História Supernatural Squad - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bruxas, Entidades Misticas, Fadas, Hibridos, Lobisomens, Vampiros
Exibições 5
Palavras 2.313
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Ecchi, Fantasia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


HEEY GENTEE!! Fui rápida? Bom, aí está mais um cap. muito interessante por sinal... E para esclarecer, os POVs a seguir vão ser todos da Mary, menos alguns caps, mas nesses capítulos eu serei a narradora.

Capítulo 4 - Waking Up In Vegas


Estavamos todos dentro do elevador, prontos para subir para a cobertura de Jessica, John olha para todos e fala:

- Vamos repassar o plano. Cassie e eu entramos na cobertura e Mary lança um feitiço de proteção na porta, para impedir Jessica de sair caso algo dê errado, Theo fica perto do elevador e qualquer coisa, apague a loira, ok? – Pergunta para nós.

- Ok. – Respondemos em uníssono.

As portas do elevador se abrem e todos vão para suas posições, John arromba a porta da cobertura e entra com Cassie, passo minhas mãos pela porta e uma luz vermelha opaca aparece e some logo em seguida, olho para Theo e ele assente com a cabeça, esperamos alguns segundos então levo um susto, Cassie é arremessada por uma parede quebrando ela e indo parar no corredor, uma loira passa do buraco na parede e olha para mim, quando ia lançar um feitiço nela, ela corre até mim com sua velocidade sobrenatural e agarra meu pescoço, coloco minha mão em seu cabelo e puxo alguns fios, ela grita de dor e me joga no chão, a dor é tanta que fico imobilizada por alguns minutos, mas esses minutos são suficientes para ela apagar Theo e fugir pelo elevador.

.

.

Depois de alguns minutos, John sai pelo buraco na parede e corre até mim:

- Tudo bem?

- Tudo, mas não tenho certeza se está tudo bem com eles. – Me levanto e aponto com a cabeça para Theo e Cassie.

Ele vai até os dois e checa a pulsação deles, ele suspira aliviado e olha para mim:

- Pode cura-los?

Assinto com a cabeça e me ajoelho ao lado de Cassie, coloco minhas mãos sobre sua cabeça e uma luz vermelha contorna minhas palmas, Cassie abre os olhos e eu vou até Theo, faço o mesmo procedimento e o ajudo a se levantar, todos nos entreolhamos e eu pergunto:

- E agora?

- Agora perdemos uma integrante, Jones vai me matar. –John diz meio cabisbaixo.

- Devo me preocupar em saber quem é Jones? –Pergunto.

- Ele é o prefeito do submundo. –Cassie responde.

Assinto com a cabeça e vejo John levantar sua cabeça em um segundo:

- Se eu correr, posso alcança-la – Diz esperançoso- É o seguinte, Mary transporta a gente até a recepção e eu corro atrás da Jessica enquanto vocês dão um jeito de me seguir ok?

- Ok. –Respondemos todos juntos.

Seguro em todos e me concentro na recepção, uma luz vermelha nos cobre e em um segundo estamos do lado de fora do hotel, por sorte, ninguém reparou em nós, em um piscar de olhos John some e ao longe vejo um borrão correndo rápido, vou até o segurança na porta e pergunto:

- Com licença – Digo chamando sua atenção- VocÊ sabe me dizer para onde foi Jessica Mavor?

- Jessica Mavor? – Assinto e ele fala no rádio- Tem alguma Jessica Mavor hospedada nesse hotel?

Ele espera alguns minutos e diz:

- Me desculpe moça, mas nunca teve nenhuma Jessica Mavor por aqui.

Solto um obrigada e volto para Cassie e Theo:

- A vadia apagou a memória da recepção e dos guardas. – Digo frustrada.

- E agora? – Cassie pergunta.

- Agora roubamos um carro. – Theo diz olhando fixamente para um ponto.

Sigo seu olhar e vejo o Porsche prateado estacionando, dou um sorriso e vejo Theo indo na direção do carro, ele abre a porta do passageiro e entra, Cassie e eu nos sentamos atrás, o motorista fica com uma cara de “Que isso” e encara todos nós, Theo dá um sorriso e usa sua hipotensão para apagar o homem, ele usa sua magia para troca-los de lugar e se posiciona no banco, ele aperta o volante e diz:

- Moças, é melhor colocarem os cintos.

Cassie e eu sorrimos e colocamos os cintos de segurança, Theo dá a partida e começa a dirigir muito rápido, ele acaba batendo em um poste de luz do hotel o derrubando, dou uma gargalhada muito alta e sou acompanhada por Cassie. Depois de alguns minutos Theo diz:

- Não se importam se eu colocar uma musiquinha agora não é?

Nós duas nem respondemos e ele já aperta o botão do rádio, a música que começa a tocar, combina com nossa situação e com a paisagem desértica que começa a aparecer:

Hold up, no, you didn't bow, bow
I ain't the chick to walk behind you around town
Just 'cause you're packin', packin', whoop, down south
That don't mean I'm ever gonna take it lying down, baby

Oh, I'm a machine when I do it
I'll be catching fire, gasoline when I do it
Just 'cause you're packin', packin', whoop, down south
That don't mean I'm ever gonna take it lying down

Baby, you're the man, but I got the, I got the, I got the power
You make rain, but I'll make it, I'll make it, I'll make it shower
You should know, I'm the one who's in control
I'll let you come take the wheel, long as you don't forget

Who got the power?
I got the, I got the power

 

Nessa hora, eu tiro o cinto e aperto o botão para abrir o teto do carro, o teto se abre e eu me levanto colocando os braços para cima e sentindo o cabelo voar:


I got the, I got the power
I got the, I got the power
Hold up! (My turn)

I make this look easy, tick Tick, boom, like gasoline-y
Yeah, they call me Lamborghini, 'cause I know just what I'm worth
Zero to hundred, b-b-body make' em stutter
Start my engine, push the button, 'cause I'm gon' be coming first

Yeah, I'm a machine when I do it
I'll be catching fire, gasoline when I do it
Just 'cause you're packin', packin', whoop, down south
That don't mean I'm ever gonna take it lying down

Baby, you're the man, but I got the, I got the, I got the power
You make rain, but I'll make it, I'll make it, I'll make it shower
You should know, I'm the one who's in control
I'll let you come take the wheel, long as you don't forget

Who got the power?
I got the, I got the power
I got the, I got the power
I got the, I got the power
I got the

Who got the power?
I got the, I got the power
I got the, I got the power
I got the, I got the power
I got the
Who got the power?

Don't be fooled, I got you wrapped up
In the arms of an animal
Got you thinking that I'm all innocent
But wait 'till I get you home
(If you don't, baby, you should know
I'm the one who's in control)

Motorbike, motorbike, motorbike, motorbike
Bike, bike, bike, bike
Bike, bike, bike, bike, bike, bike, whoop

You're the man, but I got the, I got the, I got the power
You make rain, but I'll make it, I'll make it, I'll make it shower
You should know, I'm the one who's in control
I'll let you come take the wheel, long as you don't forget

You're the man, but I got, I got, I got the power
You make rain, but I'll make it, I'll make it, I'll make it shower
You should know, I'm the one who's in control
I'll let you come take the wheel, long as you don't forget

I got the, I got the power
I got the, I got the power
I got the, I got the power
Cause I got, I got, I got the power
Oh yeah, yeah, yeah

I got the, I got the power
I got the, I got the power
I got the, I got the power
Baby, don't forget, I got the power, yeah
The power, yeah, yeah-eh

Motorbike, motorbike, motorbike, motorbike
Bike, bike, bike, bike
Bike, bike, bike, bike, bike, bike, whoop.

Quando a música acaba, eu me sento e ouço Cassie dizer:

- Isso foi mais parecido com Shout Out To My Ex. – Dou uma risada.

- Verdade. – Respondo.

De repente Theo freia o carro de uma maneira tão repentina que Cassie teve que me segurar para eu não me estraçalhar contra o vidro frontal, assim que eu me recomponho, eu vejo um corpo deitado no chão, reconheço o rosto de John e desço do carro, corro até ele e deito sua cabeça em meu colo, passo minha mão por seu rosto e seu corpo se cura, ele se levanta rapidamente buscando por ar, suspiro aliviada e Theo pergunta:

- O que houve? –Diz se aproximando com Cass.

- Jessica me pegou de surpresa, ela quebrou minha perna e depois meu pescoço. E agora perdemos ela de vez. – Diz se levantando frustrado.

- Não mesmo. – Digo reparando no fio de cabelo loiro na manga da minha blusa.

- Como assim? – John pergunta.

- Quando ela fugiu no hotel, ela veio para cima de mim, posso dizer que eu arranquei um pouquinho do cabelo dela. –Digo pegando o fio nos dedos e mostrando para os três, recebendo um sorriso deles.

- E é por isso que eu adoro briga de mulheres. – Theo diz batendo palminhas.

Todos rimos e eu jogo o cabelo para o alto, ele brilha em um tom vermelho e começa a ir na direção das montanhas, abandonamos o carro pois não vamos precisar mais dele.

.

.

.

Depois de andar muito naquele deserto, finalmente chegamos ao nosso destino, Jessica era esperta, ela tinha uma casa no meio do nada, casa nada, aquilo era uma mansão. De longe vimos que ela era cercada por seguranças, se atacássemos agora, seriamos massacrados, olho para John e ele diz:

- Bom, ideias?

- E se nós esperássemos anoitecer, e então você e a Cass matam os seguranças enquanto eu e Mary pegamos a loira? – Theo sugere.

- Muito arriscado, ela já derrubou vocês antes, ela pode muito bem derrubar de novo. – John responde.

- Então porque não trocamos? Você e Mary vão atrás dela e Theo e eu cuidamos dos guardas.

- Verdade, eu posso chamar alguns animais ou posso derrubar esses muros encima dos guardas. –Theo diz esfregando a mão.

- Ok, esperaremos anoitecer.

.

.

.

Depois do sol ter sumido no horizonte, nós nos preparamos,  o escuro ajuda Cassie a se camuflar junto com Theo, os dois vão primeiro e começam a lutar com os guardas, quando os seguranças já estão distraídos, John sussurra no meu ouvido:

- Melhor se segurar bruxinha.

Sinto braços me envolverem na cintura e de repente estamos na sacada do segundo andar, sinto um conforto com os braços envolvidos na minha cintura, por um breve segundo encosto minha nuca em seu peito. Me lembro da missão e me separo dele, posso ouvir uma risadinha e reviro os olhos, quebro a porta de vidro com a mão e adentro o quarto, o silencio na mansão é enorme, isso é sinistro, de repente eu vejo um borrão parando na minha frente, sinto meu rosto arder e sou arremessada até o outro lado do quarto, escuto mais alguns barulhos e ouço a voz de Jessica:

- Por que vocês estão atrás de mim? Eu já paguei o que eu devia.

- Pagou?

- Não se finja de desentendido, eu sei que o senhor Hamiro te mandou.

Quem diabos é Hamiro? Me levanto e uso minha telecinese para jogar Jessica na cômoda, jogo ela na parede e no chão e por último jogo ela na cama e a paraliso, John e eu nos aproximamos e eu digo:

- Quem diabos é Hamiro?

- O que? – Ela pergunta.

Ouço um barulho de vidro se quebrando e em questão de segundos, Cassie aparece no quarto:

- Oi gente. – Diz ofegante.

Ouço um barulho e me assusto com o que vejo, um leopardo sobe as escadas seguido de dois coiotes, atrás deles vem Theo completando o circo, ele estala os dedos e os animais se deitam no chão:

- Oi gente. – Diz acenando e também ofegante.

.

.

Depois de uma hora interrogando Jessica, descobrimos que ela se envolveu com a máfia italiana e que eles estão atrás dela, por isso ela nos atacou, ela nos confundiu com eles. Nesse momento estamos todos bebendo no mini bar da piscina:

- Você sabe onde essa máfia está hospedada? –Pergunto.

- Sim, em outra mansão no meio do deserto, não é muito longe daqui mas também não é muito perto. – Jessica diz.

- Vamos lá.

- O QUE?! – Todos me perguntam.

- Vamos lá, não podemos correr o perigo deles matarem a Jessica.

- Amor, eu sou imortal.

- Até certo ponto. – Theo responde e leva uma fuzilada de Jessica.

- Mary, não dá, é muito perigoso, eles são a máfia italiana. – Diz John.

- E nós somos o Esquadrão Sobrenatural. – Digo.

- Tá mais para Esquadrão Suicida.

Ouço a risada de Cassie e Theo e eu respondo:

- John, temos poderes sobrenaturais, não devemos ter medo deles.

- Eles também tem soldados sobrenaturais. – Jessica diz dando o último gole no seu Whisky.

- Gente, nós damos conta. – Digo fazendo uma carinha fofa.

- Não me venha com essa carinha. – Cassie diz e eu insisto mais- Argh, ok.

Comemoro e olho para Theo e Jessica que desistem e se juntam à nós duas:

- Quatro contra um John, vencemos. – Digo bem provocante.

- Ok, se nós morrermos, eu mato vocês.

.

.

Duas horas depois da luta, nós cinco estamos parados na cozinha da mansão da máfia, Cassie faz alguns sanduíches e eu preparo bebidas para nós, comemos e logo depois nos arrumamos para irmos atrás do último recruta, William:

- Onde ele fica? – Theo pergunta.

- Dallas, Texas. – John responde.

- Ui, adoro o clima country. – Jess comenta.

- Ok, Texas, aí vamos nós.

E em segundos, nós todos sumimos.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...