História Sweet Amoris University - Interativa - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Debrah, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Viktor Chavalier
Exibições 35
Palavras 1.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - Capítulo 13.


– Effy, por favor... – Castiel cambaleou e precisou se escorar na porta.

– Você está bêbado? – Elizabeth deu um passo para frente, mas ainda mantinha distância segura.

– E veio dirigindo?! – Kiara olhou para fora e viu seu rover preto mal estacionado.

– Você é louco? – Brooke bufou

– Parem de gritar. – Castiel colocou a mão na cabeça.

– Não estamos gritando! – Lucy sussurrou irritada.

– Mas afinal, o que você veio fazer aqui duas horas da manhã? Não podia esperar até amanhecer? – Manu disse.

Castiel olhou para Elizabeth com um olhar de súplica.

– Ele é todo seu. – Kiara disse para Elizabeth e se virou em direção a escadas e as meninas fizeram o mesmo.

– Espera. – Elizabeth correu até elas – Vocês vão me deixar sozinha com ele? – sussurrou.

– Ele não veio até aqui para falar com a gente. – Lucy ergueu as sobrancelhas e voltou a subir os degraus.

– Belas amigas. – Elizabeth sussurrou e se virou para Castiel. – Você está parecendo um saco de batatas.

Castiel estava com um olhar triste. Effy revirou os olhos e se deu por vencida, foi até o ruivo e passou o braço dele por cima de seu ombro, ajudando-o a andar.

Deram dois passos e Castiel começou a espirrar.

– Era só o que faltava. – Elizabeth falou com dificuldade por não aguentar o peso de Castiel. – Além de bêbado, está gripado.

Depois de quase rolarem escada a baixo inúmeras vezes, Elizabeth conseguiu chegar até o segundo andar com Castiel. O levou até o banheiro e tirou sua jaqueta e sua camiseta.

Quando ela viu o tórax nu do ruivo, seu coração bateu mais forte.

Castiel a olhava com carinho, mesmo sem dizer nada.

– Se concentra, Effy. – a garota sussurrou para si mesma. – Acho bom você conseguir tomar banho sozinho, porque eu não farei isso. – ela deixou uma toalha em cima da pia e saiu do banheiro.

Ela ficou do lado de fora, esperando o ruivo e pediu para que ele não trancasse a porta.

Quinze minutos depois, Castiel abriu a porta e estava com a toalha enrolada na cintura. Elizabeth fitou seu corpo.

– Algum problema? – ele perguntou.

Elizabeth balançou a cabeça, negando.  Ela o levou até o seu quarto e o colocou sentado na cama.

– Poderia ter acontecido algo sério com você, Castiel. – Elizabeth olhava para o rapaz séria.

– Então você se importa comigo? – ele debochou, mais de si mesmo do que da garota.

Elizabeth não quis responder esse comentário para não demonstrar o quanto ela estava vulnerável em relação a ele.

– Eu tenho algumas roupas do Lucca aqui. – ela falou indo em direção ao guarda roupa.

– Por que você tem roupas do Lucca? – Castiel alterou um pouco o tom de voz e arqueou a sobrancelha.

– E por que isso te interessa? – ela respondeu cínica e ele se levantou.

– Responda. – Castiel fez Elizabeth ficar de frente para ele e a encurralou entre seu corpo e o guarda roupa. Colocou um braço de cada lado da cabeça da garota. – Effy.. – ele encarou seus olhos e depois seus lábios. A garota estava com a boca entreaberta, com o olhar fixo nele.

– Eu não sou obrigada a te responder. – ela sussurrou séria.

– Responda! – ele fechou os dois punhos e socou o guarda roupa.

– Castiel! – Elizabeth rapidamente se desvencilhou dele e foi para perto da porta. – Vai embora. – ela estava assustada com a reação dele.

– Effy.. – vendo a reação dela, Castiel percebeu o que tinha feito.

– Agora! – ela esbravejou.

– Me desculpa. – sussurrou com sua voz carregada de arrependimento.

Elizabeth hesitou por ver a reação dele.

– Eu vou arrumar o sofá enquanto você se troca. – ela disse ríspida, jogando uma troca de roupa do Lucca em cima da cama.

Ela desceu e colocou um lençol, uma coberta e um travesseiro no sofá grande. Subiu para o segundo andar de novo e encontrou Castiel deitado todos desengonçado na cama, dormindo.

– AH NÃO NÃO NÃO. – ela o balançava mas ele continuava dormindo – CASTIEL, ACORDE, SEU LUGAR É LÁ EMBAIXO! – ele se mexeu e alguns fios de cabeço caíram em seu rosto.

Elizabeth passou a mão em seu rosto e sorriu, vendo-o dormir como um bebê.

– CASTIEL, ACORDE. – ela falou no ouvido dele.

– O que é? – ele resmungou ainda de olhos fechados.

– Vai dormir no sofá.

– Vai você. – ele colocou os braços debaixo do travesseiro e o abraçou.

– Mas essa é a minha cama, não tem espaço para nós dois. – ela esbravejou

– Claro que tem. – ele bateu no espaço vazio ao seu lado.

– Eu não vou dormir com você.

– Então vai para o sofá.

– Castiel! – bufou

Ele não respondeu.

– Merda. – ela jogou seu corpo em cima do ombro dele. – Por que você é assim?

Ela se deu por vencida e decidiu deitar-se ao lado dele. Castiel a sentiu e envolveu seu braço em volta do corpo dela, aconchegando-a.

Elizabeth ficou sem reação, estava paralisada ao mesmo tempo que seu coração batia forte. A respiração de Castiel batia em seu pescoço, fazendo seu corpo todo se arrepiar com aquela sensação. Ela não entendia o que estava acontecendo ali, mas não queria que acabasse tão cedo.

No dia seguinte, Manu ouviu seu celular tocando.

Ainda sonolenta, ela tateou sua escrivaninha e atenção a ligação.

– Hum.. pois não? – ela estava de olhos fechados e completamente perdida.

Bom dia, Manu. – Armin falou todo contente.

– Bom dia. – ela jogou a cabeça no travesseiro e sorriu

Te acordei?

– Não, não.. – ela bocejou

Desculpe. – ele falou sem graça.

– Não precisa de desculpar.

Eu estava pensando em ir até aí passar o dia, tudo bem? – ele perguntou mas não obteve resposta, achou que a garota não o quisesse lá. – Manu..

– Oi! – ela exclamou. – Desculpa eu pisquei e voltei a dormir.

Ele gargalhou.

Então, o que acha?

– Sobre o que? – ela coçou a cabeça.

Sobre.. eu passar o dia aí. – ele estava realmente sem graça.

– Claro, ok. – ela fechou os olhos de novo e antes de desligar, lembrou-se de um detalhe importe: Castiel. – NÃO! – ela se sentou na cama repentinamente.

Não é pra eu ir aí? – sua voz estava desanimada.

– Não, não é isso. É que.. – ela tentava achar alguma desculpa  – Eu gostei do parque e queria voltar de novo, o que acha?

É uma ótima ideia. – Armin sorriu

– Chame os garotos que eu vou chamar as meninas, ok?

Claro. Tenho certeza de que a Effy vai se animar em ir..

– Ela não vai!

Por que não?

– Ela.. tem que terminar de assistir séries, sabe como ela é. – Manu tentava disfarçar o nervosismo.

Armin ficou em silêncio por alguns momemtos.

Sei bem como ela é. – ele riu – Combinado, a gente passa aí daqui a uma hora.

– A gente se encontra lá!

Por que você está tão estranha?

– Estranha? Quem? Eu? Imagina. Olha só, a Lucy está me chamando, está ouvindo? Eu estou. Tenho que ir, até daqui a pouco. – ela ouviu Armin rir e encerrou a ligação.

Ela levantou rapidamente e foi até a porta do quarto de Elizabeth. Deu duas batidas. Nada. Mais duas batidas. Nada. Resolveu entrar.

Ela encontrou Castiel deitado na cama e Effy com a cabeça em seu tórax. Ele estava com os dois braços em volta da garota, enquanto ela estava com uma das mãos perto do pescoço dele, dormindo.

Manu deu dois cutucões em Elizabeth, que resmungou alguma coisa.

– Effy, precisamos conversar.

– Diga logo.

– Seu irmão disse que queria passar o dia aqui...

– O QUE? – ela se levantou bruscamente.

– Shhh – Manu colocou o dedo indicador na frente dos lábios e olhou Castiel se remexendo, mas não acordou. – Eu consegui convence-lo a irmos no parque, junto com meninos e as meninas..

– Vocês vão me deixar aqui sozinha? DE NOVO? – Elizabeth sussurrou tentando conter um grito.

– Irmão protetor pegar vocês nessa situação – Manu levantou uma mão. – Amigas que ocupam os garotos o resto do dia – levantou outra mão e simulou uma balança.

Elizabeth revirou os olhos.

– Sabia que ia concordar. – Manu saiu do quarto e Effy se jogou na cama de novo.

Dessa vez, ela estava de frente para Castiel, que dormia sereno.

Ela sorriu ao ver a expressão plena dele.  


Notas Finais


O que acharam??? :3

O próximo vai ser encontro dos nossos casais lindos + esse desfecho Effy e Cassy

Beijinhossss <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...