História Sweet - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Personagens Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Tags Colegial, Drama, Romance
Exibições 109
Palavras 818
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem gente por ter excluido a outra, é que aquela tava muito caida, essa quero fazer mais atual.

Boa Leitura.

Capítulo 1 - Work


20 de outubro de 2016, 11:45  da manhã

Era daqueles tipos de garota mimada, não lavava uma louça, não arrumava a cama. Era uma menina livre pra fazer o que bem quisesse. Sua mãe era psicóloga, muito mais amigável com giovanna, ao contrário do pai. Um advogado bem sucedido do Rio, mas sempre com a cara fechada bem carrancudo. Mas é claro que nossa patricinha nem liga pra isso.

Giovanna gosta de se aventurar, dos jeitos mais perigosos que existem. Ela é uma menina sem "limites" até já perdeu as contas por brigas, horários, e  grosserias na escola. Os pais dela não tem tempo pra ela, então se ela chegar 4 da manhã, ninguém vai ver ao não ser a empregada Creusa, porque os pai estão podres de cansados. 

Ela tinha uma rotina meio cheia, estuda de manhã, sai a tarde, e de noite quando é convidada a festas vai, e chega tarde como sempre. Como agora já era 12:00, Rosa vai acordar Giovanna como roda manhã fazia

-Dona Giovanna hora de acorda- Rosa abre as cortinas e a vampirinha acorda, sai resmungando ao banheiro, indo ao banho- A senhora vai querer o almoço ou o café- Já sabia a resposta, mas não perdia um a em chamar a garota de senhora

-SENHORA NÃO CREUSAAAA! JÁ DISSE QUE É GIO, GIOVANNA OU RAINHA HAHAHA- diz gritando e creusa escuta de lá de baixo- VOU QUERER CAFÉ... EU QUERO PÃO DE QUEIJOOO- grita de novo e é quando Amora chega, sempre chegava esse horário. 

-Creusita, quanto tempo eu não te vejo- diz apertado-a e dando Beijos no rosto.

-Mas credo tu não me viu ontem muié? 

-Ahhh é verdade, mas isso não faz nem 24 horas.

As duas riem e giovanna desce, Creusa vai pra cozinha, e as duas ficam a ali tomando café. 

- Olha ela ela toda trabalhada na make- diz dando um beijo na morena.

-sempre né amor- dando a primeira mordida no pão de queijo- Amora do céu meu bvl tá voltando- ela era tão previsível. 

-Aff né amor num faz nem uma semana que tu beija, só o cabaço que tu tem que perde essa merda logo heim... Hum mas eu sei uma pessoa que quer ficar com  tu.

-Quem? 

-O Leo, hahaha

-credo quem te disse isso. 

- ele pediu pra mim pergunta pra você, sério giovanna não acredito que tu ficou com ele. Como que teve coragem de beijar aquele esgoto de boca.

- Nossa eu tava no 6 ano, não sabia que tava fazendo. 

-Sabia sim, acho que naquela época beleza era uma coisa que não importava pra você- conversaram um pouco mais e tomaram o rumo pra escola foram no carro de Amora o da giovanna estava no concerto. 

Elas chegam e bate um vento de tantas cabeças virando para olha-las,  Amora tinha namorado o Giane, todo mundo chamava ele assim. Foram para a sala porque o sinal já havia batido e se atrasar era uma merda pras duas. 

Não demorou para o professor chegar e começou a aula, gio podia ser tudo, mas burra ela não era, notas boas na sala. Pra uma menina que todo mundo pensa que não faz nada e é só 0 em todas as matérias estava errado.

Deu o recreio e elas foram para o refeitório, ficaram na mesa deles, tinham mais amigos, Paulo Gustavo, A gay. Tata Werneck, a engraçadona, e a Fabiula Nascimento, a certinha. Eles eram os mais fiéis e que sempre podia confiar.

Terminaram e gio e Amora foram no banheiro, e foi quando bateu o sinal e era uma loucura aquele corredor, estavam no banheiro ainda concerteza não ia dar tempo.

- Vai giovanna acelera esse mijo aí minha filha- não podiam demorar o diretor daquela escola já tinha uma implicância tremenda com elas- Nossa que xixi é esse parece as cachoeira, aee vamo.

Não tinha ninguém no corredor, ihh tavam fudida. Foi quando alguém falou atraz delas "BONITO HEIM" , foram direto para secretaria. E começou o interrogatório, ele queria saber de cada detalhe, e Amora se explodiu e começou a xingar e as duas começaram a xingar junto o diretor. Ele às dispensou, que até achou estranho mas foram. 

-

-Mas pai, ele queria ssaber o que agente tava fazendo no banheiro, o que é? Se ele perguntasse e eu tava usando calcinha eu ia ter que responder. 

-CHEGA!! Deu. Seja um pouco responsável, chega de mimi, pensamento pequeno, se a autoridade falou tá falado. Você é impossível, esse diretor me liga quase todo dia. Eu me arrependo de até hoje ter feito tudo por você e me retribuir desse jeito- dava pra ver a feição dele que tava bravo pra caralho- o que eu vou fazer com você?

- de castigo não, e nem a mesada pai o dinheiro não.

-Já sei... Tem um vaga de assistente que um amigo  eu está precisando de uma e eu vou colocar você, assim como você aprendeu a fazer coisa errada, aprenda se virar sozinha.

-O QUE!?


Notas Finais


Comecei de voltaaaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...