História Swaplust - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Asgore Dreemurr, Chara, Doggo, Frisk, Papyrus, Sans, Toriel, W. D. Gaster
Tags Asgore, Chara, Frisk, Gaster, Papyrus, Sans, Toriel, Underlust, Underswap
Exibições 47
Palavras 1.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, FemmeSlash, Ficção Científica, Hentai, Orange, Romance e Novela, Saga, Seinen, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Minhas mãos estão sujas com o sangue de cada um que ousou aparecer a minha frente.Minha mente é repleta de toda sorte de imundície indescritível. Eu causo repugnância? Eu causo o ódio? Eu causo pânico? Sou eu por acaso assustador? Então porque eles insistem em me mudar? Eu já estou totalmente perdido. Só me resta afundar a todos comigo , indo mais e mais fundo no poço da insanidade , também conhecido como inferno. Mas o inferno já é aqui , eles apenas não aceitaram isso ainda. ~Frisk



Aqui está mais um capítulo cheio de loucuras para vcs!

Capítulo 10 - The insane among us (GENOCÍDIO)


Fanfic / Fanfiction Swaplust - Capítulo 10 - The insane among us (GENOCÍDIO)

Frisk se levanta segurando sua barriga com força , esse golpe deve lhe ter doído mesmo sem ter causado nenhum dano praticamente , mas isso iria atrasá-lo e diminuir seu dano de ataque e sua taxa de acerto , mesmo Asgore estando em piores condições.

 

Aquela cena que o ser tinha em sua frente para ele era uma das mais lindas que existem. Ela lhe dava fome , muita fome. Apesar de monstros se tornarem em pó muito rápido , o humano já estava com esse desejo em sua mente. Ele queria mais que tudo sentir o macio e pulsante coração da cabra sendo estraçalhado pelas suas mandíbulas poderosas e pelos seus estranhamente afiados dentes. Apreciava também o fazê-lo com as entranhas , pois dizem que buchada de bode é uma delícia , é o que vamos ver.

 

Asgore apertava seu pescoço, na tentativa inútil de estancar o sangue , e porque era inútil? Simples: Frisk perfurou sua veia cariótica. Mesmo ele sendo um monstro ,todo o sangue do corpo dele vai estar no chão em aproximadamente 10 minutos. Devido a queda brusca de pressão no cérebro , ele devia ter perdido a consciência em poucos segundos. Isso que é um cabra macho. Mais foi imprudente ao tentar mover Frisk do lugar no momento da mordida. Se não tivesse feito isso , provavelmente teria perfurado apenas a veia jugular , ele teria muito mais que 15 minutos e conseguiria estancar o sangue , mas ao movê-lo mais , acabou se condenando à morte.

 

-E agora? Porque você não está me atacando?

 

Disse Frisk sarcasticamente. Se  ele não tivesse feito esse golpe mortal logo no início e não tivesse o incapacitado , agora Asgore já estaria em cima dele , ou o estuprando , ou dando sermões , deixando o humano sem ter pra onde correr. Essa criatura era mais esperta que uma raposa , mas a situação dele ainda ia se complicar mesmo ele não sabendo disso.

 

-V-você irá pagar por isso.

 

Falou o monstro com dificuldade sentindo o ar lhe faltando. A visão começava a embaçar e a cabeça a rodar. Faltava pouco para que ele perdesse a consciência.

 

Vendo que o bode não tinha condições de atacar , Frisk andou lentamente até ficar a frente dele , que nem percebeu a aproximação. O humano pegou uma faca de brinquedo que havia encontrado , parecia muito fraca , mas ele afiou a ponta para que servisse pra alguma coisa. Ele fez um pequeno círculo com a faca no peito do monstro bem em cima do coração , cortando a roupa e fazendo uma incisão levemente profunda. Saía um pouco de sangue por esse sulco que foi aberto , mas a dor que Asgore sentia na nuca era tão lancinante que ele nem percebeu o ferimento secundário.

 

Parecia que o monstro começou a delirar. Ele se lembrava de sua família , de sua esposa que fazia chás deliciosos que ele não cansava de tomar , da vez em que ele cuidou dela quando esta ficou doente por causa da crianças que se confundiram entre butterscoths (caramelo , da torta de caramelo e canela) com butter cup (outro nome para botões de flores de ouro , que podem contar um veneno que faz mal a qualquer ser vivo , causando enjoos , diarreias , e se ingeridas em alta quantidade , pode levar a sangramentos e cólicas intestinais) fazendo com que Toriel passasse muito mal e adoecesse. Asriel chorava todos os dias pedindo desculpas , enquanto que Frisk o chamava para brincarem com sua nova câmera fotográfica por aí. Talvez Frisk não se preocupava porque sabia que a rainha não iria morrer , ou talvez , só não se importasse , já que ele , como todo mundo , achava que Asgore seria um rei bem mais rígido que Toriel , já que ele apenas com um olhar , assusta qualquer monstro , mas ele tem uma fraqueza , apenas uma fraqueza.

 

Asgore não consegue matar um humano. Ele simplesmente ama a todo e qualquer humano. Ele não consegue evitar sentir ódio de quem machuca um humano , independentemente do que este faça , ele não irá desistir de mudá-lo. Mas agora não terá muito tempo para isso , só lhe resta desejar boa sorte para o pessoal lá de fora , sem nem mesmo ter a oportunidade de dizer adeus a sua esposa.

 

Frisk então não perdeu mais tempo em enfiou a faca fundo no peitoral do bode. Depois começou a rodar a faca dentro dele passando pelo círculo marcado , rasgando tudo fundo. Dessa vez , Asgore sentiu , e tentou se debater , mas Frisk o empurrou contra o portão , segurando com uma mão a área onde ele estava cortando e com a outra ele termina de fazer  a perfuração. A essas alturas , o monstro já estava fraco pela perda de sangue e não pode lutar contra a força sobre humana desse ser.

 

Depois de ter acabado , Frisk enfiou a mão fundo na área cortada , procurando pelo orgão. A dor era tão horrível que ele nem conseguia gritar , e também não conseguia , pela mão dele estar contraindo os seus pulmões , lhe tomando o ar. Quando achou o que queria , sem nem pensar o humano puxou o coração pra fora dele , quebrando algumas costelas nesse processo. O monstro ainda ficou consciente e vivo , de alguma maneira , pra ver Frisk se levantar com o coração ainda pulsante na mão falar de modo irônico:

 

-Acho que eu devo estar com muito medo , já que estou com o coração na mão. O que foi? Também ficou tão assustado que o coração saiu pela boca? Hee hee hee hee.

 

Quando terminou esses trocadilhos enfadonhos , tacou uma mordida no coração e comeu se fosse uma maçã. Sujou a boca inteira com o sangue e lambeu com gosto. Se Asgore não estivesse com a garganta completamente obstruída nesse momento , vomitaria. Depois que Frisk deu a última mordida e engoliu já lambendo os dedos e pegando a faca pra fazer a mesma coisa com o estômago do monstro , ele não resistiu. Sua alma apareceu , e se despedaçou completamente , e seu corpo se tornou em poeira.

 

A criatura frustada , limpou o rosto com as mãos e colocou na boca em seguida , ainda não se sentia satisfeito o bastante , se bem que.... Ele nunca se satisfaz.

 

-Unf. Acho que vou ter que mudar de estratégia. Se eu fingir que sou bom , posso fazer mais coisas quando eu estiver mais preparado e com material em mãos ,e além disso , será muito mas divertido ver as suas carinhas de surpresa quando verem o humano bacana e gentil matando seus amigos um por um! Hee hee hee.

 

Enquanto isso.....

 

 

Chara acorda no pequeno jardim de flores onde tudo começou. Quando Frisk resetou , ele a arrastou também , e agora , ela talvez seja a última esperança da raça monstro.

 

Ela corre à procura de alguma alma viva nas ruínas , mas não acha ninguém , todos estão mortos , há poeira por todos os lugares , ela chegou tarde demais. Quando ela estava quase saindo das ruínas , encontra uma flor , visívelmente alterada , de costas para ela , provavelmente quando Frisk foi embora , disse algo à ela. A humana se aproximou da flor , e com doçura perguntou:

-Você está bem?
-C-corra.
-Porque?
-Você tem que correr o quanto antes. T-todos irão morrer , você tem que fugir agora. Por favor me ajud-de. E-ele está vindo.

Depois de dizer estas palavras , a flor mergulhou na terra novamente , deixando a garota cheia de dúvidas. Será que Frisk está mesmo matando todo mundo? Será que eu irei chegar a tempo de impedi-lo? Será que conseguirei impedi-lo? Essas e muitas outras perguntas passavam pela mente da menina. Mas de qualquer maneira , e em qualquer circunstância , ela manterá a sua determinação.

 

Continua

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...