História SwanQueen- Um amor de desafios - Capítulo 45


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Swan Queen, Swanqueen
Visualizações 587
Palavras 6.423
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Fantasia, Magia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sei que estão querendo me matar, mas infelizmente ainda estou com problemas no notbook. Parece uma desculpa clichê, mas não é. A verdade é que estou mesmo usando o tablet e o pc do trabalho pra escrever. Então peço um pouco de paciência e compreensão..Obrigada a todos pelos comentários e o favoritos. Amo cada um de você. Xeruuu

Capítulo 45 - Maldita poção


Fanfic / Fanfiction SwanQueen- Um amor de desafios - Capítulo 45 - Maldita poção

David e Emma acompanhavam a verificação do corpo. 

Emma- Então? 

Whale- Precisamos ter calma salvadora. 

Emma- Você está a mais de meia hora aí e não diz nada. 

Whale- E ainda não sei o porquê que estou aqui. 

David- Whale o que tem a nos dizer sobre o Hook?

Whale- Ele era um prepotente. Bêbado arrogante que fingia ser bonzinho pra salvadora acreditar que ele era o mocinho. O que me leva a pergunta: Como levou tanto tempo pra perceber?

Emma- Não estamos pedindo a biografia dele. Queremos saber sobre o corpo!

Whale- Ele era desleixado e faltava uma mão.

Emma- Eu vou...

Emma avança, mas David a segura.

Whale- Relaxa salvadora. Tô desanuviando o ambiente.

David- Para com isso.

Whale- Tá bem. Nem precisava de um médico aqui. Ele morreu por que arrancaram o coração. 

Emma- Só isso? 

Whale- O que mais você queria? 

Emma- Não tem nenhum vestígio? Nada que possa identificar o suspeito? 

Whale- Porque está se dando ao trabalho? Ninguém o suportava. 

Emma- Quer que eu pergunte isso quando encontrarem seu corpo? 

Whale- Olha, a única coisa que eu posso dizer é que quem fez isso não deixou ele ter chance. O arrancou com maestria. 

David- Porque diz isso? 

Whale- Por que não há arranhões ou sinais de briga. Ele não tentou se defender. 

Emma- Então ele confiava na pessoa. 

David- Não tentou impedir porquê não sabia que seria atacado. 

Whale- Exatamente. Eu vou recolher uma amostra de sangue dele, mas não prometo entregar nem tão cedo. Tenho pacientes importantes e o Hook não é prioridade. 

Emma- Você é pouco profissional.

David- Eu sempre soube disso.

Emma- Vamos. Eu te levo!

A loira leva Whale até o hospital e quando ia saindo Lily aparece.

Lily- Oi Emma.

Emma- Oi Lily. O que deseja?

A loira não para de andar e a jovem acompanha.

Lily- Está tudo bem?

Emma- Tô ótima. O que você quer?

Lily- Nada. Só vi você apressada e resolvi vir verificar.

Emma- E quem é você pra se preocupar comigo?

Lily- Emma, porque está me tratando dessa forma? Nós somos amigas.

Emma- Nunca fomos amigas de verdade Lily. Eu tentei me enganar, mas isso acabou.

Lily- E quem você considera sua amiga? A Regina? Ela mente pra você o tempo todo!

Emma para se volta pra Lily.

Emma- Não ouse mencionar a Regina, está entendendo?

Lily- Como pode defender essa mulher Emma?

Emma- Eu vou falar só mais uma vez. Não se meta com a Regina. Ela é minha mulher!

A loira vai saindo.

Lily- Ela podia atravessar a fronteira.

Emma para.

Lily- Com você e com o seu filho.

A salvadora se vira pra morena.

Emma- Do que está falando?

Lily- Regina sabia que encontraria o Robin na floresta encantada. Ela poderia atravessar a fronteira com você e com o garoto, mas preferiu jogar a família na floresta encantada e se aventurar atrás de um ladrão enquanto jogou você e o seu filho pra sorte.

Emma a encara.

Lily- Ela nunca te contou não é?

Emma- Isso tudo é mentira.

Lily- Pergunta a ela.

Emma- Eu não preciso perguntar a ela. Eu não preciso saber disso. Sabe por quê? Porque seja qual for o motivo dela, eu tenho certeza que Regina fez por amor.

Lily- Você está cega Emma!

Emma- Não. Eu estava cega, quando achei que poderia ter você como amiga Lilith Paige.

A morena engole a seco e a loira segue pra delegacia.

A prefeita chega a delegacia e vê David de pé, parado bloqueando a visão do corpo.

Regina- Oi David.

David- Como vai Regina?

Regina- Estou bem. Você está bem?

David- Estou.

Regina- Cadê a Emma?

David- Ela deu uma saidinha.

Regina- David, o que houve?

David- Nada.

Regina- Aconteceu alguma coisa com a Emma?

David- Não. Regina, você deveria...

Dois enfermeiros chegam pra recolher o corpo de Hook.

Regina estava estática.

David- Regina...

Regina- O que aconteceu? Ele está morto?

David confirma.

Regina- Como isso aconteceu? Quem fez isso?

David- Ainda não sabemos nada.

Regina- A cela estava aberta?

David- Sim. Recebi um chamado, passei mais ou menos meia hora fora e quando cheguei ele estava assim.

Regina- Meu Deus. Ele está sem o coração.

A morena se senta.

David- Você está bem?

Regina- Estou.

David- Deixa-me pegar um pouco de agua.

Regina- Não precisa. As câmeras não filmara nada?

David- Foram danificadas.

Regina - Cadê a Emma?

David- Ela foi deixar o Whale. Ele nem queria vir!

Regina- Por quê?

David- Ao que parece o Hook deu um soco no Whale algum tempo atrás.

Regina- Como a Emma reagiu?

David- Ela não expressou muita emoção e é totalmente compreensivo não é?

Emma chega.

Emma- Regina? O que está fazendo aqui?

Regina- Eu...

Emma- Vem. Pai fica aqui, eu já volto!

A loira ajuda Regina se levantar e a guia pra fora da delegacia.

Regina- Meu amor, eu sinto muito.

Emma- O que está fazendo aqui Regina?

Regina- Eu vi que você ficou um pouco estranha com o telefonema e...

Emma- Você devia estar em casa repousando.

Regina- Eu sei, só fiquei preocupada.

Emma- Eu estou bem.

Regina- Tem certeza?

Emma- É claro que tenho. Eu me recuso a chorar por ele e a única coisa que me incomoda é não ter sido eu a arrancar o coração dele.

Regina se surpreende com as palavras de Emma.

Emma- Desculpa. Tô meio estressada.

Regina- Por que você está tão transtornada desse jeito? É por causa do Hook?

Emma- Não Regina. Não é por causa do Hook.

Regina-Então o que é?

Emma- Entra no carro me amor! Eu vou te levar em casa.

Regina- Não preciso ir pra casa. Eu preciso que me fala o que está acontecendo!

Emma- Não vamos conversar no meio da rua.

Regina- Fala de uma vez!

Emma- Você podia atravessar a fronteira comigo e com o Henry naquela maldição?

Regina a encara surpresa.

Regina- Quem te disse isso? 

Emma- A Lily. 

Regina- Claro que foi. 

Emma- Ela falou a verdade? 

Regina encara Emma. 

Emma- Nem precisa responder. 

Regina- Emma... 

Emma- Não. Eu não quero ouvir. Deixa isso pra lá.

Regina- Eu não podia fazer isso. 

Emma- O quê? Por que não? Não podia me acompanhar por que sabia que encontraria o Robin? 

Regina- O quê? Que historia é essa? 

Emma- Foi por isso que não atravessou a fronteira comigo e com o Henry? Queria encontrar seu amor verdadeiro? 

Regina- A Lily também te disse isso? 

Emma- Você podia escapar da maldição? Me responde Regina.

Regina- Sim. Eu podia ter escapado da porcaria  daquela maldição. Mas... 

Emma- Eu não posso acreditar que fez isso. Tudo isso por causa do Robin? Abriu mão de estar comigo e com o nosso filho pra se aventurar com um ladrão imbecil? 

Regina encara a loira decepcionada e vai saindo. 

Emma- Vai sair sem me falar nada? 

A morena sai da prefeitura e Emma a segue. 

Emma- Pra onde você vai? 

A morena não responde. 

Na porta. 

Emma- Me fala Regina. Por que você não atravessou a fronteira comigo e com o Henry? 

Regina- Pra quê? Você já tem um pré-julgamento. 

Emma-  Meu amor, eu... 

A morena vê Lily do outro lado da rua observando a cena. A jovem sorri e entra na lanchonete. 

A prefeita atravessa a rua e entra na lanchonete. 

O lugar estava cheio. 

Emma- Regina, o que... 

Lily estava sentada num dos bancos giratórios. 

Regina- Ei. 

Quando Lily se vira, sente uma tapa forte na cara, fazendo ela se desequilibrar e cai do banco. 

Todos veem a cena. Lily estava no chão com a mão no rosto. 

Regina- Eu te prometo que da próxima vez que se meter na minha vida, eu arranco essa sua cara de sonsa. 

Lily- O que eu fiz? 

Regina- Se meteu onde não foi chamada. Por que não tem um pouco de dignidade e enxerga de uma vez que a Emma não quer nada com você. 

Lily se sentia humilhada. 

A morena sai da lanchonete e Emma a segue. 

Regina- Por que você ainda dá ouvido a essa garota? Ela faz tudo pra prejudicar a nossa relação. 

Emma- E sabe por que ela consegue? Porque eu vivo descobrindo mentiras suas. 

Regina olha pra Emma. 

Emma- Isso tem que parar Regina. Não podemos dar munição às pessoas. Por que nunca me contou essa historia da fronteira? 

Regina vai saindo e Emma segura seu braço. 

Regina- Me solta. 

Coloca uma mão na barriga e respira fundo. 

Emma- O que foi? 

Regina- Me solta agora. 

Emma- É o bebê? Eu...Eu... 

Regina- Não é nada. Ela só está me chutando por ter que ouvir as imbecilidades da mãe. 

Puxa o braço com força. 

Emma- Me desculpa! Eu não devia ter tocado no assunto.

Oliver vinha chegando no carro da morena. 

Oliver - O que está acontecendo aqui? 

Regina- Graças a Deus!  Me leva pra casa. 

Emma- Regina, eu... 

Regina- Me faz um favor?

Emma- O que quiser.

Regina- Não me siga Swan. 

Emma fica sem saber o que fazer. 

Oliver faz um sinal pra loira, deixando claro que cuidaria da amiga e sai com Regina. 

A morena respirava fundo. 

Oliver - Regina, o que aconteceu? Está sentindo alguma coisa? 

Regina- Aquela vadia desgraçada. 

Oliver - A Emma? 

Regina- Eu estou falando daquele projeto de dragão. 

Oliver - A diaba loira? 

Regina- A filha dela.

Oliver - Fica calma Regina. Me fala o que está acontecendo. 

Regina- Só me leva pra casa da minha irmã. 

Oliver -Mas... 

Regina- Por favor, Ollie.

Oliver a leva pra casa de Zelena. 

Na casa da ruiva. 

Zelena- Isso não pode estar certo. 

Belle- Com certeza não está. 

As duas olhavam pra um painel de parede que ficava na sala. 

Ele estava todo desnivelado. 

Zelena- Sabe, com uma virada de mão... 

Belle- Nós não vamos usar magia Zelena, qual a graça nisso? 

Regina chega. 

Zelena- Não bate a porta mais não? 

Regina- Eu vou matar aquela vadia desgraçada. 

A morena respirava forte. 

Zelena- Quem? 

Regina- Aquela...A... 

A morena se sente tonta e encosta no sofá. 

Zelena corre com Belle pra perto pra ampará-la. 

Na casa de Snow. 

Snow- Emma, como você pode continuar cometendo o mesmo erro? 

Emma- Eu explodi mãe. Não era a minha intenção, mas aconteceu. 

Snow- Como você faz uma coisa dessas no fim da gestação da Regina? 

Emma- Mãe, por favor, eu já estou me sentindo culpada. 

Snow- É pra se sentir mesmo. Lily quer prejudicar você, porquê não enxerga isso de uma vez? 

Emma- Eu pirei quando a Lily disse que ela sabia do Robin. 

Snow- Ela não conhecia o Robin. 

Emma- Mãe... 

Snow- Eu estava lá. Eu vi na hora que eles se encontraram pela primeira vez. Regina não o suportava. Eles brigaram o tempo todo lá. 

Emma- Nós também brigamos aqui e viu no que se transformou. 

Snow- Regina não amou o Robin. Ela ficou com ele, porque achava que ele era o amor verdadeiro dela. Ela estava fragilizada.  

Emma se sente culpada. 

Snow- Emma, todos nós temos segredos. Todos temos um passado. Você me disse que enfrentaria a intriga da Malévola e da filha, o que te fez mudar de ideia. 

Emma- Por um segundo, eu pensei... 

Snow- No quê? 

Emma- Eu acreditei na intenção dela estar com o Robin.  

Snow- Pois acreditou na pessoa errada. Regina te ama! Vocês estão prestes a ter um bebê, fruto do amor verdadeiro de você, o que mais falta pra você acreditar que vocês nasceram uma pra ficar com a outra? 

Emma- Todo o relacionamento que eu tive, foi um desastre.  

Snow- E se você continuar com a essa mania de esperar que as coisas vão sempre dar errado, você não vai ser feliz nunca. E vai perder a oportunidade de estar ao lado da mulher que você ama e dos seus filhos. 

Emma fica calada. 

Snow- Vai atrás dela agora. 

Emma- Ela precisa se acalmar e... 

Snow- Foi o que você fez da outra vez e a Regina usou o tempo a favor dela e atravessou a fronteira com o Henry e você passou meses procurando por ela. 

Emma vai saindo. Volta beija a mãe! 

Emma- Obrigada mãe. 

Quando a loira entra no carro seu celular toca.

Zelena- Emma.

Emma- Oi Zelena, eu...

Zelena- Vem pra o hospital. A Regina não está se sentindo muito bem.

Emma joga o celular no banco e arranca pra o hospital;

Zelena havia levado Regina ao médico, mas o bebê estava bem. Havia sido apenas um susto. Whale havia passado um medicamento e um repouso pra morena.

Regina- Para com isso ou vai afundar o chão.

Emma- Oi meu amor.

A loira senta perto.

Emma- Você está bem?

Regina- Estou ótima. Só estava cansada. Está tudo bem.

Emma- Não está tudo bem. Mais uma vez eu te decepcionei. Eu não devia ter Perdoa-me!

Regina- Emma, quantas vezes eu vou precisar te provar que eu te amo?

Emma- Eu só...

Regina- Emma, eu não aguento mais isso.

Emma sente o corpo gelar.

Regina- Eu sei que errei por não te contar, mas já chega disso.

Emma- O que está dizendo?

Regina- Esse tempo todo que vivemos, você ainda não enxergou que é ao seu lado que eu sempre quis estar.

Emma- É que quando a Lily falou que você havia atravessado por causa do Robin e...

Regina- Chega. Eu não aguento mais a sua duvida Emma. Isso machuca. Essa garota está fazendo tudo que pode pra gente se separar e você tá caindo nessa.

Emma- Me perdoa amor.

Regina- Quer saber por que eu não atravessei a fronteira?

Emma fica calada.

Regina- Por amor a você. Eu não suportaria olhar nos seus olhos todos os dias e fingir que não tínhamos outra realidade em nossas vidas. Fingir que eu não tinha abandonado os seus pais na floresta encantada, pra poder viver uma mentira com você. Vê todos os dias você ao meu lado, sabendo que você podia estar me amando graças a uma maldição. Eu não suportaria viver essa mentira Emma.

Emma sentia seu coração doendo.

Regina- Em Boston eu te disse que eu te daria uma chance e você disse que ia agarrar com unhas e dentes. Eu acreditei mesmo que você ia superar o meu passado, mas eu tô percebendo que isso nunca vai acontecer.

A morena olha pra aliança como se decidisse se a tirava ou não e Emma percebe.

Emma- Por que está olhando pra aliança?

Regina não responde.

Emma- Regina, por favor, não faça isso.

Regina- Eu...

Emma- Olha pra mim.

A morena a encara.

Emma- Meu amor, eu sinto muito ter duvidado das suas intenções. É que...

Regina- É que o quê Emma?

Emma- Ela disse que você e o Robin nasceram pra ficar juntos.

Regina- Quê? Quem disse isso? A Lily?

Emma- A Tinker.

Regina- Olha, eu...

Emma- Regina uma poção disse que vocês estavam predestinados a ficarem juntos. Como eu posso esquecer esse detalhe?

Regina- Eu esqueci. Esqueci quando fiz meu teste de gravidez e descobri que você havia me dado uma prova de amor verdadeiro.

Emma fica envergonhada.

Regina- Saia.

Emma- O quê?

Regina- Quero que você saia do quarto. Deixe-me descansar.

Emma- Meu amor, não tome nenhuma decisão precipitada. Discussões todo casal tem é natural.

Regina- Não há decisão precipitada Emma. Não quero ficar insistindo na nossa historia pelo resto da minha vida.

Emma- Não vai acontecer isso.

Regina fica encarando Emma.

Emma- Por favor, não tira a aliança do dedo.

Regina- Me deixa descansar Emma.

Emma- Tudo bem. Mas promete deixar a aliança aí?

Regina- Por favor, saia!

Emma- Tudo bem. Eu vou pegar umas roupas no guarda roupa. Quando posso voltar pra casa? Não quero ficar longe de você e da pipoquinha.

Regina- Eu não pedi que saísse da casa. Eu pedi que saísse do quarto.

Emma- Ah...Tudo bem(sorri aliviada)Eu saio. Não se aborreça.

A loira ajeita os travesseiros da morena.

Regina- Já tá bom.

Emma- Tá. Me chama se precisar.

Regina- Tá bem.

Da porta Emma olha pra morena outra vez.

Emma- Posso te pedir uma coisa?

Regina- Se eu fosse você eu não pediria nada a mim.

A loira se aproxima, segura o rosto da noiva e a beija.

Regina corresponde o beijo, mas logo a afasta.

Emma- Não esquece que eu te amo.

A loira a cobre e sai do quarto.

Madrugada.

Regina desperta devagar e se vê na cama vazia.

Regina- Idiota.

Emma- Me chamou?

Regina salta com o susto.

Acende o abajur e vê Emma sentada na poltrona.

Regina- Achei que eu tinha te mandado embora.

Emma- Sim, mas não disse que eu não podia voltar.

Regina sorri e revira os olhos.

Emma faz bico.

Regina- Vem idiota.

A loira salta da poltrona e se enfia debaixo das cobertas com a morena.

Regina- Eu devia te deixar no relento.

Emma- Eu sei. Me desculpa.

Regina- Desculpo sim. Me desculpe também. Eu não devia ter dado munição aquela imbecil.

Emma- Vamos esquecer isso.

Regina se aconchega nos braços da noiva e ambas pegam no sono.

Uma semana depois.

Regina- Oliver, que insistência é essa?

Oliver- Regina, a Zelena quer nos mostrar como ficou a casa e eu estou com saudades da Robin.

Regina- Então vai sozinho. Eu tô cansada.

Oliver- Regina, para de preguiça.

Regina- Não é preguiça Ollie, eu não sei se você reparou, mas eu estou com 8 meses de gestação. Essa barriga tá enorme e minhas costas estão me matando.

Oliver- Regina, sedentarismo não é bom pra o bebê.

Regina- Eu não sou sedentária.

Oliver- Sexo não conta.

Regina- Eu estou falando dos meus exercícios diários. Faço Yoga, alongamentos.

Oliver- Ah Regina, vamos!

Regina- O que está acontecendo?

Oliver- Como assim?

Regina- Você nunca insiste demais sobre algo.

Oliver- Eu insisto direto nas coisas.

Regina- Tá acontecendo alguma coisa.

Oliver cruza os braços e fica calado.

Regina- Eu sabia. O que houve?

Oliver- É que...

Regina- O quê?

Oliver- Zelena tem algo pra te mostrar.

Regina- E o que é?

Oliver- Ela não me disse. Provavelmente porquê sabia que eu não guardaria segredo.

Regina- Ollie, eu...

Oliver- Ela quer te surpreender.

Regina- Tá. Vamos.

Oliver- Cê vai vestida assim?

Oliver a leva até o quarto e ajuda com uma jardineira verde e sapatenis.

Os dois seguem pra casa da ruiva.

Regina bate a porta.

Oliver- Vamos entrar.

Regina- Ela já reclamou comigo várias vezes por entrar sem bater e da ultima vez eu quase peguei ela transando com a Belle no sofá da sala. Não quero vê essa cena outra vez.

Oliver- É 7 horas da noite. Acho que estamos seguros.

Regina- Obviamente você não conhece a minha irmã. Tem certeza que era pra cá que devíamos vir?

Oliver- Claro que sim.

O jornalista abre devagar a porta.

Regina- Vai na frente.

Os dois entram e estava tudo escuro.

Regina- Ollie, a Zelena não está em ca...

Alguém acende a luz.

SURPRESAAAAA.

A morena é surpreendida. Na sala haviam umas 30 mulheres sorrindo com presentes nas mãos. Entre elas Zelena, Belle, Snow, Granny, Ruby, Violet, Dorothy, Ariel, Ella  e varias outras mulheres da aldeia.

Regina sorri emocionada.

Na parede uma grande faixa com a frase

 ‘Chá de Bebê de uma princesa’

Regina- Ah meu Deus.

REGINA ON

Eu sinto uma emoção enorme tomar conta do meio peito. Diante de mim estavam varias mulheres sorrindo pra mim. Eram sorrisos sinceros. Elas se aproximam e me enchem de abraços e carinhos. Eu não consigo formar nenhuma palavra. Parece que meu coração vai sair pela boca. Depois de tantos anos perseguindo essas pessoas, elas estão aqui, festejando comigo a chegada da minha filha. Eu tenho certeza que se minha sogra não estivesse segurando tão firme a minha cintura, eu já teria caído.

Oliver e ela me ajudam a me sentar.

Elas se aproximam e me enchem de mimos. Não importa o que há dentro das caixinhas, o mais importante é ter essa sensação de carinho.

A sala da minha irmã estava cor de rosa e lilás. Diversos balões, fotos minhas com a Emma e com o Henry,  bichinhos de pelúcia e uma mesa repleta de docinhos e salgados. Toda a decoração parecia ter saído de uma revista.

Snow- O que acha minha Nora querida?

Eu a abraço com tanta força que sinto o corpo doer.

Snow- Está feliz?

Regina- Ah meu Deus Snow! É claro que sim.

Oliver- Que bom que ficou feliz.

Eu dou um soco no braço dele e logo em seguida eu o abraço. Ele sabe que o soco representava um castigo pela teimosia dele, mas ele também sabia que o abraço era em agradecimento pela mesma teimosia.

Zelena- Oi maninha.

Eu abraço a minha irmã. Eu senti tanta falta de ter uma irmã na minha infância. Sempre faltou um pedaço de mim. E agora, olho pra ruiva marrenta e sinto que não posso mais viver sem ela.

Estava tudo lindo, mas estaria perfeito se eu visse em meio a tantas mulheres e um gay genioso, uma certa loira de olhos verdes penetrantes.

Ela não está aqui. Acho que um chá de bebê não combina mesmo com Emma Swan.

Regina- Emma não veio?

Snow- Sabe como é a Emma. Ela tá correndo atrás de algum bandido por aí.

Tento sorrir pra minha sogra, mas eu tenho certeza que falhei.

Snow- Não fica assim.

Regina- Tudo bem. Eu entendo.

Não. Eu não entendo. Esse momento era nosso. O chá de bebê também é da Emma. Ela devia estar aqui!

Belle e Zelena começam a distribuir salgadinhos e bebidas. Estava tudo uma delícia.

As mulheres me fazem perguntas, participo de brincadeiras com elas. Era um típico chá de bebê. Dividimos varias experiências com crianças pequenas, mamadeiras, fraldas e tudo que uma mãe sabe e precisa saber.

Eu estava vivendo um momento lindo, mas não me esquecia da minha noiva.

Oliver- O que acha de abrirmos os presentes?

Snow- Vamos!

Minha sogra era a mais empolgada.

De repente vejo Oliver e Zelena empurrando uma grande caixa.

Todos me olham com expectativa.

Regina- Mas o que é isso?

Pela dimensão da caixa, eu deduzi que seria a poltrona que meu amigo havia me prometido.

Oliver- Só vai descobrir se abrir.

Me aproximo, tiro o papel de presente e vejo a imagem da cadeira na caixa.

Sorrio e abraço o meu amigo.

Oliver- Por que não abre o resto?

Estranho, mas abro e antes de terminar alguém surge da caixa.

Era a mesma pessoa que me tirava o sono, me fazia sorrir em qualquer momento e me trazia de volta a vida.

Ela sorri pra mim e eu sinto meu coração saltitar ao abraçar a minha noiva.

Regina- Meu amor.

Emma- Achou mesmo que eu não participaria desse momento com você?

Eu a abraçava com força.

Emma- Gostou da surpresa?

Eu a beijo. Esqueço que outros estavam na sala.

E por um momento éramos só nós duas.

Regina- Você sumiu o dia todo.

Emma- Desculpa.

Regina- Sai daí.

Ela sai de dentro da caixa e os outros riem do jeito desengonçado dela.

Emma- Boa noite meninas...E Oliver.

Snow- Chegou na hora dos presentes, Emma.

Emma- Acho que é a melhor hora.

Regina- E cadê meu presente Swan?

Emma- Quer que eu dê na frente de todos?

Snow- Ei.

Minha sogra puxa a orelha da loira.

Emma- Ai mãe.

Ela me olha e sorri.

Emma- Antes de te dar meu presente, eu tenho umas coisinhas pra dizer.

Ela fica de pé perto de mim.

Emma- Como vocês já sabem, eu não cresci perto da magia. Vivi grande parte da minha vida longe de toda essa loucura de contos de fadas.

Todas riem.

Emma- Quando conheci o Neal, achei que havia encontrado a felicidade.

Ela me olha.

Emma- Não era. E mesmo que ele não tenha representado o que eu imaginava ser, minha vida mudou completamente quando fiz meu teste de gravidez.

Sorrio ao lembrar do nosso pequeno príncipe.

Emma- Depois de muitos e muitos anos, ele chegou a minha porta. E de repente tudo mudou outra vez. Conheci a mãe dele da forma mais inusitada possível. Ela era muito nervosa e aquilo me enlouquecia porquê eu não entendia.

Todos me olhavam e eu não sabia como reagir.

Emma- E de repente eu entendi. Era autodefesa. Mesmo que eu tenha demorado entender, eu entendi, Regina.

Respiro fundo.

Emma- O sentimento de insegurança por não ser aceita como você é, me acompanhou por muito tempo. Sei porquê estava receosa em aceitar fazer um chá de bebê pra nossa pipoquinha. Mas eu quero que saiba, que todas essas pessoas aqui presente, aceitaram felizes o convite pra participar desse momento com nós duas.

Eu me emociono.

Emma- E eu tive que me controlar pra não chamar o dobro de convidados.

Todos riem.

Emma- Hoje, as pessoas enxergam a sua essência Regina. Sabem o quanto você se sacrificou pelo Henry, pela cidade...Por mim. Eu fui uma idiota ao duvidar das suas intenções sobre atravessar a fronteira e eu te peço desculpas. Mas eu estava assustada.

Franzo as sobrancelhas e ela entende que estou confusa.

Emma- Aquele projeto de vagalume me disse que vocês eram almas gêmeas.

Regina- Quem?

Emma- A Tinker. Naquele dia em que a Marian voltou, ela foi até  o apartamento da minha mãe e me disse que eu tinha feito uma burrada, pois o Robin era sua alma gêmea e que eu não devia ter interferido no futuro de vocês e..

Regina- Emma.

Emma- Deixa eu terminar. Depois de anos convivendo com você, depois de viver momentos tão maravilhosos ao seu lado e ao lado do nosso filho, e agora nossa princesa, eu sei que independente de qualquer poção ou maldição ou qualquer tipo de coisa que surgir, você sempre será...

A minha noiva se emociona e eu a abraço.

Emma- Você é minha alma gêmea Regina.

Regina- É claro que é meu amor.

Emma- Eu tinha medo de não te merecer.

Ela se afasta e me encara com o rosto banhado de lagrimas e a pontinha do nariz vermelha.

Emma- Eu ainda vou cometer muitas burradas Regina. Você ainda vai me expulsar varias vezes do quarto, mas eu te juro meu amor, que eu sempre vou voltar pra você e pra nossa família.

Regina- Me promete. Me promete que quando eu te expulsar, você vai voltar.

Emma- Eu prometo. Mesmo que as coisas pareçam difíceis, meu coração sempre será seu.

Sorrio e a beijo outra vem.

Eu escuto um ownn pela sala e nos damos conta que há outras pessoas na sala.

Eu olho ao redor e vejo quase todas emocionadas.

Zelena- O que acha de comermos algumas dessas delícias? Tô morrendo de fome.

A frase da minha irmã nos faz rir.

Emma e eu vamos pra trás da mesa e seguramos a espátula pra partir o bolo. Eu sentia os flashes em cima de nós duas. Belle registrava cada momento.

Pousamos pra fotos. Partindo o bolo, abrindo alguns presentes. Brincando de trocar fraldas em bonecas.

Eu estava feliz.

Zelena, Belle e Snow começam a servir salgadinhos.

Regina- Obrigada Emma. Obrigada por tudo que aconteceu na minha vida.

Emma- Obrigada por fazer parte dela.

Estávamos sentadas e olho ao redor.

Todos brincavam e confraternizavam.

Oliver- Ei. Vocês não estão esquecendo de algo não?

Emma- Se eu esqueci de te dar um soco? Esqueci.

Oliver- Nossa, que jovem agressiva.

Emma- Eu ia morrendo sem ar, dentro daquela caixa.

Oliver- Deixa de ser exagerada.

Emma estira a língua pra o meu amigo.

Regina- O que estamos esquecendo Oliver?

Oliver- Emma ainda não te deu o presente.

Regina- Ah, é mesmo. Cadê o meu presente Swan?

Emma sorri.

Regina- Eu quero meu presente.

Emma- Vem.

Ela me ajuda a me levantar. A barriga tá enorme e eu não consigo sozinha.

Regina- É algo indecente Swan?

Emma- Agora não. Está lá fora.

Ela me leva até a porta de Zelena e quando eu a abro eu vejo um carro com um enorme laço amarelo.

Era um  SUV Chevrolet Tracker cor de vinho.

Regina- Ah meu Deus.

Grito e agarro a minha noiva.

Oliver- Acho que ela gostou.

Regina- Eu adorei meu amor.

Emma- É super espaçoso. Seguro e econômico. Perfeito para uma família de 4 mais agregados.

Regina- Ele é meu?

Emma- É seu.

Eu a abraço outra vez.

Regina- Mas e seu fusca? E a minha Mercedes?

Emma- Estão bem guardados.

Eu me aproximo do meu novo xodó.

Emma- Toma.

Ela me entrega a chave e eu desativo o alarme.

Era um lindo carro.

Abro a porta e sinto cheirinho de carro novo.  Logo vejo uma cadeirinha infantil no banco de trás.

Snow- Presente meu.

Emma- E não vai sair daí enquanto a pipoquinha não fizer 10 anos.

Todos riem.

Emma-Eu passei 1 hora colocando ela no lugar e...

Eu a calo com um beijo.

Voltamos pra dentro da casa da minha irmã e finalizamos o dia perfeito.

REGINA OFF.

No outro dia.

Emma- Tem certeza que quer sair hoje? Estou te achando tão cansadinha.

Regina- Eu prometi ao Henry que estaria presente nessa apresentação do trabalho da escola meu amor.

Emma- Mas ele vai entender.

Regina- Eu nunca quebrei uma promessa que fiz a ele.

Emma- Tudo bem. Vamos.

As duas seguem pra apresentação de Henry.

As duas se sentem orgulhos ao ver Henry defendendo com tanta segurança a peça escolar.

Saem pra comemorar.

Henry- Quando vão deixar eu dirigir essa máquina?

Regina e Emma- Nunca.

Henry- Ah, qual é?

Regina- Dirija aquela maquina amarela da Emma.

Emma- Ei.

Regina ri enquanto dirige.

Regina- Nem você vai dirigir meu carro Emma.

Emma- Isso é muito errado.

Regina- Eu vi os arranhões no fusca.

Emma- Foi o Henry.

Henry- Não foi mesmo.

Regina- Eu sei que foi você Swan.

Emma- Pra onde vamos agora?

Regina- Vamos comemorar. Pizza na lanchonete da vovó.

Seguem pra lanchonete.

Jantam a pizza que Regina havia prometido e saem da lanchonete.

Emma- Ah, eu esqueci meu celular.

Regina e Henry seguem pra perto do carro.

Malévola- Olá Regina.

A morena encara a bela loira a sua frente.

Malévola se aproxima mais de Regina e Henry toma a frente.

Malévola- O que há querido?

Henry-Não se aproxima dela.

Malévola- A mamãe loira já te envenenou contra mim?

Henry- Ela não precisa disso! Eu reconheço quem quer prejudicar a nossa família e isso eu não vou permitir!

Regina- Henry, tá tudo bem.

Henry continua encarando Malévola.

Regina- Porque não apressa a sua mãe?  Se eu bem a conheço ela está comendo de novo.

Henry-Mãe...

Regina – Pode ir filho!

Henry sai apressado e contrariado.

Regina- Como vai Malévola?

Malévola- Eu estou bem e você?

Regina- Não estou muito bem. Mas estaria melhor se a sua filha não estivesse tão determinada a destruir a minha família!

Malévola- Já tentei falar com ela, mas...

Regina- Porque acha que eu acredito em você?

Malévola- Regina, não acredita em mim?

Regina- Eu posso acreditar! Se você me responder  uma única pergunta de forma de forma sincera.

Malévola – É claro querida.

Regina - Você matou o Hook?

Malévola – Não!

Regina- Não?

Malévola – Eu só arranquei o coração dele.

Regina- Por que fez isso?

Malévola – Qual é a queixa Regina? Achei  que ficaria feliz com isso! Afinal de contas eu tirei do seu caminho um imbecil arrogante e prepotente.

Regina- Não faça isso.

Malévola – Fazer o quê?

Regina- Tentar me convencer que fez isso por mim.

Malévola – Tudo bem! Não foi por você.

Regina- Pra quê pegou o coração dele?

Malévola – Porque estamos tendo essa conversa no meio da rua?

Vamos tomar um café.

Regina a encara.

Malévola- Só um cafezinho.

Emma chega com Henry.

Emma- Oi meu amor. Está tudo bem?

Regina- Está.

Malévola- Oi salvadora.

Emma- Como vai Malévola? Arrancando muitos corações por aí?

Regina- Emma. Vai indo pra casa, daqui a pouco eu chego.

Emma se aproxima.

Emma- Tem certeza meu amor?

Regina- Claro. Você me espera? Prometo não demorar.

Regina- Nos leve a prefeitura.

Malévola sorri e somem na fumaça.

Henry- Isso não é bom mãe.

Emma- Regina sabe o que está fazendo.

Henry- Você notou que ela não entregou a chave?

Malévola- Você é mesmo uma mulher surpreendente Regina.

Regina- Por que diz isso?

Malévola- Depois de afirmar que estou de posse do coração do pirata desengonçado, você me traz aqui pra conversarmos sozinhas?

Regina- Eu te conheço Malévola. Você não faria mal a mim. Não no estado em que eu me encontro.

Malévola sorri encarando-a.

Regina- Eu pedi que nos trouxesse aqui pra conversarmos francamente. O realmente você quer Malévola?

Malévola- Você sabe o que eu quero Regina.

Regina- Você quer o que não pode ter Malévola. Sempre foi assim. Por isso está tão determinada a me destruir?

Malévola- Eu não quero te destruir.

Regina- Quer destruir a Emma. É o mesmo que me destruir.

Malévola fica calada.

Regina pega uma fotografia e entrega a loira a sua frente.

Malévola- O que é isso?

Regina- É a minha filha.

Malévola olhava pra imagem em suas mãos.

Regina- Essa inocente não tem culpa de nada Malévola. Não faça isso com a minha filha.

Malévola- Engraçado a mãe dela não ter piedade da minha filha.

Regina- Quando vai colocar na cabeça que do mesmo jeito que a Snow tirou a sua filha, a Emma a devolveu. Acha isso justo?

Malévola- Não me venha falar em justiça Regina.

Regina- O que aconteceu com a Lily foi horrível, mas por favor, eu te imploro. Não faça nada pra destruir a minha família.

Malévola a encara.

Regina- Você lembra do que sentiu quando a Snow tirou a sua filha de você? Se fizer a Emma sofrer, vai estar estragando a única oportunidade que eu tenho de ser feliz ao lado do meu amor verdadeiro. Não faça isso comigo. Eu te imploro! Não deixe a minha filha sofrer por causa de um capricho Malévola.

A loira some na fumaça e leva a fotografia.

A morena sente um chute.

Regina- Calma meu amor. Tá tudo bem!

A morena sai da prefeitura e encontra Snow.

Snow- Regina?

Regina- Oi Snow.

Snow- Está tudo bem?

Regina- Está.

Snow- Emma está na lanchonete com o Henry e o David. Quer que eu te acompanhe?

Regina confirma.

Um tempo depois Lily chega perto da mãe, que estava perto da fonte, onde Gold havia trazido a magia de volta.

Lily- O que foi? Por que pediu que eu trouxesse a poção? Achei que só faríamos amanhã.

Malévola- Mudança de planos.

Lily- O quê?

Malévola- Não vamos fazer isso agora.

Lily- Por que não?

Malévola- A Regina está no fim da gestação e...

Lily- E daí?

Malévola- Se acontecer qualquer coisa e ela perder o bebê, eu não quero carregar esse fardo pra sempre.

Lily- A sua paixãozinha por ela está cegando você.

Malévola- Me entregue a poção.

Lily entrega um frasco à mãe.

Lily- Eu deveria saber que não podia contar com você.

A jovem sai apressada.

Malévola olha pra fotografia do ultrassom de Regina mais uma vez.

Malévola- Nenhuma mãe merece isso.

Malévola derrama a poção no poço e some em sua fumaça.

Lily se aproxima.

Lily- É Regina, conseguiu convencer a minha mãe, mas a mim não.

Olhava pra frasco verdadeiro em sua mão.

Lily vai até a torre do relógio e espera o momento certo pra criar uma distração.

Emma e Regina estavam sentadas no banco da praça.

Regina- Muito obrigada pela confiança a respeito da Malévola.

Emma- Não precisa agradecer. Nossa!

Olha pra o céu.

Regina- O que foi?

Era a lua.

Regina- Que linda!

Emma- Parece muito com a primeira vez que eu te vi.

Regina- A noite em que você apareceu na minha porta com a cara de tonta?

Emma- Essa mesma.

Regina sorri.

Regina- Eu me apaixonei por você naquele minuto Emma.

Emma- É verdade?

Regina- Sim. Naquele pequeno segundo em que te encarei nos olhos, meu coração já sabia que era você que ele queria amar.

Emma sorri largamente.

Regina- E quando eu te vi abrir a porta só de calcinha vermelha...

Emma ri.

Regina- Como pode abrir a porta só de calcinha?

Emma- Eu nem me importei.

Regina- Você é doida.

Emma- Mas adorei vê seus olhos no meu corpo.

Regina- Eu senti meu corpo ferver naquele segundo.

Emma- Quer saber quando eu senti meu corpo responder ao seu?

Regina- Quando?

Emma- Naquele dia nas minas, quando você chegou tão perto que eu pude sentir seu hálito me invadindo.

Regina sorri.

Emma- Quer saber outro momento quente?

Regina- Quero.

Emma- Quando eu cheguei e vi você sentada em cima da minha mesa de pernas cruzadas.

Regina- Eu sempre soube te provocar.

Emma- Soube sim.

A loira se aproxima e dá um selinho na noiva.

Regina- Eu te amo.

Emma- Eu também te amo.

Snow estava saindo da lanchonete de mãos dadas com David.

A jovem se transforma em dragão e começa a perseguir os dois.

Emma e Regina veem a cena.

Emma- Fique aqui.

Regina observava a cena aflita.

Emma- Para com isso.

Joga bolas de fogo, mas não consegue acertar Lily.

Zelena surge.

As duas tentam conter o dragão e não conseguem.

Num momento de distração Zelena é jogada longe.

Emma corre pra perto.

Emma- Você tá bem?

Zelena- Estou(ofegante) Por que essa lagarta voadora tá destruindo a cidade?

Antes da loira responder, Lily avança pra Snow, mas Emma se joga na frente.

As garras de Lily perfuram o braço da loira que cai no chão.

Regina- EMMAAAA.

O dragão some pelo céu.

Todos correm pra perto.

David a pega no colo.

Regina se aproxima.

Regina- Você está bem?

Emma expressava dor nos olhos.

Regina- Emma...Emma fala comigo.

Snow- Filha. Você consegue nos ouvir?

Zelena- Tragam ela pra minha casa.

A ruiva leva a todos por magia.

David a deita no sofá.

Os ferimentos em seu braço haviam sumido.

Regina- Emma, você está bem?

A loira não respondia.

Snow- Filha?

Emma olhava pra Regina.

Regina- Emma? Meu amor.

Emma fecha os olhos.

Regina- EMMAA.

A morena se ajoelha perto da noiva e a sacode.

David- O que aconteceu?

Snow- É uma maldição do sono?

Regina- Ah meu Deus.

Zelena- O coração do Hook. Era pra isso que a Malévola o queria?

Regina estava abraçada a loira.

Snow- Não perde tempo Regina.

David- Acorda ela com o beijo de amor.

Regina respira fundo e encosta seus lábios nos lábios de Emma.

Uma forte energia passa por todos. Uma nuvem passa pelo corpo da loira que desperta.

Regina sorri aliviada.

Emma- O que aconteceu?

Regina- Você...Não lembra?

Emma- Não. Só lembro de ter ajudado você a se separar da Evil Queen e...Regina? Você tá grávida?

A frase de Emma impacta Regina.

Todos estavam surpresos.

Regina havia finalmente entendido. Emma estava amaldiçoada com a poção do esquecimento.

 

 

  

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...