História Sweet Darkness. - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Ravi
Tags 2xchallenge, Angst, Anjos Negros, Clichê, Depressão, Hongbin, Hyuk, Hyukbin, Inferno, Lemon, Leo, Menção Navi, Menção Taekhwan, Navi, Nen, Nken, Otp, Romance, Seme, Taekhwan, Uke, Vixx, Wonshik, Wontaek, Yaoi
Exibições 28
Palavras 2.006
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oI!
Nada a declarar, a não ser as minhas provas cada vez mais exigentes, não tô conseguindo lidar direito :/
Perdoem, porque doramas também me consumiram forte e eu me fodi nisso de postar, but acho que agora volto a normalidade da coisa, acho né
Enfim, chega disso q
Boa leitura sz

Capítulo 14 - Chained Up.


Fanfic / Fanfiction Sweet Darkness. - Capítulo 14 - Chained Up.

Again, lock lock lock.
You put a leash on my heart, nail it in place, bang pow pow.
No matter what I do I won’t be able to escape you.
In the past I thought there was no power relation in love,
but now I am trapped for life.

Jaehwan simplesmente ali ficou, tentando entender o que estava a acontecer de momento. Não entendia porquê é que Hakyeon se tinha declarado assim para si, parecia que tudo o que sempre quis, nomeadamente o amor que sempre quis de Taekwoon lhe estava agora a ser oferecido por outra pessoa, contudo, não era certo este aceitar tal coisa, era errado. Ele não pertencia, pelo menos, naquele instante a N, enquanto o moreno de pele escura pertencia a este sem sequer pensar duas vezes sobre tal coisa. O frio fez seus lábios ficarem ligeiramente presos, a forma como se tentava mover captou ainda mais a atenção de Hakyeon. Envergonhado demais para conseguir olhar os olhos de Lee, não sabia o que fazer.

— D-Desculpa, eu... Não sei o que me deu para falar aqui, desculpa. – Pensava que tudo aquilo estava a ser confuso por demais para o moreno, talvez desculpar-se fosse de todo a melhor opção, porém estava este também confuso e sem saber o que fazer ao certo por causa da resposta do outro.

— Idiota...

Jaehwan sentia-se movido pelas palavras de Hakyeon. Porquê? Nem este sabia, contudo, queria abraçá-lo, segurar o outro em seus braços, mesmo que ele é que precisasse de ser protegido. Aproximou-se, encostando-se ao peito de N, onde tentou assim serenar o seu espírito, porém antes mesmo que conseguisse tal coisa... Puf. Os seus lábios foram assim invadidos pelos do outro, que calmamente fez suas bocas bailarem assim. As línguas tocaram-se ligeiramente; Hakyeon acabou então sentado com o outro em pernas, cuidando assim de seu pequeno amado, queria proteger este de tudo e todos, queria principalmente que Jaehwan fosse seu, e naquele instante, este fora então do moreno, por completo.

-xXx-

Like an idiot, I freeze. I’m a slave.
Nananana nanana nanana.
I let my sharp gaze fall.
my legs are tied, I’m chained up, chained up.
I turn to ice, I freeze. Armor down.
Nananana nanana nanana.
You dig in your sharp claws.
To you I’m forever chained up, chained up.

Estavam em casa já, os dois mal sabiam o que estaria para acontecer naquela noite.Queriam respirar, mas a casa parecia emitir um cheiro forte de fumo que estes não conseguiam de todo controlar; queriam saber o que tinha acontecido, e rapidamente tal coisa aconteceu, visto que conforme entraram naquele pequeno edifício uma imensa bola de fumo apareceu então. Ao longe, figuras tentavam então fugir, porém a forma como a zona lombar não permitiam que este corresse assim, mas queria mais do que tudo salvar o pouco que ainda tinha, ou que poderia sobrar. Wonshik deveria ter entendido tal coisa, visto que o deixou do lado de forma a que não ficasse com as costas a tocar fosse onde fosse, e fora ai que se surpreendeu.

Conforme entrou, o fumo era imenso e as chamas ja ligeiramente altas, contudo os “pais” de Taekwoon não estavam dentro de casa, mas sim no exterior. Parecia tudo aquilo ter sido um plano ordenado por alguém, no caso, seriam eles mesmos quem queriam ter feito aquilo? Não sabiam, contudo Kim conseguia já sentir a morte a chegar de forma anunciada; medo. Medo invadiu todo o seu corpo de alto a baixo, deixando-o instável por natureza. Por sua vez, Jung ficara com mais dores ainda; suas costas pareciam explodir a qualquer instante. “Não agora, por favor, não agora...” este implorava, tentando assim controlar os sentimentos negativos que imperavam no seu interior para conseguir acalmar por completo a dor; teria que adiar aquilo mais um pouco, por pouco que fosse, tinha que aguentar.

Arrastou-se, praticamente, até ao interior da casa e procurou pelo outro; suas pernas fraquejavam a cada instante, tudo era negro em seu redor, o fumo magoava seus olhos e suas vias respiratórias. Wonshik estava já caído sobre o chão, porém e talvez porque queria mais do que qualquer outra coisa ajudar e salvar assim o seu amigo – que de todo era mais do que isso – conseguiu trazer ambos para fora, porém, Kim permanecia adormecido e não dava sinais de acordar tão cedo. Seria isso o fim? Taekwoon teria sido tão fraco a ponto de não conseguir salvar seu pequeno?

— O-Oi, Wonshik... Acorda... Nós ainda temos muito para viver... Acorda... Abre os olhos... – desesperado, Taekwoon pedia a seu amigo que acordasse e não o deixasse sozinho, novamente. Jung não queria mais estar sozinho, não queria que nada magoasse o outro. – Acorda, hey... É hora de acordar... Hm? Vá, vamos...

Ele parecia não acordar, seus olhos pareciam nunca ceder, nunca mais voltar a ver aquela cor escura de seu olhar penetrante. Taekwoon teria mesmo perdido seu enamorado em segredo? Seria realmente isso real? Teriam tirado de si a única coisa boa que este alguma vez havia tido? Suas costas estavam a doer por demais naquele instante, talvez fosse causa do ódio imenso que sentia. Deitou a cabeça sobre o peito do outro; este respirava, porém insistia em não acordar. Parecia quase que obra de outra pessoa; seu peito parava aos poucos de respirar... A dor ficou ainda mais intensa.

— W-Wonshik... Wonshik-Ah! Acorda! Não me deixes!

***

— Hyung! – fora despertado pelas mãos do alaranjado que o abanou ligeiramente. Sua região lombar estava ainda a doer e fortemente negra, porém não se atreveu a tocar. – Estás bem? Estavas a ter um pesadelo...

— Tens as mãos frias? – retorquiu no mesmo instante, revirando-se ligeiramente na cama. – Se sim, por favor põe nas minhas costas, parece que está em fogo...

Nem respondeu verbalmente ao outro mediante o seu sofrimento; limitou-se somente a pousar as mãos nas costas do outro, fazendo-o assim abraçar o alaranjado junto de seu peito. Estava feliz por nada mais ter passado além de um sonho, e talvez tenha sido ai que entendera a pior coisa que poderia ter entendido: Taekwoon entendeu então que estava tão apaixonado pelo outro que o medo de este se afastar dele, de o perder seja porque motivo for o consumiu por completo, a ponto de ele não conseguir mais pensar noutra coisa a não ser manter o outro perto de si. Tê-lo sempre em seus braços. O frio das mãos de Wonshik eram completamente o contrário do que o seu coração e corpo sentiam: estava quente por demais, e não queria sair os braços do mais velho fosse em que altura fosse, fosse qual fosse a razão. Era ali que estava bem, protegido, que se encontrava a ele mesmo.

-xXx-

Rattle, rattle, already in chains,
as if I’ve seen you for the first time,
like a beast completely trained by you,
no matter what I do I won’t be able to leave you.
(Think about it.)

Hyuk andava pelas ruas, fazia algum tempo que Hongbin havia fugido de si. Porquê? Este somente queria explicar o que tinha acontecido, as suas razões e os seus motivos para ter dito aquilo, acho que no final de tudo se confessar pelas coisas que não teve coragem de dizer, contudo, era assim que este queria fazer tudo, à sua maneira e medida. Estava cansado de fingir que nada sentia. Sim, eram ainda muito jovens, porém Sanghyuk estava certo do que sentia pelo Lee mais novo, queria tanto ter conseguido dizer tal coisa antes, muito antes de este ficar a saber de tal coisa pela forma que foi. Sentou-se então sobre uma qualquer árvore de raiz saída, quase que  pedindo aos céus que adiante de si aparecesse Binnie, mas sabia que era impossível tal coisa.

Completely tensed up, I roll my shoulders.
I simply wander around you, uh.
You gaze straight through me
over the whip that made me submit.
(That’s right, good boy.)

“Ah, que patético eu, sempre jurei manter-me fiel a mim mesmo, e que nunca me apaixonaria e agora olha para mim, idiota, apaixonado e justamente por um rapaz.” Deixou então a cabela encostar-se naquela madeira levemente solta do tronco principal, olhando o tudo e o nada. Queria entender o porquê, porquê consigo. O outro, sem que o loiro tivesse então notado aproximou-se dele, será que estava de facto certo tal coisa? Queria, acima de tudo, ver Hyuk feliz e seu coração chamava perdidamente por ele, sabia que nunca iria conseguir negar tal coisa por mais que continuasse a tentar.

— Hyuk? Nós precisamos de falar. – Nesse mesmo instante, Hyuk descera da árvore com o coração aos saltos, começando a tentar falar, porém as palavras estavam tão diferentes que não conseguiria de todo dizer coisa com coisa. – Calma, eu não estou a entender tipo nada, então acalma-te primeiro.

— Eu não quis dizer o que tu ouviste! – Nesse instante o pequeno coração de Hongbin congelou. Estava triste, será que realmente Hyuk lhe havia mentido todo aquele tempo, fazendo-o pensar que gostava do pequeno, quando na verdade não era isso que sentia? – Eu amo-te, eu realmente amo, mas eu não te vou forçar a nada.

— Forçar? Porra, Hyuk. Como tu consegues ser tão cego? Não consegues olhar à tua volta e ver o quão apaixonado por ti eu sou? Eu estou perdidamente apaixonado, quando tu estás por perto o sol perde o brilho, as estrelas o sentido. É tão lindo, divino, parece que que não és humano! Ah, como queria tanto segurar-se, abraçar-me ati, dormir a teu lado e acordar com os teus lábios nos meus. Sim, Han Sanghyuk, eu sei de todo o tempo passado se tal coisa te deixa instável, eu sei de tudo, mas eu estou tão apaixonado que eu não quero saber de pormenores pequenos quanto esses! Tu és tudo o que eu quero e desejo, és o que eu preciso para a minha vida a partir de hoje! Eu quero-te, eu quero-te tanto que faltam as palavras para falar, falta tudo o que eu perco pelo caminho olhando teus olhos. O teu passado pode ser um factor que em nada ajude, claro que pode, porém eu não quero simplesmente saber, eu quero saber de quem tu és agora, não de quem tu foste.

I put my hands up, freeze. Armor down.
Nananana nanana nanana.
It’s fine even if you coldly cast me away.
I can’t leave you, I’m chained up, chained up.
I’m on my knees, freeze. Armor down.
Nananana nanana nanana.
It’s fine even if I’m hurt like this.
Without moving a muscle, I’m chained up, chained up.

Não sabia o que fazer perante tal coisa.  Queria entregar-se uma vez mais, mas tinha medo por causa da promessa idiota que tinha feito para consigo mesmo. Queria proteger Hongbin nos seus braços, mas sabia que tal coisa seria mais difícil do que o que este esperava. Queria respirar de alívio ao saber que Hongbin estava perdidamente apaixonado por si, que seus sentimentos eram correspondidos, porém não conseguia. A preocupação imperava, a forma como este o olhava poderia não ser a mais casta de todas e isso estava a deixá-lo assustado por demais. Queria os lábios de Binnie nos seus, mas sabia que tal coisa era impossível de momento. Suspirou então.

— Eu também te amo, eu também te quero, mas infelizmente só amar por vezes não chega. Eu estou com problemas que eu preciso de resolver agora, sabes... Coisas pessoais, coisas em que tu podes ficar envolvido se continuares a falar comigo. Eu não queria, nem quero, mas Hongbin, nós precisamos de nos afastar. Eu amo-te, eu amo-te mais do que qualquer outra coisa na minha vida e és o que mais quero, mas não posso. És uma tentação proibida, e eu sei que são sempre as mais apetecidas, porém eu n... –

Não conseguiu acabar de falar, porque os lábios do outro selaram então os seus. “Chega de conversa fiada, por ti eu enfrento tudo e todos.” Sorriu sem saber o que fazer a seguir, mas simplesmente se limitou então a segurar o outro ainda mais forme em seus braços.

— Agora, és meu, e nada te tocará...


Notas Finais


Perdoa os errinhos sz
Corri.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...