História Sweet Apple - Jikook - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Comedia, Drama, Jikook, Jimin, Jungkook, Romance
Visualizações 300
Palavras 620
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus amores...
Dessa vez trago uma comédia divertida sobre Jimin...
Espero que gostem, vai estar bem legal!
Dêem muito carinho a ela também...
Boa leitura...📖😉

Capítulo 1 - Prefácio


Fanfic / Fanfiction Sweet Apple - Jikook - Capítulo 1 - Prefácio


Hoje, vinte de março é um dia muito especial para mim. Esse é o dia em que dei a luz ao meu primeiro filho. E também o dia em que o meu esposo me abandonou. Com sua presença ilustre no parto creio eu que esses dois acontecimentos estejam interligados.

Eu devia ter acreditado em meus instintos.

Eu ainda acreditava que o papel original que um pai desempenha no nascimento dos seus filhos era isso. Deixa-lo do lado de fora na sala de espera com um maço de cigarros e um isqueiro. E direciona-lo para o fim do corredor e voltar ao local de onde veio e se preciso for repetir essa sequência várias vezes. Não deixe que entre, em momento algum na sala do parto.

Teria permissão de trocar algumas palavras apenas com qualquer pai que estivesse aguardando ao seu lado.

- "É o meu primeiro filho". – sorriso amarelo.

- "Parabéns... O meu é o terceiro". – sorriso pesaroso.

- "Mandou brasa". – sorriso forçado. (Será que ele estaria sugerindo que é mais viril do que eu?)

Nessa altura os sentimentos já estão exacerbados. Nisso eles tem a permissão de se jogarem em cima de qualquer médico que saia exausto da sala de parto sujo de sangue até os cotovelos e arquejar: “Tem alguma notícia doutor???” (pergunta ansioso) Ao que o médico poderá responder: “Infelizmente não, ela está com a dilatação de apenas 3 centímetros.” E seu marido fará um sinal positivo como se estivesse entendendo tudo o que o médico lhe informava, embora só compreendia que ainda iria demorar um bocado.

Ele também tem o direito de deixar um espasmo angustiante passar pelo seu rosto, ao ouvir os murmúrios e as agonias de seu amado lá dentro. E quando tudo termina estão omma e filho limpos: a omma de camisola imaculada, recostada em travesseiros rendados, com um ar exausto mas feliz. E o bebê perfeito mamando, então; e somente então, deve ser permitida a entrada do pai.

Mas não aconteceu isso, acabei cedendo a pressão de colegas e concordei em agir de maneira mais moderna e mente aberta a respeito do assunto. Minhas dúvidas foram muitas. Quer dizer, eu não queria que nenhum dos meus amigos íntimos muito menos parentes presentes na remoção do... digamos... meu apêndice. Frustrante! Você fica em total desvantagem. Aquele monte de pessoas te olhando , e observando cantos que nem mesmo você nunca viu, nem mesmo sequer com a ajuda de um espelho. Não tinha ideia de qual era a aparência do meu intestino grosso. E como prova do que digo é verdade, eu não fazia ideia de qual era o aspecto do colo do meu útero. E para falar a verdade, eu nem queria saber. Mas metade do Hospital Sant Claus sabia.

Isso era verdadeiramente humilhante. Não estavam fazendo justiça a mim mesmo. Eu não estava em minha melhor aparência, resumindo, estava um trapo em pessoa.

Eu vi na TV uma porção de caminhoneiros machistas que não sabiam nem se expressar, estavam com lágrimas nos olhos, a voz embargada, se esforçando ao máximo para dizer que estar presente no dia do nascimento de seus filhos fora a coisa mais p...pro...prof...profunda que já havia acontecido com eles. Também jogadores de futebol americano, beberrões, que convidaram o time todo para assistirem ao vídeo da mulher deles parindo. Bizarro!

Mas cada um tem seus motivos, e fico imaginando “Quais seriam?”.

De qualquer forma, Jackson e eu ficamos muito emocionados com relação ao parto e decidimos então que ele devia estar presente.

E esta história de como ele estava lá, presente, na sala do parto. A história que contará o motivo pelo qual ele me abandonou e como o fez... Isso, é uma história um pouquinho mais longa.

Continua...


Notas Finais


Esse é somente o prefácio...
O que acharam?
Será que vem drama por aí?
Comentem...
Bjokass 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...