História Sweet Destiny - Min Yoongi Fanfiction - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Bangtan Boys, Bts, Destiny, Fanfic, Fanfiction, Julie, Kim Juliang, Min Yoongi, Suga, Sweet
Visualizações 21
Palavras 1.797
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


>Mais um capítulo só pra ter a ilustre presença da nossa fofura em pessoa...
Boa Leitura

Capítulo 2 - Min Yoongi


Fanfic / Fanfiction Sweet Destiny - Min Yoongi Fanfiction - Capítulo 2 - Min Yoongi

O amor não força nada, ao contrario, ele abre caminho.” - A Cabana

 

Eu ainda estava esperando, ela me dar a resposta que eu tanto queria, qual era afinal o probleminha ali naquela situação?

- Bem, para começo de conversa... Eu conheci um cara. – ela disse e eu bufei, aquilo não era novidade para mim, os amores desiludidos de Jay poderiam preencher um livro. – E ele é muito legal comigo e gente boa, estamos namorando há três meses.

- Jay, sua vida amorosa não me interessa. – falei e ela revirou os olhos, aquilo não me interessava mesmo, eu sabia como iria acabar e isso incluía ela chorando em meu ombro por uma noite inteira.

- Continuando, sua estraga prazeres. Acontece que ele me convidou para viajar com ele pela EUROPA, ouviu bem Julie? EUROPA. – ela deu ênfase em “Europa”, o que eu não estava entendendo era: onde EU me encaixava naqueles planos.

- E eu entro na parte em que... – fiz um movimento com as mãos incentivando-a a falar, mas eu preferi que ela ficasse quieta no segundo em que eu escutei a próxima frase que saiu de sua boca como se fosse a coisa mais normal do mundo.

- A viagem vai durar um ano. – ela fez uma pausa e eu não disse nada, não porque eu não sabia o que dizer, mas porque estava atônita demais com a decisão de minha irmã, porque ela tinha que ser tão cabeça dura? – E você obviamente não vai com a gente né Julie!

- A última coisa que eu quero no mundo é ir em uma viagem com você  e um namorado Jay. A pergunta é: o que eu tenho haver com isso?

- Bom, você não pode ficar aqui no apartamento sozinha. – ela disse cruzando os dedos uns nos outros.

- Posso sim, posso me virar muito bem aqui, não se preocupe. – a verdade era que eu estava adorando a idéia de morar completamente sozinha por um ano, estava sendo melhor do que eu havia imaginado, mas eu sei que meus pais nunca admitiriam isso.  – Não temos que contar pro papai e pra mamãe, a gente apenas omite.

- Não Julie, não acredito que estou falando isso, mas temos que ter cuidado. Você é menor de idade e nem é emancipada, está sobre os meus “cuidados” – ela fez aspas com os dedos e eu ri daquela frase, ela cuidando de mim? Estava mais para o contrário. – Você não pode morar sozinha, deve ser com um adulto.

Ela pareceu repensar o que disse e então se recompôs.

- Deixa eu reformular a frase. – ela parou a mão como sinal de “espera” na frente do rosto – Deve ser com um maior de idade.

- Ah, a sua idéia é me mandar para a casa de um estranho. Você acha que nossos pais não admitiriam eu morando sozinha, mas sim com uma pessoa que nem conheço? Parabéns Jay, você só melhora. – brinquei com minha irmã.

- A pessoa não é uma desconhecida, é próxima a mim. Eu conheço bem, não se preocupe.

- Jay, eu não vou morar com um estranho, você conhece a pessoa, eu não. – falei impaciente e ela pareceu respirar fundo.

-Bom, aqui você não pode ficar sozinha. Escolha, ou você me ajuda e mora com outra durante um ano só ou volta para o interior. – ela disse e eu fiz uma cara de espanto.

- Está me chantageando sua...

- Você decide. – ela disse cruzando os braços e eu suspirei.

- Tudo bem, eu aceito. Quem é a pessoa?

{...}

Jay estava definitivamente de brincadeira comigo, estava me pregando uma peça ou tentando me aterrorizar com a ajuda da minha mãe para que eu voltasse para casa.

- UM GAROTO? VOCÊ QUER QUE EU MORE SOZINHA COM UM GAROTO?

- Ai, não grita sua doida. Não é tão ruim assim. – ela sorriu tentando melhorar a situação. Funcionou? Não.

- Não é ruim para você, que está acostumada a se relacionar com garotos, é mais velha e ainda por cima o conhece! Nenhuma dessas opções me inclui. – falei já alterada pela raiva.

Jay resolveu me contar detalhes sobre meu novo colega de apartamento justo quando estávamos no táxi à caminho do lugar.

- Julie, você é tão careta, nem parece adolescente. Fique quieta pelo amor de Deus. – ela disse retocando o batom no pequeno espelho que carregava por todo lado.

Fiz bico e cruzei meus braços enquanto observava Seul passando pela janela do carro. O motorista pareceu nos observar pelo retrovisor por alguns segundos e balançou a cabeça negativamente. Não entendi.

O prédio era bem parecido com o de antes, mas um pouco menor. Segurei minha mala com uma das mãos enquanto tentava segurar o cabelo longe dos meus olhos, Seul ventava tanto que minha visão estava sendo atrapalhada pelos fios.

- E então, como ele é? – perguntei depois de um longo silêncio e vi minha irmã dar um sorriso enquanto apertava o botão do elevador.

- Ah... Min Yoongi é bonito.

- Só isso? Mesmo? – insisti em saber a personalidade do tal Min Yoongi.

- Sabe Julie, ele é uma pessoa meio difícil de lidar, bem preguiçoso e... bom, na verdade ele é todo o seu oposto.

Ah, ótimo. Agora estou bem melhor.

Saímos do elevador e nos pusemos a andar pelo corredor iluminado até a última porta dele. Se eu saísse viva, sim, porque eu nem conheço o garoto, ele pode ser um psicopata, enfim, juro que vou fazer Jay pagar caro pelo que está fazendo comigo. Estava me sentindo uma mala sendo carregada de mão em mão.

Jay parou de frente para a porta com o número 307 e deu duas batidas. Nada. Bateu novamente, nada. Mais uma vez, nada. Bufei cansada de ficar em pé e me sentei na parte superior de minha mala.

- YOONGI! – ela gritou. Será que minha irmã não sabia que moravam outras pessoas ali? – YOONGI!

- Para de gritar sua louca. As pessoas vão nos expulsar e eu ainda preciso de uma cama para dormir. – falei séria e ela me ignorou.

- YOONGI!

- Eu já to indo porra. – ouvimos uma voz do outro lado da porta. Arregalei os olhos. Eu estava completamente ferrada.

- Ai, finalmente. – Jay falou assim que Yoongi abriu a porta. No mesmo momento o encarei dos pés à cabeça. Pálido, bonito, bonito e bonito.

Jay o abraçou por um momento e então se virou para mim. O garoto me observou atentamente e encarou Jay.

- Essa é a sua irmã? – ele perguntou apontando para mim com uma cara esquisita. Ué.

Encarei o ser à minha frente, de nariz empinado como se fosse o último biscoito do pacote, ele tinha um ar tão superior e aquilo me irritava mesmo que eu nem o conhecesse. Seus cabelos lisos e bagunçados demonstravam que provavelmente estava num sono profundo, mas o que me chamou a atenção foi a cor. Era preto, ou era azul? Não soube identificar, parecia um misto das duas cores, a raiz bem preta e as pontas num azul escuro brilhante. Ele usava uma pequena argola de brinco em uma das orelhas, uma blusa de mangas preta e uma bermuda da mesma cor.

- Sim, essa é a Juliang. – Jay disse me empurrando à sua frente.

- Oi. – falei apenas. Ele riu debochado e então assentiu para minha irmã.

- Tá me devendo um favorzão. – ele disse dando espaço para eu entrar. Carreguei minha mala até a parte de dentro do apartamento e a primeira coisa que reparei no ambiente era que aquele lugar claramente era habitado por um garoto. Porque garotos não arrumam sua bagunça? Como eu sobreviveria ali?

Yoongi ficou conversando por um bom tempo na porta com Jay e a mesma se despediu de mim quando estava prestes a ir embora. Por um ano. Logo a porta foi fechada e o garoto se virou para mim.

- Onde eu vou dormir? – perguntei indiferente e ele me encarou por alguns segundos antes de apenas apontar uma porta no fim do corredor, ao lado de outra que imaginei ser o quarto dele. Virei-me e me pus a andar em direção à tal porta.

O quarto era bom, na verdade até me espantei por ele estar arrumado, era todo branco indicando que ninguém era dono do móvel, uma cama de casal com lençóis cor creme e uma coxa grossa que parecia ser bem quentinha dobrada em cima. Havia também um guarda roupa que caberia minhas roupas facilmente, uma escrivaninha com duas gavetas e um tapete de lã lilás na frente da cama. Fechei a porta atrás de mim e coloquei minha mala em cima da cama e a abri.

- Vai demorar um tempão pra arrumar isso. – falei comigo mesma e então comecei a retirar as roupas e colocar no armário até que escutei a porta abrir. Congelei na hora.

- Ham... se você quiser, pode comprar tinta e pintar depois. – ele disse seco e eu murmurei um “uhum”. Percebi que ele ainda continuava encostado no batente da porta observando eu guardar minhas roupas.

- Você pode... – falei hesitante fazendo sinal para que ele saísse do quarto. Ele levantou as mãos na frente do corpo em sinal de rendimento e saiu dali fechando a porta.

Respirei fundo e repensei toda a situação. Como seria dali pra frente? Um ano era muito tempo, como eu poderia morar em uma casa com uma pessoa que nem conheço, que não troco nenhuma palavra? E nem trocaria. Ele parecia ser um idiota. Não consegui impedir uma lágrima de rolar pela minha bochecha. Porque Jay não me contou antes? Eu poderia vir no ano que vem e aí não seria necessário passar por isso.

{...}

Quando terminei de arrumar minhas coisas percebi que já era noite, ouvi meu estômago roncar e tomei coragem para sair do quarto. Caminhei até a cozinha de pés descalços e abri a geladeira agradecendo por Yoongi não estar ali.

Não havia nada que prestasse ali, então peguei alguns ovos para fazer omelete, com fome eu não poderia ficar ou a desgraça estaria completa.

“Está tudo bem aí?” – Jay

Assim que visualizei a mensagem da minha irmã enquanto esperava os ovos ficarem prontos uma raiva subiu pelo meu corpo e digitei o mais debochada que pude.

“Claro, seu amigo é um amor de pessoa, educado também.” – Julie.

Eu realmente não sabia o que pensar, não tinha como saber. Não vi Yoongi o resto da noite, ele estava enfiado no quarto, provavelmente dormindo ou fazendo qualquer coisa que eu não queria saber, mesmo. Depois de comer o omelete e me sentir satisfeita, tomei um banho e fui me deitar. Infelizmente no outro dia ainda seria domingo, as aulas só seriam na segunda, então eu teria mais um dia de tédio com meu colega de apartamento.

Continua...


Notas Finais


O que estão achando? Espero que estejam gostando, beijos! Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...