História Surpreso Com O Amor, Sofrendo Secretamente. - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Lemon, Original, Romance, Yaoi
Visualizações 27
Palavras 1.597
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oii
Juro pra vocês que eu quase eu esqueci de postar rsrsrs.
E esqueci de escrever cap novo Tbm, mas isso eu resolvo amanhã 😋
Boa leitura 😚

Capítulo 22 - Recomeço


Acordei sentindo braços rodeando minha cintura e lembrei-me que ontem eu trouxe Taylor ainda chorando para meu quarto, dei-lhe carinho e cantei uma música para acalma-lo, o moreno dormiu em meu coloco com o rosto molhado por suas salgadas lágrimas e mesmo enquanto dormia, ainda soluçava. O difícil foi sair da cama para tomar um banho e ele me apertar toda vez que eu tentava levantar, mas com um jeitinho ele me largou e eu tomei meu banho, e assim que voltei pra cama, grudou em mim em minutos.

Tentei tirar seus braços o mais devagar possível para não acorda-lo e fui movendo meu corpo para frente para escapar de seu corpo e abraço quentinho, teria conseguido se ele não me puxasse para a cama e tivesse me apertado contra seu corpo novamente. Senti seus lábios em minha nuca, que acabou fazendo meu corpo se arrepiar por inteiro, virei meu corpo e o vi sorrindo para mim.

Fiquei encarando seus olhos verdes assim como ele encarava os meus, sua mão subiu e deslizou em meu rosto acariciando minha face e logo seus lábios se uniram aos meus em um simples selar, senti o mesmo sorrir contra minha boca e logo Taylor afastou seu rosto e voltou a me olhar.

- Bom dia meu loirinho. – Saldou contente. –

- Bom dia. – Respondi. – Já estava acordado?

- Sim, faz um tempinho, não levantei porque queria ficar com você. – Disse simplista e beijou minha testa demonstrando carinho. – Mesmo depois de anos, seus olhos me prendem de um jeito encantador, esse tom âmbar e azul te deixa mais lindo, me faz quer te olhar sem desviar pra canto algum.

- Exagero seu. – Falei envergonhado. –

- Não, apenas te amo a ponto de apreciar cada parte do seu corpo. – Abraçou-me fortemente me prendendo em seus braços. – Perdoe-me novamente.

- Perdoado está, não esquecido.

- Irei trocar cada memória ruim por uma maravilhosa.

- Tudo bem, agora podemos ir comer? – Perguntei e ele sorriu. –

Levantou e pegou-me no colo, caminhou até o banheiro do quarto e me sentou na pia, pegou minha escova de dente e colou creme dental, levou a minha boca e começou a escovar meus dentes como se eu ainda fosse criança. Apenas deixei que ele fizesse sem reclamar de nada, talvez isso seja uma forma dele tentar ser alguém melhor e concertar seus erros, dando tanto carinho e atenção assim talvez isso me deixe mal acostumado.

Assim que ele terminou de escovar meus dentes fez o mesmo, pegou uma escova fechada, abriu o pacotinho e escovou os proprios dentes, durante esse tempo, olhei meu reflexo no espelho e passei a mão em minha cabeça, meus cabelos cresceram um pouco, mas ainda está baixo como se fosse um corte de quem estava no exército, pelo menos eu não teria que usar mais a touca.

Quando terminou de fazer a higiene matinal, Taylor me pegou no colo novamente e me levou para o quarto, colocou-me sobre a cama e caminhou até o guarda-roupa, pegou um roupa para e foi para o banheiro, voltou com um sorriso estampado no rosto e totalmente sem roupa.

O moreno se aproximou de mim e tirou minha camisa, afastei meu corpo indo para o centro da cama e Taylor me encarou soltando uma gargalhada. Subiu na cama e me empurrou até deitar no colchão, foi beijando meu pescoço, trilhando até meu peito e lambeu meu mamilo me fazendo gemer. Começou a chupar fazendo meu corpo estremecer e os gemidos aumentar.

Suas mãos tiraram meu short e minha boxer de uma só vez, deixando meu corpo assim como o dele, desprovido de roupa. Sua mão foi alisando minha perna enquanto subia novamente, seus dedos assim que chegaram em minha coxa, desceram até ficar na parte interna da mesma e encostar em meus testículos.

Sentia meu membro ereto, pulsante, não vou mentir, pois não tem como negar que Taylor ainda tem certo poder sobre mim, e ele fazendo isso, apenas mostrou que meu corpo sente falta do dele.

Uma de suas mãos segurou meu membro e começou a estimular, a masturbação começou lentamente e toda vez que ele aumentava e eu gemia alto, Taylor apertava meu membro e diminuía a velocidade. Sua boca subia por meu peito abandonando meu mamilo, e começou a trilhar beijos até chegar em minha boca e beijar-me com volúpia.

Sua língua dominava a minha mostrando o quão sedento ele estava por esse beijo, Taylor movimentava sua língua com maestria, enquanto me masturbava em ritmo acelerado novamente. Levei minhas mãos até suas costas circulando meus braços em seu corpo, e assim que senti dois dedos entrar em mim, passei minhas unhas levemente em sua pele a deixando arranhada.

Taylor não dava trégua, a masturbação continuava e sua boca contra a minha, era o que continha meus gemidos, seus dedos dentro de mim faziam um vai e vem gostoso e para os mesmos deslizarem em meu interior, abri minhas pernas deixando Taylor mais acomodado.

Por falta de ar, o beijo foi encerrado e sua boca começou a chupar meu pescoço, começo a rebolar em seu dedo e com uma estocada forte e rápida, gozei em sua mão, sujando seu abdome e o meu. Taylor tomou meus lábios novamente beijando-me carinhosamente e retirou seus dedos de dentro de mim.

- Eu só queria te dar um banho. – Explicou. – Mas quando te vi desse jeito não me segurei, me desculpa.

Olhei diretamente em seus olhos, vendo o quanto Taylor contente por me ter em seus braços novamente, por estar tentando consertar o erro. Sorri para o mesmo deixando um simples selar em sua boca e puxe seu corpo contra o meu, fazendo ele ficar por cima. Circulei minhas pernas em sua cintura e abracei seu pescoço.

Coloquei meu rosto na curva de seu pescoço e aspirei o seu perfume, esse cheiro me deixa tão leve e relaxado que suspirei contra sua pele sentindo seu corpo tremer em cima do meu, apertei mais o abraço e senti seu membro tocar o meu.

- Tudo bem, se era um banho que você iria me dá, pode me levar agora, daqui a pouco meu papa vem me chamar porque hoje...

- Filho. – Chamou meu papa Robert entrando no quarto. – Você esta pronto para....ah meu Deus, desculpe eu não sabia. – Desculpou-se virando o rosto e cobrindo os olhos com as mãos. – Estão todos esperando lá em baixo para o café, traga sua mala, vamos daqui a uma hora. – Disse tudo apressado e saiu do quarto fechando a porta. –

Taylor olhou para mim e eu olhei para ele, ficamos nos encarando por um tempo até Taylor gargalhar e eu acompanhar, rimos tanto que choramos. Taylor pegou-me no colo repetindo a ação pela terceira vez, e caminhou para o banheiro, não perdemos tempo, ligamos o chuveiro e começamos a tomar banho. Quando terminamos, Tay me vestiu e vestiu-se com as roupas que usava na noite anterior, até porque não tem roupa minha que caiba nele, já que eu sou menor.

- Você....vai viajar? – Perguntou receoso. –

- Sim.

- É muito longe?

- Sim.

- Vai demorar pra voltar?

- Acho que sim, não sei quantos dias vou ficar por lá. – Respondi pegando minha mala e a mochila. – Quer vir com a gente.

- E se eles não deixarem.

- Vão deixar Tay. – Respondi e o moreno beijou meus lábios tirando a mala e a mochila de minhas mãos. –

- Então vamos descer, acho que ainda tenho que arrumar minhas coisas.

- Tudo bem, nós te esperamos.

Taylor não respondeu, apenas acenou com a cabeça e esperou eu sair do quarto primeiro, assim que tomei a frente, senti minha bunda arder por causa do tapa que Taylor havia me dado, o olhei encarando sério e o mesmo apenas sorriu e me deu a explicação que estava com vontade e saudade de fazer isso. Soquei seu braço por causa de sua ousadia e mordi seu ombro pra descontar a dor que eu senti.

Seguimos pelo corredor e descemos a escada, Taylor vinha nervoso atrás de mim, murmurando que meus pais, meu irmão e meu filho iriam brigar com ele por ter dormido aqui em casa, duvido muito já que meu filho que estava incentivando minhas saídas com ele e meus pais me falavam que eu poderia apenas desculpa-lo e sermos amigos, coisa que eu não queria. O único que ainda está com os pés atrás é Matthew, meu irmão é super protetor, e acho que assim como eu, ele vai demorar a esquecer o que aconteceu.

- Bom dia papai. – Saldou Yan assim que me viu. – E...pai?

- Bom dia. – Respondi e sentei-me a mesa com eles que já estavam comendo. –

- O que esse cara faz aqui? – Durou Matt grosseiro. –

- Matthew Martin, foi essa a educação que eu te dei? – Perguntou meu pai Adam. –

- Mas pai...

- Sem mais, nem menos.

- Tudo bem Adam, não tem problema. – Disse Taylor calmo e sereno. –

- Papai, o pai vai com a gente?

- Só se seu avô deixar. – Respondi ao meu filho que virou o olhar para os dois avôs e sorria esperançoso. –

- Vovô...

- Pode, mas tem que ser rápido, coma e vá fazer sua mala Taylor, temos que sair antes das dez ou pegaremos trânsito.

- Tudo bem, serei rápido.

Acho que essa viagem a casa de campo do meu pai vai nos dar muito o que contar, e se o Taylor realmente está fazendo de tudo para consertar seus erros, acho que ele fará tudo direitinho lá, aproveitarei para ver se algo que pensei ontem dar certo.

Estou tão ansioso.


Notas Finais


O q acharam?
Ficou ba1?
Espero que sim 😋
Kissos, até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...