História Sweet Destiny - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Holland Roden, Magcon
Personagens Cameron Dallas, Holland Roden
Tags Cameron Dallas, Holland Roden, Shortfic
Exibições 153
Palavras 997
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Me perdoem pela demora.
Espero que gostem desse capítulo e não se esqueçam de comentar.

Capítulo 2 - First date


Começamos a nos conhecer depois daquele “acidente” e eu percebi o quanto você é maravilhoso. Lembra-se do nosso primeiro encontro? Confesso que achei que fosse ser um daqueles encontros onde ficamos sem assunto, mas foi maravilhoso.

— Já te falei que você está incrivelmente incrível? — você perguntou me fazendo rir. Balancei a cabeça negativamente com um sorriso nos lábios. — Você está incrível hoje.

— Obrigada Dallas. — disse e você logo levou sua mão ao coração fazendo um careta. — O que foi?

— Você falando o meu sobrenome... Ficou tão sexy, ruivinha.

— Ruivinha? — Dei um sorrisinho discreto. — Gostei.

— Mesmo se não tivesse gostado, eu te chamaria assim. — você respondeu me fazendo revirar os olhos. — O que quer comer ruivinha?

— Você vai ficar falando isso toda hora Dallas? — respondi e logo percebi que você estava me encarando com um sorrisinho. — O que foi agora?

— Você está me deixando excitado.

— Deus amado! — bufei tentando parecer irritada. — Agora eu entendi o porquê de você estar solteiro.

— Isso magoou a minha alma. — começamos a rir que nem loucos. — Tudo bem. O que quer comer?

— Antes de você me buscar, eu dei uma olhadinha em um site e me disseram pra não comer coisa com alho ou cebola no primeiro encontro. — falei com um sorriso tímido. Você logo tirou o olho do cardápio e me encarou. — Então vou querer... Posso ser sincera? — você assentiu. — Esses pratos são chiques demais para mim. Eu prefiro um cachorro quente daquelas barraquinhas de rua.

— Graças a Deus. Também não gosto. Quer sair daqui?

— Com certeza.

Então, saímos.

Los Angeles era realmente magnífica! Lembro que no caminho para essa barraquinha de cachorro quente, nós passamos por um parque realmente muito bonito. Tinha crianças correndo para todos os lados e brincando nos playgrounds que havia ali; um casal de idosos comemorando alguma coisa ou até mesmo em um encontro como nós, mas o que realmente me chamou a atenção foi um casal com um bebê. Eu simplesmente adorava a ideia de ter um filho, porém com a pessoa certa.

— Chegamos!

— Graças a Deus. Estou morrendo de fome.

Você foi comprar os cachorros quentes enquanto eu fiquei sentada em um banco que havia ali, só esperando você voltar com o lanche que meu estômago desejava tanto. Depois de alguns minutos, creio eu que fora uma eternidade, você voltou.

— A fila estava enorme. — disse me entregando o lanche. — Espero que goste.

— Tenho certeza que vou gostar. — dei a primeira mordida e me surpreendi. — Hmmm...

— E ai? — Você me perguntou de boca cheia me fazendo rir. — O que foi?

— Não fale de boca cheia, Dallas.

— Desculpe ruivinha. — você falou fazendo-me revirar os olhos. — Gostou ou não garota?

— Eu amei.

— Que bom, porque pra namorar comigo tem que gostar dessa barraquinha. — arregalei os olhos. — Não vou te pedir em namoro, ruivinha. — você comentou com um sorriso nos lábios. — Não hoje.

— Cameron!

— O que? Não quer namorar comigo?

— Não é isso... É que você está me deixando constrangida.

— Vamos. — você chamou ao ver que terminei meu lanche. — Temos mais um lugar para ir.

— Onde?

— Parque de diversões.

— Clichê. Não vai tentar me beijar na roda gigante, vai?

— Não, claro que não. — você disse mordendo os lábios. Céus! — Vou ter que pensar em outro lugar agora. Droga! — você sussurrou para si mesmo, mas eu tinha ouvido, só não falei nada.

Continuamos a conversar no caminho e logo avistei a roda gigante ao longe, o que significava que estávamos chegando. Depois de alguns minutos, começou a ficar mais perto, até que finalmente chegamos.

Cameron, aquela parte do encontro foi realmente muito clichê, mas quem eu estou enganando? Eu amo um clichê.

O local estava cheio: pessoas comprando algodão-doce, crianças implorando para andar na montanha russa. Você me puxou para uma barraca onde havia tiro ao alvo e eu sabia que se eu tentasse, ia ser um desastre. Por isso, você que tentou.

Você conseguiu uma quantia generosa de pontos e podia escolher um urso nem muito grande, nem muito pequeno.

— Você é bom.

— Eu sei. — você disse fingindo jogar os cabelos para o lado me fazendo rir. — Que prêmio vai querer?

— Você que jogou, então o prêmio é seu.

— Siga o roteiro, ruivinha. Nunca assistiu filmes românticos?

— Ok, ok. — revirei os olhos. — Quero aquele que parece o Ursinho Pooh.

Você se virou e comunicou ao dono da barraca que prêmio queria logo me entregando com um sorrisinho que me deixou sem graça.

Já tínhamos ido a quase todas as barracas possíveis e eu estava cansada, porém, estava sendo muito divertido.

— Aonde quer ir agora?

— Você que sabe. — disse dando de ombros.

— Montanha-russa?

— Pode ser, mas não me responsabilizo por vomitar em você.

— Eca! — você disse fazendo um careta. — Vamos descansar porque estou suando já.

Então, nos sentamos. Deitei minha cabeça em seu ombro e você me abraçou de lado.

— Acho que estou apaixonado.

— Por quem?

— Quero muito beijar ela agora. — você disse me encarando. — Ela é ruiva e tem uns olhos incrivelmente maravilhosos.

— Pode beijar. — Sussurrei nervosa.

Eu te vi se aproximar de mim, calmo, como se tivesse feito aquilo milhões e milhões de vezes, e eu ali, quase entrando em desespero, pensando na sensação que iria provar. Eu estava nervosa, mas não tinha como escapar... E a verdade é que eu não queria escapar.

Deixei-te me envolver e se aproximar, torcendo para que você não notasse como eu estava nervosa e com vergonha. Então, você carinhosamente me deu um beijo rápido, um selinho, aquilo serviu para me tranquilizar. Antes que eu pudesse pensar em algo você já tinha aberto um espaço entre meus lábios com sua língua quente e macia, que logo adentrou em minha boca, você virou um pouco o rosto e nossos lábios se encaixaram perfeitamente. Meus dedos se fecharam em seu cabelo, apertando você contra mim, enquanto nossas línguas exploravam lugares desconhecidos.

Foi tão bom, tão perfeito que eu ao menos me recordo quanto tempo durou, só sei que aquele beijo foi o melhor beijo que eu tive na minha vida. E sinto saudades disso.


Notas Finais


Até o próximo.
Obrigada pelos favoritos e comentários do capítulo anterior.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=CGtaRTST_BI
I'm Confused ( Shawn/Nash): https://spiritfanfics.com/historia/im-confused-6152441
Magic Has a Price ( Jack Gilinsky): https://spiritfanfics.com/historia/magic-has-a-price-6388797


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...