História Sweet Creature - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Swanepoel, Harry Styles, Justin Bieber, Kendall Jenner, One Direction, Zayn Malik
Personagens Candice Swanepoel, Harry Styles, Justin Bieber, Kendall Jenner, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Amor, Brasil, Fãs, Friendships, Harry Styles, Londres, Los Angeles, Mundo Da Fama, New York, Ódio, One Direction, Paparazzi, Redes Sociais, Romance, Sexo
Visualizações 22
Palavras 1.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite galera ♥ Good vibes!

Boa leitura!

Capítulo 3 - 002: Encontro com o passado


Fanfic / Fanfiction Sweet Creature - Capítulo 3 - 002: Encontro com o passado

Praia de Ipanema

22 de dezembro de 2014

[...] Horas mais tarde

Cá estou eu, sentada numa típica e ao mesmo tempo falha posição de yoga na areia da praia contemplando o mar e o por do sol respirando de forma feliz o ar brasileiro. Praia era um lugar incrível que me trazia uma paz enorme, eu costumava chamar de “paraíso aquático.” Ao meu lado estava Alice, minha irmã mais nova, quieta e silenciosa, aquilo era um tanto estranho, visto que, Alice era uma das pessoas mais conversadeira que eu conhecia. 

Com 17 anos recém completos, ela tinha inúmeras histórias e acontecimentos para serem compartilhadas. Alice era meu xodozinho entre os irmãos, aquilo explicava bem o fato da mesma me chamar de mommy às vezes, ou seja, quase sempre quando precisava de conselhos e ajuda para sair de alguma roubada. Mesmo longe eu fazia questão de manter contato quase todos os dias.  

Era por essas e outras que sempre acontecia o mesmo, a nostalgia baixava gradativamente e perguntas retóricas percorriam minha mente: "será mesmo que eu estava fazendo o certo, ficando meses e meses longe da minha família?" por mais que eu soubesse todas as respostas, a sensação de sentir saudades e não encontrar consolo na primeira busca, era péssima, me deixava com pé atrás.

Porém ser uma modelo internacionalmente famosa sempre fora meu sonho, desde pequena sonhava com as passarelas, mesmo não tendo influencias dentro de casa, era exatamente aquilo que almejava para minha vida. E, aos poucos com um passo atrás do outro estava conseguindo trilhar sua rotação.

Meu celular tocou dentro da bolsa de praia denunciando seu típico sinal de mensagem. Alcancei o mesmo rindo de lado, era Harry. 

Styles, Gostosão: Gata me chama de Charlie Charlie e deixa eu te possuir

Eu: Não acredito que você trocou seu nome de contato outra vez Harry

Styles, Gostosão: Ué como sabe que fui eu? Pode muito bem ter sido você

Eu: Eu não seria patética a esse ponto 

 Styles, Gostosão: No caso você ta me chamando de patético  ou e impressão da minha parte? 

Eu: Não claro que não jamais ofenderia um pobre animal assim

Styles, Gostosão: Tô ficando sem argumentos para me defender então pare 

Eu: Você sempre fica mon amour

Eu: Estou imaginando agora você fazendo bico

Styles, Gostosão: Por isso que eu preciso de você <3 

Eu: Que fofenho esse moço de covinhas ta hoje gente

Eu: Ta carente?

Styles, Gostosão: Você não levou a sério né? 

Eu: Era pra ter levado? 

Styles, Gostosão: Sim Lua era pra ter levado!

Styles, Gostosão: CARALHO!

Styles, Gostosão: Por que será que isso não me assusta vindo de você?

Styles, Gostosão: Na boa eu te falo tantas coisas importantes para mim, mas você não faz questão de leva a serio nenhuma delas, eu nem sequer sei se você realmente as ouve

Styles, Gostosão: PORRA

Styles, Gostosão: Isso acontece desde 2013

Styles, Gostosão: Já tô tão acostumando que nem dói tanto 

E naquele momento eu fiquei sem ter o que responder, Harry tinha aquele dom. 

Não queria discutir com ele como sempre fazíamos quando ele dizia coisas bonitas e eu tampouco sabia retribuir, não por mensagem, aquilo seria patético da minha parte, eu não teria argumentos o suficiente para debater contra ele, eu nunca tinha. Ele sempre ganhava. 

 Deixei meu celular de lado tentando mudar minha feição zangada, estava com saudades de conversa com ela, mas só pra varia estraguei tudo. 

– Aconteceu alguma coisa, Lua? – Alice quebrou o silencio fazendo-me sobressaltar pelo pequeno susto. Ri levemente, me assustava tão fácil. 

– Nada de mais! Não tem importância. – Respondi tentando soar natural. 

– Como não? Você estava feliz tão feliz há segundos atrás, mas bastou troca algumas mensagens para ficar assim. – Disse obvia. – Quem era afinal? – Perguntou curiosa. 

Respirei fundo.

– Eu simplesmente não consigo entender Harry Styles. – Soprei as palavras lentamente. 

Talvez ele também pensasse o mesmo a meu respeito.

– A relação de vocês é um tanto quanto estranha vamos combinar. – Ela fez careta e eu assenti. – Mas eu acho que talvez vocês não conversam a respeito “dela” tanto quanto deveriam. Já parou pra pensar na existência de algum sentimento de ambos os lados? Vocês já conversaram sobre isso? 

– Tenho quase certeza que isso não existe! É impossível! Harry pode ser perfeito, gentil, carinhoso, o cara mais maravilhoso que eu conheço, porém ele tem um defeito e esse defeito é não ser fiel a uma mulher só! – Suspirei. – Acredite, não sou a única na vida dele. – Finalizei tentando não demonstrar minhas frustrações.  

– Mas talvez seja a única que ela gosta. – Ela ponderou pensante. – Já parou pra pensar nisso? 

– Não. Isso não tem cabimento, Alice. – Fiz pouco caso.  

– Ok. Não está mais aqui quem só queria ajudar. – Chacoalhou as mãos. – Mas minha opinião continua sendo a mesma, quando quiser ouvir estarei aqui. 

O silencio reinou outra vez. Alice estava estranha demais, e eu iria descobri o motivo.  

A gargalhada do pequeno Lucca despertou minha atenção, aquilo me fez constar o quanto ele estava feliz. Joana e Bryan tentavam deixar o cansaço de lado para se dedicar ao filho, estava dando certo, visto que ele brincava de guerrinha d'água com os dois, atraindo olhares e risos bobos. 

– Ele é tão fofo. – Alice quebrou o silencio outra vez. – Da vontade de apertar até a cabeça dele pular pra fora do corpo de tanto amor. – Fez gestos com as mãos.  

– Não sei se dou risada, tenho medo, ou acho fofo. – A encarei com uma expressão engraçada, porém meio duvidosa fazendo a mesma rir. – Mas no caso de dúvida acho melhor manter-lo afastado de você, portanto fique longe do meu pequeno.

– Ei... – Esbarrou em meu ombro. – Eu sou tia dele também, tenho direito ok?

– De que? De matá-lo? Como tia favorita é minha obrigação em primeiro lugar manter-lo afastado de você, respeite isso. – Disse brincalhona jogando meus cabelos ao vento, mais precisamente em seu rosto. 

– Chata. – Murmurou. 

– Insuportável. – Revidei relembrando os velhos tempos. 

Alice riu e me abraçou escondeu seu rosto em meu ombro. 

– Praias me fazem lembra você. – Sussurrou. – Eu sinto sua falta Lua, sinto falta da minha irmã, fico lembrando quando você morava aqui das noites que nós dormíamos juntas, das nossas brincadeiras, dos momentos engraçados e tristes. E, não eu não estou reclamando por você está sempre longe. É o seu sonho!  – Sua voz mudou a entonação me preocupando.

– O que está acontecendo com você Alice? Sério, essa não é você! Não é a Alice que eu conheço.

– Aconteceu tudo, esse é o problema. 

Ela recostou ainda mais seu rosto em meu ombro e começo a chora. 

– Então me conte. – Acariciei seus cabelos. – É algo grave? Não vou te julgar. 

De repente ela me soltou e como quem não quer nada se ajeitou numa posição meio parecida com a que eu estava, quando ela estava se preparando para falar sua expressão chorosa mudou para assustada, seus olhos azuis fixos em um ponto atrás de mim estavam arregalados.

– Que foi? Parece que viu um fantasma. – Ri da sua cara.

– Não é propriamente um fantasma, é na realidade o seu passado.

– Que? – Perguntei sem compreender.

Virei meu corpo na direção a qual o dela estava e me deparei com o protagonista de um passado desagradável. 

Seus passos eram firmes, e os guiavam até nós. Onde ficava a saída de emergência? Eu queria correr, fugir dali, fugir dele, mas sabia que não iria conseguir, minhas pernas me trairiam na primeira tentativa.

Meu corpo se sobressaltou, minhas mãos suavam tremulas uma sensação ruim dominava meu corpo.

– Lua... – Sua voz rouca proferiu meu apelido assim que o trajeto foi feio. Ele parecia surpreso em me ver, suas sobrancelhas estavam arqueadas, sua expressão era meio duvidosa. Mas mesmo assim ele sorriu animado.  

– Felipe. – Murmurei sem vontade.

E ali ficha pareceu cair, não era sonho ou algo do tipo, eu estava realmente cara a cara com o meu passado. 


Notas Finais


Eita eita tem muita parada por trás disso, socorro que nem eu tô dando conta.

Tenham uma maravilhosa noite! Fiquem com Deus e até a próxima ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...