História Sweet Love - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Himuro Tatsuya, Makoto Hanamiya, Masako Araki, Murasakibara Atsushi, Personagens Originais, Wei Liu
Tags Himuro Tatsuya, Murasakibara Atsushi, Murasakibara X Oc, Romance
Exibições 161
Palavras 2.491
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Esporte, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Josei, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


NÃO ME MATEEEEM!!!!
Sério gente, vocês não imaginam a dificuldade que eu tive pra tirar esse capítulo da cabeça, mas após esse tenho certeza que conseguirei terminar a história, deixá-la fluir da melhor forma. Agora que consegui destravar a minha cabeça, conseguirei fazer os outros capítulos com mais tranquilidade e sem hiatus, porque ninguém merece né hahaha
Sério gente, me desculpem pela demora, eu odeio deixar vocês esperando i.i mas o que importa é que consegui haha e espero que vocês gostem, de coração <3
Quero agradecer a vocês pelos comentários de incentivo, por me mostrarem que essa história é realmente boa e que vale a pena! Obrigada mesmo pelas fofuras, por cada comentário dizendo que essa é a melhor fanfic da vida! Vocês fizeram meu dia, fizeram tudo valer a pena *---* vocês são os melhores leitores da vida!!!
A partir do próximo, as coisas ficarão mais fluff *-* certeza que vocês vão gostar!!!
Me perdoem também pelo tamanho do capítulo! O próximo será maior <3

Capítulo 8 - Fúria


O tempo costumava exigir demais de Tessa quando tinha na cabeça milhões de situações que queria esquecer. Tudo o que pretendia tirar-lhe o sono parecia vir a tona a cada segundo após seu banho. Alguma parte dela de certa forma ignorava a presença do irmão, que insistia em conversar com ela sobre banalidades de quando estava nos Estados Unidos. Era bom ouví-lo, mas a conversa geralmente entrava em um rumo que preferia ignorar.

O irmão começava então a falar de Kagami Taiga. Nada irritava Tessa mais do que ouvir sobre o amigo do irmão, com quem ele parecia ter um laço maior do que o deles, de sangue. Era incompreensível se sentir daquela forma, mesmo que no fundo Tessa soubesse o que se passava em seu coração. Franzia os lábios e revirava os olhos, vestia um moletom para protegê-la do frio e do que viria logo a seguir. Quando saiu do quarto, olhou de relance para a figura esguia do irmão, preparando uma refeição para eles, completamente concentrado. Não repararia na irmã que caminhava na ponta dos pés, carregando nas mãos os sapatos para não fazer barulho. Saiu do apartamento escondida, fechando a porta com todo o cuidado. Tinha coisas para resolver e não passariam daquela noite.

Ao chegar na saída do prédio, os olhos de oliva da moça se fixaram nos cabelos ruivos de Ian. Nossa, já tinha encarado uma situação parecia várias vezes em apenas semanas como namorada do rapaz. Ignorava todos os avisos, sinais de seus colegas avisando que dentro da quadra ele era perigoso, que fora poderia ser o dobro, especialmente para ela… mas Tessa não tinha medo. O que a atraíra em Ian era possivelmente um desejo de se sentir livre, de sentir que poderia ser independente, que o que a magoava em relação a sua família não fosse tão forte.

E ela percebeu o erro que cometeu. Como pudera aceitar namorar com alguém como ele? Lembrando-se de dias atrás ela reparou no quão grosseiro ele podia ser as vezes e como sua mão tentava tatear o corpo dela em busca de carícias perigosas. Em um momento daquelas lembranças ela sentiu medo, sentiu necessitando de alguém que a retirasse dalí e demonstrasse um valor verdadeiro, uma importância maior ao que ela era.

Murasakibara

— Ian -ela o chamou então, o nariz em pé, respirando profundamente e ignorando os calafrios que arrepiavam os pelos do braço. — Sobre o que quer conversar?

O ruivo virou-se para ela e olhou para os lados, como se pudesse ver através dela, buscando a figura de Himuro. Quando não encontrou, ele sorriu em triunfo e se aproximou, pronto para usar de sua lábia. O gosto por saber que em breve jogaria com a Yosen e que os veria feridos era boa demais, dava um gosto doce nos lábios. Gosto que queria compartilhar com Tessa.

— Quero pedir desculpas pelo meu comportamento hoje -falou sem compromisso, a voz rígida demais para um perdão.

— Está perdoado -disse a moça, cruzando os braços e criando uma zona de conforto. Também compartilhou do sorriso de Ian, e sem nenhuma cerimônia abriu os lábios para falar. — Você não me merece. Percebi isso muito tarde.

Ian jurava que podia sentir o coração bater com mais força que o usual. Em sua mente, era usual que desde pequeno acreditava que poderia conseguir o que bem queria, como o amor de qualquer mulher. Tessa era uma meta que ele tinha desde a primeira vez que a viu em um clube com as amigas, tomando banho e exibindo o corpo de forma discreta e elegante, o maiô preto e branco modelando as curvas como a mulher mais linda que já vira na vida. Depois daquele dia, conquistá-la foi extremamente fácil, como se ela quisesse que ele a cortejasse, quisesse o amor dele.

E ver tudo acabado daquela forma pareceu estranho demais. Quando foi que Tessa demonstrara poder em suas palavras? Quando foi que aprendeu a ser mais firme? Geralmente era como manteiga derretida e se submetia a tudo o que queria.

Era engraçado que tudo isso acontecer após a volta de Himuro. Definitivamente Ian o odiava mortalmente agora.

— É por causa do seu irmão né? -ele perguntou, uma veia pulsando na testa. Quis avançar para ficar mais perto da moça, mas pela forma com que ela o encarava, parecia evidente que o empurraria. Além de tudo, lembrou-se a forma com que Murasakibara se colocou para proteger Tessa dele… aquele jeito como se ela pertencesse a ele. Como aquilo o irritou ainda mais! — E porque você gosta daquele cara da Geração dos milagres. Você me traiu com ele, não foi?

Ele esperava que Tessa defendesse a própria honra. Esperava que ela pulasse para gritar, dizendo que não fizera aquilo, que não traía ninguém… mas não aconteceu. Tessa apenas riu, os dentes brancos brilhando pela luz da luminária do teto. Ela continuava com os braços cruzados, e sua risada cessou com um suspiro.

— Eu tive medo de você, medo do que eu podia sentir -ela disse, todo seu corpo rígido pelo nervosismo e pela coragem de dizer tudo aquilo. Nunca gostara verdadeiramente de Ian, e sabia que era boba demais para escapulir dele. Agora finalmente conseguira reunir a coragem que devia.

E tinha em mente o dia de amanhã… onde tomaria um sorvete com Murasakibara. Ela nunca quis tanto um sorvete. Cerrou os olhos, lembrando do jeito do gigante, a forma com que falava com ela e como fazia seu corpo inteiro arder em chamas com um toque de sua mão enorme. Tessa não podia ver o futuro, não sabia se o que poderia ter com uma amizade como a de Murasakibara pudesse crescer e virar algo mais, aliás, era cedo demais para pensar naquilo. Preferia deixar acontecer, não agir com impulsividade, como uma forma de chamar a atenção.

Chamar a atenção… sentiu-se suja e irritada por ter começado tudo daquela forma. Pareceu feio, horrível.  Ela sabia que no fundo queria ser alguém como Kagami para seu irmão, mas não sabia como aquilo poderia acontecer. Ter seu irmão morando longe, com um melhor amigo, cujo ele parecia considerar muito mais do que ela. Aquilo machucava. E machucou duplamente agora.

— Ian, apenas vá embora -ela disse, a voz começando a falhar aos poucos. Virou-se de costas, pronta para ir embora, mas seu corpo foi impedido por um aperto de aço na cintura. Quis chorar, quis simplesmente correr para fugir do abraço de Ian. O cheiro da colônia a embriagava, como uma droga violenta e capaz de deixá-la no chão. Era o que ela podia chamar de tóxico — Só vá embora… eu cansei… eu não quero mais isso… não quero ser isso.

A respiração de Ian se intensificou no pescoço dela, aspirando o cheiro do sabonete ainda impregnado na pele. Deu uma mordida leve, capaz de causar um arrepio instantâneo, tanto de agonia quanto de medo. Não teve mais medo, pois em sua mente lembrava do quanto foi irresponsável aceitando um namoro como aquele.

Empurrou Ian com força, e isso fez com que ele envolvesse sua mão em um forte aperto, capaz de causar um grito. Entretanto, Tessa ficou em silêncio absoluto, apenas encarando os olhos de Ian, com raiva por tê-la segurado daquela forma tão possessiva. Ele não era mais forte para lidar com ela, não quando a moça tinha tantas mágoas para colocar para fora.

— Me solte, Ian… acabou, aceite isso -ela disse, a voz levemente autoritária. Seus olhos brilharam, e por um momento o ruivo acreditou que se continuasse segurando seu pulso daquele jeito, acabaria se dando mal.

Ian arregalou os olhos para a expressão de Tessa, mas antes que pudesse ceder a sua ordem, como um cão ferido, ele sentiu o sangue fervilhar. Via os cabelos curtos de Himuro se sobressaindo atrás de Tessa, a figura alta e forte do rapaz se aproximou, e uma expressão mortífera o encarou com raiva.

— Solte ela e vá embora, agora -a calmaria na voz de Himuro apenas conseguiu deixar o ruivo mais irritado. Uma hora seu rosto estava exatamente da cor dos cabelos.

Antes que Ian pudesse revidar, viu Tessa puxar a própria mão com violência, provavelmente arranhando sua pele no ato. Permaneceu imóvel olhando para a face endurecida da garota que queria para si, virando-se para o irmão com violência e dando um empurrão nele.

Nem mesmo Himuro acreditou no que viu, e admitiu sua surpresa ao levar um empurrão da irmã. A força dela foi suficiente para fazê-lo recuar dois passos para trás, além de causar um arrepio em sua espinha. Nunca vira a irmã tão indignada na vida, nunca a vira com tanta raiva, os olhos cintilando em chamas enquanto olhava para ele, não para Ian. O moreno apenas permaneceu calado, olhando de Tessa para Ian.

— Eu sei me defender, Tatsuya!! -ela berrou, os olhos se enchendo de água. Sentia um nó na garganta, querendo escapulir, como se fosse um animal prestes a dar o bote em sua presa. Não dava para conter aquela situação, todos os anos em que manteve preso no peito aquele sentimento horrível sobre seu irmão e a amizade com Kagami. Por que ele não a tratava da mesma forma? — Depois de anos você decide agir como o irmão protetor?! Tatsuya eu fiz tanta coisa, passei por tanta coisa e você não estava aqui comigo!! Você só sabe falar do Kagami, como se ele fosse seu irmão! -a moça apenas fez uma pausa para engolir o choro, entretanto as lágrimas escorreram mais ainda —Eu não preciso de você fingindo!

E ela então passou por Himuro, o ombro se chocando com o braço dele. O gesto fez o sangue de Himuro congelar nas artérias, e por alguns segundos enquanto via a irmã correr para o elevador, acabou esquecendo-se de Ian, o verdadeiro problema naquela história. O choque pelo ocorrido impediu o rapaz de perceber a investida do rapaz ruivo, que o segurou pelo colarinho antes que ele tivesse oportunidade de se defender. O olhar de Himuro mudou ao ficar diante da face enraivecida do ex namorado da irmã, entretanto, mesmo com uma expressão tão séria e penetrante, a classe que o moreno mantinha era invejável.

— Era tudo por causa dela -disse Ian entredentes. O aperto na camisa de Himuro apenas se fortaleceu, mas isso não mudou nem um pouco o olhar do outro. — Agora é por minha causa. Sua irmã é exatamente igual as outras garotas com quem eu já dormi. Tenho pena dela, e do seu time.

A provocação poderia ter causado uma reação muito negativa em Himuro, mas naquele momento apenas pensava em sua irmã e nas coisas que dissera sobre ele. Queria poder compreender e resolver aquela incógnita, mas a presença de Ian apenas atrapalhava seus pensamentos. Em um gesto grosso e rude, ele empurrou a mão do rapaz para longe de sua camisa, como se fosse contaminada, tóxica. Levantou o nariz e então recuou alguns passos.

— Diga o que quiser. Vocês não vão ganhar -ele disse então, seguindo para o elevador.

Ian apenas exibiu o sorriso mais grosseiro e perigoso que sua face já havia visto. Não imaginava a surpresa que aquele rapaz metido teria quando se encontrassem em quadra.

— Ninguém falou em ganhar.

***

História. Como Murasakibara odiava aquela matéria. Era tão mais fácil estudar física, onde apenas montava as equações necessárias, operava as forças ou o que quer que o professor tenha passado, e em alguns passos ele conseguia resolver os problemas de função, sem muita dificuldade… mas ler um texto inteiro e resumir? Como aquilo era chato e desnecessário.

Com o queixo apoiado na escrivaninha, o gigante de cabelos roxos olhou para o texto novamente. Qual era o assunto mesmo? Nem se lembrava, tinha que passar alguns segundos recordando para visualizar o conteúdo que aprendera naquele dia. Entretanto, não tinha mais lugar em sua cabeça preguiça para História. Sua mente de vez em quando vagava em uma certa lembrança.

“Você adora doces, não é?”

Era a voz de Tessa. Naquele dia quando a conheceu ela estava tão… bonita. O pensamento fez com que o rosto do gigante se corasse em vermelho. Ele não entendia por que aquilo estava acontecendo com ele, nem por qual motivo a moça de cabelos negros ondulados não saía de sua cabeça. Talvez ele estivesse com fome, e Tessa foi a moça que lembrou dele durante o dia e fez questão de levar para ele um doce. Ah... a lembrança de quando pegou o doce das mãos pequenas e frias, a forma com que ela sorriu pra ele, sem graça e com o rosto vermelho.

Novamente era Tessa, não se tratava mais do doce.

— Hm… quero mais doces… Tessy-chin compra os melhores doces… -ele disse para si mesmo, voltando a encarar o texto de história em sua escrivaninha. Novamente se distraiu e olhou para o lado, onde sua janela aberta revelava um céu estrelado lindo.

Murasakibara nunca se importara com o clima, ou com o céu. Na verdade nada que não fosse relacionado a comida lhe interessava verdadeiramente. O basquete ainda era um desejo que negava de vez em quando, portanto evitava lembrar disso. Queria comer doces, mas sobretudo queria comer os doces que Tessa oferecia.

Novamente Tessa… era tudo a respeito dela, tudo lembrava ela. Olhava para o céu e lembrava da cor dos cabelos dela. Como aquilo era frustrante… e então o gigante se lembrava do ocorrido daquele dia, onde o namorado de Tessa fez um alarde desnecessário contra o time. Como detestava aquele cara sem nem mesmo conhecer… aquele rapaz deixara Tessa com fome, sozinha. Ele jamais faria aquilo. Frustrado, o gigante pousou então a testa na mesa, batendo-a devagar, mas com força suficiente para incomodar. Por que aquilo estava acontecendo? Por que pensava tanto em uma garota comprometida? O pior de tudo era pensar como ela podia estar com alguém que a magoava?

E de repente ele se lembrou. Quando criara coragem para convidar Tessa para tomar sorvete? E ela aceitara, esse era o mais inacreditável. O rosto do gigante se corou novamente, mas ele acabou revelando um pequeno sorriso. Amanhã a veria novamente, observaria seu sorriso lindo e encantador e pousaria a mão em seus cabelos. Gostava da textura dos cabelos dela, e sobretudo gostava de lembrar da pele de Tessa. Lembrava de um pudim, e aquilo o deixava com fome. Havia algo em Tessa de que ele não gostasse?

Não. Simplesmente não havia. A única coisa que não gostava dela… era de Ian.

— Vou esmagar você -ele disse, cerrando os olhos. — Não vai machucar a Tessy-chin outra vez.

Fechando o livro de história, ele então acabou se jogando na cama. Dormiu daquela forma mesmo, sem mesmo se enfiar debaixo das cobertas. Pensava no amanhã, tomando um sorvete junto com Tessa e tocando em sua pele. Queria tocar nas mãos dela novamente, sentir os dedos pequenos entre os seus. Queria ver aquele rubor que ela tinha quando ele se aproximava. Não seria difícil, seria?

E Murasakibara não conseguiu dormir. Seu gigante coração não deixava.


Notas Finais


Espero que tenham gostado *----* me aguardem que tentarei não demorar tanto!!!!
Me digam o que acharam! Quer oouvir suposições, teorias, TUDO *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...