História Sweet Evil - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Vampiro, Vhope
Exibições 42
Palavras 1.177
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLAR ARMY! 💖✨
Hoje eu estou aqui para parabenizar uma das minhas dongsaengs preferidas, a linda da @ReimySeok 😍
Feliz aniversário meu amor! Espero que aproveite seu dia e que seja muito feliz 💖✨💖✨

Espero que goste do seu presente 💞

Capítulo 1 - Jung Hoseok


Fanfic / Fanfiction Sweet Evil - Capítulo 1 - Jung Hoseok

O céu era o mesmo para aqueles dois, porém cada um interpretava aquela magnitude de uma forma diferente. 

Hoseok estava naquele mesmo lugar, ele passava a maior parte de seu tempo lendo debaixo daquela árvore imensa localizada na colina mais alta de todo o cemitério Komi, onde ele ia frequentemente.

Seus cabelos esvoaçavam tão negros quanto seus próprios olhos, indo de encontro com a pele alva de seu rosto, mas não o impedindo de continuar sua leitura. Suas roupas eram sempre naquele mesmo luto eterno, contendo o preto como sua única opção realmente aceitável em seu quarda-roupas.

Fechou o livro fitando o horizonte, contemplando assim como em todos os seus dias, a beleza daquele crepúsculo. Logo escureceu, fazendo brotar um sorriso nos lábios do garoto. Essa era a sua deixa.

Taehyung também contemplava o céu, sorrindo ao despedir-se do sol e podendo já reconhecer as estrelas, que agora brilhavam em exatidão naquele extenso cenário azul. Esse era o sinal de que ele poderia voltar para casa, já que se passavam das seis da tarde.

Tae trabalhava na biblioteca da cidade onde morava, seu lugar favorito no mundo todo, como ele mesmo dizia, podendo sempre que quisesse ler à vontade. 

Já havia arrumado suas coisas e checado tudo antes de assim então, trancar as portas daquele imenso lugar findando sua jornada de trabalho diária. Respirou fundo e girou os pés indo em direção a sua casa, que não ficava longe dali.

E teria continuado sua rotineira caminhada se não fosse por um grupo de garotos mau encarados que agora o perturbava. Tae parando de andar fitou o rosto de todos eles e se propôs a continuar o seu caminho, mas claro, foi prontamente impedido de fazer isso. Eles queriam diversão. Afinal, o que de bom você pode encontrar na rua em uma sexta feira à noite?

- O que vocês querem? – disse ríspido, odiava ter sua paz arruinada por gente medíocre.

- Nós só queremos nos divertir um pouquinho. – o líder do grupo se pronunciou com um risinho malicioso.

- Então vão procurar em outro lugar. – debochou se arrependendo logo em seguida, pois ao tentar se desvencilhar do grupo teve seu braço agarrado e preso pelas mãos fortes de um dos três garotos.

Tae estava assustado com a aproximação repentina do garoto que havia falado consigo. Ele agora tentava beija-lo com a ajuda de um de seus amigos. Ele seria mesmo estuprado por eles ali mesmo? Com certeza, não. 

- Não ouse! – em vez de medo ele se sentia revoltado.

- Se não o que?  - o garoto parara repentinamente e o encarava. – Você não pode fazer nada. – riu debochando de si.

Tae POV

- Mas eu posso. – rapidamente olhei para a direção de onde vinha a voz, me deparando com um... Gótico? – Soltem-no.

O líder do grupo olhou de lado e logo voltou a encarar o garoto com um sorriso debochado. – E porque eu faria isso? – perguntou provocando, já que ele era muito mais alto e aparentemente mais forte que o garoto. – Você acha que eu vo-

Antes que pudesse terminar a frase, o garoto líder pareceu alucinar, ficando com uma expressão abobalhada muito estranha. O que estava acontecendo aqui? Aish, quem é esse garoto? Eu fico com essa dúvida, apesar de lembrar desse rosto de algum lugar.

- So-soltem ele.. – agora o tal líder falava devagar, como se ele houvesse esquecido como se usa as palavras. – Soltem... agora! – os amigos dele ficaram assustados, e mesmo não entendendo muito bem, me soltaram. E eu não pude deixar de aproveitar e correr para longe dali.

Saí correndo sem olhar para trás, afinal eu havia me lembrado de onde conhecia aquele rosto. Rosto que eu tanto gostava de admirar há dois anos atrás. Aquilo não podia ser real, fantasmas não existem, certo? ? Corri o mais rápido que pude em direção a minha casa, no fundo eu sabia que era inútil porque ele provavelmente já estava no batente de minha porta, e com certeza com aquele discurso de o quanto eu sou mau agradecido.  Eu não queria vê-lo, não queria ter que conversar de novo com Jung Hoseok.

Como eu disse, ele já estava lá encostado na porta de entrada, com um olhar inquisitivo. Suspirei e me dirigi para o lugar, não conseguiria me livrar dele tão fácil assim.

- O que você quer? – fui direto, afinal eu não iria cometer o mesmo erro depois de tanta coisa.

- É assim que você fala comigo? Achei que você já tivesse esquecido o que aconteceu. – a naturalidade dele me irritava absurdamente, como conseguia ser indiferente depois de tudo o que aconteceu no passado? – Tae, eu-

- Não me chame assim! – o cortei. – Você perdeu esse direito há muito tempo! Agora me dá licença, que eu tenho coisas a fazer. – o empurrei e abri a porta a batendo logo em seguida, eu sabia que ele não iria entrar, já que demônios só entram se forem convidados.

- Tae! Tae abre essa porta! – ele gritava do outro lado. – Kim Taehyung! Eu exijo que você abra esta porta! – como ele conseguia ser tão irritante? Me dirigi a porta e abri bruscamente o encarando de mal gosto. – Não vai me convidar para entrar? 

- Que pergunta idiota, claro que não.

- Porque? Não esteve com saudades todo esse tempo de mim? 

- Não, e eu tenho motivos suficientes para querer te ver nunca mais, então me faça o favor de desaparecer, como da última vez. – eu estava mais triste do que com raiva dele, já que lembranças e saudades dele era o que eu mais sentia, mas eu não iria demonstrar isso. – Se você já acabou, poderia se retirar? – eu disse como se mostrasse o caminho de ida. Ele prontamente agarrou o braço que eu usei colocando fora da porta e me puxou, colando os nossos corpos me colocando contra a parede e me olhando no fundo dos meus olhos, que já se encontravam repletos de lágrimas. Porque era tão doloroso ter de vê-lo? – Por que? – eu já não conseguia segurar as lágrimas. – Porque você voltou? – eu o encarava friamente, me desvencilhando dele e me mantendo o mais longe que aquele espaço me permitia.

- Porquê eu precisava te ver de novo.

- Por que?! Eu não pedi para você voltar, por que você ainda está aqui? Vá embora! – eu gritava. Não queria ter que ver ele, eu só queria esquecer ele e tudo o que ele me causou durante todos esses anos.

- Tae.. – o olhei repreensivo. – Taehyung.. Será que você não pode esquecer tudo? Eu voltei por você.

- Então perdeu seu tempo. – o olhei seriamente. – E não volte a me procurar. – dito isso, entrei de volta em casa e tranquei a porta, me dirigi ao meu quarto e me joguei na cama, lembrando de tudo o que havia acontecido entre mim e aquele homem.


Notas Finais


Espero que tenha gostado, Mandy!
Mais uma vez, feliz aniversário minha florzinha. Te amo 💖💖💖💖

P.s.: ainda não acabou u.u


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...