História Swanqueen_ Impossivel nao te amar! - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Tags Amor Á Primeira Vista, Romance, Swanquenn
Visualizações 167
Palavras 2.487
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 24 - Peça


Fanfic / Fanfiction Swanqueen_ Impossivel nao te amar! - Capítulo 24 - Peça

*** Emma ***

Já se passaram algumas semanas desde os ultimos acontecimentos, tudo em Storybrook estava estranhamente calmo, só algumas ocorrências nada que meu pai e eu não déssemos conta. Nesse tempo eu não vi a Regina, ela ainda estava chateada comigo por todas as burrada que eu fiz. Sim reconheço que errei, e muito. Quero consertar meus erros,  mas não sei como? Sinto muito a falta dela, as vezes passo pela prefeitura só para vê-la nem que seja de longe, mas nem sempre consigo. Henry passa os fim de semana com ela, ele e a Zelena São meus '' espiões '' segundo a Zelena ela anda de mau humor, irritada, e isso no entender da irmã è falta de sexo. Eu não consigo evitar o riso quando lembro disso. Chego em casa e minha mãe me chama para o jantar, meu pai já está a mesa. 

- iai conseguiu vê sua amada? 

- não pai, estou com muita saudades dela. 

- por que não vai até lá? 

- depois de tudo que aconteceu eu sei que ela ainda está chateada comigo. 

- e com muita razão

Enfatizou minha mãe 

- è eu sei. 

- filha escuta, porque você não tenta reconquistar a Regina? Recomeçar! 

- como assim mãe.?

- Emma, que a Regina te ama isso já ficou muito claro para todos nós, ela só está, como você diz, chateada, magoada, mas se você tentar fazer as coisas diferentes pode ser que ela esqueça tudo isso, e te dê uma segunda chance. 

Minha mãe tinha razão, eu só cometi um erro atrás do outro, mas quero consertar, sei que não vai ser fácil reconquistar a confiança da minha amada, mas eu não vou desistirl. Nosso jantar foi tranquilo, fui pro meu quarto e pensei em várias formas de fazer a Regina me da uma segunda chance, e a primeira coisa que eu tinha que fazer é pedir mais uma vez perdão. Na manhã seguinte, acordei cedo, tomei um banho e coloquei o perfume que eu sei que ela gosta, pus uma brusca branca apertada com um decote bem chamativo, minha jaqueta vermelha e fui direto para a prefeitura, eu sabia que ela estaria lá. 

Chegando bati na porta, claro que eu poderia entrar direto mas, eu preferi esperar ser convidada, e também eu estava com aquele friozinho na barriga. 

- entre! 

ouvi sua voz faz meu coração acerelar. 

- bom dia senhora prefeita! 

Respiro fundo, ela me olha assustada ou surpresa não sei definir bem a sua expressão, porque logo ela volta sua atenção para o livro que está na sua mesa. 

- xerife Swan, bom dia! 

Apoio minhas mãos na mesa ficando cara a cara com ela, e vejo seus olhos passeando sobre meu corpo, especialmente meu decote até encontrar meus olhos, tive que me segurar para não beijá-la ali mesmo. 

- o que você quer Swan? 

Dou a volta na mesa e ela vira a cadeira, me abaixo, apoio minhas mãos nas suas coxas, e logo encaro seus lindos olhos castanhos. 

- Regina, eu vim aqui te pedir perdão por todas as burradas que eu cometi, sei que você deve tá com raiva de mim, até me odiando, e sei também que nada justifica o que eu fiz. Mas por favor, me perdoa! Tudo isso é novo pra mim, eu nunca vivi algo sério com ninguém, eu nunca tive que dividir minha vida com ninguém antes, era eu, só eu, mas com você é tudo diferente, eu nunca tive medo de perder alguém como eu tenho de te perder Por favor! Me dá uma segunda chance, vamos começar tudo do zero, e eu prometo, eu juro que serei uma pessoa melhor para você.

Falei tudo tão rápido que esqueci até de respirar. Ela ouve em silêncio, passa a mão no meu rosto, e diz:

- eu não te odeio Emma, nem se eu quisesse eu poderia te odiar. Estou sim magoada com você, tudo é muito recente. 

Ela levanta da cadeira e fica em pé no meio da sala, com os braços cruzados. 

- eu não posso nem tenho o direto de julgar ninguém, eu mesma cometi vários erros que me perseguem até hoje. 

- mas você mudou, e hoje è uma pessoa melhor, e è isso que eu quero ser pra você. 

Me aproximo dela e toco seu rosto com carinho, ela fecha os olhos, seu rosto macio, chego mais perto, beijo seu pescoço, ela segura a minha cintura, vou beijando seu rosto até chegar na sua boca que já está entre aberta esperando o meu beijo, e eu sem demora atendo seu pedido. Nossos beijos como sempre vão ficando mais quentes, minhas mãos vão percorrendo seu corpo. 

- Emma, para! 

- o que foi?

- você disse que quer recomeçar, então vamos devagar. 

- Regina! Eu tô com saudades de você, de nós. 

Ela se afasta de mim e volta a para sua cadeira. 

- eu também tô, mas um passo de cada vez. 

- ok, devagar você quer, vamos devagar.  Mas tem uma coisa. 

Ela franzi a testa confusa. 

- o que Swan? 

- nós só vamos fazer amor quando você me implorar. 

- o quê? 

Ela solta aquela risada da linda que eu estava sentindo falta,  e tanto amo ouvi. 

- você tá louca Swan!? Acha que eu vou implorar para fazer amor com você! Essas batalhas estão afetando seu cérebro. 

- eu tô falando sério nada de sexo até você me pedir. E você vai pedir. 

- é você enlouqueceu mesmo. 

- vamos começar do início, você aceita jantar comigo hoje? Um jantar especial só nós duas, que tal? 

- não sei hoje è dia de ficar com Henry. 

- ele pode ficar com a Zelena até a gente chegar. 

- deixar meu filho com a louca da Zelena,  não! 

- que foi majestade, tá com medo de ceder a mim logo no primeiro dia? Eu sei que sou inressistivel, e que você não resiste aos meus encantos. 

- quando foi que ficou tão convencida?

- quando me apaixonei pela mulher mais linda, sexy e gostosa dessa cidade, e ela por mim. 

Mais um sorriso. 

- Tudo bem eu aceito,  vamos vê quem vai ceder a quem.

- uhhh um desafio? Adoro! 

Eu estava muito muito feliz, me aproximei dela roubei um beijo, e sair rápido.

Sair e fui pra delegacia, cheguei feliz e meu pai estava lá atolado em papeis. 

- uhhh e esse sorriso bobo hein?  Já sei viu a sua amada Regina. 

- sim eu a vi, e ela aceitou me da uma segunda chance. 

- que coisa boa filha, fico feliz por vocês. 

- ah! Pai eu a convidei para jantar hoje, e não sei onde levá-la,quero que seja um lugar diferente, você tem alguma ideia?

- olha eu soube que abriu um restaurante italiano, deixa eu vê se acho o folheto? 

Ele procura nos bolsos da calça, e depois na gaveta, até que encontra, e me entrega, um folheto com várias figuras ilustrativas de pratos diferentes, olho o endereço, não fica muito longe, guardo o papel no bolso da jaqueta. 

- obrigada papai, espero que a Regina goste de comida italiana. 

- quando vocês vão? Eu estou pensando em levar a sua mãe pra um jantar romântico também. 

- hoje a noite. 

- e o Henry vai ficar com quem? 

- com a Zelena. 

- sério! Se quiser a gente fica com ele. 

- não pai, hoje é sexta, dia que ele vai pra casa da dela passa o fim de semana. Você e a mamãe já me ajudam muito,  merecem um momento a sós. 

Já era noite e eu estava muito ansiosa e nervosa para o jantar, eu já tinha feito as reservas, meu único problema naquele momento era decidir o que vestir. Provei muitas roupas mas não achava nada que desse certo, e isso já tava me irritando.

- eu devia ter comprado alguma coisa, não tenho nada especial para usar. 

Eu estava muito frustrada, afinal eu tenho que está a altura de uma rainha. Quando eu lancei aquele desafio de que não faria amor com ela até ela me pedir, eu na hora me arrependi, como eu vou resistir aquela mulher? È impossível! Mas ela também me desafiou. Enfim, escolho um vestido preto básico de alcinha, um salto da mesma cor, deixo meu cabelo solto com as mecha para frente cobrindo meu busto, ponho uma maquiagem leve, o perfume que eu sei que ela não resiste, pego as chaves do carro.  Meus pais já tinham saído, foram curtir um passeio ao ar livre, Henry estava na casa da Regina. A noite está linda, o céu azul estrelado. 

- uau! Tá linda! 

- obrigada Neal

Ah!  esqueci de dizer, eu reencontrei o Neal, ele e o Gold não estavam se dando muito bem. 

- como está sua relação com seu pai? 

- como sempre você sabe.  Mas não quero falar sobre isso, toda essa produção é para a rainha má? 

- Regina, Neal! o nome dela é Regina.

- da no mesmo. 

- eu tenho que ir, até. 

Entro no carro e vou em direção à casa dela, toco a campalhia, e o Henry abre a porta. 

- mãe! Você tá linda! 

Dou um sorriso para ele, para tentar disfarçar o meu nervosismo, na verdade não sei porque estou tão nervosa assim, não é a primeira vez que jantamos juntas. esse é o poder que ela tem sobre mim? . Entro e a Zelena está na sala comendo pipoca, acho que eles estão assistindo um filme, ela se vira e me olha. 

- nossa não é que existe uma mulher bonita por trás daquela jaqueta honrosa. 

- obriga pela parte que me toca. 

- iai pra onde vai levar minha irmã?

- pra jantar. 

- ei nós ainda não conversamos sobre suas intenções com a minha irmã. 

Me aproximo do ouvido dela e digo:

- minha intenção é... 

- Ahhh! Sua pervertida! 

Nós duas rimos alto. Até que meu sorriso se transforma em admiração. Regina vem descendo as escadas, quando ela para e eu literalmente perco a fala. Sabe, sempre pensei que era impossível se apaixonar pela mesma pessoa duas vezes, até esse momento. Eu sempre achei que seria impossível essa mulher ser mais linda do que ela já é, de novo eu estava completamente enganada. Ela usava um vestido vermelho com um decote em V, que marcava cada curva do seu corpo, e que também era bem curto deixando suas pernas a mostra,  seus cabelos negros soltos na altura dos seus ombros, brilhavam de tão lisos, um batom vermelho que deixa seus lábios mais carnudos, e chamativos; sabe quando a gente se apaixona a primeira vista? era assim que eu estava me sentindo, foi ai que eu pensei:

- eu estou fudida, fudidamente apaixonada de novo, por essa mulher. 

Fiquei ali paralisada que nem uma tonta admirando aquela visão tentadora, e quando sinto o seu perfume entrando nas minhas narinas, muitos pensamentos vem a minha cabeça e todos são impróprios. Minha vontade naquele momento é de agarrar ela pela cintura e levar para o quarto. 

- mãe você tá muito, muito linda! 

- nossa, arrasou sis!  parece que alguém aqui perdeu a voz. 

Zelena tinha toda razão, perdi a voz, perdi o chão. 

- o que foi Swan, o gato comeu sua língua? 

A voz dela me traz a realidade. 

- Regina, você está incrível! 

- você também não está nada mal. 

Nada mal. Eu tô me sentindo um patinho feio perto de uma deusa, eu sabia que nunca chegaria a altura de uma rainha mas ela humilhou.

Ela desceu as escadas e se aproxima de mim, e disse no meu ouvido:

- quero vê você  resistir Swan. 

Meu sangue ferveu, eu tive que respirar fundo, me acalmar. 

- Henry seja bomzinho com a Zelena, e vá dormir na hora certa. Eu amo você! 

- também te amo mãe! 

- boa noite filho, e cuida da Zelena ela é meio tonta. 

- Pode deixar mãe 

- eu ouvi isso salvadora. 

Saímos e quando ela viu o meu fusca, como sempre ela não resistiu um fazer seus comentários. 

- você não podia pelo menos ter alugado um carro melhor?

- poderia, mas eu sei o quanto você ama o meu fusca amarelo. 

Ela revira os olhos enquanto eu abro a porta para ela entrar. 

- então pra onde vamos? 

- o que você acha que serve no Granny's  hoje? 

- você tá de brincadeira né? Eu não me arrumei toda pra comer numa lanchonete de esquina. 

Eu ri muito. 

- calma majestade! É brincadeira, abriu um restaurante novo na cidade, fiz uma reseva, espero que goste de comida italiana. 

Chegamos no restaurante, não estava muito cheio, disse meu nome e o garçon nos levou até nossas mesas, nos entregou o cardápio. Estamos numa mesa distante do salão principal o que nos dá uma certa privacidade, fazemos nossos pedidos, o garçon nos traz uma garrafa de vinho, enquanto esperamos os pratos. 

- Estou tão feliz que você aceitou me da uma segunda chance.

- eu não disse que aceitei, Swan. 

- mas você está aqui comigo. 

- estou aqui porque estou com fome. 

Ela sorri enquanto pega a taça de vinho para beber. Eu por baixo da mesa começo provocá-la, passo meu pé, nas suas pernas. Ela quase engasgar com o vinho. 

- Emma! Tá louca!? 

- por você, sempre! 

- pára 

Vi que ela se arrepiou, e também ficou sem graça. O garçon chega trazendo nossos pedidos.

Tudo seguiu tranquilo e descontraído, conversamos sobre tudo, rimos lembrando de como nos conhecemos, de toda tensão e tesão que sentimos uma pela outra e que ainda sentimos. 

Tudo ocorreu muito bem, levei ela pra casa antes de entrar, ela não deixou de me provocar. 

- não vai entrar? 

- quer que eu entre? 

Ela me puxa para um beijo voraz, que nem consigo respirar, eu aperto sua cintura trazendo ela para mais perto de mim. Nossa línguas numa batalha por espaço, quase esquecemos de onde estávamos. Sinto seu corpo arrepiado, beijo seu pescoço até o lóbulo da sua orelha. Ouço seu gemido baixinho. Volto a beijar sua boca. 

- peça! 

Digo segurando seu lábio inferior. 

- não! 

Começo a travar uma guerra interna, paro ou não paro. Mesmo contra todos os meus desejos e vontade eu paro e me afasto dela. 

- o quê? O que tá fazendo?

- foi você que disse pra irmos devagar, e além disso, eu disse; sexo só quando você me pedir. 

- Ah! FILHA DA... 

- oô! Minha mãe não tem nada a vê com isso. 

Ela me encara com aquele olhar de evilQueen, abre a porta da mansão e entra. No fundo estou me divertindo com isso, claro que é uma tortura também, mas eu quero que quando acontecer aconteça pra valer, que nós duas estejamos fervendo. Eu sei que ela é orgulhosa e que vai ser difícil para ela ceder. 

Se fazer amor depois de uma briga è bom, imagina quando o tesão está a flor da pele. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...