História Surrender to love - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avatar: A Lenda de Korra
Personagens Asami Sato, Bolin, Korra, Kuvira, Mako, Personagens Originais, Suyin Beifong, Tenzin
Tags A Lenda De Korra, Asami, Avatar, Bolin, Korra, Korraasami, Korrasami, Mako, Musica, Republic City
Exibições 96
Palavras 1.486
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E aí pessoal tudo bem com vocês?
Dessa vez consegui ser mais rápida, tive um tempinho e consegui terminar esse capítulo.
Espero que vocês gostem!
Boa leitura! =D

Capítulo 14 - Everybody Hurts


Fanfic / Fanfiction Surrender to love - Capítulo 14 - Everybody Hurts

Asami

Estar sozinha era difícil, ainda mais quando eu começava a pensar em Korra. Seu rosto, sua voz, seu cheiro, tudo a respeito dela, eu não conseguia me desvencilhar nem por um minuto de pensar nela.

Eu sabia que a Korra estava diferente, eu presenciava isso a cada minuto com ela, eu sabia que seria difícil. Mas eu sabia que seria assim. Vê-la falando com Kuvira havia me magoado, mas o modo como ela me deixou naquela sala de música, sozinha, ela nem me olhou direito, aquela não era a minha Korra...

__ Senhorita Sato? – Ian estava parado na entrada do meu escritório, e me olhava com ar de dúvida.

__ Sim. – Respondi simplesmente.

__ Senhorita, o senhor Mako está aqui, ele gostaria de falar com a senhorita, posso mandá-lo entrar?

__ Mako? Mas o que ele veio fazer aqui? – Indaguei a mim mesma.

__ E então senhorita? – Perguntou Ian.

__ Ah... Tudo bem, mande-o entrar. – Falei sinalizando para Ian.

Ian saiu em silêncio e logo passos mais firmes se aproximaram.

__ Asami. – Começou Mako. – Eu preciso falar com você. – Ele soava apressado.

__ Mako, o que houve? – Perguntei preocupada com o seu jeito.

__ É sobre o acidente da Korra.

__ O que houve, vocês descobriram algo? – Perguntei indo parar de frente para ele.

__ É sobre isso mesmo, mas antes de mais nada, eu preciso saber se você confia em mim? – Disse ele colocando as mãos em meus ombros.

__ Sim, o que é Mako, por favor me conta! – Exigi.

__ Asami – Ele começou nervoso. – Armaram para mim Asami. – Disse por fim soltando um soluço.

__ Como assim, armaram para você? – Questionei incerta.

__ É Asami, armaram para mim, o acidente da Korra, a polícia toda está atrás de mim, mas eu juro para você eu não tenho nada a ver com isso. Você precisa acreditar em mim Asami, eu amo a Korra como a uma irmã, eu jamais faria mal a ela. Você acredita em mim, não é? – Mako chorava, e me apertava os ombros esperando pela minha resposta.

Eu não sabia o que dizer. Ali estava ele, bem na minha frente me dizendo que a policia suspeitava dele, justo ele. Ele era a última pessoa que eu culparia, mas agora eu não sabia mais o que fazer ou dizer. Eu não conseguia acreditar que Mako pudesse ter feito aquilo, tirar a Korra de mim dessa forma, não, não poderia ter sido ele!

__ Mako, por favor, me explica isso direito. – Pedi.

__ Asami, conseguiram colocar minha impressões digitais nas bombas, bom pelo menos do que restou delas, eles ligaram a mim, eu estou ferrado, ninguém vai acreditar em mim, mas eu te juro Asami, eu não fiz aquilo! – Mako terminou me olhando com os olhos arregalados e respirando fundo.

__ Eu... Ah...

__ Asami, você me conhece há anos. – Começou ele a falar, chegando bem perto de mim. – Você realmente acha que eu seria capaz de fazer aquilo com a Korra, com você? – Ele parecia desesperado e sincero.

Olhei bem nos olhos dele, e ele não parecia estar mentindo, eu não conseguia pensar que o Mako era o culpado por tudo isso. Korra quase morreu. Não, ele não seria capaz de fazer isso com ele, comigo e todos que amam a Korra. Definitivamente, não era possível.

__ Mako... eu... – Acabei abraçando ele. Eu não conseguia falar. Um nó surgiu na minha garganta.

__ Eu sabia que você acreditaria em mim Asami! – Mako me abraçou firme, senti seu choro se acalmar. Ele ficou ali me abraçando por um longo tempo, e então se afastou para me olhar.

__ Asami, você é tudo para mim, eu jamais faria algo para te magoar, ou a Korra, vocês são a minha família, eu juro!

__ Eu acredito Mako. – Falei sinceramente. Mako era como um irmão que eu não tive, ele não seria capaz de cometer tal atrocidade! Abracei-o novamente, dessa vez mais forte, certa de que estava fazendo a coisa certa. Eu havia Tomado a decisão certa.

__ Mako, vou entrar em contato com os advogados da família, eles irão te ajudar por agora, como você mesmo disse, a policia esta atrás de você, a chefe Beifong te conhece, ela será justa, logo ela percebera que você não é o culpado, que tudo não passa de uma armação. Portanto creio que a melhor coisa a se fazer agora é você se entregar. – Terminei olhando firme para ele.

__ Mas Asami, eu não fiz nada! – Disse ele com veemência. – Eu não posso fazer isso.

__ Eu sei que você não fez nada Mako, mas sinceramente, quanto mais tempo você passar foragido, pior será para provar a sua inocência. Ninguém irá acreditar se você fugir.

Mako ficou me olhando por um tempo, eu conseguia ver a luta interna que ele estava travando.

__ Tudo bem. – Disse por fim cabisbaixo. – você tem razão.

__ Você está fazendo a coisa certa Mako. – Falei chegando mais perto dele, e então, coloquei minhas mão em seu ombro, como um sinal de apoio. – Vou entrar em contato com os advogados hoje mesmo, pode ficar tranquilo.

Comecei a me afastar de Mako. Mas assim que dei o primeiro passo para longe senti sua mão na minha.

__ Mako? – Perguntei olhando para ele.

__ Eu só... ah... eu gostaria muito de te agradecer Asami. Você não tem ideia do medo que eu estava de você não acreditar em mim.

__ Eu sei que você jamais faria algo assim Mako. Eu te conheço. – Falei tentando encontrar seus olhos. – Você não precisa se preocupar com isso, eu vou te ajudar, e não deixarei que a Korra, nem ninguém acredite nessa mentira.

Mako continuou de cabeça baixa.

__ Mako, olhe para mim. – Disse me aproximando novamente. Coloquei as mãos em seu rosto e puxei para cima para que me olhasse. – Estou com você nessa, vou te ajudar, e sei que a Korra também, todos nós. Você não é o culpado disso, e nós pegaremos o responsável! – Terminei olhando firme para ele.

__ Obrigado. – Disse ele, e veio para mais perto e me deu um abraço forte e antes que eu pudesse evitar, Mako me beijou.

__ Asami? – Uma voz conhecida fez com que eu superasse aquele choque do beijo inesperado de Mako e o empurrasse para longe de mim.

__ Korra.

 

Korra

Sai correndo do templo do ar e fui direto para a cidade. Eu precisa vê-la. As coisas ainda não estavam muito claras, mas de uma coisa eu tinha certeza, eu a amava, e eu sentia falta de saber isso. Imagens nossa dançavam na minha cabeça, ela era real, e tudo o que me falaram era verdade. Eu não tinha parado para pensar, mas o amor que eu sentia por ela crescia, mesmo quando eu não fazia a mínima ideia de quem era ela, e isso doía. Só de pensar o que ela deve estar sentindo. Tendo que me ver desse jeito. Eu não posso imaginar como tudo deve ter sido para ela, eu posso apenas agradecer por ela jamais ter me esquecido, e posso pedir perdão para o resto de nossas vidas e jurar, nunca mais esquecê-la.

Passei todo o caminho até a casa dela imaginando o que falaria. O que se deve dizer numa situação dessas? “Desculpe por esquecer você, isso nunca mais irá acontecer”. Pois é, eu não sabia o que dizer, talvez eu fique parada olhando para ela com essa minha cara de idiota.

Cheguei no portão, estava aberto, estranho, não me lembrava de nunca tê-lo encontrado aberto, mas eu não poderia confiar muito na minha memória. Então simplesmente entrei.

Eu estava nervosa, não entendia muito o que estava acontecendo, mas sentia minhas mãos suando, e meu coração a cada passo que dava para perto da casa, acelerava. O que era estranho, era a Asami que eu estava indo ver, não um monstro. Por que eu me sentia tão ansiosa? Era como vê-la pela primeira vez. Era exatamente isso.

Imagens do que eu achei ser a primeira vez que a vi me tomaram por completo. Ela estava linda, como sempre, foi numa festa na casa dela.

“Ual”- Quanto mais eu pensava a respeito dela, mais eu me lembrava. Era bom ter isso em mente.

Entrei sem bater, queria encontra-la o mais rápido possível! Fui direto para o escritório. Era incrível como tudo estava voltando para mim, as coisas estavam finalmente fazendo sentindo, a casa estava exatamente como eu me lembrava. E eu sabia precisamente onde encontra-la. Empurrei a porta do escritório que estava entreaberta e ali estava ela.

De primeiro eu não entendi toda aquela cena que eu estava presenciando, mas acabei dando alguns passos para dentro do cômodo. Senti meu queixo cair e meu coração se partir.

Asami estava beijando meu melhor amigo e seu ex-namorado de adolescência.

__ Asami? – Indaguei incrédula do que via.

Os dois se afastaram, Asami ficou vermelha e Mako aparentava estar assustado.

__ Korra?! – Respondeu ela receosa.


Notas Finais


Bom pessoal, por hoje é isso,
O que vocês estão achando até aqui?
Assim que o próximo ficar pronto posto.
Como sempre, quem gosta de música segue o link: https://www.youtube.com/watch?v=FOjdXSrtUxA (Essa é para chorar) hehe

Até o próximo! =D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...