História Sweet Boy - Imagine Jungkook - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jungkook, Suga
Tags Bangtan Boys, Cute, Imagine, Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Long-fic, Min Yoongi, Sexy
Exibições 555
Palavras 4.979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Saga, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooiii! Gente, acho q os cap essa semana n vao sair... pq to em prova e vou procurar estudar pra crlh, mas dia 30 acaba e tudo volta ao normal, ok? Obgd♡♡♡♡♡♡♡ boa leitura flores, lá embaixo se falamos mais!♡♡

Capítulo 17 - Me deixei mudar!


Fanfic / Fanfiction Sweet Boy - Imagine Jungkook - Capítulo 17 - Me deixei mudar!

 

 

 

 

 

 

 

 

Suga empurrou Jungkook, e ambos se levantaram desajeitadamente. Eu continuei estática, pensando no que poderia dizer, poderia ser tudo, menos a verdade. Continuávamos calados.

 

 

- Vamos, respondam! – O pai de Jungkook exclamou, entrando na sala. – Que bagunça é essa? ____, porque está machucada?! Yoongi e Jeon, porque estavam brigando?! 

 

 

 

Meu Deus, meu Deus, meu Deus!! O  que eu falo? O que a gente vai fazer?!

 

 


- E-Eu cai da escada... – Consegui dizer algo, num tom mais baixo que o normal.

 

 


- Oh, Meu Deus! Está melhor? – Os pais deles perguntaram preocupados e eu assenti. Ambos respiraram fundo agora, parecendo-se a tentar encontrar a calma, ou o sentido daquela situação. 

 


- E vocês dois? Porque estavam quase se matando? – O Senhor Jeon perguntou para os dois. Eles se entre olharam, e suga se pôs a falar.

 

 


- O Jungkook... não quis deixar eu escolher o filme primeiro. Ai eu empurrei ele e ele ficou bravo e tentou me bater. – Suga disse sério, e convincente. Pelo menos, mesmo depois da briga ele estava ajudando Jungkook a se safar de uma bronca.

 


- Jungkook! Eu já disse pra você parar de ser tão nervoso assim! – A mãe do mesmo disse agora. ~ ufa, eles acreditaram na gente! Jungkook suspirou pesado, e sua mãe foi até ele, e o deu um beliscão. Eu e Suga prendemos uma risada que quase escapou com isso, enquanto o mesmo resmungou.

 

 

- Aigoo, omma! – Resmungou. Sua mãe fez uma expressão meio furiosa. O senhor Jeon olhou para o vaso de plantas no chão, e fechou os olhos com uma mão na testa, com a expressão de quem diz: “lá vem..” 

 

 


- Você quebrou o meu vaso de plantas favorito! – Ela exclamou. O senhor Jeon tirava sarro da situação. – Os dois vão arrumar essa bagunça! Se não eu vou colocar você,  – Pegou no braço de Suga o levando para perto de Jungkook. – E você de castigo! – Beliscou Jungkook outra vez. 

 

 


Eles murmurraram e continuaram no mesmo lugar. 

 

 


- Se eu fosse vocês arrumariam logo. – O Pai de Jungkook disse rindo baixinho. – Sua mãe está uma fera, Senhor Jungkook! 

 

 


- Aish... – Jungkook murmurrou baixo, sua mãe havia saído por alguns instantes, mas logo ela voltou com dois aventais, duas vassouras, e uma pá. 

 

- Os dois! Arrumem isso aqui, agora!! – Ela disse brava, colocando o avental neles. Ficavam fofos, mas com a cara emburrada.

 

 

- Temos mesmo que usar essas roupas? – Suga reclamou olhando para si mesmo, vendo o quanto havia ficado feminino com aquilo rosa. 

 

 


- Sim! Agora, vamos vamos! – Ela os apressou. Eu sai dali num chamado dos pais de Jungkook, e logo enquanto  Suga e kook arrumavam aquilo ali, eu e os pais do mesmo estávamos na cozinha. 

 

 

- _____, como você aguentou esses dois?! – A mãe de Jeon dizia de costas para nós  (eu e seu marido) enquanto mexia em algo no armário. – Pior seria se o Hoseok estivesse aqui, ele é o mais atrapalhado! 

 


Eu ri baixo com isso... mal sabe ela que... eles brigaram por... mim. É tão estranho pensar isso, tipo... eles brigaram por mim! Jungkook brigou por mim... e disse que gostava de mim e que mudaria por mim! O Jungkook! Eu nunca pensei que poderia ouvir isso vindo dele, do próprio Jeon Jungkook em si falando... ele é tão idiota, como pode mudar assim do nada? E ainda mais por mim!

 

Shit... tudo tão confuso... eu nem me recordava ainda de que tinha saído nos beijos com o Suga, mas mesmo não se recordando muito, sei o quanto foi bom. Eu senti como se estivesse o forçando a fazer aquilo, mas apenas no começo. Porque depois bem que ele gostou de apertar minha bunda e alisar minhas pernas! Se eles deixarem de ser amigos por causa disso, eu me sentiria muito culpada, Muito mesmo! Poderia até mesmo se matar pelo tamanho peso na consciência. 

 

 

 


- _____? – Escutei a voz da mesma ( mãe do Jung) me despertar, logo a olho afim de uma pergunta, ou resposta, não sei! Estava totalmente distraída. 

 

 

- Você sabe que não poderá ir para a escola nos próximos dias, não é? – Senhor Jeon disse, e agora ambos ali estavam preparando a comida. Aseenti, voltando a pensar. Fico me perguntando, o que eles fazem? Tipo, eles só trabalham, não param em casa e quando chegam... apenas fazem a comida, lavam a louça, tomam banho e vão dormir pra no outro dia voltar com a mesma rotina de sempre.  

 

 

- Quantos dias eu vou ter que ficar sem ir para a escola? – Perguntei... o que me deixava incomodada, era o fato de que eu ficaria sem ver minha amiga, e que isso certamente irá preocupa-la. 

 

 


- Quando torce desse jeito, é uma semana. – Ela disse ainda sem me olhar, me fazendo suspirar triste. Bebi um pouco de água, e sai dali, iria para o meu quarto já que os meninos estavam arrumando a sala mesmo. 

 

 

 

 

 

 

 


_______ OFF

JUNGKOOK ON

 

 

 

 

 

 

 


Esse idiota... porque ele está me ajudando? Por que ele limpou minha barra com os meus pais? Tapado, cretino, traidor! A ____... porque ela está fazendo isso comigo... me deu tanto vê-la encima do Yoongi... eu me senti tão... tão... lixo.  Me senti tão fracassado... que nossa, o meu sangue ferveu, e eu fui pra cima dele mesmo! Eu estou tentando mudar apesar de tudo, eu ainda vou fazer com que ela me perdoe, e com que ela seja apenas minha! Eu vou! Eu vou ser o melhor namorado, o melhor noivo, o melhor homem que ela poderia ter! 

 

Estávamos terminando de arrumar a sala com aquelas roupinhas ridículas... mas o Suga estava me irritando de uma forma que ... eu sinto vontade de bater nele agora mesmo! Ele fica rindo pra minha cara... tem algum palhaço aqui? Não. Tem apenas um homem acabado. Suga estava terminando de varrer ali, enquanto eu segurava a pá para ele por os lixos ali, mas ele esbarrou forte com a vassoura na minha cabeça.

 

 


- Eu vou matar você. – Eu disse irritado. Já não estava muito bom, e ele ainda me irrita! Eu o empurrei forte, ele apenas me olhou de lado e respirou fundo, fazendo uma cara que... arhg!!!

 

 

- Não me olha assim! – E eu explodi de raiva outra vez.

 

O derrubei, e tentei bater nele, mas ele sempre segurava meus golpes. Consegui acertar um soco no seu queixo, mas ele revidou com uma vassourada nas minhas costas, a vassoura quebrou ali, FIQUEI PUTO com isso, e rolei até o outro lado, o empurrei outra vez e num gesto rápido e agressivo, eu peguei uma das cadeiras e acertei nas costas dele também. Ele caiu no chão, eu poderia chuta-lo agora, mas ele puxou meu pé me fazendo cair no chão junto aonde ele estava. 

 

 

- AGORA EU ACABO COM VOCÊ! – Gritei, estávamos todo embolados ali no chão, rolando e se batendo igual gato e cachorro.

 

 


- ME SOLTA, SEU DESGRAÇADO! – Ele gritou, me empurrando e tentando acertar meu rosto também.

 

 

- DESGRAÇADO É VOCÊ QUE ROUBA A GAROTA DOS OUTROS! – Batemos na mesa de centro, ele conseguiu levantar, mas eu o puxei de novo.

 

 


- ELA NÃO É SUA! – Exclamou, me levantando pela gola da minha blusa e me prendendo na parede.

 

 


- FODA-SE! CALA A BOCA! – Rebati, dando um chute nas suas partes baixas, ato que fez ele me soltar e se agachar reclamando da dor. Eu o segurei agora, pronto para dar umas boas joelhadas naquela cara de demônio! Mas ele levantou me segurando. E antes que nós dois pudéssemos fazer qualquer coisa, meus pais apareceram ali na sala, e junto a eles, _____. ~me esqueci que eles estavam em casa.

 

 

 

-  MAS O QUE ESTÁ ACONTECENDO?! PAREM VOCÊS DOIS! – Minha mãe disse brava vindo até nós e nos separando. – PARECEM DUAS CRIANÇAS! QUAL FOI O MOTIVO DESSA VEZ?! 

 

 

Estávamos ofegantes pela briga, eu respirava pesadamente e Suga não estava diferente. Ajeitamos nossas roupas, enquanto todos ali nos olhavam esperando nossa resposta.

 

 


- Ele acertou minha cabeça com a vassoura! – Eu disse quebrando aquele silêncio de suspense.

 

 


- Mas foi sem querer! – Suga revidou, e eu já ia pra cima dele de novo se não fosse pela minha mãe. PORQUE ELE NÃO PODE CALAR A BOCA?! Sua voz está me irritando tanto agora!

 


- Jungkook, meu filho! O que está acontecendo com você? Porque você está tão nervoso assim?! – Por amor. Ela perguntou olhando em meus olhos furiosos. Me soltei dela. 

 


- Não importa. – Eu nem mesmo olhei pra reações deles depois dessa frase dita por mim, eu apenas sai de casa sem rumo, sem direção. Sinceramente, hoje eu não durmo em casa! Vou pra casa do J-Hope e fim de papo. Espero que enquanto eu vou o Suga não saia de lá, porque se eu encontrar com ele aqui, aqui mesmo a gente vai tampar na porrada! 

 


Em passos rápidos, eu já estava na outra rua, faltava apenas mais cinco para chegar na casa do Hope. A noite estava começando a esfriar, ou talvez antes já estivesse fria, porém como meu sangue estava quente, eu sentia-se como se estivesse mediante ao fogo! Agora eu sentia frio, não vim de casaco, apenas de blusa de manga, calça e um tênis qualquer... nem de touca eu estava. Cruzei os braços afim de tentar deixar meus braços mais aquecidos, mas não dava muito certo. Depois de algum tempo, caminhando mais um pouco eu finalmente estava na rua do J-Hope, e graças a Deus, as luzes da casa dele estavam acesas. Minutos curtos depois, eu já estava enfrente a sua porta. Bati três vezes, e agora é só esperar até que ele me atendesse.

 

 

 

- Quem é? Seja lá quem for, não sabe que horas são? São quase dez horas da noite! – Ouvia ele resmungar de um jeito engraçado, e quando abriu a porta e viu que era eu, fez uma expressão mais engraçada e confusa ainda.

 

 

 

- Jungkook?! O que faz aqui? – Ele perguntou, já dando espaço para que eu entrasse. Eu entrei ainda sem o responder, e tirei meus sapatos se jogando no sofá do mesmo, agora de barriga para baixo ali, com a cara soterrada  nas almofadas. 

 


- Eu sou um fracassado. – Falei meio abafado, devido as almofadas. Escutei ele rir distante, mas logo escuto seus passos e sinto ele se sentar ao meu lado no sofá.

 

 


- O que houve? – Ele perguntou me cutucando. Levantei a cabeça para ver, e notei que tinha salgadinhos e refrigerante ali na mesa de centro, eu me sentei num segundo e comecei a comer, estava morrendo de fome! 

 

 

 

- A _____, cara... – Falei com a boca cheia. – Ela me deixa louco! 

 

 

 


Ele arqueou a sobrancelha confuso. Eu mal conseguia falar, pois minhas bochechas estavam cheias de salgadinhos. 

 

 


- A _____? A hóspede que você saiu aos beijos naquele dia da brincadeira? – Ele perguntou risonho, e eu assenti triste. – Vocês estão tendo algo?

 

 

 

- Não exatamente.... até tivemos algumas relações, mas... é algo mais do que isso. Eu comecei a gostar dela de verdade! E eu estava e estou disposto a mudar meu jeito por ela... mas... hoje eu vi ela e o Suga lá em casa no maior clima... – Falei realmente triste agora. 

 

 


- C-Como assim?! Você transou com ela?! O Suga também?! Você gosta dela? Jeon Jungkook gosta de alguém?! – Ele tirava um leve sarro com a minha cara, ri baixo sem humor antes de o responder. 

 

 

- Sim... eu e ela fizemos, mas ela e o Suga não... mas... ele sabia que eu gostava dela, ele até me deu conselhos de como melhorar... e aí eu chego em casa e vejo tal cena... – Falei, sentindo um pouco da raiva tomar conta de mim. 

 

 


- Então... vocês discutiram? Como a ____ reagiu? Quer dizer, ela também gosta de você? – Ele perguntou preocupado e curioso ao mesmo tempo. 

 

 


- Caímos no tapa, mas meus pais chegaram e atrapalharam. A _____... ela ficou estática me encarando... e se ela gosta de mim, eu não sei. – Falei pensativo e triste.   

 

 

 

- Caramba! Então vocês realmente brigaram! – Ele disse surpreso. – Você não deve estar nada bem... como eu posso te ajudar, amigo?

 

 

 

Te amo, J-Hope!

 

 

 

 

- Eu queria dormir aqui... – Falei baixo. O vendo coçar a nuca meio receoso. 

 

 

 


- Dormir aqui...? Aish... é que vai vir uma menina pra cá hoje. – Ele disse sorrindo abobado. Balancei a cabeça rindo sem humor, e ele me encarou confuso.

 

 


- Não é nada demais! Ela é minha amiga e vamos apenas fazer maratonas de tudo. – Ele disse parecendo estrar empolgado.

 

 

- Maratona de tudo? Até de sexo? – Eu disse irônico, e ele me atacou uma almofada.

 

 

 

- Pode dormir aqui, mas vai ter que aguentar nós dois vendo nossas séries e jogando vídeo-game! – Ele disse manhoso me fazendo assentir. Iria dar outra mãozada naqueles salgadinhos, mas haviam acabado-se.

 

 

- Deve estar com fome. Eu fiz comida, vem cá. – Ele disse me puxando para a cozinha. As comidas do J-Hope são boas na maioria das vezes, na maioria das vezes, não sempre. Ele esquentava algo no fogão, enquanto falava comigo de costas para mim. 

 

 

 

- Então, como vai ser amanhã, Kookie-ah? – Ele disse. – Como vai ser sua relação com as pessoas de lá? Ou sua amizade com o Suga?

 

 

 


Suspirei pesado com isso, me apoiando na parede. 

 

 


- Não sei... e-eu acho que não vou mais falar com o Suga... – Disse baixo, E Hope se virou para mim rapidamente. – Já a ____... 

 

 

 

- Jungkookie, não pode parar de falar com o Hyung por isso! – Ele disse parecendo preocupado com a situação. Desligou o fogo, e voltou a falar. – Todo mundo erra... quantas vezes você já errou com a gente e te perdoamos?!

 

 

 

- Nenhuma. Todas foram você. – Falei. Eu nunca fazia nada, era ele o atentado do grupo! Dedurava a gente por medo, na escola, levávamos meia hora de palestra de nossos pais por causa dele, mas ele pedia desculpas de um jeito engraçado, realmente não fazia de propósito então sempre o perdoamos.

 

 


- Aish... mas então, quantas vezes eu já errei e vocês me perdoaram?! – Ele disse com bico e os olhos arreganhados. 

 

 

 

- Mas até parece que ele vai pedir desculpas... a ____ realmente não é minha, mas eu gosto bastante dela e ele sabia disso... na verdade, ele foi o primeiro a saber. – Disse triste, e logo vejo hope por um prato na mesa a minha frente, com carne, Jaepchae entre outras coisas. 

 

 

- E-Eu confesso que esse fato também me deixou meio tenso... amigos não deveriam pegar as meninas dos amigos, ou as meninas na qual os amigos gostam. – Ele disse me dando um garfo, para que eu come-se aquelas coisas. – Mas, sabe... você deveria pensar as seguinte forma: Ele e Homem, ela é uma garota muito linda e ambos estavam sozinhos... é difícil se conter tanto assim.

 

 

 

- Mas, Hope. Lembra que ano retrasado você tinha a namorada mais linda da faculdade... e que quando eu estava sozinho com ela, ela deu encima de mim? – Eu perguntei e ele assentiu. – Eu joguei um balde de água fria no cabelo dela, e sai correndo... mesmo ela quase tirando a roupa pra mim. Porque? Porque eu sou seu amigo. 

 

 

 

 

- Mas ela era minha namorada... você acha que se você realmente namorasse a _____ o Suga faria isso? – Ele perguntou se sentando agora na mesa em que eu estava.

 

 

 

- A-Acho... – Falei baixo. Ele riu sem humor, bagunçando meus cabelos levemente.

 

 


- Você é um cara difícil de lidar mesmo, Jeon! – Exclamou rindo, me tirando uma risada. 

 

 

 

Acabamos de comer, quer dizer, eu acabei de comer e agora, ele preparava minha cama, que era em seu quarto mesmo já que ele e a tal “amiga” iriam virar a noite na sala. Eu agradeci, mas disse que queria tomar um banho antes de tudo. Ele me deu uma toalha e um de seus pijamas, logo saindo. Fui ao banheiro, entrei dentro do box e liguei a água morna. Depois de já despido, eu entrei ali de uma vez, sentindo a água escorregar da minha cabeça até a ponta dos meus pés, essa sensação é muito boa... ainda mais com esse frio leve, essa água está uma das oitavas maravilhas. 

 

Não fiquei muito tempo no chuveiro, queria ir deitar logo e revisar o quanto eu sou um idiota e no que eu tinha que melhorar. Sai do box então, me sequei, passando a toalha nos cabelos e bagunçando-os um pouco, mas não era importante, já que eu estava indo dormir e bagunçaria do mesmo jeito. Vesti o pijama e peguei minhas roupas antes usadas, saindo dali e entrando pro quarto novamente. Dobrei as mesmas em uma cadeira próxima, apaguei a luz, se enrolei na coberta e se prepararia para dormir.  

 

 

Mas quem disse que eu consegui? 

 

 

Fiquei refletindo feito um homem na lua, flutuando sobre meus próprios pensamentos no silêncio daquela noite fria. A casa estava silêncio, mas por debaixo da porta eu via a luz dos outros cômodos acesos, e sabia que Hope estava acordado. Mais alguns minutos de pura reflexão eu escuto uma nova voz na casa, uma voz feminina. A menina deveria ter chegado já. Eu escutava coisas do tipo: “ Eu pensei que não fosse vir!” vindo do Hope, e logo risadas baixas. 

 

 


- Sayuri!!! Quer morrer?! Não pode mexer no fogo com as mãos sujas de álcool! – Escutei Hope exclamar alto para a tal menina.  Sayuri?? Sayuri me lembra o nome da amiga da _____... nem sabia que ele estava saindo com alguém, principalmente com ela, amiga da ____. Mas ok.

 


Escutei algumas risadas baixas dos dois, e logo a TV ser ligada... se antes estava difícil para dormir antes  imagina agora?  Me senti levemente constrangido com ela ali com ele, mesmo sem os ver... eu lembro que a beijei também. Aish... porque eu fiz isso? Devo ser louco. 

 

 

 

1 hora... 

2 horas...

 

 

 

 

Eu me remexia de um lado pro outro, mas o sono não vinha, aish! E também pra colaborar comigo, essa menina dava uns gritos mais finos que não sei o que e o Hope aquelas risadas escandalosas... vou matar ele, mesmo estando na casa dele, não ligo. Depois de mais uns 30 minutos, eu não escutava mais nada. Graças a Deus, e foi nesse mesmo momento que me deu cede. Sai do quarto, abrindo logo fechando a porta silenciosamente. O sofá ficava de costas para a porta do quarto... e, eles não me viram, mas eu os vi. Eles estavam aos beijos ali, mas não tinha nada demais realmente, as mãos de Hope estavam no rosto dela, as dela eu não conseguia ver, mas também não fazia questão. 


Ignorei os dois ali, e tentei ir pra cozinha sem fazer nenhum barulho. Sucesso! Eu consegui beber água, e sair dali. O clima ali iria esquentar pelo que eu estava vendo... em menos de um minuto a menina já estava no colo dele, Meu Deus, que isso? ~ㅋㅋ

 


Eu não escutei barulhos, nem gemidos... e depois de alguns minutinhos, eu consegui dormir. 

 

 

 

 

 

 

 


Dia seguinte, 9:30 AM

_______ ON

 

 

 

 

 

 

 

Acordei sozinha ali, como sempre. Ainda tentava recordar tudo o que havia acontecido ontem... ontem foi com certeza o dia mais estranho da minha vida. A mãe do Jeon, junto ao resto de pessoas na casa, ficamos confusos com a saída do Jungkook assim, do nada ontem, mas ninguém o impediu de sair. A mesma também pediu para que Suga ficasse para o Jantar, mas ele não quis, disse que iria para a casa dos seus pais já saindo, e assim como feito com o Jungkook, ninguém o impediu. 

 

 

Jungkook dormiu fora... eu fiquei preocupada. Aonde ele estaria? Estava frio, alias, ainda está. Espero que ele tenha ficado bem. 

 


Me levantei da minha cama, arrumei os cabelos de qualquer jeito, só pra não ficar pro alto mesmo, e sai do quarto em direção a cozinha para tomar café. Aish... uma semana sem ir pra escola, já estou com saudades da Sayuri! Eu desci na cozinha, e por incrível que pareça os pais do Kookie estavam ali, o que é estranho. Hoje eles teriam trabalho cedo pelo que me lembro. Dei bom dia a ambos ali, senhor Jeon lendo jornal e a senhora Jeon comendo uma fruta fruta qualquer. Me sentei Junto a eles.

 

 


- Não foram ao trabalho hoje? – Perguntei. E confesso que estava morrendo de vergonha por perguntar isso. 

 

 

- Hoje nosso turno é a noite. – A senhora Jeon me respondeu amigável. Assenti em um “aaah” e logo comecei a preparar algo para comer também. Eu estava ajudando eles a retirar a mesa, mas logo fomos distraídos por batidas na porta. Eu fui atender, já que eu estava mais perto, mas me arrependi profundamente, pois era Jungkook. Ele estava com a cara angelical de sempre, mas estava sério. Ele olhou para o meu rosto, olhou em meus olhos por alguns meros segundos, soltou um riso forçado e... entrou pra casa. 

 

 

 

- Ficamos preocupados, Jeon! – Sua mãe disse, indo o abraçar. Ele abraçou a mesma também, sem se importar muito. 

 

 


- Aonde estava? – Seu pai agora falava.

 

 

- Na casa do Hope. – Ele respondeu, ignorando todos ali e indo para a mesa que não estava mais arrumada, mas ainda tinha coisas de comer ali. Ele pegou o pacote inteiro de biscoitos e a caixa de suco que estava pela metade, subindo para o seu quarto sem dar a mínima para a gente. 

 

 

 


- Está acontecendo alguma coisa com o nosso filho, Querido. – A mãe de Jungkook dizia preocupada. – Ele não falou com a gente! Nem nos deu bom dia.

 

 


- Ele está na adolescência, é normal agir assim. Temos que dar um tempo para ele, está tudo bem, sim? – O senhor Jeon a confortava, enquanto abraçava a mesma. Eu ri baixo com isso, terminei de ajuda-los a arrumar a mesa e tudo, e subi pro meu quarto também. 

 

 

Jungkook está... triste? Eu estou mal por isso, ele fica tão calado. Isso realmente me incômoda, não que ele seja sempre falante, mas ele apesar de tudo, é bem “feliz”. 

 

 

 

 

 

...

 

 

 

 

 

 

 


•나중에 그 날•
(Mais tarde nesse mesmo dia)

 

 

 

 

 

 


Eu já estava de banho tomado, era difícil tomar banho com aquelas faixas, mas nada muito trabalhoso. Coloquei meu pijama de frio, e estava na cozinha bebendo o que havia sobrado do suco de uva. Os pais de Jungkook já se arrumavam para ir trabalhar, e enquanto isso, Jungkook não saiu em nenhum momento pra fora de seu quarto. Hoje eu e a Senhora Jeon fizemos cupcakes de morango e de chocolates deliciosos, ainda sobrou alguns e eu comerei sozinha! Já que Jungkook não saía da toca...  

 

 


- ______, estamos indo, ok? Tem comida na geladeira mas qualquer coisa vocês podem ligar para um restaurante pois deixamos dinheiro aí, certo? Até logo. – A mesma disse, antes dela e seu marido acenarem em despedida pra mim. 

 

 

A casa estava composta agora apenas por eu e Jungkook... suspirei pesado. Fui até a geladeira, e abri a mesma pegando um dos cupcakes. Comi um, e fiquei ali na mesa olhando pro nada e pensando na mesma coisa: nada.

 

Vi Jungkook descer as escadas com uma toalha e roupas em mãos, sem olhar para mim ou para qualquer outro canto que não fosse o chão, caminhando até o banheiro. Suspirei meio preocupada... não queria vê-lo tão triste assim, incômoda tanto! Depois de uns 10 minutos, vejo o mesmo sair do banheiro, com roupas de frio, mas não eram tanto. Apenas uma calça de moletom e uma blusa de manga. Seus cabelos estavam levemente bagunçados e molhados... ah, ele é tão bonito, mas triste desse jeito fica até estranho. 

 

Tentei não ficar olhando muito, nem ficar ali. Voltei para perto da geladeira, e peguei mais dois cupcakes, logo pronta para voltar ao meu quarto. Mas quando me virei para voltar, eu vi Jungkook ali. Ele não olhava para mim, olhava apenas para o chão. Ele veio caminhando em minha direção, e eu dei espaço para ele passar, seja lá onde for que ele vá. Quando me locomovi para que ele passasse, ele segurou meu braço. Levei um puta susto, e fiquei estática. Jungkook enquanto segurava minha mão, foi olhando para meu rosto aos poucos, até seus olhos baterem com os meus, e eu sentir minhas bochechas corarem. 

 

 

 

- J-Jungkook? – O chamei. Ele continuava sério, sem dizer ou fazer nada, além de ficar me encarando com aqueles olhos... profundos

 


- Você... – Ele ia falar, mas antes tirou os cupcakes das minhas mãos, e apenas... me abraçou. Fiquei sem reação, não estou entendendo quase nada, mas... retribui. Ele me soltou aos poucos, e subiu uma de suas mãos tocando meu rosto.

Congelei novamente com isso. Sua mão estava gelada... e além do mais, eu não esperava por isso. Ele acariciou minha bochecha com seu polegar suavemente, e senti seus outros dedos se mexerem fazendo-me sentir uma sensação relaxante na nuca. 

 

 


- ____... – Ele disse baixo, e eu o encarava esperando com que ele dissesse algo. – Me desculpa.

 

 

Ele fechou os olhos respirando fundo, e eu já sentia sua respiração bater contra meu rosto, mesmo que talvez não estivesse tão próximo com o rosto assim.  Eu continuei calada. 

 

 


- Por favor, me responde. – Ele disse mais uma vez, num tom baixo e meio entristecido. 

 

 


- E-Eu não sei... do nada você está agindo assim e... – Eu parei o que iria dizer, pra pensar no que dizer!  

 

 

 

- Eu gosto de você... – Ele disse rouco agora com seu rosto próximo, fazendo-me sentir seu hálito quente contra minha boca. Fiquei totalmente confusa agora! O que ele está dizendo?!

 

 


- Você não sabe nem mesmo do que está falando... – Murmurrei olhando pro lado. 

 

 

 

- Eu disse que gosto de você, _____. – Falou mais uma vez. – Por favor, me desculpe por ter agido feito um idiota.

 

 

 

O fim do mundo está previsto. Jeon Jungkook está assumindo que foi idiota e está pedindo desculpas! 

 

 

 

- A-Acho que está tudo bem... – Falei. Não dava pra dizer não ao seu rosto. Estava tão pidão e manhoso, além de parecer realmente arrependido... espero não estar sendo enganada.

 

 


- Mesmo?! Você me desculpa mesmo mesmo? – Ele perguntou um pouco mais alterado, e eu ri baixo com o seu: "mesmo mesmo"

 

 


- S-Sim... a-acho que todos tem o direito de mudar. – Falei corada novamente. Ele alisou minha bochecha outra vez. Se aproximando mais, pros nossos lábios se tocarem  não faltava quase nada

 

 


- Eu disse que você não fazia falta... mas, ____... diz que não acreditou em mim. – Ele pedia.

 

 

 

- E-Eu acreditei... por isso me magoei. – Falei um pouco triste também por se lembrar de suas palavras duras.

 

 


- Eu menti, eu sinto sua falta até mesmo quando não fazem nem uma hora que estávamos perto. – Ele riu baixo. – Eu gosto muito de você. 

 

 

 

Ele me deu um breve selinho, e isso fez eu me revirar, mesmo sendo simples. 

 

 


- Me deixa te mostrar que... eu não sou tão canalha assim. – Falou novamente quase me beijando, e isso fazia-me delirar e se arrepiar.

 

 


- Eu vou te mostrar que não sou tão idiota assim. – Ele disse antes de juntar nossos lábios calmamente. Não tinha língua, ele apenas juntos nossos lábios num beijo suave, macio e gélido. Meus olhos fecharam automaticamente com isso,  junto aos dele. 

 

 


- C-Certo... – Gaguejei quando ele separou nossos lábios. 

 

 

 

- Eu sei que sou um idiota... mas eu também tenho coração. – Ele falava. Eu ainda tentava similar tudo, estava muito difícil de acreditar.

 

 

 

- Você ainda vai ser minha. – Jungkook disse baixo, soltando um riso de lado. – Apenas minha e de mais ninguém. 

 

 

 

 

- O que está t-tentando dizer? – Perguntei pálida. 

 

 

- Que você ainda vai ser minha! – Ele disse risonho, me roubando um beijo, no qual eu não reclamei. Era muito bom nossos lábios juntos assim, mesmo sem língua. Mas, esse clima fofo ficou um pouco mais quente quando eu senti sua língua tentando passar para minha boca. Eu não êxito nisso, apenas deixei. Nossas línguas se tocaram pouco, porém deliciosamente. Não foi algo longo, ele não demorou para ir soltando meus lábios depositando alguns selares curtos. 

 

 


- Eu não sou tão safado assim. – Falou olhando pra baixo agora, e eu ri baixinho. Ele ser safado não era um problema, eu até gosto. O que era um problema... era o seu jeito de pensar.

 

 

 

- Está tudo bem, J-Jungkook... – Falei baixo, tremendo as mãos antes de acariciar seu rosto também. Ele pôs sua mão encima da minha que estava em seu rosto, e alisou ali.  

 

 

- Acho que eu te amo... – Sussurrou de olhos fechados. – Sinto que preciso de você para sempre. 

 

 


Meus olhos estavam super espantados, eu realmente nunca esperei escutar isso de alguém para mim, e ainda mais dele! 

 

 

 


- J-Jungkook... – Disse baixo.

 

 


- Eu sei que você não sente o mesmo por mim. – Ele disse rindo sem humor. – Mas eu ainda vou conseguir. 

 

 

 

Suspirei pesado. 

 

 

 

 

- Você vai ver. – Ele disse afrontoso, me soltando aos poucos. Me ajeitei e tentei ficar normal novamente. Mas estava tenso isso! Não estava acostumada com essa nova versão de Jungkook. 

 

 

Peguei meus cupcakes que ele havia colocado no balcão antes, e morrendo de vergonha e de confusão interna, me despedi dele, dizendo que iria para o meu quarto. 

 

 


- Durma bem, ____. – Ele disse sorrindo realmente muito fofo para mim. – Eu gosto de você. Vou dizer isso todo dia. 

 

 


- Boa noite, Jungkook. – Falei baixo. Antes de me virar mais vermelha que um tomate e subir para o meu quarto.

 

Esse Jungkook... sempre me deixando estranha!

 

 

 

 

 

 

 

JUNGKOOK ON

 

 

 

 

 


Ah... eu acho que a amo! E agora, eu não martelava minha cabeça com coisas do tipo: “droga, não quero sentir isso” eu não ligo mais... agora eu só quero que ela me corresponda, quero que ela goste de mim também, quero que ela seja apenas minha. Eu posso deixar essa vida de canalha imbecil de lado num segundo... se ela dizer que vai ficar comigo para sempre.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Olha só quem ta demonstrando ser um verdadeiro sweat boy! Ou nem tanto ne, ja que brigou com suga denovo 😂

Rsrsrsrrsrsrs espero q tenham gostado!♡♡♡♡♡ e até logo♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ obrigado por me acompanharem♡♡♡☆


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...