História Supernatural viaja para The Walking Dead - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural, The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Andrea, Bela Talbot, Beth Greene, Bob Stookey, Bobby Singer, Carl Grimes, Carol Peletier, Castiel, Crowley, Dale Horvath, Daryl Dixon, Dean Winchester, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Gareth, Glenn Rhee, Hershel Greene, Jessie Anderson, John Winchester, Lilith, Lizzie Samuels, Lori Grimes, Lúcifer, Maggie Greene, Merle Dixon, Michonne, Mika Samuels, Morgan Jones, Negan, O Governador, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Pete Anderson, Rick Grimes, Ron Anderson, Rosita Espinosa, Rowena MacLeod, Ruby, Sam Anderson, Sam Winchester, Sasha, Shane Walsh, Sophia Peletier, Tara Chambler, Tyreese
Tags Daryl Dixon, Dean Winchester, Supernatural, The Walking Dead
Visualizações 12
Palavras 2.314
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 17 - O começo de um novo problema


Fanfic / Fanfiction Supernatural viaja para The Walking Dead - Capítulo 17 - O começo de um novo problema

- Onde está a garota? - perguntou Bobby Singer.

- Vou ter que falar a verdade, porque vocês praticamente já sabem onde ela está. - disse Crowley.

- Ela está no porão, queridos! - respondeu Rowena.

Bela foi correndo para ir até o porão pegar a garota, mas Castiel entrou na frente dela e a segurou.

- Vai Bobby, eu seguro ela. - falou Castiel.

Bobby Singer foi até o porão, acompanhado por Crowley e Rowena. Quando abriram a porta, Bobby Singer se deparou com a garota amarrada em uma cama toda machucada.

- Porque estão fazendo isso com ela? - perguntou Bobby Singer.

- Ela tentou nos matar. - respondeu Crowley.

- Olha o que ela fez no meu rosto. - disse Rowena mostrando o corte que estava na sua testa.

Enquanto isso...

- Me solta Castiel. - gritou Bela.

- Não, você não vai pegar a garota. - disse Castiel.

Em apenas um golpe, Bela acertou o nariz de Castiel com uma cabeçada fazendo ele soltá-la e colocar a mão no nariz sangrando.

Bela tentou correr para dentro da casa, mas Castiel foi mais rápido e pulou em cima dela, fazendo os dois caírem no chão. Castiel subiu em cima dela e a segurou pelos braços.

- Vou levá-la comigo. - disse Bobby Singer.

- Não, enlouqueceu? Temos que matá-la. - falou Rowena.

- Deixa ele levá-la. Vocês vão se arrepender, ela não é tão boa quanto parece. Ela não é quem diz ser. - disse Crowley.

Bobby Singer ignorou o comentário de Crowley e desamarrou a garota e a levou.

- Vamos Castiel! - gritou Bobby Singer já segurando a garota indo em direção ao carro.

Castiel soltou Bela e a ajudou a levantar.

- Você vai com a gente? - perguntou Castiel.

- Não, até mais Castiel. Diz ao Dean que eu mandei um beijo para ele. - disse Bela e logo em seguida saiu correndo sumindo no meio da floresta.

Castiel entrou no carro e viu a garota deitada no banco de trás.

- Ela está desacordada. - disse Bobby Singer.

- Eles concordaram em trazê-la? - perguntou Castiel.

- Sim, mas falaram que vamos nos arrepender por isso. - respondeu Bobby Singer.

- Por quê? - perguntou Castiel.

- Disseram que ela não é quem diz ser, mas eu ignorei. - respondeu Bobby Singer.

- A Bela não quis vir. Ela mandou um beijo para o Dean. - disse Castiel.

- Foi melhor ela não querer vir. - respondeu Bobby Singer.

Eles voltaram para a estrada rumo a Alexandria.

- Chegaremos em Alexandria por volta das 04h45 da manhã. - disse Bobby Singer.

- Ok. - respondeu Castiel.

Bob Stookey resolveu colocar seu plano em prática junto com Gareth.

- Preparado? Vou aproveitar que já está escuro para poder ficar mais emocionante. - disse Bob Stookey.

- Você é louco! Mas eu estou preparado. - respondeu Gareth.

Bob Stookey foi até a casa de Hershel e pediu para Beth ir com ele até a floresta para ajudá-lo a procurar uma coisa que ele tinha perdido.

- Mas porque eu? Está escuro. - falou Beth.

- É porque você tem uma ótima visão. - respondeu Bob Stookey.

Com muito custo Beth aceitou e foi com ele.

Enquanto andavam procurando a tal coisa que Bob Stookey perdeu, apareceram três walkers. Bob Stookey pegou a sua faca e foi para cima dos walkers.

- Eu te ajudo. - falou Beth.

- Não, fica aí, é muito perigoso. - respondeu Bob Stookey.

Enquanto ele estava tentando matar um, os outros dois foram para cima de Beth, ela foi andando para trás e acabou tropeçando em um galho e machucando o tornozelo.

De repente os três walkers foram acertados por algumas flechas. Logo Daryl aparece recolhendo as flechas com a crossbow nas costas.

- Daryl?! - falou Beth.

- O que vocês estavam fazendo aqui a essa hora? - perguntou Daryl.

- Eu perdi uma coisa e pedi para a Beth me ajudar a procurar. - respondeu Bob Stookey.

- Vocês tem noção do perigo nessa floresta a essa hora? - perguntou Daryl.

- Não, desculpa! - falou Bob Stookey cabisbaixo.

- Eu machuquei meu tornozelo e não estou conseguindo andar. - falou Beth.

- Eu te levo. - falou Bob Stookey.

- Não, vai indo na frente. Eu levo ela. - disse Daryl pegando Beth no colo.

Bob Stookey foi na frente e encontrou Gareth no portão esperando ele.

- Onde está a Beth? - perguntou Gareth.

- Está vindo aí com o Daryl. O plano deu todo errado, você mandou mais walkers do que eu mandei. Era para mandar dois, você mandou três. - disse Bob Stookey furioso.

- Então você tinha que agradecer que o Daryl apareceu para salvar você e a Beth. - falou Gareth.

- Eu não vou desistir, vou bolar outro plano e vamos ver se o Daryl vai aparecer. - disse Bob Stookey.

Daryl estava chegando perto dos portões, quando Beth agradeceu ele por ter a salvado.

- Não precisa agradecer, vou te levar para a Denise olhar o seu tornozelo. Vê se não vai mais pela cabeça maluca do Bob. - disse Daryl.

- Ok. - respondeu Beth.

Sam Winchester estava o tempo todo ao lado de Ruby, não saia um minuto se quer, só para ir ao banheiro.

- Vou passar o rádio para o Bobby. - disse Dean.

- Será que eles conseguiram resgatar a Charlotte? - perguntou Ruby.

- Sim, eles devem ter conseguido. - respondeu Sam Winchester.

Dean desceu até a sala e passou o rádio e Castiel contou tudo à ele. Dean terminou de conversar com Castiel e foi contar ao Sam Winchester e Ruby.

- Então ela fugiu?! Que safada! - disse Sam Winchester se referindo a Bela.

- Aquela vaca ainda vai me pagar. - falou Ruby.

- Ela ainda mandou um beijo para mim. O Cass e o Bobby estão na estrada a caminho daqui. - falou Dean.

- Ok. - respondeu Sam Winchester.

Daryl bateu na porta da casa de Denise e logo foi aberta por Tara.

- Oi Tara, preciso que a Denise dê uma olhada no tornozelo da Beth. - disse Daryl.

- Entra, vou chamá-la. - falou Tara.

Tara chamou Denise e logo ela desceu para examinar Beth.

Depois de alguns minutos Denise terminou de enfaixar o tornozelo de Beth e disse que ela deveria ficar uns dias de repouso.

- Eu te levo em casa! - disse Daryl carregando Beth novamente.

- Obrigada Denise! - agradeceu Beth.

- Quando precisar pode me chamar. - disse Denise.

- Está bem! - respondeu Beth.

Daryl levou Beth até sua casa.

- O que aconteceu com ela? - perguntou Hershel.

- Ela te conta. - disse Daryl colocando ela sentada no sofá.

- Obrigado Daryl! - agradeceu Beth.

Daryl foi para sua casa e Beth contou tudo que havia acontecido.

Andrea entrou em seu quarto para conversar com o Governador.

- Eu vi que você trouxe um tanque, para quê você precisa disso? - perguntou Andrea.

- Não é só para mim, é para a comunidade inteira. - respondeu O Governador.

Andrea ficou calada e saiu do quarto.

Dean voltou para sua casa e tomou um banho, se enrolou na toalha e foi até a cozinha comer alguma coisa.

- Enid?! - gritou Dean da cozinha.

- Oi pai! - respondeu Enid da ponta da escada.

- Quer comer alguma coisa? - perguntou Dean ainda gritando.

- Não, já comi. - respondeu Enid.

Dean pegou os ingredientes para fazer um sanduíche, quando alguém bate na porta.

- Não se pode nem mais fazer um sanduíche em paz. - reclamou Dean falando sozinho.

Quando Dean abriu a porta viu que era Frankie.

- Frankie! - disse Dean sorrindo.

- Eu vim te ver, depois daquela nossa noite você não foi me ver. - disse Frankie entrando.

- Desculpe, meu irmão estava com uns problemas e eu tive que ajudá-lo. - respondeu Dean.

- Tudo bem, eu entendo. - falou Frankie.

- Quer um sanduíche? - perguntou Dean.

- Não, obrigado! - respondeu Frankie.

- Não se preocupe, o meu pai não está em casa e a Enid está no quarto dela, ela fica totalmente desligada do mundo. - disse Dean.

- Que bom! - falou Frankie.

- Vou na cozinha fazer meu sanduíche, tem certeza que não quer? - perguntou Dean novamente.

- Tenho. - respondeu Frankie.

Dean estava de costas para Frankie preparando seu sanduíche, eles estavam em silêncio, quando Frankie quebrou dizendo:

- Você está muito sexy de cabelos molhados, só de toalha cozinhando.

Dean virou de frente para ela e deu um sorriso malicioso.

- Eu acho que eu posso comer mais tarde, vamos para o meu quarto. - disse Dean pegando na mão de Frankie a guiando.

Eles entraram no quarto do Dean e ele trancou a porta.

- Se o seu irmão chegar? - perguntou Frankie.

- Ele vai dormir na casa do Bobby. - respondeu Dean.

- E o Negan, a Enid...? - perguntou Frankie.

- Como eu disse, a Enid quando está no quarto dela se desliga do mundo, e aí tem o meu pai, se ele caso chegar, a porta está trancada então ele não vai entrar. Não se preocupe, apenas divirta-se. - respondeu Dean.

Ele se aproximou dela e beijou a boca dela, depois desceu para o pescoço onde deu leves chupões e mordidas.

- Não deixe marcas. - falou Frankie com a voz baixa.

- Não se preocupe. - respondeu Dean.

Ela tirou as sandálias e ele tirou o vestido dela lentamente. Eles voltaram a se beijar e ele foi deitando ela na cama ficando por cima. Ela estava apenas com as peças íntimas e ele ainda de toalha.

Dean tirou o sutiã e a calcinha dela, ela puxou a tolha dele, os dois agora estavam nus aproveitando e sentindo o momento.

Depois de algum tempo, uma pessoa bate na porta do quarto.

- Quem será? - perguntou Frankie com a voz baixa e os olhos arregalados.

- Quem é? - perguntou Dean ainda em cima de Frankie.

- Sou eu Dean, seu pai. O que você está fazendo? Foi você que deixou aquela bagunça em cima da bancada? - perguntou Negan.

- Fui eu sim pai, pode deixar que eu limpo depois. Eu estou trocando de roupa, acabei praticamente de sair do banho. - respondeu Dean.

- Então tá, vou aproveitar aquela bagunça lá e fazer um sanduíche para a gente. Não demora para descer, estou com muita fome. - disse Negan.

- Ok. - respondeu Dean.

Frankie entrou em desespero.

- Dean, eu preciso ir, seu pai chegou. - disse Frankie.

- Calma, eu estou quase lá. Não me deixe nesse estado, se não vou ter que me aliviar sozinho. - disse Dean.

- Mas e se o Negan escutar? - perguntou Frankie.

- Ele não vai escutar, é só a gente não gemer e ir mais devagar para a cama não balançar tanto. - respondeu Dean.

- Com coisa que ficar segurando gemidos é fácil, mas tudo bem, vamos logo estou muito aflita. - falou Frankie.

- Proibido é mais gostoso, fica a dica. - disse Dean sorrindo.

Depois de alguns minutos, Dean e Frankie terminaram.

- Uau, isso foi perfeito. - disse Dean.

- Foi muito bom! - disse Frankie.

- Deveríamos fazer mais vezes desse jeito, cheio de adrenalina. - falou Dean.

- Verdade, bem que você disse que proibido é mais gostoso. - respondeu Frankie.

- Não falei. - disse Dean sorrindo.

- Agora eu tenho que ir, como vou passar sem que ele me veja? - perguntou Frankie.

- Vou distraí-lo na cozinha, aí você passa pela sala rápido. - respondeu Dean se levantado e vestindo uma roupa qualquer.

- Ok. - concordou Frankie se vestindo também.

Dean abriu a porta e olhou para ver se tudo estava livre. Ele foi descendo as escadas e viu Negan indo ao banheiro.

- O meu pai foi ao banheiro, nem vou precisar distraí-lo, agora vai rápido. - disse Dean.

Frankie desceu as escadas rapidamente e conseguiu ir embora. Negan saiu do banheiro e Dean estava na sala.

- Você demorou, meu estômago está nas costas. - disse Negan.

- Desculpa pai, depois que eu me troquei deitei na cama e acabei dando uma cochilada. - respondeu Dean.

- Tudo bem, a Enid não quis comer. - falou Negan.

- Ela já tinha me falado mais cedo. - respondeu Dean.

Eles foram lanchar e ficaram conversando.

[...]

Amanheceu e o dia estava bem quente.

Carl foi até o Shane.

- Shane, posso te contar uma coisa? - perguntou Carl.

- Claro Carl! Fala aí! - disse Shane saindo debaixo do carro que estava concertando.

- Eu beijei a Enid. - contou Carl.

- Sério?! Que legal! E como foi? Como você se sentiu? - perguntou Shane.

- Foi bom, mas foi só um selinho na verdade. Eu me senti... Ah não sei, é difícil de explicar como eu me senti. - respondeu Carl.

- Seu pai já sabe? - perguntou Shane.

- Não, só você, o Ron e o Mikey. - respondeu Carl.

- E você não vai contar ao Rick? - perguntou Shane.

- Não, por agora não. - respondeu Carl.

Shane ficou calado, mas Carl logo lhe perguntou:

- Posso te ajudar?

- Pode sim! - respondeu Shane.

Bobby Singer e Castiel chegaram com a garota e a levaram direto para a enfermaria, Denise a examinou e deixou ela em observação.

Bobby Singer conversou com Rick e ele deixou a garota ficar em Alexandria.

Castiel contou tudo o que aconteceu para Sam Winchester, Dean e Ruby.

- Crowley é louco, a garota parece ser uma boa pessoa. - disse Sam Winchester.

- Não devemos ligar para o que aqueles dois loucos dizem. - falou Ruby.

- Dean, a Bela fugiu, você sabe. - disse Castiel.

- Eu não estou nem aí, ela que se vire sozinha. - respondeu Dean.

Bela voltou na fazenda Greene para falar com Crowley e Rowena. Ela bateu na porta e minutos depois foi aberta por Rowena.

- Você! - exclamou Rowena revirando os olhos.

- Preciso falar com você e Crowley. - disse Bela.

- Entra! - disse Rowena.

Rowena levou Bela até Crowley.

- Ela disse que precisa falar com a gente. - disse Rowena.

- Pode falar, minha querida! - falou Crowley.

- Vocês querem acabar com os Winchester's não é mesmo?! - falou Bela.

Crowley e Rowena apenas assentiram.

- Estou disposta a ajudar vocês, tenho uma pessoa implantada lá dentro da comunidade onde eles vivem. Essa pessoa vai me passar tudo o que eles estão fazendo. - disse Bela.

- E quem é essa pessoa? - perguntou Crowley.

- Não posso dizer, não por agora. Mas se me deixarem ajudar logo vocês ficarão sabendo. - falou Bela.

- Está bem, aceitamos a sua ajuda. - disse Crowley.

- Ótimo, não vão se arrepender. - respondeu Bela sorrindo.


Notas Finais


Obrigada a todos que estão acompanhando a minha fic.
Os comentários me deixa muito feliz e motivada a continuar.
Quem vocês acham que é a pessoa implantada lá dentro?
Beijos! Adoro vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...