História Supernatural - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~Body101

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Creepy, Espíritos, Ghost, Misticos, Monstros, Personagens Originais, Sobrenatural
Exibições 79
Palavras 1.912
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey Errbody!

Voltei aqui para dizer que : Eu estou de férias (a Park, tecnicamente ainda não, mas em muito pouco tempo vai estar)!

E o que isso significa? Exatamente. Não vou mais poder combinar as coisas pessoalmente com a Park (poder eu posso, mas...cara, vocês entenderam), então, o que isso vai mudar na fanfic? Quase nada. E por que eu quis acrescentar essa informação? Também não sei, ignorem. Mas significa também que teremos mais tempo para postar, e inclusive eu vou postar umas fanfics que eu tenho guardadas aqui (risadinha maligna)...

Tá, vamos logo pro capítulo, que tá longo, tá bom, tá hot. Só precisa dizer isso. Tá hot. Vá lá ler! Aproveitem!

Capítulo 10 - My Hot Teacher


Fanfic / Fanfiction Supernatural - Capítulo 10 - My Hot Teacher

 

- Mentor, boa tarde.- Cumprimentei, me curvando. Engoli em seco.- Você me chamou...

- Sim, Lucy. Chamei.- Falou, com uma postura que me fez tremer. Os treinadores saíram novamente de perto, que nem da outra vez.

- Chamou não, mentor. Você gritou o nome dela. É diferente.- Falou Lisa. Ele se virou para ela e ela fez uma reverência.- Desculpa, meritíssimo mentor Mr. Shadow.- Ele se virou de volta pra mim.

- Lucy, eu queria...pedir desculpas. Semanas se passam e eu vejo você sempre me olhando com medo e um pouco de frieza. Eu deveria ter sido mais suave naquele dia, desculpe. Me desculpem, todas vocês. Eu só...não quero perder as minhas melhores guerreiras para nossos inimigos de guerra.- Sorriu, passando a mão por meus cabelos. Eu sorri, mesmo achando triste e desprezível ele chamar os garotos de “nossos inimigos de guerra”.

- A gente te desculpa, mentor.- Falou Anne.

- Todos nós temos nossos medos e nossos não-quereres. A gente...te entende.- Completou Jennie.

- Obrigado, meninas.- Sorriu.– Estão liberadas mais cedo hoje.- Comemoramos, enquanto ele saía da sala de treino.

- Quebra de tempo-

Depois de tomar um banho e vestir uma roupa, eu estava indo para a casa do Jimin.

Quando cheguei lá, ele me cumprimentou com um sorriso.

- Oi Lucii!- Falou, puxando a última vogal. Adorava o sotaque dele, parecia uma criancinha fofa.

- Oii!

- Pronta pra passar as duas horas seguintes com um garoto te enfiando problemas e mais problemas de matemática na cabeça?

- Cara, não, eu me arrependi.- Falei, e ele riu.- Mas só porque é você eu fico.

- Awn, que linda!- Falou, me dando um selinho.- Vai, pode entrar.- Abriu mais um pouquinho a porta e eu entrei com a minha mochila nas costas. Estranhei o silêncio da casa.

- Cadê todo mundo?- Perguntei.

- Foram fazer as compras da casa. Só voltam mais tarde.- Respondeu, calmo.- Se senta aí. Na sala tem mais espaço que no escritório, a gente vai estudar aqui mesmo.- Falou, indo para a cozinha.- Vou pegar dois copos de água pra gente. Espera aí.

Me sentei no chão e abri minha mochila, procurando o estojo e pegando o caderno. Abri meu estojo, a fim de encontrar um lápis e uma borracha quando um plástico metalizado saiu de dentro dele. O puxei e descobri um preservativo com um recado escrito de canetinha: “Só pra você não esquecer mesmo! Beijos! Meninas”

- Eu não acredito! Que filhas das putas!- Murmurei, enquanto analisava o pacotinho, pra ver se tinha mais algo escrito.

- O quê?- Perguntou Jimin, voltando com os copos de água. Num pulo, enfiei a camisinha de volta no estojo, o fechando.

- Nada...eu só...disse que precisava ir no banheiro.- Disfarcei, me levantando e indo em direção ao banheiro, que eu já sabia onde era, de tanto que íamos naquela casa.

Quando voltei ele já estava sentado no chão, em frente à mesa de centro, com um lápis na mão e o saquinho do preservativo entre os dentes. Caralho, seria muito sexy se não fosse engraçado e se eu não estivesse morta de vergonha

- Meu Deus do céu, solta isso!- Falei, morrendo de vergonha.

- Estou me sentindo tão sexy! Você veio até preparada...- Falou, tirando o saquinho da boca e batendo nele com os dedos.

- N-não fui eu. Foram as meninas. Eu realmente vim pra estudar.

- Ok, vamos lá. O que você não está entendendo?- Perguntou, largando o plástico em qualquer lugar.

- A matemática do segundo ano.- Respondi, fazendo ele rir.

- Ah, ok. Vou te passar alguns exercícios e no que você tiver dificuldade eu te explico.- Falou, pegando meu caderno. O apoiou na mesinha e começou a escrever nele. Ri do jeito que a sua mãozinha segurava o lápis, formando uma caligrafia infantil.- Ei! O que foi?- Perguntou, parando de escrever e colocando a mão na cintura. Só meu deu mais vontade de rir, pois sua voz ficava engraçada quando com um tom revoltado ou incomodado.

- É que o seu hangul é fofinho. Escreve aí alguma coisa em inglês, por favor! Eu quero ver a sua caligrafia melhor.- Ele revirou os olhos e escreveu na lateral: “I want yu”. Sua letra continuava redondinha e infantil.

- Tá errado. É “you”, com um ‘o’.

- Aish! Ninguém viu que eu escrevi errado aqui, certo?- Falou, enquanto consertava o ‘u’ para um ‘o’ bem redondinho, colocando o ‘u’ no lugar certo.- Você gostou do que eu escrevi?

- Hã...melhor deixar minha resposta comigo.- Respondi, rápido. Ele riu e chegou mais perto.

- Eu sei que sim, Lucy...- Sussurrou, seu hálito fresco entrando em contato com o meu ouvido. Ele mordeu de levinho o meu lóbulo, segurando o brinco de argola que eu usava com os dentes.

- O-ok, vamos voltar para a matemática.- Falei, cortando ele. Ele fez um biquinho, mas voltou a preparar os exercícios.

- Toma.- Falou, passando o caderno para a minha frente. Me entregou o lápis e se aproximou mais, para ver como eu resolveria os exercícios.

- Quebra de tempo-

- Hey, você está indo bem!- Falou, esfregando o meu ombro e me abraçando de lado, em um gesto de aprovação.- Só não entendo o que dá tão errado assim no caminho, a ponto de você poder perder o ano no início do segundo trimestre.- Continuou olhando o caderno, então parou e apontou para uma questão de frações.- Nossa, você fez isso aqui melhor que eu! Como você faz?

- Uso medidas do cotidiano. Por exemplo: Quantos Jimins são equivalentes à um Namjoon? Resposta: Dois Jimins. Então um Jimin é a metade de um Namjoon, o que significa que Jimin é 2/4, 5/10 ou, irredutivelmente, 1/2 de Namjoon. Matemática chata se torna simples. Tcharan!

- Engraçadinha!- Falou, enquanto franzia o nariz e estreitava os olhos, balançando a cabeça. Eu ri da minha própria piada.

- Mas eu sou esperta demais por pensar nisso. Não sou?

- Demais. Merece até uma recompensa.- Falou, com um sorriso malicioso. Ele chegou mais perto, me dando um beijo meio selvagem. A gente se levantou do chão e fomos pro sofá. Ele me beijou por mais um tempo, até parar pra tirar a camisa. Arranhei seu abdômen, o que fez ele arrepiar. Segurou a barra da minha blusa e me ergueu mais para a frente, me beijando. Levantei os braços e ele a tirou. Observou o meu sutiã e afastou a alça esquerda, seguindo a marquinha com mordidinhas e beijos. Me lançou um olhar pidão e malicioso e eu o tirei, o jogando no cantinho do sofá.

De repente, senti algo no meu pescoço. Um grunhido baixinho se fez ouvir. Merda, Chaddick! Tinha que acordar justo agora? Olhei pra Jimin, que ainda estava entretido com meus seios. Ufa, ele não tinha percebido. Mesmo assim, fiquei cismada.

- Lucy, tá tudo bem?-Perguntou. Assenti.- Você quer parar?-Perguntou novamente. Neguei com a cabeça. Ele levantou as sobrancelhas.- É a sua primeira vez, não é?

Não, aquela não era a minha primeira vez. Minha primeira vez foi cerca de um ano atrás, com um cara qualquer que eu nem lembro o rosto numa balada que eu entrei com as meninas usando identidades falsas. Eu tinha tomado o primeiro porre da minha vida. O mentor descobriu e quase me eliminou. Mas as meninas fizeram um piquete do tamanho de Anywhere e convenceram o Mr. Shadow. Meio traumatizante a minha primeira vez.

- Não, não é.- Murmurei.

- Mas você é tão nova, foi quando?- Perguntou, saindo de cima de mim e se sentando. Me sentei também. Parecia realmente interessado em saber.

- Foi no ano passado.

- Com um namorado?

- Não. Eu...estava bêbada. Era o meu primeiro porre da vida, e um cara me pegou numa balada. Ele tinha o beijo muito bom. Eu tinha 16 anos, uma identidade falsa e muito álcool na cara. Ele tinha cara de asiático, muito fogo e provavelmente mais idade também. A gente foi pra um lugar mais reservado, em um dos corredores vazios de funcionário que...

-“...nunca estão em funcionamento. Nós transamos e ele não disse o nome.” Nem você disse o seu.- Sorriu, balançando a cabeça.- Você era a ruiva bêbada, misteriosa e gostosa que eu peguei naquele dia, lá nos EUA, quando eu viajei pra lá com uns amigos.

- Era você?- Perguntei, espantada. Ele assentiu, sorrindo.- Por que não disse antes?

- Porque eu também não sabia que era você. Só descobri hoje. Mas eu nunca tirei os seus gemidos da cabeça, e eu queria escutá-los de novo. – Falou, voltando a me beijar, me deitando novamente enquanto isso.

Me sentei no braço do sofá para observar ele tirar a calça de moletom que usava, revelando uma boxer vermelha. Dessa vez, eu aproveitei para me sentar em seu colo. Enquanto o beijava, passei a rebolar lentamente. Ele soltou um gemido baixinho e abafado durante o beijo. Logo senti um volume em sua boxer.

- Ah, Lucy...- Gemeu, com a cabeça jogada para trás.- Melhor a gente terminar isso no meu quarto...

-Uhum...- Falei, enquanto mordia o lóbulo de sua orelha. A gente se levantou e começamos a subir as escadas, quando a campainha tocou.- Caralho, quem é?- Perguntei, baixinho.

- Jimin! Abre logo que as sacolas estão pesadas!- Gritou um voz masculina. Meu Deus, eles tinham chegado. E eu estava sem camisa, sem sutiã, o Jimin estava só de boxer...ah, que bela hora pra chegar, seus filhos das putas estragam-prazeres!

- Já vou, hyung!- Gritou, me apressando pra subir as escadas. Sussurrou então para mim:- Sobe pro meu quarto e se tranca lá. Me espera.

Subi as escadas correndo, e ao chegar em seu quarto, me tranquei.

Jimin POVs On

Nada colabora, meu Deus! Da última vez, foi o celular dela. Aí, agora, que tudo estava dando certo, lá vem os garotos de volta das compras. Merda!

Vesti minha calça e fui atender a porta, puto da vida.

- Oi Jimin! A gente não atrapalhou nada não, não é?- Perguntou Taehyung, entrando.

- Atrapalhamos, muito provavelmente. A gente deixou ele aqui de camisa e calça, todo bonitinho. Aí ele vem atender com o cabelo bagunçado e só de calça, que tá toda amassada? Isso é suspeito.- Disse Hoseok. Dei um tapa em seu ombro.

- Cadê a Lucy?- Perguntou JungKook, passando para a cozinha.

- No quarto. A gente achou melhor estudar lá, já que os meus antigos livros de matemática estavam naquela minha estante.

- Hum. Ah, tá.- Reagiu.

Eles foram deixando as compras na cozinha, quando, em um momento oportuno, Namjoon veio pra perto de mim e cochichou:

- Melhor você ir pro seu quarto, agora. Aproveita e leva a camisa e o sutiã da moça.- Corei ao perceber que a camisa e o sutiã dela continuava no chão da sala.

- Você acha que mais alguém notou?- Perguntei. Ele balançou a cabeça.

- Se notou, preferiu não comentar. Agora vá logo.

- Valeu, Nam!- Agradeci, batendo no ombro dele. Peguei discretamente a camisa dela e o sutiã. Notei ao lado deles um brilho prateado. Era a camisinha que as amigas dela colocaram em seu estojo. Peguei também. Subi as escadas correndo e bati na porta do meu quarto.

- Lucy, sou eu.- Falei. Ela abriu a porta, já sem o short. Estava apenas com sua calcinha. Me puxou para dentro, me jogando na cama. Soltei a camisa dela, o sutiã e o preservativo no chão, ao lado da cama, enquanto ela tirava minha calça.  


Notas Finais


AVISO: O próximo capítulo será hentai. Se você não gosta, nem clique quando aparecer notificação.
Agora é com a Park...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...