História Sweet Dreams (Malec) - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Personagens Originais, Simon Lewis
Tags Malec
Visualizações 220
Palavras 1.961
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIIII, ESSE É O SEGUNDO CAPÍTULO DE HOJE (exato, double cap), ENTÃO CUIDADO PARA QUEM CHEGOU AQUI HOJE SÓ AGORA POIS DE MANHÃ EU COLOQUEI OUTRO CAPÍTULO CHAMADO "O inimigo voltou".

Capítulo 56 - Incêndio no consultório


-Valentine? O que faz aqui?- Sinceramente, Alec não esperou voltar a ver aquele homem tão cedo e agora que estava vendo sentiu todas suas termições nervosas despertarem, o que aquele velho pançudo queria? Não sabia, mas se fosse qualquer coisa relacionada ao Magnus, ele não iria deixar aquele homem fazer sua cabeça.

-Vim me consultar, mas também conversar- Se sentou sem pedir permissão e encarou o Dr.Lightwood. -creio que ocorreu um grande equivoco-

-Do que está falando?-

-A certo tempo atrás Maryse teve como objetivo destruir o The Bane's e mandou para mim uma carta pedindo minha ajuda, porém esta carta foi parar nas mãos de minha irmã. Lydia-

-Espera... Lydia? Lydia Branwell?-

-Lydia Branwell Morgesten, minha querida caçula. Alexander, você precisa saber de algo, acontece que...- Parou de falar e limpou seus olhos como quem estivesse tentando segurar um possível choro -Alexander, a minha irmã é uma psicótica e ela é louca por você, foi quando ela deu ordens para as empresas comerciais em que eu administro ajudassem Maryse afundar o The Bane's. Eu só descobri tudo depois que Maryse pediu perdão para vocês e eu acho que ela acreditou que eu estava a ajudando mas esse tempo inteiro foi minha irmã. Ontem tive uma conversa muito séria com Lydia e convenci ela a procurar tratamentos psicológicos na Itália, onde a mesma foi fazer faculdade pois é o sonho dela se tornar uma grande estilista, ela ja comentou algo do gênero com você?-

-Sim, nos dois anos em que estivemos noivos ela sempre me disse que um dia se tornaria estilista-

-Na Itália existem ateliês e todo um outro ramo o qual sempre se adequou com os sonhos de minha irmã, o fato é.... Estou feliz por ela estar recomeçando a vida em outro país, estou feliz pela Maryse ter se arrependido e estou feliz por você estar com o Magnus, não vou negar que já amei de mais aquele homem mas depois de alguns meses eu percebi que não era algo saudável para nós dois e hoje o que sinto por ele é um carinho imenso de amigo. De qualquer forma eu vim aqui me desculpar por todas as atitudes de minha irmã e dizer que agora finalmente vocês dois terão paz-

-Obrigado Valentine, confesso que... bem... nunca confiei muito em ti mas achei muito nóbre de sua parte vir aqui se desculpar pelas atitudes da sua irmã e ver que você está conformado em relação ao Magnus comigo, também é... confortante-

E se alguém merecia um troféu de melhor ator do ano, esse alguém era Valentine pois ele conseguia parescer sincero com cada palavra falsa que usava, seu sorriso, sua voz, seu olhar, tudo parecia incrivelmente sincero apesar de não ser e Alec mesmo um pouco desconfiado, era inocente de mais para perceber aquilo. Afinal, ele nunca presenciou Valentine tentando o separar de Magnus, a única vez em que viu o velho pançudo, foi no aeroporto e mesmo assim Mag que havia aceitado uma proposta dele de emprego em Paris, até então o Morgesten nunca mais havia dado as caras e Alec sabia nenhum terço de seus planos, não fazia ideia do que ele planejava com Lydia ou do que fez para Ragnor. A única coisa que implicava o nome de Valentine para ele era a história do restaurante a qual o mesmo veio agora de livre e espontânea vontade explicar tudo de forma totalmente sincera, pelo menos foi o que Alexander achou.

-Eu fico muito grato por toda essa confusão ter sido esclarecida e saiba que dependendo de mim a minha irmã nunca mais irá os atrapalhar. Mas em fim... Também vim me consultar pois acho que estou meio fora de forma e preciso de uma dieta saudável, o doutor poderia me ajudar?-

-Sim-

E ali deram inicio a consulta, Valentine havia pesquisado tão bem sobre Alec e sabia exatamente quais assuntos tocar para o agradar, sabia o que Alec não gostava e o que o interessava, havia realmente feito um grande estudo humano no jovem e ele estava sendo uma presa tão facil para o homem maduro e articulador o qual se tornou.

-Obrigado Alexander- Esticou a mão o cumprimentando.

-De nada-

-Novamente me perdoe qualquer mal entendido-

E quando Alec iria o responder, alguém entrou em seu consultório.

-Amor eu trouxe uma cesta de piquenique como sempre pois já que chegou sua hora de almoço eu resolvi que...- Interrompeu sua fala quando percebeu a presença de Valentine, o sorriso de seu rosto sumiu e uma expressão confusa veio a tona, olhou para Alec e voltou a fitar o homem careca, o que estava acontecendo ali? Pareciam calmos de mais para ele estar interrompendo uma briga.

-Olá Magnus- Valentine se aproximou esticando a mão.

-O que faz na sala do Alexander?-

-Eu vim me consultar-

-E desde quando ele te atende?-

-Desde hoje, na verdade estou até bastante feliz por isso- Sorriu e olhou para Alec que deu um pequeno sorriso -Bem, eu preciso ir agora, até mais Alec, até mais Magnus, boa tarde- Assim sendo, saiu deixando para trás sua presa inocente enganada e um homem indonésio desconfiado.

-Alexander, que palhaçada foi essa? Eu me despeço de você em um dia e no outro já encontro o cara que tentou destruir meu restaurante aqui sorrindo?-

-Magnus... Foi a irmã dele que fez tudo-

-E você acreditou?-

-A minha mãe não teve contato com o Valentine mas com a Lydia ela teve, e durante esse tempo que estamos juntos o Valentine nunca tentou nos separar mas a Lydia tentou e inclusive ela mentiu estar grávida de mim só pra me prender e eu escultei ela com o amante dela assumindo autoria de todo o plano, já pensou se esse tempo inteiro nós dois julgamos a pessoa errada?-

-O que ele disse sobre mim? Com certeza tentou envenenar sua cabeça-

-Na verdade ele só me disse coisas boas e em nenhum momento demonstrou estar inconformado. Olha... eu confesso que não devemos confiar 100% nele mas vamos deixar esse assunto de lado, okay? Ele veio aqui explicar tudo e me pareceu sincero, se algum dia ele tentar envenenar minha cabeça contra você ai sim eu nunca mais deixo ele entrar aqui, combinado? Por enquanto ele continua sendo um pasciente normal-

-Em poucos minutos ele já fez isso tudo com sua cabeça?- Mas devia admitir, Valentine nunca veio atrás dele tentando o separar de Alec ou demonstrar estar inconformado, a única coisa que tinha contra ele era a palavra de Maryse e agora sabia que a mesma nunca teve contato com Valentine, o que o fez pensar se talvez deveriam mesmo deixar toda aquela intriga de lado.

-Bem, de qualquer forma é bom manter os olhos abertos com aquele cara-

-E o que ele pode fazer? Inventar que você está me traindo?- Começou a rir fazendo Magnus rir também.

-Ele pode dizer que eu me vendo por doces e que o Willy Wonka se tornou meu amante-

Alec soltou outra gargalhada e se aproximou de seu pequeno amado -Será que meu namorado me venderia um beijo por um brigadeiro?-

-Eu acho que seu namorado te ama muito e faria qualquer coisa por ti- Deu uma piscadinha.

-Quanto ao jantar de hoje a noite, você vai se arrumar lá no meu apartamento?-

-Por que?-

-Eu acho que... ficaria mais prático se nós dois tomassemos banho lá, é que eu sou ruim com essas coisas de moda e se eu aparecer com qualquer roupa a Isabelle vai me encher o saco-

-Alexander, isso é uma indireta para tomarmos banho juntos?-

-Claro que não- Sentiu suas bochechas corarem e desviou o olhar.

-Porque se for, eu vou pensar no seu caso-

Viu um sorriso grande voltar a invadir o rosto de Alec antes de ser agarrado por ele e jogado no sofá aos beijos.

A porta estava entre aberta e Sandra ia entrando quando se deparou com a cena, saiu de fininho e fechou a porta sem dizer nada, qualquer um que por ali tentasse passar não conseguiria pois a mesma o impediria ainda na sala de recepção.

Ambos se beijavam e se esfregavam naquele sofá matando a saudade de horas um pensando no outro e idealizando o momento perfeito. Interrompiam os beijos, se olhavam, sorriam, recuperavam a respiração e voltavam a se beijar loucamente. Tinham uma facilidade tão grande de se embolarem e pegarem fogo mais rápido que qualquer pavío, Alec avançou seu pescoço com mordidas e chupões o causando arrepios por todo o corpo.

Um carro passou na rua o lembrando que estavam no horário de almoço do Alec e logo se recordou da porta estar destrancada também o que o fez impedir que seu namorado prosseguisse.

- A..A..Alexander- Gemeu baixinho ao o sentir se esfregar contra seu membro mesmo com toda roupa os atrapalhando.

Alec também foi outro que gemeu baixo, porém em seu ouvido, o que deixava as coisas injustas ali para quem estava tentando fugir.

-Alexander... a por..porta- Soltou novamente um gemido ao sentir outra vez seus membros se chocarem com impulso.

Tentou unir suas forças mas era impossível com aquele homem gostoso em cima de si daquele jeito, viu Alec se levantar correndo até a porta e trancando a mesma, antes que pudesse se levantar e recompor a respiração ofegante, lá estava Alec sem timidez alguma o atacando novamente. De onde havia saído aquilo tudo? Só sabia que estava amando e decidiu entrar naquele joguinho pois Magnus Bane nunca recusaria aquilo tudo vindo de seu precioso Alexander.

Novamente estavam se esfregando entre beijos urgentes e corações disparados, haviam mãos para todos os lados e sons prazerosos escapavam de ambos deixando todo o momento mais intenso.

Magnus perdeu o resto de sua sanidade ao sentir a mão de Alec adentrar sua cueca acariciando sua intimidade, foi pego de surpresa, e que surpresa maravilhosa. Se perdeu observando aqueles belos azuis o encarar com ternura acompanhados de um belo sorriso safado e uma lambida de lábios que o fez perder o ar por alguns segundos. Estava completamente duro apenas de observar aquilo e poderia implorar para Alec não continuar o "torturando" por muito tempo. Seu zipper foi aberto, a cueca arrancada e logo seu membro dolorido pulou para fora completamente hereto.

Alec arrancou a camiseta de seu moreno o deixando agora com a vista inteira do paraiso diante de si, começou a lamber aquele peitoral lindo e caprichar a cada pequeno gemido que escultava, a cada fechada de olho com força ou a cada mini apertão que Mag dava no sofá. Seu membro também estava dolorido mas naquele momento se dedicaria somente á Magnus o causando sensações que nunca deixariam de ser delirantes.

Passou sua língua pelas coxas do indonésio que já estava completamente estandecido, começou a dar lambidinhas nos testículos e foi nesse exato momento que sentiu a mão firme de Magnus segurar seus cabelos em meio ao seu delirio.

Agora lambia lentamente no topo o fazendo revirar os pequenos olhos e dar uma leve puxada de cabelo, sorriu lambendo os próprios lábios e começou a chupar com vontade todo o membro causando maiores gemidos em Magnus que se contorcia e se esforçava para continuar o olhando. Aquilo tudo estava sendo incrível e extremamente excitante para os dois, Alec nunca se imaginou fazendo aquilo ali mas queria tanto aquele homem em seu banheiro que não media mais esforços, nunca mediria quando se tratasse de Magnus, e agora estava ali o sugando o máximo que podia fazendo o mesmo se contorcer e gemer seu nome com voz abusivamente sexy. Não demorou muito para ver aquele liquido branco se derramar de Mag alcançando seu ápice, objetivo concluido. Sorriu e lambeu o liquido o causando novos arrepios.

Magnus estava com a voz destruída de mais para contestar qualquer coisa mas mesmo assim o indagou -isso tudo para tomarmos banho juntos?- Puxou Alec o abraçando.

-Consegui te convencer?-

-Sim- Voltaram a sorrir pela milésima vez, se beijaram, se arrumaram e almoçaram rapidamente antes que o horário de almoço acabasse, minutos depois lá estava Magnus sorridente saindo do consultório enquanto Alec se sentava ancioso para que a noite chegasse.


Notas Finais


Qual o motivo de ter postado dois capítulos hoje? Sei lá, me inspirei, escrevi e coloquei, apenas isso, vocês merecem.
Ps: Amo vocês 💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...