História Sweet Harmony - Capítulo 95


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Normani Hamilton
Tags Camren, Demi Lovato, Fifth Harmony, Larry, Lucy Vives, Norminah, Simon Cowell, Veronica Iglesias
Exibições 930
Palavras 2.770
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Orange, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


3/3

Enfim o cap mais aguardado...
Eu preciso que vocês ouçam a música quando for pedido preparm ela ai, link nas notas finais.
A música é Turning Page - Sleeping At Last (Instrumental)

Boa leitura

Capítulo 95 - O Casamento


Fanfic / Fanfiction Sweet Harmony - Capítulo 95 - O Casamento

Camila POV

 

Fiquei de costas para o espelho enquanto colocava o vestido de noiva. Não sei se o motivo disso era um desejo de me surpreender quando visse o efeito de tudo junto, vestido, maquiagem e cabelo – o coque intricado com a tiara delicada reluzindo contra meus cachos brilhantes e escuros – ou se eu estava com medo de olhar o reflexo e não me achar tão bonita quanto esperava.

 

— Tem certeza de que não quer ajuda? — gritou Dinah pela porta que ligava os dois quartos da suíte que Lauren reservara na propriedade dos Jauregui para que eu me arrumasse. — Sou sua dama de honra!

— Não, tudo bem. Já vou terminar.

 

Queria estar sozinha quando me visse pela primeira vez como Lauren iria me ver…
Puxando a seda pesada e branca em volta do corpo – das minhas curvas – apertei o vestido contra a barriga com a mão esquerda, mantendo-o no lugar enquanto levava a direita às costas para puxar o zíper o máximo que pudesse. Quando minha mão parou, incapaz de ir mais longe, comecei a sorrir, lembrando-me de como Lauren tinha me surpreendido fechando um vestido semelhante, numa loja bem-conceituada de Miami.
Esta noite Dinah ou mamãe iriam me ajudar. No futuro, porém, fechar aqueles últimos centímetros seria sempre trabalho de Lauren. Eu sentiria seus dedos frios roçarem minhas costas, como ela havia feito da primeira vez. Só que não tentaria lutar contra o arrepio, como tinha feito na ocasião.

 

— Camila, estamos morrendo de ansiedade aqui fora! — gritou Dinah. — Anda logo!
— Estou indo — prometi, rindo do entusiasmo de Dinah.

 

Mas ainda me demorei alisando o tecido, sentindo a maciez da seda e a aspereza da renda e das contas – um contraste que me lembrava a própria Lauren – antes de finalmente me virar para olhar no espelho.
E a pessoa que vi refletida ali…
Uau!

— Uau! — Dinah falou em voz alta o que estava em seu pensamento quando passou pela porta.

 

Ela parou e olhou para mim. Depois chegou mais perto, andando devagar, como se tomada por um espanto reverente pelo vestido. Ou talvez um espanto reverente por mim. Talvez, pela primeira vez, me visse como uma princesa; porque era assim que eu me sentia, era isso o que minha postura anunciava.

 

— Uau! — repetiu ela, se aproximando, de modo que nós duas víssemos meu reflexo no espelho.

 

Mamãe também se juntou a nós, parando atrás de mim e pondo as mãos nos meus ombros nus. Vi que ela também me achou linda. Diferente.

 

— Você vai deixar a Lauren sem ar — garantiu ela.
— Essa é a intenção mãe.

 

O corpete do vestido caía em mim como uma luva, acentuando as curvas que Lauren adorava, antes de se abrir numa cauda larga, branca como neve. Mas o corpete não era apenas branco, como um vestido de noiva tradicional. Tinha sobreposta uma seda preta tão delicada, tão transparente, que criava um lindo efeito de névoa, suave e gris, em volta de mim.
Esse detalhe poderia bastar para tornar meu vestido pouco convencional. Mas eu queria mais do que um vestido diferente. Lauren amava preto, não é a toa que Dinah a chama de gótica das trevas.

No espelho encarei meus olhos – escuros e dramáticos também, graças à maquiagem feita por Normani – e então acreditei nas palavras de minha mãe. Eu realmente poderia tirar o fôlego de Lauren, como tinha esperado. O espelho também refletia a janela do outro lado do quarto e notei que a luz lá fora estava deslumbrante.

De repente o silêncio que havia caído no quarto foi interrompido por uma batida à porta que dava no corredor. Esqueci meu vestido por um momento – e que mãe e Dinah estavam ali para fazer coisas como abrir portas para a noiva – e corri para atender. Abrindo a porta, encontrei a pessoa que eu havia previsto. Ally parecia vislumbrada olhando para mim naquele vestido, ela fez um sinal de positivo como se desse a última aprovação.

 

— Está pronta Camila? — perguntou ela sorrindo. Fiquei ainda mais ansiosa.
— Sim, vamos.

[…]


Lauren Pov

 

Um poço de nervosismo. Emoções a flor da pele, borboletas no estômago.
Seja lá o que for, eu estava no estágio máximo de tudo agora.

 

— Filha, fica calma. — Minha mãe exclamou.

 

Eu andava de um lado para o outro, seria possível eu abrir um buraco no chão a qualquer momento. Estava totalmente inquieta, minhas mãos soavam e o nervosismo fazia meu coração saltar violentamente em meu peito. Meu estado de felicidade e ansiedade estavam tão grande que eu poderia explodir.

 

— Você quer morrer antes de casar? — Taylor falou nervosa.
— Não consigo, Jesus! Eu vou me casar! — disse nervosa.

 

Estava tremendo, todo o meu corpo estava em êxtase. Fechei os olhos respirando fundo o ar entrando em meus pulmões aliviando a tensão, abri meus olhos devagar encarando o enorme espelho que havia no quarto. Só de imaginar que Camila estava em um quarto próximo me fazia ficar ainda mais nervosa. O local da cerimônia foi escolhida pela minha mãe que achou uma utilidade para nossa casa de praia. O Jardim estava repleto de flores e arranjos de todos os tamanhos.

 

— Você está linda, deslumbrante. — Meu pai falou se aproximando, tocou meus ombros em um carinho reconfortante.

 

Eu usava um vestido tomara que caia longo, totalmente liso que se modelava perfeitamente em meu corpo. Na cintura um detalhe prateado e nas pontas um leve bordado, dando mais elegância ao vestido.
Eu estava emotiva demais, até um sopro era motivo para derramar lágrimas. O que me rendia risos de Vero. Me virei deixando meu pai colocar um colar em meu pescoço, deslizei os dedos pelas pedras, e sorri através do reflexo do espelho.

 

— Estou pronta. — falei nervosa.

Minha mãe me entregou um buquê. E me lançou um olhar calmo.

— Vai dar tudo certo. — disse ela confiante.

 

Nós saímos do quarto e caminhamos em passos lentos até o vasto jardim que estava decorado no estilo Dinah Jane. Podia ver todos os convidados perto da onde seria a cerimônia. O lugar estava decorado com flores de cores que combinavam, contrastavam com perfeição com o gramado e algumas árvores.

 

 — Nossa, você está linda Laur. Nem parece que usa aqueles moletons folgados, tá igual uma mocinha. — Vero zombou.
— Você é uma idiota. — falei impaciente.
— Calma Laur.
— Você já viu a Camila? — perguntei não contendo minha ansiedade.

 

Vero sorriu abertamente e com logo depois fez cara de mistério.

 

— Ela está incrivelmente linda. Laur, cuidado para não cair para trás quando a ver.

 

Meu nervosismo voltou e saber que ela estava ali a minutos de ser minha esposa me deixava feliz e aliviada.

Eu não pude ver Camila desde ontem a noite, eu já estava na entrada recebendo olhares curiosos. Meus pais chamaram toda a família e a família trouxe o resto. Tinha um caminho coberto por um tapete vermelho e eu podia ver a capela ao fundo, com flores e detalhes em branco onde o mestre de cerimônia já estava nos esperando. Ao lado, as madrinhas Dinah e Normani me encaravam sorridentes.
Michael se pôs ao meu lado, com um sorriso contagiante. Suspirei e entrelacei nossos braços. Assim que dei o primeiro passo a música começou a tocar, uma melodia suave no piano. Meu pai levou-me ao altar, caminhamos a passos lentos e conforme eu ia andando olhares felizes eram lançados a mim. Amigos, familiares e conhecidos estavam ali, me surpreendi quando vi Kendall e Cara na primeira fileira, e ao lado delas, Jennifer. A tarde estava maravilhosa, o céu lindo para a ocasião, tudo perfeito.
Meu pai me guiava até o altar, ao chagarmos lá ele beijou minha testa e se retirou.

 

— Você está linda. — Dinah sussurrou para mim.
— Obrigada. — Murmurei lhe entregando meu buquê.

 

Fechei os olhos por um momento tentando me manter calma. A música começou novamente e meu juro que meus batimentos podiam ser ouvidos por todos ali.

 

[Inicie a música]

 

Abri os olhos e senti a emoção tomar conta quando vi a dona da minha felicidade a poucos passos de mim. Camila estava belissíma, a mais perfeita. Senti que meu coração saltaria pela boca, respirei fundo quando nossos olhos se encontraram e por Deus! Vê-la daquela maneira me tirara de órbita. Ela sorriu para mim.

Aquele sorriso.

 

Ela caminhava com um buquê em mãos, e o braço entrelaçado com seu pai. Nada poderia me deixar mais feliz do que aquele momento. Camila chegou ao meu encontro, e eu não contive um sorriso bobo ao ver sua iris castanha tão brilhantes. Ela entregou seu buquê para Normani, e se virou ficando de frente para mim. Peguei em suas mãos sentindo elas meio trêmulas. Levei até meus lábios e deixei um beijo rápido nelas. Ela sorriu abertamente, e fez o mesmo.

 

“Estamos aqui reunidos para celebrar a união entre Lauren Michelle Jauregui Morgado com Karla Camila Cabello Estrabao” — O juiz se pronunciou e todos se sentaram em seus lugares.

 

Eu jamais poderia imaginar ou explicar a felicidade que inundava meu peito naquele momento. Me esforcei para não cair em prantos, Camila olhava para mim do mesmo modo que eu olhava para ela. A tão conhecida por mim batalha entre os verdes e o castanho.
Por um instante pensei quando nos conhecemos, flashes de memórias um pouco vagos passaram em minha cabeça. A emoção dela a minha frente foi tamanha que não escutei o sermão do mestre de cerimônias.

 

“Camila tentou dar um passo para trás mas não tinha mais volta. Queria tentar transmitir o que sinto através daquele beijo, o beijo começou suave e lento; levei minha mão até sua nuca pra ter o máximo de contato possível, Camila passou seus braços ao redor do meu pescoço e o beijo foi ficando mais intenso. Meu corpo já queimava pela sensação de tê-la em meus braços, de novo. Camz aos poucos foi me puxando em direção a cama, e eu a ia guiando pois ela estava de costas para a mesma.”

 

De todas as maneiras possíveis eu me apaixonei por ela.

 

“Saio do estacionamento e sigo até chegar em um parque que estava praticamente vazio, claro era de noite. A lua estava cheia e iluminava o grande lago que havia ali, o vento balançava os galhos que dançavam ao nosso redor, o gramado bem aparado deixava o cenário perfeito.
Andamos até perto de uma grande árvore e me encostei nela segurando a cintura de Camila a apertando contra mim.

– Camz, você se lembra quando naquele dia que nos esbarramos na entrada, descobrimos que iriamos ser da mesma turma?
– Lembro Lolo, você entrou na sala e eu me levantei de surpresa ficando que nem uma boba em pé no meio de todo mundo. – diz rindo
– É e mais uma vez você tinha minha atenção. – nesse dia também fiquei surpresa pois pensava que nunca veria aquela menininha com um laço fofo na cabeça de novo.
– Sabe qual foi minha primeira impressão de você? – diz se virando ficando de frente para mim
– Não, mas deve ter ficado chocada! – digo e ela segura meu rosto com uma mão
– A primeira coisa que pensei foi, “meu deus que menina linda” e reparei nos seus olhos e descobri que mesmo sendo verdes podem também lembrar um tom de azul, isso dependendo da luz.”

 

Cada dia ao lado de Camila crescia algo em mim, um amor imensurável. Eu jamais imaginaria que eu pudesse amar alguém tanto assim.

 

“Finalmente, no sétimo e último dia, repetimos tudo o que fizemos nos dias anteriores, acrescentando que acampamos no jardim e para finalizar o dia, voamos de balão para ver o lindo pôr do sol de West Melbourne. Foi simplesmente os melhores dias da minha vida.
— Lolo, isso aqui não vai cair não né? — Camz me perguntava pela quinquagésima vez.
— Não Camz, não vai cair. — digo e ela se agarra com toda força em mim.
— Obrigada Lauren. Por me proporcionar os melhores dias da minha vida. — ela diz com um largo sorriso, o que me faz sorrir também.
— Disponha Srta. Cabello. E obrigada por não enfiar meu carro numa árvore. — digo brincalhona e recebo um tapa dela.
— Ouch! Foi mal. — digo rindo — Obrigada Camz, por fazer minha vida ainda mais maravilhosa. — digo beijando a pontinha do seu nariz.
— Por mim eu passaria o resto da minha vida assim… voando. — ela diz olhando o horizonte.
— Só de estar ao seu lado já me sinto nas nuvens Camz. — acabo pensando alto, o que arranca uma risada deliciosa de Camila.
— Que bom saber disso Srta. Jauregui. — diz rindo

Fico fitando seus olhos, ela percebe que a olho séria e vai desfazendo o sorriso aos poucos. Me recordo que daqui alguns meses ela não estará mais aqui, eu ainda não sei se vou ser aceita em Stanford o que me deixa aflita, repasso esses últimos dias junto a ela e gravo cada detalhe, cada momento, cada palavra dita e cada uma que foi preciso apenas um olhar, como agora.
Sem perceber, uma lágrima escorre dos meus olhos, Camila logo a limpa com seu polegar. Ela sorri como quem diz “Vai ficar tudo bem, eu estou aqui”, seus castanhos naquela velha e tão conhecida batalha com os meus verdes. Batalha está que não tem um perdedor.
O vento sopra em seus cabelos e eu sorrio, um dia me disseram que os ventos a vezes eram a direção; sou tão grata por esse vento ter errado o caminho e ter trazido ela pra mim. Um paraíso inimaginável, onde eu apenas quero fazê-la feliz.”

 

Eu queria fazer dela a mulher mais feliz do mundo, por que era assim que ela fazia eu me sentir, eu daria minha vida por ela.

 

“— Camila Cabello, você aceita se casar comigo?”

 

Abri os olhos e Camila sorriu para mim, ela ouvia atentamente cada palavra do juiz. Não soltamos nossas mãos em nenhum momento, e ela fazia carinho sobre a minha. Em um sussurro ela pronunciou um “Eu amo você” me fazendo suspirar.

— Eu também amo você. — Sussurrei para ela.

 

“As alianças!” — o Juiz falou.

 

Ally se aproximou trazendo as alianças, um conjunto de peças douradas. O Juiz sinalizou para Camila começar, logo ela pegou uma aliança e segurou minha mão esquerda. Seus olhos se conectaram aos meus me fazendo arrepiar.

 

— Eu, Camila Cabello aceito você, Lauren Jauregui como minha legitima esposa. Prometo-lhe ser fiel, amá-la em tempos bons e em tempos difíceis, e estar igualmente pronta para escutá-la quando você precisar compartilhar algo comigo. Prometo ser aberta, honesta e digna de sua confiança, e prometo apoiá-la todos os dias. Eu amo cada detalhe seu, você faz parte de mim como ninguém, prometo te fazer feliz em todos os dias da minha vida. Eu me sinto honrada em ser sua esposa. Sou toda sua, Lauren. E eu amo você.

Uma lágrima teimou em cair quando ela terminou de falar, suspirei pesadamente tentando não desabar e estragar a maquiagem.

 

— Eu, Lauren Jauregui aceito você, Camila Cabello com minha legítima esposa. Prometo te amar, te respeitar, cuidar de você em todos os dias da minha vida. Nos tempos e ruins. Eu prometo a você Camila, te fazer feliz e colocar o sorriso que eu tanto amo nos seus lábios. Eu aqui, prometo te amar incondicionalmente, te entregar de corpo e alma, toda a minha existência. Prometo não te abandonar e estar sempre com você, até o fim dos meus dias. Camila, passei a amá-la muito desde que a conheci. Agradeço a você por me amar dessa maneira tão bela e especial. Prometo sustentá-la e protegê-la em tempos de necessidade e dificuldade. Prometo ser fiel, honesta e aberta; devotar-me a cada uma de suas necessidades e desejos. Acima de tudo, prometo ser a mulher por quem você se apaixonou. Eu amo você.

 

— Com o poder concedito a mim, eu vos declaro casadas.

Ela era minha, oficialmente minha. Todo o nervosismo de antes passou e só felicidade tomava conta de mim.

— Podem se beijar.

Acariciei seu rosto com todo cuidado, Camila fechou os olhos e sorriu. Inclinei minha cabeça para frente até sentir seus lábios no meu, nunca um beijo me deixou tão êxtasiada. Os lábios carnudos de minha esposa eram delicados e eu sentia toda tranquilidade. Naquele momento senti que eu era dela e ela era minha. A mulher pela qual me apaixonei, a menina mulher que sabe ser sexy e fofa ao mesmo tempo, aquela que faz meu coração saltar pela boca. A paixão, o desejo todos foram entregues naquele beijo.
Soltei seus lábios com um sorriso e suspirei. Aplausos dos convidados foram ouvidos, mas no meu mundo só tinha eu me minha esposa.

Nada poderia atrapalhar aquele momento, saimos sob uma chuva de pétalas de rosas, mãos entrelaçadas e sorrisos apaixonados. O momento mais feliz da minha vida finalmente havia se concretizado.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...