História Surrogacy - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Ashley Benson, Cara Delevingne, Jaden Smith, Justin Bieber, Kendall Jenner, Ryan Butler, Selena Gomez, Zayn Malik
Tags Drama, Jelena, Justin Bieber, Romance, Selena Gomez
Exibições 431
Palavras 1.473
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Perdão pelos errinhos, não revisei.

Capítulo 9 - Elas são importantes.


Fanfic / Fanfiction Surrogacy - Capítulo 9 - Elas são importantes.

 

Selena Gomez Pointe Off View.

Chicago.

Sete messes. Estou com sete messes de gravidez. O incrível e que o tempo passou-se tão rápido, como em um piscar de olhos.

As coisas mudaram de um tempo para cá, visto que Justin e Kendall estão se enfrentando na justiça. A mulher ameaça tira tudo dele, e alega que ele e um traidor. Mesmo sabendo da real situação, creio que ela que tira uma casquinha do desta situação do divorcio.

Ashley frequenta ainda mais o apartamento onde estou, geralmente quando Justin viaja, e sempre a mesma que vem dormi aqui, tirando as vezes que Gigi trouxe os meus sobrinhos para passarem o dia aqui, eu fico o tempo todo com Justin ou Ashley. Não que eu não goste, eles são como uns bons amigos, assim como Ryan.

Cara e Dylan estão cada vez mais famosos, sua banda está fazendo tanto sucesso que eles viajaram para fazer um show em outro país. Sinto falta dos meus amigos, até mesmo das brincadeiras de Dylan, porém, estou muito feliz com o sucesso da banda dos mesmos.

Neste exato momento, estou ajeitando minhas unhas. Fazem-se tempo que não vou ao salão para fazer minhas unhas, não que eu não tenha tempo, pois tempo e algo que tenho de sobra, e sim porque não tenho disposição alguma para fazer qualquer coisa. Quem diz que os primeiros messes, de gravidez são os piores estão de fato errados, pois para mim, os piores são os últimos, ainda mais quando se tem uma barriga enorme e um pé enxado.

Hoje e sábado e Justin está em seu quarto. Já e de costume isso acontecer, ele sempre se tranca em seu quarto para ler, ou dormi. Fico me perguntando como ele está se sentido despois da separação com sua mulher. Sei que o mesmo está triste, mas também sei que está mal pela morte da sua mãe. 

Não vou mentir, ainda tenho duvidas sobre a noite da morte da sua mãe, quando ele me beijou, sei por que nem para quer, apenas colocou os seus lábios nos meus. Eu não me arrependo de ter retribuído, na verdade, eu não me arrependo de nada do que vive em minha vida, creio que vive coisas inesquecíveis, e não me arrependo de absolutamente nada. Contudo, sei que o mesmo arrependeu-se, e isso causa-me algo ruim por dentro, não sei explicar o que é, por nunca ter sentido tal sentimento, mas sei que não e bom.

Cansada de ficar trancada neste cômodo que subitamente transformou-se em meu quarto. Levanto-me devagar sentindo um pouco de dificuldade. Tiro o pijama que trajo, e jogo-me dentro do chuveiro. Depois de longos minutos, visto-me e apago as luzes do quarto saindo logo em seguida.

Justin estar na sala, oque me impressiona. Mas ele não estar sozinho, Ryan está ao seu lado e ambos conversam de algo que não consigo explica. Sei que e sobre o trabalho porque ambos seguram alguns papeis em suas mãos, enquanto o notebook está em cima da mesinha de centro da sala.

Ele não veste o de sempre, na verdade sua cara está tão amassada que ele se torna fofo, seus cabelos levemente bagunçados, e seu peito na causa-me arrepios por todo corpo.

Justin e literalmente um gostoso, e cada vez eu tenho mais certeza disso.

— Bom dia Selena. — Ryan chamou minha atenção e eu balancei afastando os pensamentos inapropriados.

— Bom dia. Vocês estão trabalhando essa hora da manhã em um sábado ensolarado como este? — perguntei direcionando o meu a olhar a Justin.

Ele sorriu e disse: — A esta hora da manhã? São uma e meia da tarde.

— Eu posso fazer oque se elas não me deixam dormi á noite? Elas chutam tanto que perco o sono. — responde sentando-me na poltrona ao lado do sofá.

— Parecer que elas gostam de você. — Ryan disse, e eu sorri.

É parecem que gostam.

Essa sensação de ter dois corações batendo dentro de mim e inexplicável. Eu nem sei explica o quanto e bom saber que crianças irão ser geradas por mim, e terão o meu sangue, meus traços.E algo que me machuca,  e saber que não as verei, nem ao menos no dia do seu nascimento, e agora, eu sinto como se estivesse vendendo meus bebês. Mesmo que depois disto tudo eu não irei vê-las, eu sinto que estaremos ligadas para sempre. Sei que mesmo se quisesse eu não poderia ficar com elas, não houve contrato, mas ouve um acordo, e todo dinheiro já está na minha conta.

 

Fico imaginando como seria a vida das garotas sem uma mãe, ou uma mulher para está perto, fico imaginando também se eu seria uma boa mãe para elas, e chego a uma conclusão:

Não.

Eu não seria uma boa mãe para elas, eu nem sei ao menos amamentar, ou como segurar o bebê. Eu nunca saberia cuida de uma imagine de duas? Isto com certeza não daria certo, nem um pouquinho. Como eu daria mamadeira? E ser chorasse oque eu faria? E quando precisasse trocar fraudas como eu faria? Como diz Zayn, eu nem ao menos sei me cuida, quanto mais de uma criança, neste caso, duas.

Elas são importantes, disso eu sei, eu sinto meu coração doer quando elas ficam muito tempo sem se mexer, tenho medo de algo ter acontecido, e eu é Justin perde-las.

Ryan já havia indo embora, o mesmo disse que teria uma jantar importante amanhã com os pais de Ashley, eles nos convidou, porém, Justin negou dizendo que isso era algo em família e que o mesmo teria que passar por isso sozinho.

Eu já estava no sofá ao lado de Justin, que parecia mais relaxado desde que Ryan saiu, pois já havia guardado todas as pilhas de papel junto com o seu notebook.

— Oque vamos fazer a tarde toda? — perguntei, mas logo prosseguir. — Eu não quero ficar trancada nesta casa, ao menos hoje quero fazer algo diferente.

— Por mim tanto faz, ao menos que não me leve a baladas ou algo do tipo. — ele sorriu fazendo-me revira os olhos.

— Olha, eu não frequento apenas bares e boates, ok?

— Tudo bem, mas não estou com saco para sair, quero ficar em casa. — bufei resmungando o quanto ele era chato.

— Porque você está sempre contra mim? Que saco. — bati levemente em seu braço o fazendo gargalha ainda mais.

— Não e minha culpa se somos diferentes. — respondeu sessando o riso.

— Sim nós somos.

De repente o silencio reinou no local, não sei explicar o porquê, mas era agoniante, e eu não gostava nem um pouco. Justin assistia a TV enquanto o meu olhar estava fixado em seus lábios rosados.

Então veio a questão. Eu nunca tive medo, porque estava com medo de pergunta-lo o porquê de ter me beijado? Já se passaram tanto tempo. Mas acho que no fundo, eu tenho medo da sua resposta. Tenho medo do que poderá sair da sua boca.

— Justin, porque me beijou? — o perguntei de repente, subindo o meu olhar para os seus olhos, eu precisava saber se ele estava falando a verdade, de fato.

Ele me olhou confuso, tenho certeza que não esperava minha pergunta, nem eu mesmo achei que um dia iria pergunta-lo.

Ele me fitou por segundos que pareciam horas, eu estava esperançosa com sua resposta, mas também temia uma resposta negativa. Eu também o fitava, em espera. Segundos se passaram formando-se em minutos, e nada.

Nada.

Nem ao menos um sussurro, ele apenas me olhava confuso e perdido. Queria poder ler os seus pensamentos e saber se ele estava me achando uma idiota por esta fazendo esta pergunta, ou se está apenas sem saber oque responde.

— Você não precisa dizer, se não quiser. — o assegurei, ainda observando seus olhos castanhos cor de mel.

— Não e que eu não queria, eu apenas não sei oque dizer. — respondeu-me. — Eu não sei explicar, mas quando lhe vir, do meu lado, eu queria ainda mais você por perto, eu não sei se entende mais, você estava perto, mas eu queria mais, entende?

Não o respondi, eu pude ver em seu olhar que não estava mentindo. Não foi o pior que eu esperei, eu realmente achava que ele só estava carente com seu casamento desgastado, e toda sua vida virando-se de cabeça para baixo.

Mesmo assim, eu ainda tinha duvidas, dividas que ele não poderia me responder.

Porque de repente eu me importava com oque ele iria pensar, ou oque ele iria dizer? Porque todas as vezes que o vejo olhando para o retrato de sua mulher, sinto vontade de está no lugar dela? Porque de repente meu coração acelera todas as vezes que o vejo adentra neste apartamento? Porque eu sinto tanta vontade de estar perto dele, mas no fundo sei que não posso?

São perguntas sem resposta, eu nem tenho uma teoria para tais, nem imagino aonde encontra as respostas, nem quando encontrarei.


Notas Finais


Gente, minha ideias geralmente veem de madrugada eu não sei porque. Eu escrever essa capítulo agora, não sei que milagre tive inspiração, mas eu precisava postar. Achei essa capítulo muito fofinho sério, vou tenta posta quinta.
Beijooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...