História SwanQueen- Um amor de desafios - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Swanqueen
Exibições 202
Palavras 2.732
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Magia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi ficspectadoras...Espero que curtam o capitulo! ASSISTAM O VÍDEO DAS NOTAS FINAIS

Capítulo 14 - Não me deixa mais sozinha, Emma.


Fanfic / Fanfiction SwanQueen- Um amor de desafios - Capítulo 14 - Não me deixa mais sozinha, Emma.

Emma andava de um lado pra o outro.

Regina- Pelo amor de Deus, você tá me deixando tonta desse jeito.

Emma- Me desculpa, mas eu tô nervosa.

Regina- Vai acabar desmaiando.

Emma- É a primeira vez que vejo o meu bebê(sorri). Tô muito emocionada! Tô tão feliz de estar aqui Regina.

Regina- E eu estou feliz que esteja aqui.

Enfermeira- Senhora Regina Mills.

Regina- Está pronta?

Emma- Estou.

As duas entram na sala e encontram uma jovem médica.

Lorena- Olá Regina, bom dia.

Regina- Bom dia doutora. Essa é a Emma, minha namorada.

Lorena- Ah que bom que veio dessa vez Emma. Muito prazer.

Emma apenas estende a mão.

Lorena- Que bom que não veio sozinha dessa vez. Então? Como está se sentindo?

Regina- Mais pesada, mais preguiçosa e mais faminta.

As três sorriem.

Lorena- Sentiu algum incomodo esses dias?

Regina- Não. Só enjoei algumas vezes e me senti tonta, mas nada fora do que eu já estou sentindo.

Lorena- Ótimo. Teve mais algum sangramento?

Regina- Não.

Lorena- Maravilha.

A médica escrevia alguns detalhes no seu bloco de notas.

Emma- Doutora, eu posso fazer algumas perguntas?

Lorena- Mas é claro que pode.

Emma- A Regina ficou muito estressada nesses últimos meses, isso pode ter afetado o bebê?

Regina- Emma.

Emma- Eu preciso saber Regina.

Lorena- Olha Emma, não vou mentir. Regina muito estressada chegou a meu consultório. Os níveis de pressão muito alterados. Estava abaixo do peso e estava muito abatida.

Emma engole a seco.

Lorena- Encaminhei logo ela a um colega nutricionista e o Dr. Nicholas garantiu monitorar a pressão dela. Prescrevi uma atividade física moderada. Regina era acostumada a correr, então eu sugeri caminhada e yoga. Qualquer exercício físico faz bem pra mamãe. Nessas ultimas semanas as avaliações tem sido muito boas. Regina compreendeu que a saúde do bebê está em primeiro lugar. Tem se exercitado, pelo exame de sangue eu concluo que as taxas dela estão ótimas, ainda não tá no peso ideal, mas no geral está indo muito bem.

Emma- E o bebê?

Lorena- O bebê sente o que a mamãe sente. O seu bebê é forte. Mais forte do que pensa. Na verdade é um bebê bem desenvolvido pra o tempo de gestação, é até incomum. Mesmo com a vida um pouco turbulenta a Regina conseguiu proteger o bebê do todo o estresse.

Emma respira fundo.

Lorena- Fique tranquila mamãe. O bebê está bem.

Regina- Ela se sente culpada por não ter estado ao meu lado desde o inicio.

Lorena- Bom, mas isso mudou! Você está aqui agora e pode aproveitar essa gravidez junto com a sua companheira.

As duas se dão as mãos.

Lorena- Vamos pra parte divertida? Vamos ver como está esse príncipe ou princesa?

Emma- Vamos.

Bate as mãos empolgada e Regina e a doutora riem da empolgação da loira.

Lorena- Regina, já conhece os procedimentos. Vai até a sala do lado...

Regina- E coloque aquela bata feiosa.

Lorena- Isso mesmo!(sorri)

Emma- Quer ajuda?

Regina- Não precisa.

Regina deixa a bolsa com Emma e entra na salinha ao lado.

Lorena- Parece que você tem mais uma perguntinha.

Emma- Na verdade tenho.

Lorena- Pode perguntar.

Emma se aproxima mais da mesa.

Emma- Doutora e sobre sexo?(sussurra olhando pra sala ao lado)

Lorena acha graça no comportamento da loira.

Lorena- Gravidez não é doença. Vocês podem brincar a vontade. Mas não aconselho usar brinquedos de forma pesada na penetração. Regina teve um inicio de gravidez bem complicado, ela está bem e geralmente eu não impeço que minhas pacientes tenham penetração, mas uma penetração muito pesada pode prejudicar o bebê nas condições que ela está.

Emma- Sei. Delicadeza, certo!

Lorena- Nada pesado sobre a barriga. Fora isso, podem brincar!

Emma- E posições?

Lorena- Qualquer uma, desde que ela se sinta confortável. Evite suspendê-la se não tiver a certeza que vai manter ela no alto. Uma queda nesse estágio é muito perigoso.

Emma- Tá bem(olha pra sala do lado)

Lorena- Tome.

Pega um cartão e entrega a Emma que guarda no bolso rapidamente.

Lorena- Quando tiver em apuros sobre qualquer coisa, me ligue!

Emma- Muito obrigada.

Lorena- O que quer que tenha acontecido entre vocês, não prejudicou o bebê.

Emma- Tem certeza?

Lorena- Absoluta. Quer um conselho?

Emma- Claro.

Lorena- Curta o momento Emma. Ficar se culpando vai te afastar da realidade de agora. Regina e o bebê estão bem. Aproveite o ‘agora’. Deixe o passado no passado.

Emma sorri.

Emma- Psicóloga?

Lorena aponta pra parede.

Emma- ‘ Psiquiatra do ano’. Saquei!

Regina aparece.

Lorena- Vamos lá.

A médica faz um sinal e Emma ajuda Regina subir na maca.

Lorena- Vamos lá.

A médica prepara Regina.

Lorena- Já passou por essa situação Emma?

Emma- Não.

Regina- Mas o Henry?

Emma- No lugar onde eu estava eles não faziam esses exames.

Regina sente pena de Emma.

Emma- Só tinha um médico doido que ia lá uma vez por mês, apalpava a minha barriga e dizia “ainda tá vivo”.

Regina- Meu amor que cruel.

Emma- Deixa pra lá.

Lorena- Então vamos criar novas memórias pra você. Vou passar esse gel na Regina e o aparelho vai emitir as imagens pra o monitor.

Emma sorri.

A medica começa a passar e a imagem não muito nítida surge na tela.

Regina e Emma estavam de mãos dadas.

Lorena- Olha, essa é a mãozinha, a coluna...Olha o pezinho.

Emma- Ah meu Deus.

A loira chorava como uma criança.

Regina- Que perfeito!

Emma- Parece comigo.

As três riem.

Emma- Está tudo bem doutora?

Lorena- Está sim. Está mais agitado que o normal.

Regina- Mas ele está bem?

Lorena- Está. Acho que a voz da outra mãe agita ele.

Emma sorri orgulhosa.

Emma- Olha a mãozinha(aponta pra tela)

Regina estava emocionada, mas ainda mais emocionada por presenciar Emma tão encantada.

Lorena- Vamos ouvir um pouco ele?

Emma respira fundo.

Lorena ativa o som e os batimentos do bebê ecoam pela sala.

Emma chorava e sorria como uma criança.

Emma- Meu bebezinho. É tão forte.

Lorena- É sim.

Regina- Já dá pra ver o sexo doutora?

Lorena- Ainda é muito cedo. Quem sabe mês que vem?

Emma- Não tem pressa. O que importa é que esteja saudável.

Lorena- Vamos marcar a próxima pra daqui a 15 dias. Posso deduzir que nos veremos Emma?

Emma- Eu vou estar ao lado dela até meu filho nascer.

Regina sorri ao ver Emma tão envolvida.

Uma hora depois Regina estava sentada de frente pra Emma. Enquanto devorava um hambúrguer duplo.

Regina- O que é?(mastigando)

Emma- Eu não consigo parar de te olhar.

Regina- Para com isso.

Emma- Não posso. É maravilhoso te ver comendo tão bem.

Regina- Comendo bem? Eu tô comendo um hambúrguer. Sabe quantas calorias e carboidratos tem nesse sanduíche?

Emma- O bebê não se importa.

Regina- Ah meu Deus tá uma delícia.

Emma- Agora entende por que eu gosto tanto.

Regina- Não acredito que tô comendo essas coisas.

A morena reclamava, mas a cada mastigada ela revirava os olhos com prazer.

Emma- Por favor.

O garçom chega.

Emma- Mais um duplo burguer e mais duas porções de fritas.

Henry- Três.

O garoto chega.

Emma- Oi garoto. Que bom que chegou!

Henry- Oi mãe(devolve o abraço)

Regina- Oi meu príncipe.

O jovem beija a testa da morena.

Henry- Hambúrguer? Esse meu irmão tá mesmo ficando parecido com a gente mãe.

Emma- Nem me fala(sorri orgulhosa)

Regina- Quando o bebê nascer eu vou arrancar da minha dieta qualquer vestígio dessas comidas.

Emma- Acho que não vai ser tão fácil como parece.

Regina- Acha que não vou conseguir me livrar desse vício?

Emma- Sou hamburguercólatra. Sei do que estou falando!

Regina- Que delícia.

Henry- Eu sabia que um dia você se renderia mãe.

Regina sorri.

Henry- Agora me contem como foi.

Emma- Foi maravilhoso Henry.

Henry- Meu irmão tá bem?

Emma- Tá sim. Olha.

A loira mostra a Henry a foto da ultra e dispara contando como foi a consulta.

Regina olhava a cena feliz.

Anoitece.

Emma tá no seu apartamento quando seu celular toca.

Emma- Alô.

Snow- Emma?

Emma- Oi mãe.

Snow- Querida que saudades. Não ligou mais pra gente!

Emma- Desculpa. Tem sido uma loucura.

Snow- Me conta como tá tudo por aí.

Emma- Tá indo bem.

Snow- A Regina está bem?

Emma- Está.

Snow- E o Henry?

Emma- Tá bem.

Snow- Agora me conta, como tá o bebê?

Emma- Mãe eu vi ele hoje.

Snow- Jura?

Emma- Tivemos uma consulta.

Snow- Ah meu Deus.

Emma- O papai tá com você?

Snow- Está aqui do lado.

Emma- Então espera.

A loira tira uma foto da fotografia da ultra e manda pra David.

Emma- Mandei uma foto.

Segundo depois ela escuta Snow gritando.

David- Oi filha.

Emma- Oi pai. Vocês viram?

David- Estamos vendo. Sua mãe tá aqui pulando.

A loira continua o papo com os mais por mais um tempo.

 

Um tempo depois Regina estava deitada no quarto quando desperta ao ouvir um barulho na cozinha.

Regina- Henry?

Ela ouve a voz do filho de longe.

Henry- Não sou eu!

A morena sorri e vai ver o que é.

Emma- Seu dedo duro.

Henry- Ei, eu não vou levar a culpa por você.

Emma estira a língua.

Regina entra na cozinha e vê Emma com um avental.

Regina- Posso saber o que está acontecendo Swan?

A loira se vira e Regina vê o rosto da amada cheio de farinha.

Emma- Oi meu amor.

Regina- Pretende entrar no forno?(pega um pote de biscoito e senta-se ao lado do balcão)

Emma- Por quê?

Henry- Porque tem mais farinha em você do que na comida.

Emma se olha no vidro do armário.

Emma- Por que não me disse garoto?

Henry- Porque eu tô me divertindo muito assistindo você tentar cozinhar alguma coisa e cada vez que você olha pra mim eu dou uma gargalhada por dentro.

Regina ri.

Emma- Você tem o dom do mal.

Regina- Então? O que está tentando fazer?

Emma- Uma torta de morango.

Regina e Henry se olham.

Emma- Eu consigo.

Regina- Depois de muita pratica.

Henry- Anos de prática.

Emma- Vocês me subestimam.

Regina- Se você tá querendo aprender a cozinhar, por que não começou com algo mais fácil?

Henry ri.

Emma- Eu queria te agradar.

Regina- Obrigada meu amor.

Emma- Fala de novo.

Regina- Obrigada.

Emma- A frase toda.

Regina- Obrigada meu amor.

Emma começa a pular dentro da cozinha.

Regina- Você é uma criança.

Emma- Uma criança que te ama.

Pula perto da morena e dá um selinho na morena.

Henry sorri.

Emma- Desculpa garoto.

Henry- Não precisa se desculpa mãe. É lindo ver o amor de vocês.

Regina e Emma sorriem pra o filho.

Henry- Mas um selinho é o meu limite.

Regina- Entendido.

Henry- Eu quero aproveitar vocês e queria conversar uma coisa com vocês.

Regina- Do que se trata?

Henry- Sobre o colégio...

Emma- Advertido, suspenso ou expulso?

Henry- Não é nada disso.

Emma- Achei que mau comportamento fosse hereditário. Que bom que ele puxou a disciplina da outra mãe.

Regina- Que bom mesmo. Fala filho!

Henry- Bom, está chegando as festas natalinas. Essa semana eu acabo as minhas provas e estarei oficialmente de férias.

Emma- Sei.

Henry- E eu estou com muita saudade da Violet.

Regina- E que ir a Storybrooke!

Henry- Exatamente. Vocês se importam?

Emma fica calada olhando pra Regina.

Regina- Querido é claro que não!

Henry- Eu queria ter a garantia de que se eu for, você vai cuidar bem da minha mãe e do bebê.

Emma- Eu prometo.

Henry- Nada de stress, aborrecimentos ou deixar ela sozinha meia hora. Entendeu?

Emma- Entendi perfeitamente.

Henry- E você mãe? Vai colaborar?

Regina- Vou sim.

Henry- Vai se comportar e deixar a Emma cuidar de você direitinho?

Regina sorri.

Henry- Vai?

Regina- Vou sim meu amor. Eu prometo!

Henry-Então tá bom. Assim eu fico sossegado!

Regina-Pretende ficar quanto tempo?

Henry- Eu queria passar uma semana lá e voltar pra passar o natal aqui. O que acha?

Regina- É perfeito meu amor. Que tal assim? Traga a Violet. Passaremos o natal juntos!

Henry- É sério?

Regina- É claro! Temos três quartos. Um de hospedes está disponível e podemos receber ela aqui. Primeiro converse com o pai dela.

Henry- Valeu mãe (abraça a morena) O que acha mãe?(olha pra loira)

Emma- Henry eu acho uma ótima ideia. Vai ser bom trazer a Violet.

Henry- Será que o pai dela vai deixar?

Emma- Ah vai sim.

Regina- Como pode ter tanta certeza?

Emma sorri pra Regina.

Regina- O que fez Swan?

Emma- Eu disse a ele que Henry é um garoto incrível e que ele gosta muito da filha dele e que a filha dele também gosta do meu filho.

Regina- E o que mais?

Emma- Eu posso ter dito que ia persegui-lo se ele atrapalhasse o namoro dos dois.

Regina ri.

Henry- Você é demais.

Emma- Mas peça a autorização dele como um bom rapaz. Tá bom? Tenho certeza que ele se lembra da ameaça, mas é bom ele ver que eu tenho razão quando digo que você é o melhor genro que alguém poderia ter.

Henry- Obrigado mães.

Abraça as duas.

Henry- Agora eu vou ligar pra ela e dizer que estou indo a Storybrooke.

Beija as mães e sai pra o quarto.

Emma- Você é mesmo maravilhosa com o nosso filho.

Regina- Você também é. Ele está crescendo tão rápido!

Emma- É verdade.

A loira se aproxima e beija a morena com muito amor enquanto alisa a barriga da amada.

Regina- Você comeu chocolate Swan?(experimentando a saliva)

Emma- Um pouco. Acho que tô comendo mais do que cozinhando.

As duas riem.

Regina- Eu vou te dar aulas!

Emma- É mesmo?

Regina- Ou eu aceito esse desafio ou você vai destruir minha cozinha.

Emma- Isso é verdade, Regina.

Regina- Ei, é professora Mills.

Emma- Nossa. Olha(aponta pra o braço) Me arrepiei toda!

Regina- Sua boba.

Emma- E quando vamos começar as aulas professora Mills?

Regina- Vamos ao supermercado mais tarde. Quero comprar ingredientes pra receitas básicas. Vamos começar bem devagar.

Emma- Prometo me dedicar.

Regina- Ótimo. Porque se não se comportar haverão punições.

Emma fecha os olhos e sente o arrepio correr outra vez.

Regina ri da loira.

Da um selinho na loira.

Emma-Posso te perguntar uma coisa?

Regina- Claro.

Emma- Quando pretende voltar pra Storybrooke?

Regina encara a loira.

Emma- Regina?

Regina- Emma, eu não pretendo voltar pra Storybrooke.

Emma- Nunca?

Regina- Eu não sei. Tenho uma boa vida aqui. Estou bem estabilizada! Não quero voltar pra lá.

Emma- Tudo bem.

Regina- Está?

Emma- É claro que sim.

Regina- Eu entendo que você sente saudades e se você quiser voltar eu vou entender.

Emma- Regina, meu amor(segura as mãos da morena) Eu não vou a lugar nenhum!

Regina- Tem certeza?

Emma- Absoluta.

A loira responde com uma serenidade tão grande que aquieta o coração da rainha.

Emma- Ao seu lado e ao lado dos meus filhos(alisa a barriga da morena) É o meu lar!

Regina sorri.

Emma- Eu te amo e estarei ao seu lado onde quer que você decida estar.

Regina- Obrigada!

As duas se beijam mais uma vez.

Tarde da noite Regina se revirava na cama sem conseguir dormir. O bebê estava inquieto!

Regina- Porque essa festa aí dentro? Não vai me deixar dormir?

Ela sentia os chutes do bebê.

Regina- Está sentindo falta dela? Eu também estou!

A morena se levanta, veste seu hobby, calça as pantufas e segue pra porta do apartamento. Quando ela abre encontra Emma com a mão suspensa como se decidisse se bateria ou não.

Regina- Emma?

Emma- Oi meu amor.

Regina- O que está fazendo aqui?

Emma- Eu não consigo dormir e vim pra cá, mas eu estava decidindo se te acordava ou não.

Regina sorri.

Emma- E você?

Regina- Não conseguia dormir e tava indo ao apartamento.

Emma- É mesmo?

Regina- Vem Swan, o bebê não vai me deixar dormir se não ouvir a sua voz.

A morena pega na mão da loira e a puxa pra o quarto.

As duas se beijam e com cuidado a loira a deita na cama.

Emma- Não consigo passar mais tempo longe de você.

Regina- Eu também meu amor!

Emma- E você meu amorzinho?

Beija a barriga da morena e ela imediatamente sente os chutes.

Regina- Ai(se escolhe um pouco)

Emma- Ei meu amor, é pra dormir tá bom?

Emma se deita e Regina se aconchega.

Regina- Não me deixa mais sozinha Emma.

Emma- Nunca mais meu amor.

 

Emma começa a cantar.

https://www.youtube.com/watch?v=RxtyBSQX4D4

 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...