História Surrender - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Zendaya
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Normila, Romance
Exibições 37
Palavras 1.642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁAAAAAAA, espero que gostem desse cap, já expliquei tudo, porque sumi no aviso

Capítulo 17 - What?


Fanfic / Fanfiction Surrender - Capítulo 17 - What?

                                                                                 Pov Normani
—  Aposto que não consegue fazer isso em mim sem rir. - Camila desafiou.
— É? Vamos ver, Cabello. - Soltei uma risada e a empurrei até uma cadeira próxima dali. Ela se sentou e me puxou para perto colocando as mãos leves na minha cintura e me dando um beijo feroz antes de me soltar e ir até o som colocar uma música. Ride* era a música que tocava, e eu me envolvia cada vez mais na melodia enquanto Camila mordia os lábios esperando o que estava por vir. Me posicionei em frente a ela e comecei a rebolar lentamente em seu colo porém ainda seguindo o ritmo da música. Minha cabeça ainda latejava, mas nada que um bom banho gelado não resolvesse. Tirei minha blusa enquanto ela seguia cada movimento que eu fazia com seus olhos cheios de desejo.
Meus movimentos para frente e para trás começaram lentos e ficaram mais intensos com a batida da música. Meu olhar parou em Camila e tentei provocá-la com contato visual, o que deu certo, meus olhos passeavam pelo seu corpo enquanto mordia meus lábios frequentemente. Saí de seu colo e andei lentamente por trás da cadeira, me inclinando e dando um beijo no pescoço de Camila que fez a menor se arrepiar por inteiro. 
— P-para. - Camila suplicou.
— Ainda não, Camz. - Dei ênfase na última palavra e segui uma trilha de beijos molhados pelo seu pescoço enquanto a mesma se contorcia na cadeira.
— Colabora, Camila. - Sussurei em seu ouvido. Era como se fosse um jogo de sedução, e eu estava me sentindo ótima sabendo que estava no controle da situação; não conseguiria descrever depois com palavras certas o quanto aquilo estava me fazendo bem. Só de ver ela ali, completamente entregue para mim e seguindo meu jogo, já fazia a diferença que eu queria.
— Vem! - Fiz um sinal para ela me seguir e subi as escadas vagarosamente em direção ao meu quarto. Me animei rapidamente e a joguei na cama, retirando sua blusa com um certo cuidado. As coisas finalmente estavam indo do meu jeito, do jeito que era para ser, do jeito que estava destinado. Me passou pela cabeça no momento um filme desde que conheci a famosa Camila Cabello. Se não fosse por uma sessão de fotos eu não teria conhecido a pessoa que mais amo hoje em dia, aliás, não sei se consigo ainda usar ''amor'' como forma de descrever ela, parece mais divertimento. É isso, Camila deve ser divertimento, aliás, ela se diverte comigo, e eu com ela, mas não acho que passa a ser uma coisa mais séria, pelo menos não agora. Fui tirando suas roupas uma por uma, e certas vezes lhe beijando lentamente.
— Normani... você... - Chamou enquanto eu retirava sua última peça de roupa normal, deixando-a apenas de calcinha e sutiã.
— Sim? - Parei por um momento e ela me puxou para um beijo rápido.
— Você está bêbada. Não quero fazer isso sem que esteja com plena consciência do que esteja fazendo.
— Qual é o problema? 
— Você é sempre assim, não é? - Se levantou e se encostou na cama.
— Lá vem. - Sussurei pra mim mesma mais alto que pensava.
— Você me usa como solução pros seus problemas. Você me usa sempre, e no outro dia age como se nada tivesse acontecido. Aposto que sempre foi assim com todas, ou com todos. Não quero ser usada, não mereço isso. Quero ser amada, e se for para me amar, quero que me ame como eu sou, me ame verdadeiramente.
— Você é a solução dos meus problemas.
— Não, não sou. Eu amei você, eu amo você, mas você não consegue simplesmente dizer o mesmo. Meus dias com você estão acabando, Normani. Logo volto para minha família, onde eu moro, não posso ficar esperando por uma coisa por muito tempo.
— Não depende só de mim dizer ''eu te amo'', não é tão fácil quanto parece. - Revirei os olhos.
— Então quando depender, você sabe onde me encontrar.  - Pegou suas roupas e saiu me deixando um beijo na bochecha. Ela não parecia com raiva de mim, eu poderia dizer que ela estava mal, triste por não saber se era recíproco. Estou confusa, nunca estive tão confusa na minha vida antes. Eu nunca gostei de alguém como gosto da Camila, não desse jeito. É claro, já tive meus namoros mas nada que durou e nada que me fizesse querer mudar de jeito para ter aquela pessoa sempre ao meu lado. Isso não me parece amor, parece que somos pessoas maduras, e que sabemos muito bem lidar com nossos problemas, e o melhor, sabemos muito bem separar ''amor'' de ''pegação''; mas pelo visto já tínhamos passado a muito tempo da fase de ''pegação''.

Ligação On
— O que ela quis dizer com ''ama-la verdadeiramente''? - Perguntou Lucy. Lucy era uma das minhas amigas mais antigas, ela havia se assumido lésbica pros pais a muito tempo, e como ela sempre teve sorte na vida, os pais dela aceitaram normalmente. Sempre a achei muito corajosa, e foi isso que nos fez sermos amigas hoje em dia. Ela me disse que conhecia Lauren mas que não falava com a morena a muito tempo, então não achei que isso fosse um problema.
— Eu vou saber? Não sei amar ninguém, você sabe disso. - Fiz uma voz de desamparada e Lucy soltou uma risada contagiante.
— Normani, eu te conheço. Coração de pedra o seu, não é agora que vai amolecer, não é? - Será que ela estava certa? Aliás, nunca consegui me expressar muito bem, e a Camila sabia desse meu ponto.
— Não coloca meu coração no meio disso.
Já sei, é o signo não é? Ninguém mandou ser geminiana.
— De novo você com isso de signo? Lucy, presta atenção no meu problema. - Bufei.
— Desculpa, geminiana. Continua. - Fez uma voz mansa.
— Eu não sei o que eu faço. Eu não quero nada sério por enquanto, não quero responsabilidade, mas eu sinto como se ela me pertencesse. 
— Ela não pertence a você e você não pertence a ela. - Sugeriu.
— Sinto como se todas as vezes que ela estivesse com alguém, isso me machucasse.
— Geminianas da vida. Normani você tem agilidade mental, coração de pedra, é equilibrada, e é atualizada. Sabia que não existe só ela de modelo no mundo? - Conhecia Lucy a muito tempo, e provavelmente depois de falar isso ela revirou os olhos como desprezo. Ela era minha conselheira e não tinha ninguém no mundo que me entendia melhor que ela, nem mesmo Zendaya. — Ela pode ser Camila Cabello, linda, toda entregue ao charme de Normani Hamilton Kordei, mas não é a única no mundo. Eu ouvia atentamente todo seu discurso.
— Sabe do que você precisa? - Mudou o tom de voz e se animou.
— Não faço ideia. 
— Beber, sair, beijar. 
— Não tô com paciência, Lucy, por favor, hoje não.
— Tudo bem então... - Não estava nem um pouco afim de me estressar, festas sempre fazem isso comigo. — Amanhã te busco a noite, até. - Desligou na minha cara antes que eu pudesse responder. Me joguei na cama desanimada, e deparei com uma Camila com expressão curiosa na porta do quarto.
— Se veio para me criticar, já pode começar, porém já tá tarde, então critique baixo. - Olhei para ela da cama, e ela se encostou na porta.
— Não escutei sua conversa, estava na cozinha, só vim ver como você estava.
— Bem, levei sermão por não saber me expressar no telefone, você me pressionou, bebi demais e vou ficar de ressaca, minha vida amorosa e geral está horrível, tenho milhares de eventos na agenda para ir logo mais, porém de resto está tudo bem. - Respondi com sarcasmo.
— Vai melhorar. - sorriu. — Mas não era isso que eu queria dizer antes de dormir não. 
— O que era? - Perguntei fixando meus olhos na menor a minha frente.
— Quero que saiba que mesmo quando acabar, minha experiência nesse lugar, mesmo que tudo isso acabe e eu volte para casa, eu nunca vou esquecer dos momentos bons e memoráveis que tive aqui. Sendoruins ou não, momentos são momentos, e é quase uma obrigação leva-los pela vida inteira como aprendizado. 
— Certo, era só isso? - Respondi com insegurança. Eu agora sabia o que era estar prestes a perder alguém, e provavelmente eu perderia ela.
— Sim, só isso. Boa noite. - Saiu antes que eu pudesse responder. 
Todos ao meu redor sabem que eu nunca consegui me expressar, esse deve ser meu maior sacrifício, me expressar. Dizer ''eu te amo'' para mim, não é fácil, não é tão rápido, eu demoro para confiar, para me expressar, para correr atrás ou até mesmo dizer que amo. Para isso eu tinha que amar muito, amar de verdade, o tipo de amor que seria o melhor do mundo, o tipo de amor que eu faria dar certo, ou tentaria; teria que ser o tipo de amor por que vale a pena lutar. Quando você perde alguém não é fácil, já perdi muitas pessoas ao longo da minha carreira e vida de adolescente, além de tudo sou adolescente ainda, e tenho meus problemas, posso não ser tão nova mas minhas expectativas continuam sendo as de quanto eu era mais nova. Nunca foi fácil para mim superar alguém, ou namoro, ou uma amizade, nunca conseguia substituir ou fingir que aquela certa pessoa nunca esteve na minha vida ou nunca estará mais. Não sei fazer isso, não sei lidar com o fato de que uma pessoa esteve na minha vida e eu estarei excluindo ela. Não sei como me sinto sobre a Camila, não sei se a amo, não sei se só a desejo, não sei se ela só me deseja, mas eu sei que quero ter ela sempre do meu lado, e isso é importante, isso é de verdade, eu a quero do meu lado. 


Notas Finais


Normani cheia de dificuldades, hein? Vocês entendem ela ou entendem a Camila? Qual das duas? #TimeCamila ou #TimeNormani?
Ah e Lucy (linda) Vives tá na fanfic como amiga da Mani, o que será que ela vai fazer?
Camila a pessoa que mais fala frases lindas que vocês respeitam
*Link da música Ride: https://www.youtube.com/watch?v=SUGUvBfnvUM
E um aviso bem importante, essa temporada está acabando, se tiver segunda temporada será quando Camila for para casa. E uma enquete rápida: Fanfic Camren, sim ou não? Amo vocês.
Ah e no caso essa é Lucy Vives, na fic amiga da Mani, mas aquela Lucy que apareceu no ep que a Lauren fica com ressaca não é a mesma.
Episódio 20 e acaba, querem segunda temporada?
O próximo será maior, prometo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...