História Sweet Dreams - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Drama, Psicopata, Sexo, Violencia
Exibições 15
Palavras 1.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieee

Capítulo 2 - What?


Fanfic / Fanfiction Sweet Dreams - Capítulo 2 - What?

Rylee P.O.V

Ja fazia 2 horas que eu estava arrumando minhas coisas e pensando nele.Como era seu nome?Quantos anos ele tem?Por que ele me da um certo medo?Ele é tão...Indecifravel?Sim,essa era a palavra . Indecifravel ,com toda certeza.Suspiro balançando minha cabeça negativamente.

-Pare de pensar nisso Rylee-falo para mim mesma.

Olho o fundo da caixa que estava mexendo e vejo coisas antigas dentro da mesma.Sorrio involuntariamente a pegando e colocando em minha cama.Tiro um porta retratos onde estava eu,meu pai e minha mãe,pego inumeras folhas antigas de escola e releio algumas,olho mais ao fundo e vejo um caderno meio abatido ja pelo tempo.A cor que antes era um preto meio brilhoso agora se encontrava em um preto meio fosco e desgastado,a fechadura estava enferrujada e as pontas meio dobradas.Abro o mesmo e leio em voz alta o que esta escrito na primeira folha:

-"Diario da Rylee"-viro para a proxima pagina e vejo a caligrafia de uma Rylee de uns 11 anos.Sorrio.Quando ia começar a ler sinto a sensação de estar sendo observada.Olho para a porta e meu pai estava lá com uma expressão meio triste olhando a foto em minha cama.-é feio bisbilhotar sabia?-pergunto com ironia e ele revira os olhos.

-So vim lhe chamar para comer algo,não estava bisbilhotando-ele fala e vem ate mim.

-Sei...-se senta em minha cama e pega a foto que antes eu olhava.Suspiro - sente falta dela?

-E como...- ele fala meio derrotado e eu o olho meio triste.

-Ela não iria gostar de nos ver assim-falo e ele me olha nos olhos.

-Eu sei,eu só...Sinto falta as vezes-ele fala e eu o abraço.

-Tudo bem sentir falta, eu também sinto -falo e ele retribui meu abraço fortemente.

\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\

Já havia anoitecido e eu já estava exausta de desempacotar coisas.Escuto vozes lá no andar de baixo e resolvo ver o que é. Desso as escadas lentamente indo em direção a cozinha,onde as vozes de meu pai e mais algum homem falavam de algo.Entro na cozinha e arregalo os olhos surpresa,meu pai percebe minha presença e sorri.O que ele faz aqui?

-Ah filha!Vem aqui!Esse é o nosso vizinho!-meu pai.Serio pai? Não me diga!

-Olá!-ele fala educado estendendo sua mão para mim-me chamo Justin,Justin Bieber-sorrio.

- Oi,me chamo Rylee-falo apertando sua mão.Eu e ele ficamos nos encarando ate que meu pai me tira desse pequeno transe.

-O Justin nos convidou para comer em sua casa.

-Oh,legal...Hum,falando em comida,eu estou com fome-falo e meu pai sorri enquanto eu me sentava em cima da bancada-tem o que para comer?

-Eu ia fazer a janta agora filha-ele fala e então para parecendo pensar-Ei! Tive uma ideia!Justin não quer se jantar conosco?-meu pai fala animado e Justin da um pigarreio meio sem saber o que fazer. Não! Ele não quer! Alias o que está acontecendo comigo?! Argh nem eu mesma me entendo.

-Eu..Ham..É,não sei-ele fala meio sem jeito por estar recusando-não seria muito incomodo de minha parte? - "SIM SERIA!" - grito internamente.

-O que?Claro que não!-meu pai fala sorrindo. Porra velho a gente nem conhece ele...

-Okay,então eu fico-ele sorri.Céus que sorriso! Pare Rylee! Ele é esquisito.

-Filha leve nosso convidado para conhecer a casa-meu pai fala e eu engulo em seco meio nervosa e saio de cima da bancada.

- Vamos lá -falo e ele assente.Começo a subir as escadas e ele me segue.

-Quantos anos tem Rylee?- Tenho vontade de dizer - " Não te interessa homem que me dá medo más é muito lindo, gostoso e maravilhoso" - porém apenas respondo...

-16 - .Não sei por que,mas eu estou nervosa,muito nervosa-e você,tem quantos anos Bieber? - falo enfatizando o "Bieber" . Olho em seus olhos parando logo em seguida.Seus olhos  estavam mais escuros agora,não sei ao certo o por que.Ele sorri para mim de forma...Maliciosa?Não,claro que não!Isso é coisa de sua cabeça Rylee!Pare com isso! 

-Eu tenho 22 anos-eu não esperava por isso. 

-Sério?-falo meio espantada e ele assente.Voltamos a andar e eu mostro o resto da casa chegando por ultimo em meu quarto.-e esse é o meu quarto-falo abrindo a porta e quando eu ia fechar ele me para. Ah no meu quarto ele não entra.

-Não,deixa eu ver o seu quarto-ele fala e eu engulo em seco. Merda que desculpa vou dar? Ah foda-se meu pai ta lá em baixo. Fé no pai que o Satanais sai. Dou passagem para ele entrar.Ele é muito observador e isso me assusta de certa forma.-então Rylee, está nervosa?-ele fala e eu quase sinto meu coração saltar de meu peito.Okay ele com certeza me assusta.

-N-não- droga Rylee!Ele ri nasalado e se vira,ate por que ele estava vendo os meus livros.

-Claro que não..-ele fala e arqueia uma sombrancelha para mim-ate por que não tem por que de estar nervosa não é mesmo?-ele fala e se aproxima. Eita porra.

-C-claro-falo indo para trás.

-Por que esta se afastando Rylee?-ele fala e me prensa na parede.Prendo a respiração e me vejo sem saida quando ele coloca os dois braços um de cada lado de minha cabeça-eu não mordo-ele sussurra com uma certa...Ironia?Sim. Ai meu pai me ajuda. 

-O que está fazendo?Pare com isso-falo meio baixo sentindo meu coração acelerado. Não sei se de medo ou de vontade de dar pra ele por que puta que pariu!

-Desculpe se te assustei-ele fala debochado e se afasta-estava apenas te testando,não se preocupe-ele fala e eu posso respirar tranquilamente de novo. Pera... Me testando? Por que caralhas ele tava me testando? Me testando pra que?!

-Como assim me testando?-pergunto confusa-ele vai ate o meu mural de fotos e começa a olhar.

-Pra ver se voce não ia ser uma vadia e querer ficar se esfregando em mim-ele fala com a maior naturalidade e meu queixo cai em repreenção. Como é que é meu querido?!

-Como é que é?-falo irritada. 

-Mas calma,voce passou no teste-ele suspira e me olha-não é uma vadia-ele fala. E é nesse momento que eu penso : Qual a demencia desse cara?!

-Sai do meu quarto-falo já com raiva.

-Ei!Não precisa ficar assim!Credo-ele fala revirando os olhos-você que tira essas fotos?-ele fala parecendo interessado nas fotografias presas na parede.

-E isso interessa?Sai do meu quarto!-falo novamente.

-Se me falar sobre as fotos eu saio-ele fala dando de ombros e eu bufo.Otimo!

-Tanto faz-falo indo ate o mesmo que sorri.-sim eu tirei essas fotos,satisfeito?!

-Na verdade não-bufo-me fale sobre elas-ele fala pensativo.

-Se eu falar você sai? - Obvio que ele não vai sair! Cade meu pai numa hora dessas?

-Como quiser - cretino, vai sair porra nenhuma.

-Okay-suspiro derrotada-essa-aponto para a primeira foto-foi a primeira que eu tirei com  a minha câmera-sorrio ao lembrar-era natal,e eu estava com meus avos,eu tinha 12 anos e meu pai me deu essa camera-aponto para a camera na mesa abaixo do mural-e eu tirei essa foto da arvore-falo por fim o olhando.

-E está aqui?-ele aponta para outra foto onde haviam fogos de artificio.

-Final do ano de 2012-falo relembrando-passamos na praia e depois soltaram fogos de artifio e eu tirei essa foto-suspiro.Parece que a raiva que sentia dele a segundos atras havia ido embora e agora só as lembranças me cercavam.E eu gosto de lembranças. Minha mãe estava nelas. Era bom relembrar.

-Vou escolher uma mais aleatoria-ele fala e olha bem o mural-hum...Essa daqui parece bem profunda..-ele fala e aponta para a foto de um cemiterio com varias lapides e apenas uma lapide tinha cor,pois a foto era preta e branca.Meus olhos lacrimejam um pouco e eu falo.

-Bem...Sim,ela é profunda,não só pelo fato de ser em um cemitério más também pelo fato de está lapide em especial -aponto para a foto - é a da minha mãe-falo e ele me olha-foi uma semana depois de sua morte,eu fui lá e tirei essa foto-falo meio fraco. Foi dificil superar a morte dela, lembro que nessa semana eu estava muito depressiva.

-Sinto muito-ele fala e eu nego.

-Não sinta-sorrio fraco o olhando agora- faz muito tempo,acredite eu ja superei-sorrio faco.

-Então...Por que tira fotos?-ele pergunta e fica de frente para mim.

-Apenas gosto de registrar os momentos ,parece que se não tirar fotos,gravar ou escrever sobre eles,um dia eu irei esquece-los,e eu amo fazer isso,registrar tudo,as vezes as pessoas a minha volta ficam irritadas com isso,mas fazer o que?Eu sou assim-sorrio e ele retribui.

Ficamos nos encarando por longos minutos,e olhando em seus olhos agora,nem parece o mesmo homem a qual me deu medo e me irritou profundamente minutos atrás.

-O jantar está pronto!!-ouço meu pai gritar lá de baixo e pareço acordar do transe. Agora esse demonio aparece!

-Vamos-falo e ele me segue ate o andar de baixo.

Começamos a comer e meu pai puxa assunto...

-Então Justin, sabia que a Ry tem um talento especial para fotos?-ele fala e eu reviro os olhos. Começou...

-Oh sim!Ela me mostrou o pequeno mural-ele sorri-  ela tem muito talento - ele fala sorrindo e olha para mim.Sorrio falso e ele ri nasalado parecendo se divertir com a minha reação. Ai que desgraça.

O resto do jantar se resumiu em meu pai falando da nossa vida para Justin que prestava atenção em cada palavra que meu pai falava.

-Filha o leve até a porta,eu vou subir achar as cobertas-ele fala subindo as escadas e eu apenas concordo.

-Então está na hora de ir-falo o levando ate a porta.

-Está me despachando?-ele pergunta divertido. Sim estou.

-Não,apenas cumprindo ordens querido Bieber-falo e ele me olha com aquele olhar novamente. Cara esse olhar me dá um medo do caralho serio.

-Gosto quando me chama assim-ele fala já na porta. 

-Assim como?-questiono.

-De Bieber-ele fala me olhando nos olhos e um calafrio corre por minha espinha. Porra vai embora logo moço!

-Okay Bieber-sorrio meio nervosa,aquilo tava estranho pra caralho -está na hora de ir para casa-falo e suspiro.

-Claro,más eu volto! - NÃO PRECISA! FICA NA SUA CASINHA! -gostei de te conhecer,podemos ser grandes amigos-sorrio falsa para ele que sorria com um certo deboche. Com certeza! Amigos... Nunca.

-Ah!Com certeza!Será um grande prazer!-falo debochada e ele ri.

-Tchau Rylee-ele fala e quando eu pensei que ele ia embora ele me abraça e sussurra no meu ouvido-Sweet Dreams-e sai,me deixando completamente sem reação.Com os pelos completamente arrepiados e totalmente nervosa com esse pequeno gesto.

-Que?-falo fechando a porta e trancando. Okay,isso foi estranho,muito estranho.


Notas Finais


Bom na fic vai ter as partes mais vida louca e as mais engraçadas então.... Vão se acostumando com a minha bipolaridade hshhshs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...