História Supercut - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Bertolt Hoover, Connie Springer, Eren Jaeger, Erwin Smith, Farlan Church, Grisha Yeager, Hange Zoë, Isabel Magnolia, Jean Kirschtein, Kalura Yeager, Levi Ackerman "Rivaille", Marco Bott, Mikasa Ackerman, Personagens Originais, Petra Ral, Sasha Braus, Ymir
Tags Eren Jaeger, Ereri, Levi Ackerman, Romance, Sobrenatural, Vampiros, Yaoi
Visualizações 103
Palavras 3.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


<3

~Boa Leitura~

Capítulo 6 - Don't Worry


Fanfic / Fanfiction Supercut - Capítulo 6 - Don't Worry

 

Quando cheguei em casa percebi um silêncio incomum, na minha mente Levi apareceria e me receberia em sua melhor forma “educada” e “carinhosa”, mas isso não aconteceu.

- Levi? - Chamei por seu nome, mesmo assim não escutei resposta alguma - Onde será que ele se meteu? - Comecei a andar pela casa - Levi eu estou falando sério, isso não tem graça alguma, cadê você?

Mesmo assim nenhuma resposta, eu já começo a me desesperar, mas acho um pequeno bilhete em cima da mesa de centro.

" Tive que sair. Desculpe. Não sei quando volto, e não prometo voltar e aconteça o que acontecer, não se preocupe comigo - Levi "

Como assim não sabe quando volta!? Eu passei quase ou mais de vinte anos atrás desse babaca e ele um dia simplesmente resolve desaparecer e apenas deixar isso como pista!? Ah eu acho você e quando eu achar juro que amarro você!

 

- Levi.

Deixar aquele bilhete foi uma coisa fácil de fazer, difícil foi ter que deixar Eren, mesmo que por um tempo. Eu odeio o efeito que ele causa em mim quando pede alguma coisa! Eu não consigo dizer não, é como se ele fosse meu dono ou algo do tipo.

- Levi! Levi! Levi! - A voz cantarolava enquanto se aproximava cada vez mais de mim, permaneço impassível enquanto a garota se revela em meio às sombras, seus olhos brilhavam em um prata vívido, manchado com o vermelho da pupila.

- A quanto tempo não vejo você Noah - Comento a observando - Os anos não foram bons com você - Ela gargalhou.

- Nem com você - Pensou por alguns segundos - Mentira você não pode envelhecer!

- Vamos logo falar do que interessa - Ela fez que sim com a cabeça enquanto tirava o pirulito do bolso do vestido - Annie e Marco.

- Você trabalha com nomes! É verdade, quase me esqueci disso! - Diz ela tirando o pirulito da boca por alguns segundos e o recolocado na boca em seguida - Krates - Ela diz - Eles os pegaram!

- Isso é óbvio, mas acho que para saber a localização... Terei que pagar não é mesmo? - Ela concordou rindo - Qual seu preço?

- Aquele seu namoradinho seria de bom tamanho, mas duvido que você vá entrega-lo - Tirou o pirulito da boca novamente e fez um bico, quanto voltou a colocar o pirulito na boca ela o mordeu, consegui ouvir o mesmo sendo estilhaçado pelos seus poderosos dentes - Desliga.

- O que? Por que? - Perguntei, era estranho que ela me pedisse para desligar minhas emoções, mas eu já desconfiava.

- Você era tão divertido naquela época Levi - Ela diz cuspindo o doce da boca com um certo nojo - Não se lembra como era estripar todas aquelas pessoas? Não era divertido!?

- Não - Resmungo - Não era nada divertido Noah, aquelas pessoas tinham família, crianças! Noah eu era um assassino a sangue frio e eu odeio cada parte do que aconteceu naquela época!

- Você fala que odeia mas ama! A liberdade que tudo aquilo trouxe para você! Admita Levi! - Esbravejou ela com um olhar que assustaria qualquer ser vivo ou " morto ", mas não a mim.

- Esse é seu preço apenas por uma localização!? - Fiz a pergunta - Muito bem, mas vou querer outro favor.... Deixe Eren longe de qualquer pessoa que possa usá-lo, caso você não o faça eu irei até você Noah e acredite em mim, eu vou brincar e espalhar pela cidade cada órgão seu, mas antes eu juro que vou arrancar seus membros, e quando você estiver quase morrendo vou curar você e então fazer tudo de novo, e de novo e de novo, até que eu esteja satisfeito, entendeu? - CLARO! - Exclamou gargalhando - Eles estão no Porto central, geralmente fazem execuções lá durante as noites de lua Nova, e advinha o que tem amanhã!?

- Lua Nova - Resmungo em desgosto - Amanhã, após salvar os dois você pode vir até mim, eu irei cumprir minha parte do trato.

Ah Eren. Quem me dera poder ficar com você agora, só mais uma vez. Decido que não seria a melhor escolha voltar ao meu apartamento por hoje, ou por um longo tempo, eu realmente espero que eles consigam me fazer voltar.

 

- Eren.

- Hange eu estou falando sério! - Brigo com ela - Levi não aparece a doze horas! E a única coisa que ele fez foi deixar um bilhete e me mandar uma mensagem dizendo que achou Annie e Marco!

- Eren é o Levi, ele deve ter trabalhado a noite inteira, ele deve estar na faculdade agora - Tentou me convencer - Mas admito que nem mesmo uma ligação depois de ter encontrado o endereço - Entramos em seu carro - Jean vai com a gente?

- Obviamente e Petra também - Ela resmunga - Eles vão nos encontrar lá.

- Ah, ainda bem - Mesmo sabendo que é para o resgate de nossos amigos, ficar sem notícia alguma de Levi me deixa completamente perdido em meio ao mundo, me acostumei tanto com ele durante os anos que estivemos juntos que agora eu simplesmente me sinto perdido, assim como nos anos que eu nem sabia o que eu era e quem ele era.

 

- Levi.

Anime-se Levi. Você fez o que era certo. Eu diria a mim mesmo se estivesse me importando, no fundo tudo o que eu quero é ter minha humanidade de volta, mas eu talvez nunca a consiga. Noah é bem persuasiva quando quer, faz alguns dias desde que eu abandonei meus amigos e Eren, pelo menos posso chamá-los de amigos agora. Sei que vou superar essa minha fase atual em algum momento, afinal de contas, não importa o quão longo seja o capítulo, ele sempre termina. Atualmente estou morando em um bairro afastado do centro em Toronto, não é meu lugar favorito mas serve.

- Ah, mas que pena, mais notícias sobre um assassino em série - Dizia Sasha enquanto se deliciava com sua batata, a louca diz ser um ser sobrenatural de outro planeta, ninguém acredita nela nem mesmo Connie, o cara que mora com ela - O que acha disso Levi!?

- Interessante e assustador - Resmungo dando de ombros sabendo que o responsável pelos assassinatos sou eu - Vivemos em um tempo tão moderno, não acho que ele teria fugido assim tão fácil - Continuo.

- Você tem razão não é mesmo? - Riu - Devem ser os malditos engravatados - Engravatados é como ela chama os agentes do governo americano, o que é estranho já que estamos no Canadá.

 

- Ah sim são eles! - Concordou Connie enquanto transbordava irônia - Desculpe por isso - Ele diz enquanto a puxa para dentro do apartamento.

Odeio este lugar. Reclamo comigo mesmo enquanto termino de trancar a porta e começo a descer as escadas do prédio.

Quando chego ao lado de fora, vejo que Noah já me aguardava para mais um de seus entediantes trabalhos.

- Fala - Pego um dos maços de cigarro dentro da pequena caixa que carrego em meu bolso e o acendo com um isqueiro.

- Ah Levi - Ela sorri e se aproxima - Não me olhe desta forma!

- Como quer que eu te olhe Noah? Você me faz querer morrer - Resmungo em desgosto.

- Que maldade dizer isso para mim - Fez um bico em tristeza. Balancei a cabeça negativamente e comecei a andar.

- Onde vai!? - Perguntou a demônio enquanto me seguia.

- Preciso de sangue - Falo como se não fosse nada demais e realmente, naquele momento não era nada demais.

- Ah entendi, entendi - Ela balança um pouco a cabeça e se agarra a um dos meus braços e continua me acompanhando.

 

- Eren.

- Dias antes.

 

O Porto estava infestado por lobisomens, Petra parecia bem nervosa com a situação, eu não a culpo, afinal são da mesma raça que ela. Hange e eu estamos nos posicionando para quando nossos amigos apareceram podermos fugir. Eu desejei ir com Petra e Jean para o resgate, mas ambos me impediram e disseram que Hange iria precisar de ajuda para cuidar do carro e assim eu acabei ficando dentro do carro com Hange de qualquer forma.

- Quer que eu ligue o rádio? – Perguntou minha companheira de carro.

- Se você quiser, eu estou de boa – Respondi checando meu celular pela milésima vez em menos de cinco minutos.

- Então deixa desligado – Ela deu um breve resmungo – Ele vai ligar Eren.

- Você não o conhece como eu Hange, ele é.... Arg, ele simplesmente não desapareceria assim e ainda mais por tanto tempo! Eu estou muito mais do que apenas preocupado com ele – Digo a ela verificando o celular novamente, mesmo sabendo que não haveria nada.

- Ah Eren! Ele vai ligar mais cedo ou mais tarde! – Pude ver pelo canto do olho nossos quatro, sim quatro amigos correndo em direção ao veículo.

Abro a porta traseira de forma rápida e vejo os quatro se jogando para dentro do carro, Hange não esperou muito para acelerar o máximo que pode para que saíssemos de lá.

 

- Atualmente.

Agora estou perdido em algum lugar, perdido entre Elvis e suicídio. Desde o dia em que terminamos, bem, não tenho mais nada a perder.¹

Duas semanas haviam passado e eu não tinha em mãos nada, Hange e os outros haviam viajado, eles até me chamaram para acompanha-los, mas eu disse que ficaria caso Levi voltasse, e também por que Armin chega hoje, a viajem dele acabou atrasando por algum motivo que eu desconheço. O aeroporto estava movimentado para o período de outubro, mas é Nova York, quando não está cheia e movimentada afinal de contas, não é?

Eu conseguia ouvir algumas garotas, jovens com hormônios a flor da pele comentando entre si mesmas e dando breve risadas abafadas. Viu Eren? Isso que dá ser bonito. Brincou meu subconsciente, deixei meus pensamentos de lado quando vejo um pequeno loiro de olhos azuis se aproximar de mim me dando um abraço.

-  A quanto tempo Eren! – Diz Armin animado.

- Hey! – O abraço de volta – Que estranho, você pegou o sotaque Inglês.

- Eu perco rápido! Não se preocupe – Me liberou do abraço, não incomoda e não me preocupo, afinal de contas fica até melhor nele – Como estão as coisas por aqui?

- Não me preocupo com isso, e vão bem – Eu tento mentir para ele – Acebei reencontrando Mikasa e agora tenho um emprego, mas todos estão no meio de uma excursão agora.

- Eren não minta para mim – Argumentou o loiro enquanto começava a me puxar para fora do aeroporto, afinal de contas, já estávamos chamando atenção até demais.

- Mas não posso falar sobre isso.... Quero dizer.... – Dou sinal para um taxi, mas o mesmo passa direto. Filho da puta! – É complicado Armin.

- O quão complicado pode ser? Às vezes você simplesmente faz uma tempestade em um copo d’água – Fiz uma careta com a afirmação dele. Dei sinal para outro táxi e desta vez o veiculou parou.

 

Obviamente, eu não deixaria Armin ficar sozinho em um hotel sendo que tenho um enorme apartamento, quero dizer não é exatamente meu, mas é aqui que ele vai ficar.

- Nossa.... – Diz o loiro deixando sua mala cair contra o chão ao lado de seu corpo – Não sabia que estava ganhando tão bem!

- Ah quem me dera esse lugar ser meu – Acabo soltando enquanto deixo as chaves na mesinha de entrada – É do meu... – Dizer ou não dizer, eis a questão – Namorado.

- Namorado? – Perguntou tombando um pouco a cabeça para o lado parecendo não acreditar.

- É, exatamente – Falei tentando parecer impassível, só tentando mesmo – Mas ele não está na cidade – Para falar a verdade nem sei se ele está no país.

- Onde ele está?

- Europa? – Desviei o olhar por alguns segundos.

- Não faz a mínima ideia, não é? – Perguntou de forma compreensível.

- Não.... Faz alguns dias que ele simplesmente.... Desapareceu – Joguei meu corpo no sofá e Armin se sentou a meu lado.

- Já falou com a polícia? – Perguntou. Ah se ele soubesse.

- É complicado, digamos que a polícia não é a melhor opção, e nem mesmo a mais viável – Resmungo, bagunçando um pouco meu cabelo com uma das mãos.

- Eren – Resmungou ele quase em um sussurro – Seu namorado é um bandido?

- O que? – Ele criou uma desculpa para mim – Acho que sim.

- Você é um péssimo mentiroso! – Argumentou o loiro se levantando e tirando o celular do bolso, em seguida ligando para alguém, eu poderia até ouvir a conversa dele com essa pessoa, mas seria má educação da minha parte usando minhas habilidades para esse tipo de.... Ele ligou pra Mikasa!? Como assim!?

Meu celular começa a tocar e a esperança de que fosse Levi me domina, mas me decepciono ao ver o número da Hange.

 

- Chefe – Sou completamente formal.

- Ah Eren! Deixe de tanta formalidade – Alertou ela meio preocupada devo dizer – Como vão as coisas? Ele já voltou?

- Vão bem.... Amanhã mesmo já vou organizar o lugar das matérias que vocês me enviaram, aí eu te envio de volta e vê se pode ser publicado – Informo a ela – E não, ele ainda não voltou.

- Que merda! – Esbravejou ela fazendo com que eu afastasse um pouco o aparelho da orelha – Aquele anão de jardim vai se ver comigo! Ah se vai

- Nem sabemos se.... – A pior possibilidade me veio à mente.

- Ele está vivo, acredite apenas nisso – Ouvi a voz de Petra ao fundo.

- Obrigado Petra, mas não tenho tanta certeza.... Quero dizer já fazem quase três semanas – Jogo a cabeça para trás no encosto do sofá, meus olhos focam em um enorme quadro na parede a poucos metros de onde estou.

- Hange! – Annie a chamou – Achei algo!

- Shhhh – Jean brigou com Annie.

- Vocês estão aprontando – Já digo curioso – O que estão fazendo.

- Nada, tchau – Hange disse e desligou na minha cara.

 

Fiquei mais alguns segundos com o aparelho na orelha antes de abaixa-lo.

- Mikasa está vindo – Armin anuncia – Ela é prima do seu namorado, acredita nisso?

- Acredito – Digo a ele e cubro meus olhos com um dos meus braços. Levi, cadê você? Eu prometo nunca mais chamar você de nanico, prometo sempre deixar nosso quarto, a sala e a cozinha limpos depois que eu usar, prometo ser melhor nas minhas caçadas noturnas, prometo nunca mais desafiar você ou pedir que você faça algo perigoso para mim.... Prometo ser um ser melhor com você, só volta logo para mim. Uma lagrima percorre o canto do meu olho e cai.

- Eren.... Já ligou para ele? – Armin pergunta e eu concordo com a cabeça.

- Vinte e duas vezes, e nas vinte e duas deu caixa postal – Resmungo jogando o celular em algum canto próximo a mim.

- Enviou mensagem? E-mail?

- Total de setenta e três mensagem e quarenta e-mails, todos diziam a mesma coisa – Mais algumas lagrimas. Que droga, eu quero desaparecer.

- Ele deve estar.... Sem celular – Meu amigo tenta me ajudar, mas isso apenas me fez ficar ainda mais preocupado já que Levi jamais ficaria sem celular, mesmo odiando o aparelho.

- Armin não está ajudando – Aviso e ele ri nervoso.

- Desculpa – Diz ele e ambos ouvimos a campainha tocar – Deve ser a Mikasa! – Ele levanta correndo indo até a porta, tira o braço de cima de meus olhos e me levanto, também indo até a porta.

- Armin! – Mikasa abraça Armin, e o mesmo também a abraça – Que saudades de você!

- Posso dizer o mesmo! – Eles se separam e Mikasa me olha.

- Oi Eren – Ela dá um triste sorriso – Já sem lembra, não é?

- Sim.... Mikasa eu não... – Ela faz um sinal para que eu cale minha boca, e é exatamente o que eu faço.

- Ele vai voltar, acredite em mim – Ela dá um triste sorriso e me abraça – Mas enquanto ele não volta, por que não atacamos as bebidas no bar dele?

- Acho uma ótima ideia! – O loiro se manifesta.

- Vocês.... – Faço uma breve pausa – Obrigado.

 

- Levi.

A garota corria arrastando uma de suas pernas rua a baixo, seu sangue pingava pelo chão de cimento, sua maquiagem completamente borrada por conta das lágrimas, seu rosto sujo pelo sangue de seus amigos. Os gritos de socorro poderiam ser ouvidos de longe, mas ninguém iria salva-la naquela noite, e ela sabia disso.

Eu me aproximava cada vez mais dela, minha roupa completamente pintada por um vermelho escuro assim como meu rosto e minhas mãos, estou adorando persegui-la e vê-la desta forma tão deplorável e desesperada, o vento frio trazia o cheio do perfume e do sangue da garota, me deixando ainda mais instigado a matá-la, um sorriso se formou em meu rosto quando a vi cair no chão já sem forças para continuar a correr.

Paro diante de seu corpo frágil e me ajoelho a sua frente.

- Já se apaixonou? – Pergunto, ela me olha ainda chorando – Responda! – Ordeno.

- J-Já – Ela diz quase sem ar em seus pulmões.

- Como foi? Você só pensava na pessoa? Sabia que somente com ela teria paz? – Continuei a perguntar.

- Si-Sim.... – Ela diz tentando levantar, mas eu a jogo de volta no chão.

- Acha mesmo que vou deixar você correr? – Acabo aumentando meu sorriso, e finalmente, mordo seu pescoço com toda a força que tenho e arranco metade do mesmo, cuspo para longe a carne de minha boca – Deplorável.

- Seis em uma única noite – Noah aparece atrás de mim.

- Calada pirralha nojenta – Esbravejo contra ela, a mesma apenas sorri.

- O que as autoridades irão dizer? – Perguntou fazendo uma bolha com o chiclete em sua boca.

- Não sei, e não é da minha conta – Começo a andar para longe do corpo e para longe de Noah.

- Vamos me diga Levi – Ela saltitou até mim e começou a me acompanhar – Como está indo?

- Mal, estou indo de mal a pior e tudo isso é culpa sua, sua putinha – Dou um breve sorriso – Agora se me der licença, tenho um banho me esperando.

- Ah maldade isso – Ela resmunga ainda me acompanhando, aparentemente ela não cansa – Mas, você sente raiva de mim, não é?

- ... – Não respondo, apenas continuo a andar.

- Isso! ISSO! – Ela grita me dando um breve susto – ME ODEIE! FOQUE NESSE ODIO RIVAILLE! TENHA ÓDIO DE MIM!

- Não precisa nem mesmo pedir – Empurro ela e vejo-a cair direto no chão, continuo andando para longe dessa louca psicopata.


Notas Finais


1 = Música da banda The Pretty Reckless

Olá de novo meus queridos, espero que tenham gostado do capitulo ^^
Desculpem qualquer erro e por favor comentem e.e


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...