História Sweet Illusion - Yoonmin - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Colegial, Jimin, Jimin!bottom, Lemon, Pwp, Yaoi, Yoongi, Yoongi!top, Yoonmin
Visualizações 239
Palavras 6.795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


para tudo
pARA tudo
EU FIQUEI TODO ESSE TEMPO ESCREVENDO ESSE CAPÍTULO, JURO, FORAM POUCOS OS DIAS QUE EU NÃO ESCREVI NEM UMA ÚNICA LINHA!!!!!!
cara eu demorei demais com ele KKKKKKKKKK, que tristeza.

e olha só a loucura que eu queria fazer: eu queria que o capítulo 6 e o 7 fossem um único só.
EU TAVA DOIDA, IA DAR UMAS 10.000 PALAVRAS!!!!

não era para ficar tão grande assim, eu estimei no máximo 4.000 palavras, mas eu passei um pouquinho desse limite rs.

é que as ideias foram fluindo e eu achei que fosse ficar muito mais completo dessa forma.
outra é que eu não queria que ninguém ficasse perdido no lance dos universos paralelos, então eu tentei fazer com que o yoongi explicasse para o jimin de uma forma que vocês também entendessem.
mas existem coisas que eu ainda não expliquei porque precisam ser destacadas ao longo da história, OU EU VOU DAR SPOILER E ISSO ESTÁ FORA DE COGITAÇÃO!!!!

mas de qualquer jeito eu tô tremendo aqui!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! (a+ exagerada)
tenho medo que esse lemon tenha ficado um lixo KKKKKKKKKK já estava planejado,, mas eu não imaginei que fosse fazer todo esse rodeio.
to só esperando uma bala perdida acertar a minha cabeça aqui, porque eu não tenho mesmo ideia se isso ficou bom, eu tentei.

ALIÁS, CARALHO, MUITO OBRIGADA PELOS 255 FAVORITOS!!!!! EU NEM SEI O QUE DIZER, NÃO IMAGINAVA QUE IA CONSEGUIR 155 FAVORITOS DO 6º CAPÍTULO PARA O 7º, EU TO CHORANDO!!!! vocês são show <3

CHEGA, LEIAM.

não, pera;

boa leitura amores <3

Capítulo 7 - Eu sinto você - Parte II


Fanfic / Fanfiction Sweet Illusion - Yoonmin - Capítulo 7 - Eu sinto você - Parte II

— Por favor, hyung! Faz de novo! — Implorava Jimin com tamanha animação que sentia pela nova descoberta. Estaria soltando fogos de artifício se os tivesse no momento.

— Minnie, eu estou dirigindo. Você não pode nem esperar chegarmos em casa? — Disse o mais velho, que agora não sabia mais o que fazer a respeito do ruivinho empolgado ao seu lado.

A sensação que Jimin tivera ao tocar a mão do Min fora surreal. Quando iria imaginar que alguém seria capaz de viajar entre universos? Seu medo era de acordar explodindo de dor de cabeça no dia seguinte e descobrir que tudo não passara de uma maluquice sua e estivera bêbado no aniversário de SeokJin, Yoongi nunca havia pisado em solo real e muito menos estava o levando para a sua casa em pleno domingo antecedente de um feriado. Quanto aos universos, isso lhe parecia disperso. Apesar da chama acesa em seu peito quando supostamente estava ao lado do Min, nunca se sabe o momento em que um sonho é intenso o suficiente para fazê-lo acreditar que acontecera de verdade.

— Tudo bem, tudo bem... Então é a minha vez de tentar! — O Park segurou no braço do hyung, que o encarou por rápidos instantes com tédio, tentando prestar atenção na rua a sua frente. Jimin sorria com esperança, e assim que soltou sua mão e fechou os olhos, virando-se para o lado contrário, ficou longos dez segundos na expectativa de sentir algo novamente. — Você ouviu?

— Não.

— Aish! Por que só funciona com você?!

— Que sentido teria se só funcionasse comigo? Funciona com nós dois. Mas você está fazendo errado. — Estralou a língua no céu da boca e negou com a cabeça, conseguindo deixar o mais novo ainda mais confuso. — Se você quiser muito algo, deseje com todo o seu ser, iluda-se até que se torne real. É assim que funciona. Precisa de prática para conseguir se conectar comigo quando você quiser.

Jimin cruzou os braços e endireitou-se no banco, frustrado por não ter a mínima ideia de como compreender as palavras de seu hyung. Era tudo muito novo para ele e definitivamente precisava aprender com o tempo, mesmo que já tivesse esperado demais pela presença de Yoongi e também recebido uma breve explicação sua.

— Não desanime assim. Quer saber de uma coisa? Foi você quem me trouxe para cá. É mais forte do que imagina, e aparentemente teve mais fé do que eu. — O Min sorriu ladino para o ruivo ao seu lado, que prestava atenção em cada palavra sua. Era encantador o modo que ele se mostrava durão, mas facilmente se tornava doce e gentil novamente. Yoongi acreditava ter trazido a paz mundial em algum outro universo paralelo para receber uma recompensa como Jimin. — Existe uma teoria que explica isso, não é lá muito antiga, mas eu ficaria muito tempo para te dar os detalhes. Então, vamos aos poucos, certo? Não é tão difícil se você for levar em consideração que nós temos muitos desejos, gostamos do que é perfeito, mesmo não existindo plena perfeição. Eu não sou nada perfeito, sou mais alguém que você gostou.

Observou um sorriso tímido surgir nos lábios do mais novo, formando uma linha reta entre eles. Adorável. Mágico. O Min pensava a respeito daquela visão tão pura que tinha.

— Você me parece perfeito. — Sussurrou o ruivo em um tom que o outro fosse capaz de ouvir.

— Talvez eu seja em algum universo. — Respondeu no mesmo tom.

— Hyung, então tudo aquilo que eu imaginei é real? — Perguntou Jimin.

— Provavelmente sim. Você já deve ter percebido que acertou meu gosto pelo basquete e... Por sexo. — Sorriu ladino para o mais novo, recebendo um olhar reprovativo do mesmo.

— Até mesmo quando falava sobre os namorados imbecis que a sua mãe arruma? Ou sobre o seu apartamento ser extremamente silencioso?

Yoongi encarou o Park por alguns segundos, franzindo o cenho e com um breve sorriso em seus lábios. Definitivamente ele estava certo a respeito de tudo, e isso era até mesmo estranho para o próprio Min, que já havia passado por tantas situações “fora do comum” nessas últimas semanas. Por coincidência, todas elas envolviam o rapaz ao seu lado no carro.

— Isso é constrangedor. Por que precisamos falar dos namorados da minha mãe? — Questionou, querendo desviar o assunto, mesmo que achasse graça.

— Não foi o que eu quis dizer! Mas você tecnicamente está falando que eu estou certo, não é? — Proferiu e então observou o mais velho confirmar com a cabeça enquanto formava um bico em seus lábios. — E eu imagino que ela não esteja em casa hoje, porque se eu te conheço bem, não iria estar me levando junto enquanto ela tivesse chances de... — Pausou a frase, não dando continuidade a ela.

— De quê? — Insistiu Yoongi.

— Você sabe “de quê”.

— É lógico que eu sei, mas eu quero que você fale.

— De nos ouvir, Yoongi! De ver o que quer que você pretenda fazer essa noite. — Disse o ruivo, muito contragosto e escondendo a timidez.

— Então isso significa que você está de acordo com o que quer que aconteça essa noite?

A pergunta do mais velho fez Jimin contorcer o rosto em confusão e curiosidade. Parecia realmente interessante o que estava por vir, mas não podia negar que tais investidas utilizadas por ele lhe faziam repensar sobre o assunto. Yoongi nunca havia decepcionado as boas expectativas do Park, mas sempre utilizava tal jogo de palavras, matando-o com dúvidas.

— Depende! Devo me preocupar com as suas ideias excêntricas? — Perguntou, apenas para ter certeza de que não estava prestes a entrar em um labirinto sem fim que era Min Yoongi.

— Se você considera deleite como uma preocupação, então sim, você deve se preocupar com isso. — Respondeu do seu modo unicamente sedutor e insinuativo.

Jimin se perguntava o que tinha de tão interessante que cativava o mais velho. Imaginava que ele conseguiria conquistar o mundo todo se assim quisesse, mas ao contrário disso, ele pertencia unicamente ao Park; iludia-se com o Park; desejava o Park. Os universos paralelos deveriam ter uma boa explicação para isso, porque o ruivo definitivamente não tinha.

 

—•—

 

Era difícil descrever o quanto Jimin estava impressionado com o que via. O prédio em que Yoongi vivia sempre existiu, mas em seu universo ele não pertencia ao Min, e sim a algum desconhecido, talvez até mesmo não fosse exatamente igual ao que imaginara. Ele vivia em um apartamento duplex, muito bem cuidado — pela sua mãe — e decorado. A fechadura era aberta com uma senha, esta sendo a união das datas de aniversário de mãe e filho, e o elevador parecia ser extremamente lento quando ambos estavam ansiosos.

— Seja bem-vindo! — Proferiu o rapaz de cabelos negros enquanto empurrava a porta e abria espaço para que Jimin passasse. — Se levar em consideração todos os lugares que nós já experimentamos aqui, eu diria que você conhece esse apartamento muito bem. — Brincou logo em seguida, arrancando do Park um olhar zangado e engraçado ao mesmo tempo.

Aquilo era surreal, a coisa mais irreal que o ruivo já havia visto em toda a sua vida. Mas se era assim tão fantasioso, por que estava diante dos seus olhos? Não se tratava mais de uma simples ilusão que lhe atormentava a cabeça e trazia certa serenidade por outro lado; agora era pleno e esplêndido. Era a sua mais pura realidade. Transitara de uma Doce Ilusão para uma Doce Verdade.

— Fique à vontade, eu volto já. — Disse Yoongi antes de tocar o ombro de Jimin e deixar um beijo singelo sobre a sua bochecha, tornando-a levemente avermelhada, então desaparecendo após a primeira porta à direita.

O Park era aberto em relação às provocações do Min, como se já fosse algo característico seu, mas era uma grande questão o fato de ser tão sensível aos seus carinhos oferecidos sem nenhuma intenção secundária a não ser confortá-lo. Talvez o lado romântico de Yoongi emocionasse Jimin, era inusitado.

O ruivo deixou o corredor de entrada e encontrou a sala, analisando o local de cima a baixo. Muito impressionante. Não passava de mais um apartamento, mas era o apartamento de Min Yoongi, isso o tornava incrível. As escadas que levavam ao segundo andar eram de concreto, o apoio do corrimão era de vidro e davam um aspecto moderno ao local. A família Min já tivera tudo em mãos para se tornar ainda mais bem sucedida do que já era, mas com as adversidades, isso não aconteceu. Hoje em dia, mãe e filho não deixam de ter bastante dinheiro, entretanto com certeza era muito melhor antes.

Bisbilhotava descaradamente os objetos deixados sobre as bancadas e também alguns poucos quadros espalhados pelas paredes. A decoração não mudara nada, Jimin se lembrava até das pequenas esculturas que enfeitavam a sala, dois peixes dourados e um pouco pesados, posicionados em cima de uma das divisórias da estante da televisão. Um retrato de Yoongi quando bebê não poderia deixar de se destacar diante de seus olhos, o Park até mesmo duvidava que este pudesse ter sido uma criança tão adorável. Vestindo óculos de sol, o Min neném estava enterrado na areia da praia, apoiando a sua cabeça em uma boia azul. Sorriu com sinceridade ao segurar o retrato em mãos, podendo analisar melhor aquela figura tão amável que era o pequeno Yoongi.

Logo ao lado também havia uma imagem de sua mãe, trajava um vestido azul turquesa e a maquiagem em seu rosto era equilibrada. Jimin sempre a considerou uma mulher e tanto, calculista e bonita, jovem e gentil. O seu único problema viera com a morte de seu marido, que desestabilizou por completo a sua vida e a de Yoongi. Com a falta do pai na família e também emocionalmente impulsionada, a senhora Min passou a tentar suprir o vazio com o álcool, mas essa fase findou-se após conhecer o seu primeiro namorado — de muitos. Cada um era pior que o outro, mas parecia nunca haver uma parada para a mais velha. Isso frustrava Yoongi, que fazia o possível para não interferir, mas em certos momentos era impossível.

— Achei você.

Jimin saltou e levou a mão até o coração após ouvir a voz do mais velho soar atrás de si. Soltou o retrato sobre a divisória e virou-se na sua direção, um tanto sem jeito por ter sido pego bisbilhotando suas coisas. Yoongi tinha um sorriso meigo nos lábios, porém singelo, característico seu. Deu um passo lento à frente e acariciou o rosto do Park com polegar e o indicador. Seus lábios alcançaram o ouvido do ruivo e este imaginou que ele fosse lhe dizer algo, no mínimo, quente.

— Está com fome? — Perguntou, afundando as expectativas de Jimin.

— Um pouco. — Respondeu mesmo um tanto frustrado e procurando medir seu nível de fome naquele momento.

O mais velho riu, como se soubesse dos efeitos que causava em Jimin. Deu as costas e convidou-o para segui-lo até a cozinha, que ficava no cômodo ao lado, atravessando uma porta de vidro já aberta. Alguns ingredientes tinham sido deixados sobre o balcão, provavelmente pelo Min, pronto para preparar algo que o Park acreditava ser jjajangmyeon. Era inegável que o mais velho tinha uma habilidade mil vezes mais avançada na cozinha do que Jimin, este mal sabia esquentar algo no micro-ondas sem precisar perguntar a sua mãe o tempo necessário. Vergonhoso para a sua idade, dentro de dois anos seria um adulto e não sabia cozinhar. Já Yoongi, faria aniversário em breve, prestes a completar os seus dezoito anos; deixara o colégio durante um tempo devido aos seus problemas familiares, mas estaria na faculdade a partir da metade do ano.

Jimin observou o pálido retirar algo de dentro da geladeira, fechando a porta da mesma com o pé. Seguiu até a mesa e posicionou uma garrafa de cerveja sobre ela, sentando-se em frente ao Park e retirando a tampa.

— Você ainda não tem dezoito anos hyung. — Alertou Jimin enquanto o mais velho levava a bebida até a boca e dava longos goles.

— E daí? — Indagou, fazendo-se de desentendido e sarcasticamente.

— E daí que você não pode beber! Isso é errado, não seja rebelde. — Soltou um riso tímido e esticou-se na mesa para tomar a garrafa de sua mão, sendo mais rápido que o hyung e obrigando ele a se levantar para pegar novamente.

— Também não posso dirigir, mas isso não me impede de saber como se faz. Falta pouco tempo! Vamos, me devolve Jiminnie.

O mais novo trouxe a garrafa ainda mais perto, escondendo-a atrás de si na cadeira e segurando a mesma para que não fosse ao chão sem querer. Yoongi cerrou os olhos na sua direção e umedeceu os lábios, desafiando o Park em um aviso mudo. O ruivo ria baixinho por conta da intensidade que ele o media, mesmo em uma situação como aquela Yoongi conseguia ser muito traiçoeiro.

— Não é porque você é fraco para bebida que eu também tenho que ser, Park. — Provocou, sabendo que o ruivo não gostava que duvidassem de suas capacidade, não importando do que se tratava.

— Eu?! Fraco?! — Indagou em um tom indignado. — Como pode ter tanta certeza disso? Nunca me viu beber. — Defendeu-se.

— Tem cara de ser fraco. Você só sabe me dar lição de moral, isso é coisa de quem desmaia no segundo shot. Admita, Branca de Neve.

No mesmo instante, Jimin trouxe a garrafa para cima da mesa e bateu-a com certa força conta a superfície lisa. Cruzou os braços e fechou sua expressão em uma careta emburrada e séria.

— Isso é o que nós vamos ver. — Proferiu, claramente convencido pelo mais velho.

— Quer brigar, doçura? — Usou seu melhor tom de deboche, rindo do quão competitivo era Jimin.

— Yah! Quem ficar mais bêbado perde.

— Você não vai aguentar. Eu tenho planos para hoje à noite, Minnie. Gostaria que você estivesse lúcido o suficiente para aproveitar.

— Aish, eu não sou fraco hyung! — Exclamou, batendo a mão na mesa e pegando a garrafa para beber uma boa quantidade do líquido. Não fora capaz de apreciar muito do gosto daquilo na sua primeira vez experimentando, mas talvez se acostumasse com o tempo.

— Você é mil vezes mais atraente quando está bravo. — Foi a única coisa que Yoongi comentou assistindo a cena do seu dongsaeng empenhado em mostrar que suportava beber por mais tempo que ele.

— E você é mil vezes mais atraente quando não duvida de mim. — Retrucou.

— Eu não duvido que você seja muito mais gostoso por dentro. — Disse no seu tom mais malicioso, pegando a garrafa novamente para beber outros goles da cerveja, então entregando a mesma para que o Park repetisse. — E nem que você vá se entregar muito mais quando estiver bêbado.

— Está fazendo isso de propósito hyung? O que eu faço com você se cair antes de mim?

— Não se preocupe comigo.

Jimin deu de ombros. Não estava diretamente preocupado com o Min, já que ele estava tão confiante, mas sim consigo, que não tinha ideia das besteiras que poderia acabar falando ou fazendo. Era sorte que estavam apenas os dois ali, então só teria Yoongi para tirar sarro de si no dia seguinte.

— Você vai ou não vai fazer a comida? — Indagou Jimin enquanto apontava para os ingredientes sobre e bancada usando a garrafa.

— Quer saber? Eu acho que não. Você pode sobreviver com um pacote de salgadinho? — Levantou-se da cadeira e abriu o armário suspenso para retirar dali o alimento, jogando-o na direção do Park e se sentando mais uma vez. — É melhor do que comer algo queimado depois... Ei! Vai com calma, baby. A cerveja não vai sair correndo da sua mão. — Riu observando o mais novo querendo beber tudo de uma vez só.

O ruivo abriu o salgadinho e começou a comer enquanto assuntos aleatórios surgiam em meio ao cheiro de álcool que se instalara na boca dos dois. Até que Jimin estava se acostumando rapidamente com aquilo, e não achava que seria fácil ficar bêbado em um piscar de olhos... A não ser que continuasse no ritmo em que estava, bebendo um gole atrás do outro sem parar. Nem imaginava que havia tantas garrafas escondidas dentro da geladeira e intactas, porém agora no mínimo três delas estavam vazias e em cima da mesa.

— Assim você não vai ganhar de mim mesmo. Quer passar mal Jiminnie? — Comentou outra vez o mais velho, achando graça no garoto que lhe ajudava a trapacear na brincadeira sem querer.

— Faria alguma diferença? Você só quer me comer mesmo. — Disse na maior cara de pau, fazendo até mesmo Yoongi abrir uma expressão espantada.

— Me diz que você tirou isso de dentro dessa garrafa de cerveja.

— Me diz que eu estou mentindo. — Retrucou o ruivo, arqueando ambas as sobrancelhas e recostando-se no encosto da cadeira cheio de marra.

— Você não está bêbado já, não é? Que língua afiada!

— Nem um único jantar você me pagou da primeira vez, lembra disso?

— Que calúnia! Eu não te fiz comprar outro cachorro-quente para mim quando derrubou o meu almoço no meio da calçada. — Relembrou, jogando na cara do outro que ele havia sido desastrado na primeira vez em que trocaram palavras.

— É, tem razão... Mas espera! Isso não vale. Eu fiquei de barriga vazia assim como estou agora.

— E daí? Que eu saiba não era comida que você queria. Eu sinto cheiro de um Jimin muito necessitado de longe.

Pareceu a gota d’água para o Park, que bateu a mão na mesa mais uma vez e se levantou, dando as costas para deixar a cozinha sem nem dizer nada. Com certeza a bebida lhe fizera a cabeça, mas também estava irritado com o modo que Yoongi tratava da relação dos dois. Não tinham nada concreto e nem pretendiam, o que era muito provável, mas isso deixava Jimin confuso e ao mesmo tempo sem saber como reagir.

O mais velho chamou por ele e demorou alguns instantes para se dar conta de que ele realmente estava saindo do apartamento. Correu até a sala e encontrou um ruivo de braços cruzados, mala e cuia para ir embora nem que fosse a pé.

— Você acha que eu vou te deixar sair assim, sem mais, nem menos? — Perguntou enquanto se aproximava da figura de um bolinho de arroz onde dois olhinhos cerrados e bravos tinham sido desenhados.

— Eu não preciso da sua permissão. — Proferiu como se estivesse pronto para morder o nariz de Yoongi até arrancar um pedaço.

— Está tão tenso, mochi. Por que não deixa eu te dar um banho ou fazer uma massagem?

— Por que você não volta para o seu universo e encontra outra pessoa para comer, depois jogar fora?

— Considerando que eu viajei um universo para estar aqui com você, eu diria que não preciso de mais ninguém. Simples assim.

 

—•—

 

Bastaram algumas palavras concretas de Yoongi a Jimin para que o mais novo cedesse. Não podia negar que tudo o que mais queria no momento era um banho e uma massagem — quem não? Fingia-se de mal humorado apenas para não perder o orgulho, mas também achava muito gentil da parte do Min se oferecer para cuidar das suas dores musculares quando tinha noção de que este queria mesmo era estar fazendo a cama ranger, então não sabia ao certo como agir naquela situação.

Após o caminho que fizeram subindo as escadas e adentrando o quarto espaçoso e organizado de Yoongi — deveria ser a diarista que colocava tudo no lugar —, Jimin sentou-se na cama para esperar a banheira encher. Era luxo demais para a primeira noite dos dois juntos.

— Não me lembro se você prefere a água quente como eu, mas acho que vai gostar da temperatura. — Comentou o pálido enquanto se recostava no batente da porta para analisar o Park.

O ruivo deu de ombros, fazendo-se de desinteressado. Observou o hyung se frustrar um pouco com isso e se sentiu culpado pela grosseria. Desde o início era Yoongi quem negava suas investidas, tornando a primeira impressão de Jimin em relação a ele negativa, achava que ele se encaixava no tipo mal educado e com coração de pedra. Para falar a verdade, ele não era nada disso. Min Yoongi era alguém cheio de sentimentos, atencioso, preocupado e romântico. O que diferenciava ele do Park era o fato deste ser falante, enérgico e extremamente sensível; o contrario do outro.

— Você acredita mesmo na ideia de que eu só quero “te comer”? — Perguntou Yoongi depois de alguns instantes, simulando as aspas com o indicador e o médio.

— Eu não sei o que você quer de verdade. — Disse apenas para não deixar claro que havia mudado de ideia.

— Então por que está aqui? Você sabe que eu não estou te forçando a nada, nunca forcei e nem farei isso. Embora eu queira muito que algo aconteça, eu posso esperar se você preferir. Só não quero mesmo que me faça de idiota. Diga que está confortável, Park, é tudo o que eu preciso saber. O resto nós improvisamos. — Expos toda a sua frustração naquelas palavras, proferindo tudo da maneira mais natural possível. — Seu banho está pronto.

Jimin se levantou e seguiu até a porta enquanto o mais velho adentrava mais o banheiro para checar a temperatura da água. Chamou o mais novo com um gesto e este se aproximou lentamente.

— Precisa de ajuda? — Questionou o pálido ao apontar para as roupas do Park.

— Se você não se importar...

Yoongi riu fraco, dando um passo a frente para desabotoar de vez a camisa alheia; passou-a pelos ombros e dobrou-a para deixar sobre a pia. Desafivelou o cinto do garoto, em seguida puxou o zíper da calça para abaixá-la, tendo dificuldade em passar a calça jeans pelas coxas fartas e bem desenhadas. Evitou sorrir com a visão divina para não deixar Jimin constrangido, mas ele tinha um corpo e tanto. Pediu permissão com um olhar para retirar a sua cueca box e assim fez quando obteve uma confirmação também muda. Por fim, segurou na mão do mais novo para que ele não escorregasse ao adentrar a banheira e apenas soltou quando ele conseguiu se acomodar.

— Você não vai entrar? — Foi a primeira pergunta que Jimin fez, voltando a apertar a mão do Min.

— A ideia era que você aproveitasse.

— Pare com isso hyung. Vamos, entre também.

Yoongi deu de ombros e repetiu o mesmo processo retirando suas vestes, para em seguida se sentar logo atrás do outro na banheira. A água minimamente escorreu pelas beiradas e molhou o tapete. O corpo já quente do Park se aninhou contra o do mais velho, e em um ato realizado por impulso, o Min enlaçou a cintura alheia. Jimin suspirou fundo, não sabendo como reagir a tudo aquilo. Mas estava tudo bem, o Min tinha tudo sob controle.

— Você pode relaxar se quiser. Eu não mordo a não ser que seja o seu desejo. — Brincou, tentando fazer o Park se dar conta de que nada daria errado ou estava saindo dos eixos. Subiu suas mãos até os ombros do mais novo e pressionou os polegares nas suas costas, massageando aquela região tensa do seu corpo. — Feche os olhos.

O ruivo obedeceu, pendendo a cabeça para a direita e fechando os olhos, já adorando o carinho que recebia. Um silêncio confortável se fez entre os dois, nada mais se ouvia naquele cômodo e provavelmente em nenhum dos outros, afinal o apartamento estava vazio. A água se movendo junto aos braços de Yoongi e os baixos suspiros de Jimin eram os únicos sons presentes.

Talvez o Min não estivesse tão errado em dizer que Jimin se soltaria com mais facilidade por conta do álcool. Sentia seu corpo amolecer misturado com as diversas sensações e viajava em pensamentos, como fazia quando estava sozinho, só que isso era um milhão de vezes melhor. As mãos alheias exploravam cada pedaço seu, mas desviavam das partes mais sensíveis, como uma espécie de tortura, enganando as suas expectativas. O mais velho tinha noção de que ele, em breve, ficaria excitado, mas sabia o que fazer para adiantar o processo.

— Jiminnie, no que você está pensando? — Perguntou próximo do ouvido do ruivo e com a voz tão morna quanto a água da banheira, só que na verdade não esperava por uma resposta. — Eu até tentaria adivinhar, mas é mais fácil você me dizer.

Com isso, finalmente a sua mão desceu até a virilha do Park e em seguida foi até as suas coxas, apertando-as, forçando os dedos contra a pele molhada. Jimin umedeceu os lábios com a língua, remexendo-se na água sem abrir os olhos. Bastaram algumas palavras sujas sopradas em seu ouvido pelo pálido para que as correntes elétricas começassem a percorrer seu corpo com mais intensidade, transformando-se em arrepios. Jimin gostava de ouvir, gostava de imaginar, mas agora descobriria a arte de sentir tudo na pele.

Aceitou a derrota quando, sem mais delongas, o seu membro fora envolvido pelos dedos finos e compridos de Yoongi, que movimentava a pele de cima a baixo. Era resistente? Sim, era uma característica sua evitar uma ereção cedo demais. Mas quem gostaria de resistir a isso? Bom, não era o caso do ruivo. Deitou sua cabeça no ombro do Min e deixou os lábios entreabertos, gemendo entrecortado pelos suspiros.

— Não vai nem me agradecer por não precisar mais fazer isso sozinho? — O mais velho indagou.

A sua voz rouca soou sexy, porém, com certeza Min Yoongi era o cara mais chato que Jimin já conhecera simplesmente por sempre querer a devida atenção em momentos como esse.

Em resposta, o mais novo segurou o pulso alheio, fazendo-o parar com os movimentos. Mesmo gostando muito da sensação, ainda havia mais o que experimentar. Fez um pequeno esforço para se virar e ficar de frente para Yoongi. O espaço entre as suas pernas e os lados da banheira era inexistente, ficava um tanto apertado naquela posição, com uma perna de cada lado do colo do mais velho, apesar disso estava perfeitamente encaixado no seu corpo úmido e que se tornava cada vez mais sensível aos seus toques.

Jimin tomou a iniciativa de aproximar seus lábios dos de Yoongi e começar um beijo calmo, porém com certa insegurança, fazia tempo que não beijava ninguém e queria que tudo aquilo corresse naturalmente. Ouvira dizer que não era bom tentar usar a língua em primeiros beijos, mas fora o Min a invadir a sua boca com a língua, e caramba, era a melhor sensação que já tivera desde então! Ele explorava o céu da boca de Jimin e não tinha vergonha alguma em sugar sua língua. O ósculo foi quebrado com sucesso e a sua boca aproveitou-se para descer pelo queixo e mandíbula alheios, dando ao mais velho o agradecimento que ele tanto queria.

— Eu sempre soube que você tinha lábios macios Minnie. — Comentou com um sorriso satisfeito no rosto e alcançando o lóbulo da orelha do ruivo para mordiscar fraco a sua pele. — Mas não é aqui que eu quero que você use eles.

O mais novo ficou poucos segundos encarando Yoongi. Era mesmo o que Jimin estava pensando? Não tinha prática nenhuma e precisaria adquiri-la junto ao Min, esperava apenas que ele soubesse disso e não se incomodasse.

— Então onde eu devo usá-los? — Questionou, insinuando que estava disposto a fazer isso.

Yoongi apenas sorriu ladino, desceu as mãos pelas costas do outro e apertou as suas nádegas expostas. Sua língua desceu do pescoço do Park até chegar à sua clavícula, depositando alguns chupões ali na medida que o outro gemia baixinho pelos apertos.

— Primeiro vamos para o quarto. — Anunciou o Min.

Jimin se afastou, saindo de cima do seu colo e se sentando na outra extremidade da banheira. Esperou que o mais velho saísse para então fazer o mesmo, tendo a ajuda da mão de Yoongi novamente o auxiliando a se levantar e evitando que se desequilibrasse. Yoongi colou seus corpos na intenção de alcançar a toalha pendurada na barra de ferro logo atrás do Park, então passou-a pelos ombros do ruivo, retirando o excesso de água. Fez o mesmo em seu corpo e então pediu que o mais novo fosse até o quarto enquanto ele esvaziava a banheira. Deixou o banheiro e encostou a porta, aproximando-se da figura de Jimin, sentado sobre a cama e um tanto encolhido; joelhos dobrados e os braços apoiados sobre estes, provavelmente escondendo o que o Min já havia visto e tocado.

— Em pé, Minnie. — Ditou, vendo o garoto se levantar lentamente e ficar a sua frente. Depositou um beijo na sua testa e suas mãos percorreram o seu corpo até chegarem a sua cintura fina, porém definida. Pressionou seus dedos naquela região, intensificando seus toques, então virou ambos os corpos, trocando de lado com o mais novo para que pudesse se sentar na cama e ele ficasse em pé a sua frente. — Tudo bem, agora pode ficar de joelhos.

Assim o Park fez, agachando-se e se apoiando nas coxas do Min ao fazer isso, estas que evoluíam cada vez mais, chegando ao ponto de terem os músculos visivelmente definidos. Yoongi não tinha a mesma facilidade que Jimin para esportes e nem a mesma força de vontade, então aos poucos ficava com o corpo cada vez mais atlético, não deixando de lado a característica magra presente em seu biotipo.

— Yoongi, eu nunca fiz isso... — Alertou o mais novo, nervoso e indeciso, não sabia por onde deveria começar.

— Não se preocupe, comece devagar, consigo ser paciente. — O Min esticou sua mão minimamente e acariciou a bochecha do mais novo, recebendo um sorriso pequeno em resposta. — Só não seja guloso ou vai acabar se engasgando. Não é uma sensação muito legal.

Jimin engoliu em seco, tendo certeza de que ele estava certo quanto a isso. Ergueu-se um pouco mais, desencostando o bumbum do calcanhar e ficando da altura do quadril de Yoongi, que estava sentado na cama e com os braços a apoiar seu tronco, assim como havia visto na casa de SeokJin ao entrar no cômodo e ter uma surpresa. Segurou a base do membro do mais velho e lançou um último olhar para o seu rosto, colocando dentro de sua boca apenas a glande e uma pequena parte. Em seguida fechou os olhos, tentando se acostumar com a sensação antes de iniciar movimentos de vai e vem extremamente lentos. A sua saliva ajudava a deslizar os lábios pelo falo do Min mais facilmente.

— Caramba, eu estava certo! Você tem os lábios mais macios do mundo. — Comentou Yoongi, como se fosse uma criança que havia acabado de ganhar seu doce favorito.

O Park apenas rolou os olhos, achando aquilo tudo muito constrangedor, porém excitante. Sentindo-se confortável o suficiente, passou a usar a língua, contornando o membro alheio com ela e consequentemente parecendo um pouco desajeitado ao fazer isso. A inexperiência era mais do que óbvia em Jimin, mas Yoongi não conseguia se importar tanto com isso quando se tornava cada vez mais duro pela boca quente e deliciosa que o mais novo tinha.

Tratava de prender a respiração sempre que sentia pontadas dolorosas em seu baixo-ventre, evitando gemer alto demais, mas estava escrito em sua testa que ele não conseguia se conter. Min Yoongi se encontrava entregue ao pequeno que o chupava de uma maneira lenta, porém agradável. Mais masturbava o restante do membro do mais velho do que trabalhava com sucções, mas o pouco que ele conseguia abrigar em sua boca sem se engasgar já era extasiante.

Por um momento, Jimin se achou no direito de ser um pouco mais ousado, afundando sua boca até que a glande do outro tocasse sua garganta. Yoongi gemeu arrastado e o mais novo chegou à conclusão de que ele realmente gostava daquilo, consequentemente o Park também estava começando a se sentir mais necessitado e era difícil se concentrar em duas coisas ao mesmo tempo tendo a atenção que tinha no pênis do Min.

— Hyung... — Chamou com uma voz manhosa ao fazer uma pequena pausa nos movimentos com a boca para encarar o pálido, ainda segurando o íntimo alheio com a mão e tocando-o com os dedos. — Você poderia me dar um pouco de atenção agora?

Levantou-se do chão sentindo os joelhos incomodarem por ter ficado naquela posição por certo tempo, deu um passo à frente e observou o mais velho se afastar, deitando na cama e sendo seguido por Jimin, que engatinhou na sua direção e sentou sobre o seu colo, tendo a sensação gostosa dos seus membros friccionando.

— Eu estava esperando você pedir isso. — Confessou o Min.

— Então por que não me avisou antes?

— Por que eu queria que você admitisse.

— Admitisse o quê?

— Que você precisa de mim... — Começou tocando as coxas do Park lentamente enquanto subia as mãos por elas. — Que você não quer mais ninguém além de mim... — Chegando até o seu abdômen, acariciou aquela região e partiu para os seus mamilos, local que Yoongi sabia ser sensível no corpo do garoto. — Que você quer que eu te foda, mas está com medo que não seja o que você tanto imaginou... — Começou fazendo movimentos circulares com os polegares, podendo ver o pequeno reagir de maneira engraçada e manhosa, talvez sentindo um pouco de cócegas. — E que você não vai aguentar essa enrolação toda por muito tempo... Estou certo?

Jimin moveu-se rapidamente contra o quadril alheio e afastou as mãos do outro de seu corpo, segurando-as contra o colchão, acima de sua cabeça e tendo o seu rosto muito próximo do de Yoongi.

— Pare. Se você quer tanto me foder, por que não faz isso logo? — Questionou, mas só recebeu em resposta uma expressão travessa e de sobrancelhas arqueadas do Min, sugerindo que ele já sabia o que precisava fazer. — Você mesmo já disse tudo por mim, então eu não sei como te convencer de que eu quero muito isso hyung...

E realmente não sabia. O Park nunca foi o melhor com dirty talk, mas definitivamente adorava ouvir o outro sussurrar as melhores besteiras no seu ouvido ou lhe fazer perguntas sujas.

Suspirou fundo, encarando a figura aparentemente paciente do mais velho em baixo de si, que não iria muito longe enquanto ele não se pronunciasse ou lhe convencesse. Seus dedos foram até a sua boca e ele os lambuzou com saliva, levando em seguida até a sua entrada e pressionando apenas o médio contra ela, tendo dificuldade em aprofundar por conta da posição e do comprimento de seus dedos, que não eram lá muito grandes.

Yoongi arregalou os olhos. Não imaginou que Jimin fosse levar a sério, mas em sua frente estava o mais novo com apenas um dedo dentro de si e uma expressão tão sexy que apenas isso seria suficiente para lhe causar uma ereção, caso já não tivesse uma entre as pernas e o incomodando.

— Minnie, eu mudei de ideia. Deixa o hyung te ajudar. — Yoongi fez um pequeno esforço para erguer-se e ficar muito próximo do mais novo, já que ele estava sentado em seu colo. O Park gemeu em reclamação e retirou seu dedo de sua entrada. — De quatro Jiminnie.

Jimin o encarou timidamente, com as bochechas levemente coradas. Até diria que tinha feições inocentes, e de fato tinha, mas de inocente o ruivo não tinha nada. Era mais um demônio do que um anjo, ou talvez fosse uma mistura dos dois. Seus olhares mais singelos causavam os melhores problemas para Min Yoongi.

Observou o garoto descer de seu colo e ficar da forma que pediu, soltando um suspiro audível enquanto esperava por alguma atitude de Yoongi, este que se virou e se curvou até que o seu rosto ficasse da altura do bumbum do mais novo. Sem nem um aviso prévio, sua língua foi de encontro com a entrada alheia e pressionada. Jimin grunhiu e estremeceu, amassando os lençóis em baixo de si. Foi um curto tempo que o Min passou umedecendo aquela região com a sua língua, mas o Park estava simplesmente idolatrando a sensação de calor que transmitia enquanto mal se importava em medir gemidos. Ele circulava sua língua pelo botão do mais novo e a afundava o máximo que conseguia, ouvindo os seus grunhidos mais que excitantes. Por fim, achando que o local estava devidamente lubrificado, afastou-se alguns centímetros.

Um dos dedos de Yoongi passou entre as nádegas de Jimin e logo em seguida o penetrou com certa delicadeza. O ruivo pareceu não gostar muito logo de cara, mas com o tempo se acostumava e seu corpo relaxava. O mais velho não sabia se seria tão fácil fazê-lo se acostumar com seu membro, em caso dele sentir dor demais, tinha uma técnica para distraí-lo.

Outro dedo agora também penetrava o Park, então mais um terceiro. Pôde ouvi-lo murmurar em reclamação, proferindo uma frase que o Min não conseguiu compreender devido ao rosto do mais novo que era abafado pelo travesseiro. Contraindo sua entrada, Jimin gemeu, achando que aquilo nunca iria se tornar prazeroso. Estava impaciente.

— É, eu sei, meus dedos não são lá muito confortáveis. — Comentou o mais velho, retirando os três dígitos de dentro do outro. — Mas eu tenho algo que você pode gostar mais.

Segurou o garoto pelas ancas e se aproximou, posicionando seu membro na sua entrada, porém ainda tratando de não coloca-lo para dentro antes que Jimin fizesse seu pedido.

— Hyung vá devagar, por favor... — Suplicou quase em um miado.

— Eu não vou te machucar, não fique com medo. Relaxe. — Respondeu com a voz mais serena e confiante que conseguiu produzir. Jimin não respondeu, talvez um pouco incerto. — Fazemos o seguinte: se doer muito, você me avisa que eu paro.

Com isso, o ruivo finalmente concordou. Balançou a cabeça positivamente e se ajeitou na cama, afastando um pouco mais as suas pernas, acreditando que aquilo daria uma maior acessibilidade e o mais velho teria menos dificuldades.

Yoongi suava, quase derretendo de excitação. Seu membro pulsava e ele o queria enterrado no Park, então apenas adentrou sua glande. Era uma tentação ir mais fundo, o Min estava louco para foder o mais novo, mas de forma alguma seria capaz de ferir Jimin pelo seu próprio prazer.

Mais uma parte do seu membro cobriu o interior do Park e ele gemia sôfrego.

— Já sabe o que fazer. — Relembrou o Min, porém só ouviu um murmúrio em confirmação.

Tendo todo o seu pênis dentro de Jimin, Yoongi abraçou sua cintura e deixou alguns beijos por toda a extensão das suas costas. Aquela pequena cavidade parecia querer expulsá-lo e ele delirava com o quão apertado era o mais novo. Em seus mais impuros pensamentos ele sabia dessa característica do Park, que parecia ficar mais delicioso a cada dia que se passava.

Teve a única confirmação que precisava quando Jiminnie se moveu por conta própria, voluntariamente buscando mais contato ou talvez tentando se acomodar agora que não sentia mais tanta dor. Seus olhos lacrimejavam por tê-los pressionado seguidas vezes a cada movimento mais ousado.

Yoongi começou com movimentos lentos, sussurrando as mais variadas frases ao pé do ouvido do Park para que ele se soltasse aos poucos. Proferia tudo como se fosse um segredo dividido apenas pelos dois. Agora eles estavam em seu mundo particular, ninguém se encontrava por perto, mas mesmo em uma situação complicada, os pensamentos de um e de outro eram totalmente voltados ao que acontecia no presente, nada além disso. Não existiam problemas, se não os que criavam no meio das pernas.

Com o tempo, os movimentos lentos se transformaram em estocadas fortes e o membro do mais velho passou a deslizar com uma maior facilidade. Engraçado era o fato dele não se sentir nem um pouco cansado enquanto se deliciava com os gemidos e o “vai e vem”, já em outras situações cotidianas era o primeiro a anunciar que morria de preguiça.

Alcançou o membro esquecido de Jimin e passou a masturba-lo na mesma velocidade que o estocava. Pôde ouvi-lo murmurar que não suportava tanto prazer e isso fez o pálido sorrir vitorioso. Não precisou de muito para saber que alcançara o ponto de maior prazer dentro de Jiminnie, somente ouvindo seus arfares se tornarem gemidos arrastados já fora o bastante.

Yoongi já imaginava que o mais novo estava próximo do limite, ele novamente escondeu o seu rosto no travesseiro quando o líquido escorreu desenfreadamente por entre os dedos do Min, que cerrou os olhos ao sentir o interior alheio estrangular seu membro sem piedade, levando-o ao auge do êxtase.

O mais velho fez o possível para sustentar o corpo cansado do Park quando ele gozou, mas desistiu disso ao ter o seu orgasmo, preenchendo a cavidade alheia com esperma. Saiu lentamente de dentro do garoto  e praticamente se jogou ao seu lado, passando um braço pelo corpo do outro e sentindo a sua pele cálida e umedecida pelo suor.

Tudo estaria em completo silêncio se não fosse pelas respirações descompassadas, até que Jimin o quebrou:

— Hyung.

— Hum?

— Não foi do jeito que eu imaginei... — Virou-se na direção de Yoongi e retribuiu seu abraço, então deixou um selinho carinhoso em seus lábios. — Foi muito melhor que isso.


Notas Finais


eu acho que todos merecem ver isso, portanto apreciem o min yoongi bebê do qual eu me referia: https://68.media.tumblr.com/90fba92e02723386fe9991bd4f6a46f1/tumblr_inline_orhs5rcIXc1uc97y1_540.png

e aí? o que vocês acharam do primeiro "lemon de verdade"???? sério, eu to bem curiosa para saber.

espero que tenha valido a pena aguardar :') eu me esforcei, ao menos!!

obrigada por lerem, sério, de coração <3333 to bem #happy e nervosa dusahudsah.
agora eu to indo porque senão o meu pai me mata hehehe, bye bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...