casa batendo com uma força absurda.

-E-eu vou atrás dele. - Koji gaguejou e fez uma reverência atrapalhada, apressando-se para sair de casa.

-Eu falei que ele iria reagir mal. Jongin, talvez seja...

-Não complete a frase, por favor, não complete. - o maior implorou com a voz banhada de tristeza e se jogou no sofá.

Kyungsoo sentia o coração doer depois da cena que presenciaram, mas ver Jongin sentado no sofá, com a cabeça baixa e fungando, era sem dúvida a adaga que perfurava seu coração. Deu um passo na direção do mais novo e imediatamente teve sua cintura aprisionada entre os braços fortes do professor de educação física.

-Por quê? Por que ele precisa reagir dessa maneira? - Jongin perguntava retoricamente enquanto afundava o rosto no abdômen do namorado, que chorava silenciosamente e fazia carinho nos fios castanhos alheios. - Eu não o criei assim, ele não devia reagir assim...

-Ele só está confuso. - Kyungsoo se forçou a fazer uma voz firme e forte. - Ele perdeu a mãe muito cedo, é normal que pense que você esqueceu dela e não a ama mais.

-Eu amei muito a minha falecida esposa, Soo, mas agora eu amo de forma incondicional somente você. Eu guardo lindas lembranças dela e sou eternamente grato por ter me dado TaeOh, mas levei 10 anos pra me apaixonar de novo... Eu nunca pensei em você substituindo-a ou qualquer coisa, ela foi ela e você é somente você. - Jongin desabafou e apertou Kyungsoo ainda mais em seus braços. Sentir aquele calor, aquele cheiro... Queria tanto que TaeOh entendesse o quanto amava aquele homem em seus braços. - Por que ele não entende isso? Por que ele precisou agir de forma tão agressiva assim? Eu não o criei dessa forma... - se lamentava e Kyungsoo acabou fungando.

-Jongin, me desculpe. Eu nunca deveria ter me confessado, eu...

-Soo, eu te amo. - Jongin interrompeu o mais velho e ergueu a cabeça, encarando embaçadamente a face banhada de lágrimas do menor. - Tivemos 4 anos pra termos certeza que o que sentíamos não era passageiro, então não se desculpe. Se você não tivesse falado nada, eu teria falado e nós estaríamos na mesma situação de agora. Apenas... - fez uma pausa e pegou as mãos de Kyungsoo, as colocando em suas bochechas molhadas. - Apenas diga que me ama, que não vai desistir do nosso amor, que vai ficar ao meu lado...

-Eu te amo, jagiya, não vou te abandonar. - sussurrou com a voz serena demais para o seu interior. - Vamos superar isso juntos. - prometeu e como uma forma de selar a promessa, inclinou-se para baixo e depositou um beijo nos lábios carnudos de Jongin.

Não aprofundaram o beijo, porque não era o momento certo e somente aquele gesto casto seria o suficiente para recarregar ambas as energias. O selar tinha o gosto salgado das lágrimas dos dois, mas também tinha o gosto do amor forte que sentiam e rezavam para que TaeOh compreendesse.

Mesmo sendo um psicólogo, Kyungsoo não conseguia se projetar a auxiliar TaeOh, afinal, eram próximos demais e a situação ainda envolvia a si mesmo. Era impossível consultar um ente-querido ou a si próprio, visto que, era impossível ser imparcial protagonizando a própria história


Notas Finais


Mas o que foi esse prólogo hein? Eu já começo dando tiros kkk
Vamos pro próximo capítulo, pra que assim eu possa explicar melhor e vocês entenderem.
Beijocas de tapioca doce.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...