História Sweet Candy - Interativa - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 42
Palavras 2.999
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Self Inserction, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa por postar tão tarde ;-; é que eu demorei pra escrever, tipo muito mesmo, quase a tarde inteira, mas valeu a pena, eu gostei do resultado, espero que gostem também S2

Capítulo 8 - Descobertas


20 de Janeiro de 2009, Seul, Coréia do Sul

Era um dia calmo e sereno em Seul. A brisa soprava, era fria. Ela tranquilizava ainda mais o ambiente da casa da pequena e sonhadora garota. A menina de cabelos lisos e olhos espertos brincava com alguns de seus cachorros, pois a mesma era apaixonada por tal espécie.

-Remember those walls I built

Well, baby, they're tumbling down

And they didn't even put up a fight

They didn't even make a sound...

A voz doce da menininha preenchia a atmosfera fria daquele domingo normal.

-É bom finalmente poder cantar as músicas que você gosta, né Yoonie?- Uma voz doce e cheia de encantos se torna presente no lugar.

-Omma? A quanto tempo está aí?- Pergunta, um tanto envergonhada.

-O suficiente para poder ver seu talento natural!- A mulher disse sentando-se na grama ao lado de sua filha.

-Sim, é ótimo poder ouvir e cantar minhas músicas!- Um sorriso encantador e doce é desenhado nos lábios rosados da pequenina.

-Continue cantando! Vou lá dentro!- Sua mãe sela a bochecha de sua filha.

Ao ver que sua mãe já entrara em casa, a pequena se pôs a cantar novamente.

-I found a way to let you win

But I never really had a doubt

Standing in the light of your halo

I got my angel now...

A voz da menina era doce. Tão doce que até mesmo os pássaros calavam-se, apenas para apreciar tamanho encanto. É uma pena que não tenha descoberto seu verdadeiro talento tão cedo. Seus vocais eram em si, maravilhosos, porém seu dom era algo mais contemporâneo: O rap.

Mal sabia a garota que mais uma vez era observada, porém não por sua mãe, mas por uma pessoa que ajudaria ela a descobrir que ela deveria mostrar seu talento ao mundo. Seu nome? Kim Chin-Mae, funcionária de uma empresa em desenvolvimento.

-Com licença?- A jovem, bem jovem por sinal, se aproximou da garota que cantava.

-No que posso ajudar?- A menina diz, corando.

-Eu vi você cantando e me apaixonei por sua voz! Gostaria de saber se você gostaria se cantar para a nossa empresa!- Ela diz entregando seu número de telefone para pequenina.

-Eu gostaria, mas tenho que ver com meus pais...- Diz pegando o pequeno papel de coloração azulada.

-Me ligue quando tiver a resposta!- A jovem diz, exibindo um enorme sorriso.

-Preciso contar para a minha mãe!- Quando a garota começaria a correr para dentro de casa, a mulher segurou seu pequeno braço, porém não com maldade, e sim com delicadeza.

-Poderia me dizer seu nome?

-Park Han Yoon Jin!

===========================

12 de Março de 2009, Seul, Coréia do Sul

O dia estava frio. Era o dia perfeito para deixar qualquer um em casa, nervoso por causa que o frio prejudicaria seus planos ou até mesmo estressado, pois o frio corta as energias elétricas, às vezes.

Era um dia perfeito para ser horrível. Porém não para a jovenzinha loira que morava em um apartamento na grande Seul.

Era inocente e pura. Seus olhos meigos viam tudo com olhar de admiração.

Era uma garota linda. Por muitos, admirada. Orgulho dos pais. É uma jóia bruta, linda e rara. Sua personalidade se assemelha com sua aparência. Ambas são magníficas. Além de tudo, era criativa. Com seus 7 anos, escrevia belíssimas histórias. Elogiada pelos professores de redação e literatura. Sim, um modelo para seus colegas.

Quando todos achavam que ela não seria capaz de possuir mais nenhum dom, essa menina imprevisível revelou dois de uma só vez: Sua voz e suas letras.

A garota não sabia que era capaz de cantar lindamente. Muito menos que era capaz de compôr músicas maravilhosas.

-You just gotta ignite the light

And let it shine

Just own the night

Like the Fourth of July...

Começara a cantar. Era uma pena que seus pais apreciavam tão pouco sua filha, pois eram pessoas muito ocupadas. Na ausência dos pais, ela saía com sua empregada, que também era uma grande amiga.

-Lina? Quer ir ao parque?- A jovem empregada pergunta com expressões emocionadas, consequência do canto de sua criança favorita.

-Unnie! Claro!- A garota diz, entusiasmada.

-Vá se agasalhar então!

-Sim, senhora!- Era uma menina animada. Arrancava sorrisos de todos.

Em menos de alguns minutos, ela já estava pronta. As duas saíram do condomínio de prédios e se dirigiram ao parque.

-O que você tem nessa pasta?- A moça pergunta.

-São minhas músicas, unnie! Quero mostrá-las ao mundo algum dia!- A empregada se comovia com a pureza da criança.

A mulher sentou se em um banco de madeira, enquanto observava a menina escrevendo suas letras na grama daquele bosque. Os ventos balançavam seus cabelos dourados, ao passo que a garota registrava cada letra em seu pequeno caderno.

-Cause baby you're a firework

Come on show 'em what your worth

Make 'em go "Oh, oh, oh!"

As you shoot across the sky...

A menina cantava baixinho, mas mesmo assim pôde ser ouvida. Principalmente por uma jovem.

A jovem, a qual observava a criança, se aproximou devagar dela. Tocou em seu ombro e, rapidamente, a pequena parou e a encarou com seus olhos azuis vivos.

-Com licença, posso sentar-me com você?- A moça pergunta.

-Claro!- A garota diz sorrindo. Em seguida, a moça se senta ao lado dela.

-Bem, eu ouvi você cantando, e sem dúvidas, reconheci que você tem um dom!

-Obrigada, é muito gentil da sua parte!- A garota diz simpática. Ela era assim com todos. Sua simpatia comovia o coração de muitos.

-Desculpe ser intrometida, mas eu ouvi você dizendo que gostaria de mostrar suas músicas ao mundo...Eu vim te dizer que eu posso tornar isso realidade.

-Mesmo?- A menina arregala seus olhos, e exibe seu lindo sorriso.

-Sim! Você gostaria?

-Claro!

-Esse é meu número, me ligue assim que conversar com seus pais sobre isso, ok?

-Ok!

-Desculpe mais uma vez, mas como se chama?

-Me chamo Alex Lee!

============================

13 de Maio de 2012, Busan, Coréia do Sul.

Todo adolescente é sempre bem animado e gosta de chamar atenção, seja por sua beleza, carisma ou até mesmo habilidades estranhas. Bem, esse não é o caso desta jovem.

Ela gostaria de chamar a atenção, só que ela estava pensando em algo maior do que apenas a popularidade escolar. Ela não queria uma atenção entre seus colegas e não queria ser notada por sua beleza. Ela pensava em outras coisas. Ela gostaria de se destacar entre os demais por causa de seu talento, gostaria de ser conhecida mundialmente. Gostaria de ter seu palco, seus holofotes, seus fãs... Sim, ela sonhava em ter fãs.

Almejava mostrar sua voz ao mundo. Gostaria que todos reconhecessem seu talento de nascença.

Era uma menina dedicada e madura para alguém de sua idade.

Participava do clube de canto e teatro de sua escola. Como esperado, ela se destacava entre seus colegas.

Participou dos teatros de sua escola desde seus 12 anos, já era uma veterana na arte da dramaturgia.

De todos as cenas que já fez, de todas as falas que decorou e de todos os trechos que cantou, um ficou para sempre em seu coração, pois foi o dia em que seu sonho se realizou: Ela foi notada.

-Não fique nervosa, querida, ficará tudo bem!- A professora de teatro a consolava, pois naquela peça, o salão estava mais cheio que o normal. Pessoas chegavam a sentar no chão.

-Não entendo! Todos esses anos nesse palco, eu nunca vi esse lugar tão cheio...- A garota andava de um lado para o outro sentindo borboletas em seu estômago.

-Vai dar tudo certo! Lembre-se: Se ficar nervosa, ache um ponto fixo e encare-o, assim conseguirá superar grande parte do nervosismo.

-Obrigada!

-Imagina!

"Todos em seus lugares, as cortinas vão subir!"

A menina, a qual era conhecida por "Panda", respirou fundo e manteve a calma. Tinha facilidade nisso, sempre fora uma pessoa calma.

As cortinas subiram. A peça se iniciou. Era um musical sobre a evolução do Street Dance. Em uma das cenas, a garota cantou a parte de um rap chamado "Stronger". Aquilo impressionou a todos que estavam assistindo, porém impressionou alguém em especial.

Assim que a peça acabou, a jovem recebeu a notícia de que alguém importante queria vê-la.

-Olá!- Ele disse.

-Olá...- Ela respondeu, tímida.

-Vi sua peça! Achei incrível! Principalmente a parte que você canta o rap!

-Obrigada!- A menina diz, ainda tímida, porém mais animada.

-Eu sou um caça-talentos, eu reconheço um talento natural quando vejo um, acredite, você é a peça que eu estava procurando!- Ele diz.

-Que gentil...- Diz corando e sorrindo.

-Eu conheço uma empresa de entretenimento musical, tenho certeza que você devia pedir para eles te debutarem!- Ele diz animado.

-Eu não sei...Acho que não seria aceita...- A menina encara o chão, desanimada.

-Não desanime! Você tem um dom, seria horrível não aproveitar! Sabe, tem milhares de garotas querendo uma voz igual a sua, e quando você consegue isso na maior facilidade, você não tenta ser reconhecida por causa de seu talento? Pense bem! Vou deixar meu número com você, o CEO da empresa é meu amigo, me ligue se tiver uma resposta...- Ele diz entregando um cartão para a menina, que não hesitou em pegá-lo.

-Obrigada mais uma vez!- Seu sorriso tinha voltado.

-Qual o seu nome, minha jovem?

-Jung Yu Mi!

============================

23 de Fevereiro de 2011, Seul, Coréia do Sul

A chuva fraca era tão linda. Regava as flores. Suas delicadas gotas escorriam pelo vidro fino das janelas. A água dava vida para tudo, inclusive para uma jovem menina que vivia em Seul. Não que ela não tivesse vida, mas as gotas davam contraste em sua beleza natural.

Ela gostava do frio, da chuva, do ar. Ela amava todas os encantos da natureza que a cercavam.

Era uma amante da música, inclusive, tentou audições para grandes empresas, porém nunca conseguiu. Ela estava perdendo suas esperanças aos poucos. Cada dia que se passava, era um ponto a menos de esperança para aquela menina.

Ela gostava de sentar no balanço que ficava no quintal de sua casa. Gostava de cantar enquanto balançava seus pés, pois ainda era pequena para uma menina de 13 anos.

-You shout it out

But I can't hear a word you say

I'm talking loud not saying much

I'm criticized but all your bullets ricochet...

You shot me down, but I get up

Sua voz doce se misturava ao sussurro da chuva, dando uma sensação de tranquilidade na menina.

-I'm bulletproof, nothing to lose

Fire away, fire away

Ricochet, you take your aim

Fire away, fire away

Shot me down but I won't fall

I am titanium

Shot me down but I won't fall

I am titanium...

A menina tem seu canto interrompido por alguém que já a observava a algum tempo: Sua amiga.

-Vai ficar doente se continuar aí fora!- Ela diz escondendo suas mãos no bolso de sua blusa.

-Ah Mina, a chuva é minha amiga, ela não me faria mal algum!- A pequena diz dando um sorriso encantador e fofo.

-Boba!- Mina diz revirando os olhos e indo ao encontro de sua amiga.

-Achei que não gostasse de se molhar!- Disse Bunny, dando um leve sorriso para a menina ao seu lado.

-Para alguns motivos vale a pena se molhar!- A garota diz encarando Bunny.

-A que devo a honra de você ter se deixado molhar?

-Não seja chata, eu estou falando sério!- Mina revira os olhos, brincalhona.

-Eu também estou!- Bunny diz dando algumas risadinhas.

-Bem, eu vim aqui acender sua vela da esperança! Fiquei sabendo que uma empresa chamada Big Hit vai criar um grupo, e eles estão aceitando audições!- Mina diz esperando a animação de sua amiga.

-Não sei não, acho que vai ser igual as outras...- Antes que pudesse completar, é interrompida.

-Para com isso! Sua voz é linda, aquelas empresas jogaram um diamante no lixo ao dispensarem você! Faz audição!

-Não sei, Mina...

-Por mim!- Ao olhar para sua amiga, percebeu que Mina fazia uma expressão triste. Bunny se comoveu com aquela carinha, porém se comoveu ainda mais pelas palavras e pela importância da felicidade dela para Mina.

-Ok! Eu vou!

-Yaaaay- A menina se levantou e começou a dançar pelo quintal, logo sendo acompanhada por sua amiga.

Mal sabia elas que aquela comemoração iria evoluir no futuro, pois a menina seria, finalmente, aceita.

O mais importante foi que Bunny não deixou que suas sombras do passado a cercassem, pois se deixasse, não se tornaria uma pessoa brilhante no futuro. Não se tornaria uma estrela, ou melhor dizendo, não se tornaria Kim YooJung.

============================

10 de Junho de 2013, Barcelona, Espanha

Todos temos sonhos. Gostamos de imaginar algo que poderíamos fazer futuramente, mesmo que não sejam tão possíveis. Todos gostamos de nos iludir um pouco, seja no amor, no trabalho, na amizade, nos desejos...E nos sonhos principalmente. Somos todos assim, porém, era uma vez, uma garota que pensava diferente. Ela era diferente. Tinha sonhos, porém procurava não pensar muito a respeito, pois se não acontecer, ela teria alimentado algo que nunca estivera vivo. Pretende sempre pensar no possível, manter seus pés no chão e deixar sua cabeça em seu pescoço, e não no espaço.

Porém, não era uma menina pessimista, digamos que preferia ser chamada de realista.

Tinha talento, isso ela não podia negar. Pensava em ser uma cantora no futuro, pois tinha potencial e grandes chances de se tornar uma pessoa amada pelo público mundial por causa de sua voz.

-How you feel When I come through Looking so fly prettier than your bitch? Aint gotta try To catch a nigga's eye I'll take your man like aye hoe, watch this! I'm not lookin' at you Tryna live it up just doin' my own thing So hot what you gon do? Pop another bottle boy, fill up my drink...

Era uma apaixonada por rap. Tinha esperanças​, como qualquer um, de que se tornaria rapper algum dia.

-Você tem uma voz incrível!- A menina olha para trás e se depara com seu irmão a observando encostado na porta de seu quarto.

-Benjamin!- A menina diz alegre, pois ama seu irmão.

-Você deveria correr atrás de audições para ser aceita em uma empresa!

-Eu já pensei nisso!- Ela diz revirando os olhos, pois realmente pensava nisso com frequência.

-Nunca correu atrás?- O homem pergunta sentando-se na cama de Annie, ao lado dela.

-Bem, é que eu não sei quais empresas estão aceitando audições!- Ela diz entrelaçando seus dedos e olhando para o teto.

-Se é esse o problema, você deveria ter me dito antes! Eu sei de uma empresa que está aceitando, mas tem um problema...

-Que problema?- A menina pergunta, demonstrando tristeza em seu tom de voz.

-Ela fica na Coréia do Sul...

-Eu sabia! Estava bom demais para ser verdade...- A menina diz abaixando a cabeça e encarando seus pés descalços.

-Ei! Não desanime! Eu posso comprar uma passagem para nós dois! Eu vou com você!

-Sério?- Ela diz mudando de expressão em questão de segundos.

-Alguma vez eu já menti pra você?

-Já!- Ela diz revirando os olhos.

-Eu não mentiria sobre isso, você sabe!

-É, eu sei!- Logo um sorriso é estampado na face dela, exibindo suas belas covinhas.

-Amo te ver feliz!

-Eu amo ficar feliz!

-Vou comprar as passagens, vá se adiantando, temos um longo caminho pela frente!- Ele diz saindo do quarto.

-Com certeza- A menina sussurra e volta a cantar.

Ela é bem realista, porém não consegue evitar que suas esperanças aumentem de tamanho às vezes.

Elas é realmente diferente. Ela é Annie Oliver Cordega.

============================

02 de Maio de 2013, Daegu, Coréia do sul

O mundo é cruel em certos aspectos, não? Bom, ele é em si, um lugar legal, mas assim como existe o doce, existe também o amargo. E essa é a visão sobre o mundo desta jovem. O mundo, assim como os sabores, tem lados, mas não somente dois, existem vários, porém não podemos experimentar todos, mas podemos experimentar a maioria, e era isso que ela queria fazer: Queria viver o máximo em seu sabor favorito.

Uma mente criativa. Um coração gigantesco. Apaixonada pela música e pelo teatro. Linda aos olhos de qualquer um. Emocional forte.

Por seus colegas, apelidada de "Sereia", pois segundo eles, sua voz encanta qualquer coração amante de música.

Seu lugar favorito era o jardim de seu condomínio. Era calmo, tranquilo, lindo e, além de ser silencioso, possuía uma melodia natural magnífica.

-The day I first met you

You told me, you never fall in love

But now that I get you

I know fear is what it really was

Now here we are, so close

Yet so far, haven't I passed the test

When will you realize

Baby, I'm not like the rest...

Sua voz doce transbordava de seus lábios assim como a água pura transborda de uma nascente. Se misturava com as vozes serenas da brisa que balançava seus cabelos.

-Don't wanna break your heart

Wanna give your heart a break

I know you're scared it's wrong

Like you might make a mistake

There's just one life to live

And theres no time to wait, to wait

So let me give your heart a break

Give your heart a break

Let me give your heart a break, your heart a break...

Antes que a garota pudesse continuar seu show particular para os pássaros a rodeavam, notou a presença de alguém que se aproximava dela.

-Olá!- Disse a moça que permaneceu em pé ao lado da jovem.

-Olá...- Cumprimentou, mesmo estando um pouco tímida.

-Eu ouvi você cantando...- Antes que pudesse completar sua fala, a moça fora interrompida pela garota.

-Estou incomodando? Se quiser, posso parar...- Diz tímida.

-Não, por favor, não estava incomodando, estava lindo...Eu gostei da sua voz!- A moça disse sentando-se ao lado da menina.

-Obrigada!- A garota disse sorrindo -Você mora aqui? Eu acho que eu nunca te vi por entre esses prédios antes!- A menina diz, olhando para seus dedos entrelaçados uns nos outros.

-Não moro aqui, estou só visitando uma amiga!- A mulher diz exibindo seus belos dentes em um sorriso.

-Entendi...- A menina diz encarando as rosas vermelhas que estavam em sua frente.

-Bem, eu ouvi sua voz e, como já disse, gostei bastante! Eu gostaria de saber se você aceitaria fazer audição para minha empresa!- Ela diz esticando um cartão para a jovem, que logo o pega com as duas mãos.

-Eu adoraria!- A garota diz animada e com os olhos brilhando.

-Converse com seus pais e me ligue quando souber a resposta!- A moça diz levantando-se -Bem, vou embora, nos vemos em breve, talvez!

-Deixe eu te acompanhar!- A jovem diz levantado junto com a mulher.

Foram conversando sobre as músicas de que gostavam e cantores que admiravam. Quando menos esperavam, chegaram na saída.

-Tchau, senhorita Chin-Mae!- Diz a menina se curvando um pouco.

-Tchau, Willa!- A mulher diz abrindo o portão -A propósito, qual seu nome?

-Lee Misook


Notas Finais


Então, é isso meninas, espero que tenham gostado, do fundo do meu coraçãozinho!
Beijos S2

Música que a Park Han Yoon Jin cantou-
https://youtu.be/bnVUHWCynig

Música que a Alex Lee cantou:
https://youtu.be/QGJuMBdaqIw

Música que a Jung Yu Mi cantou-
https://youtu.be/PsO6ZnUZI0g

Música que a Kim YooJung cantou-
https://youtu.be/PGoCtJzPHkU

Música que a Annie Oliver cantou-
https://youtu.be/_tj7Nta3Ifo

Música que a Lee Misook cantou-
https://youtu.be/1zfzka5VwRc


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...