História Sweet Mistake - Capítulo 15


Escrita por: ~ e ~4hia

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags 7 Minutos, Baekyeol, Blog, Chanbaek, Doce Engano, Popular
Exibições 807
Palavras 4.436
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


CHEGAMOS AO ÚLTIMO CAPÍTULO DE SWEET MISTAKE!! QUEM ESTÁ ESCUTANDO MÚSICA DE FOSSA???
EU MESMA!!!
Mas falando sério gente!! Eu estou mtoo sad com o final dessa fic que me arrancou muita risada enquanto escrevia. Esses personagem do Baek foi um desafio, mas foi uma coisa que amei escrever, esse enredo foi ótimo e desde o inicio me apeguei demais!!!
Eu quero agradecer a todos que acompanharam aqui e que ficaram no meu coração como leitores de Sweet Mistake. Vou dar um jeito agora que estou de férias, de responder todos comentários atrasados de meses e os próximos <3
Antes que eu chore aqui, vou desejar boa leitura e avisar que tem fic nova!!!
BOA LEITURA E ATÉ AS NOTAS FINAIS!!!

Capítulo 15 - The end


Fanfic / Fanfiction Sweet Mistake - Capítulo 15 - The end

 

Chanyeol contou sobre Baekhyun, mas não tinha chegado na parte do investimento, mas acabou escutando do seu pai: 

— Então quer me dizer que meu filho foi pego por um cupido? É o mesmo que estava com você no dia da competição de Cross Dresser onde te vi?— o Sr.Park fez Chanyeol pigarrear com a fala, nunca tinha conversado com ninguém quando o assunto era sentimentos— Não precisa ficar com vergonha— ele viu a sobrancelha arqueada do filho e continuou— O que tudo isso tem haver com investimentos, Chanyeol?

— A família dele quebrou— Chanyeol ditou. 

— Qual sobrenome do jovem?— Park perguntou ao filho. 

— Byun, Byun Baekhyun é o nome dele. 

— Não acredito que a família Byun faliu, aquele homem é um dos melhores investidores da Ásia, a maioria de seus palpites eram certos— de um momento para outro, Park ficou animado— Sua mãe me privou de trabalhar uns tempos depois de uns alertas médicos, frescura dela, mas tudo bem. É por isso que não sei de notícias assim, ficar desligado de acontecimentos da Coreia me fazem sentir falta da minha terra natal. 

— Sabe que mamãe só está fazendo tudo isso para seu bem, eu concordo com os alertas dela, não é nenhuma frescura. Além do trabalho na empresa você ainda tem o lazer de fazer Cross Dresser, isso é demais para um homem só— Chanyeol comentou pegando uma bola de vidro de um sustento da mesa do pai— Ele faliu por conta de um golpe que deram nele e por esse motivo ele acabou encontrando uma saída no Baekhyun. 

— Qual seria essa saída?— o Sr.Park ficou interessado em conversar mais com seu filho, nunca teve uma oportunidade de escutar a fala de seu filho, ainda mais quando trata-se do lado sentimental. Antes tudo tinha que ser descoberto por detetives ou por meras suposições. Depois que Chanyeol foi preso descobrir alguma coisa sobre si ficou sendo impossível— Eu como empresário posso pensar em uma coisa, principalmente por saber a melhor saída para os coreanos. 

— O Sr.Byun quer casá-lo com uma garota da Malásia— Chanyeol apertou a bola com um leve irritação— Como o pai não pode conhecer o próprio filho e ser egoísta ao ponto de não procurar outra saída ao contrário de sacrificar a felicidade do filho? Ele nem gosta de mulheres, pelo amor de Deus!

— Isso se chama ciúmes, meu filho— o Sr.Park riu, ficando feliz com aquilo— As vezes meu filho, encontrar saídas nesse mundo é difícil e temos que usar outras pessoas para estabilizarmos alguma coisa, pelo bem de toda família— abaixou um pouco rendido— Eu uma vez pensei em fazer o mesmo, eu queria casá-lo com uma canadense bastante influente na política, mas depois eu fiquei me perguntando se eu poderia ter outra forma de não te envolver, não queria mais ódio vindo de você— os olhos daquele homem começaram a lacrimejar— Sua mãe e eu vivemos um grande dor, que só foi abatida pela alegria de seu irmão. Nós estávamos com uma parte faltando de nossos corações e pensávamos em tantas formas de vocês nos perdoar. Se eu tivesse feito isso, me odiaria mais. Então desisti. 

— Fico feliz com seu pensamento— Chanyeol colocou a bola no lugar, segurando a mão do pai— Acho que agora podemos voltar a ter nossas partes, se eu conseguir Baekhyun de volta teremos mais um membro para a família. Você vai poder me ajudar, pai?

— Conte comigo— pegou seu celular e ligou para seu secretário. 

Nesse momento a mãe de Chanyeol apareceu na porta e assim todos se abraçaram depois que o pai terminou a ligação. Tiveram um grande jantar em família e conversaram por toda noite e até madrugada. Em alguns momentos, Chanyeol chorou ao olhar para seus familiares e pensar em todo o tempo período de perda dos lindos sorrisos. Ele perdeu uma grande parte do amor em sua história, mas agora que tinha recuperado estava disposto a agarrar. Baekhyun não iria escapar de suas mãos e muito menos sua família. 

-=-=-=-

_______________________________________________________________________

Meu pai tinha voltado e mesmo eu querendo contar todas as merdas que estavam acontecendo na minha vida e até as felicidades que agora eram nulas na minha vida, eu estava com uma expressão emburrada, com os braços cruzados no aeroporto esperando a minha linda, cheirosa, maravilhosa, perfeita, delicada, fabulosa, noivinha. 

Se ironia fosse um veneno eu já tinha morrido. Mesmo eu querendo manter um sorriso para parecer sociável, eu não conseguia. Uma áurea negra preenchia meu espaço pessoal e espantá-la não estava sendo minha missão. Eu olhava para meu pai e via seu olhar esperançoso no portão de desembarque. Ele parecia tão feliz que eu não conseguia me sentir bem em ficar emburrado, era como se a culpa invadisse meu peito por estar infeliz com todo seu esforço em tentar mudar a situação. 

Eu estava sendo egoísta. 

As coisas não podiam ser diferentes. Chanyeol não iria voltar para me resgatar do altar, não tínhamos a mínima condição de recusar essa ajuda e eu não sei o que eu poderia fazer da minha vida. Eu estava tão perdido, agora sem Lu Han, estava sendo mais difícil me manter mentalmente saudável. Não tinha com quem desabafar, meu blog agora tinha mais haters do que fãs, então eu desativei minha conta. Só conseguia escutar comentários de ódio das pessoas que antes eu pensava que gostavam de mim. Parecia que minha vida realmente era um teatro e que todos fingiam um personagem quando estavam ao meu lado. 

— Meu filho— senti uma mão em meu ombro— Ela chegou. 

— Você é mais bonito que em fotografias— ela falou quando nos aproximamos. Meu pai estendeu a mão para cumprimentar os recém chegados— Estou muito ansiosa pelo nosso casamento, sinto que faremos um casal maravilhoso. 

Ela era muito bonita, posso admitir com meu olho clínico de pessoas bonitas. Como ela disse iríamos ser um casal maravilhoso para posar em fotografias. Tenho certeza que ela está sonhando com um conto fadas comigo sendo o principe, pena que eu me sinto mais princesa que ela. 

— Obrigado pelo elogio— estendi a mão, mas recebi um abraço que logo foi repreendido pelo pai que a puxou de novo para seu lado— Espero que cuide de mim— curvei. 

Eu só queria chorar, mas me manter firme agora parecia uma tarefa mais fácil. 

Depois do aeroporto, meu pai voltou para o escritório enquanto eu tive que levar Arissa para experimentar o vestido que já tinha encomendando pelo telefone, para saber se precisaria fazer algum ajuste. A loja era luxuoso e eu pedi um champanhe enquanto ela iria experimentar o vestido. Acho que ela percebeu minha falta de vontade de acompanhar todos os detalhes da escolha do vestido, eu apenas elogiava por educação, mas meus pensamentos estavam longe. 

— Obrigada— Arissa agradeceu a vendedora entregando o vestido vindo em minha direção— Pelo jeito você não está muito feliz de estar aqui— falou devagar para que eu pudesse captar seu coreano ainda falho— Eu sei que foi um decisão repentina e eu escutei de uma conversa entre nossos pais que você já tinha alguém que amava. 

— Não! Imagina! Eu...— ela colocou o dedo indicador nos meus lábios. 

— Eu também não pretendia casar sem amor, na verdade isso era um pesadelo para mim— Arissa segurou minha mão, na maior das intimidades, mas aquele calor estava bom— Eu quero ser sua amiga pelo menos, eu não quero ser odiada por estar no papel de pessoa que está impedindo sua felicidade, pode me contar as coisas que quero escutar e quem sabe fazer alguma coisa— abriu um sorriso gracioso. 

De certa forma eu adquiri uma ponta de esperança e confiança com essa fala e resolvi contar minha história. Para isso fomos à um café e assim comecei a me abrir desde a época que chamava Chanyeol de poste pichado com raiva até ele me largar e dizer todas aquelas amargas palavras para mim. Ela escutava tudo com muita atenção e ultimamente estava precisando mesmo de uma boa ouvinte. Quando terminei o café estava quase fechando fazendo com que terminássemos a conversa no carro. 

— Uau! Vocês são a perfeita definição de gato e rato— o motorista dela deu partida no carro, o pai dela tinha ido com meu pai em um carro alugado— Eu com meu sexto sentido de mulher sinto que ele ainda te ama e que fez isso como uma forma de te afastar para te ver bem. Ele considera muito essa senhora que foi para os EUA com ele e estava tão feliz em acompanhá-la a um possível tratamento que viu essa oportunidade de deixar você continuar sua vida— ela gostava de sorrir e esse sorriso passou a ser caloroso devido suas falas— Ainda acho que ele vai voltar para te reencontrar, tenho certeza. 

— Agora que vamos nos casar não poderei encontrá-lo mais— abri um sorriso sem graça— Mas fico feliz com essa esperança que me dá, fez minha felicidade voltar por uns minutos. 

Ela era legal. Não era como as megeras que via em meus doramas, que se casavam por interesse e depois transformava a vida dos maridos em um inferno. Posso considerá-la futuramente até como uma boa amiga. 

— Vamos ver o que o futuro nos aguarda— completou voltando seu olhar para janela. 

___________________________________________________________________

1 mês depois...

Eu acreditava de verdade que ser famoso era bom, mas ter inúmeros repórteres e paparazzi parados na porta da sua casa é literalmente um saco. Meu pai finalmente tinha recuperado a casa e nossas coisas foram devolvidas como esperávamos. Eu abracei todos os móveis quando eles foram colocados no lugar, minha linda cama king size, meu travesseiro de pena de ganso, meu computador, minhas lindas roupas de marca, enfim todo o meu luxo. Apesar de ter tudo de volta no lugar eu ainda estava com o sentimento de algo de errado não está certo. 

Minha mãe tinha voltado com minha irmã e feito as pazes com meu pai que prometeu uma segunda lua de mel depois que o casamento acabasse. Minha irmã só faltava furar o teto com seus imensos pulos por segurar e cheirar suas roupas e sapatos novamente. Ela não cansava de me abraçar e beijar por eu ter sacrificado meu corpinho para o matrimônio. 

Ela não estava entendendo o quanto eu estava exausto em ficar vendo detalhe de evento: decoração, experimentar comidas até estourar, música de entrada, saída, voto de casamento e coisas surtantes em geral e muito cansativas. A sorte era que Arissa conseguia deixar as coisas menos pesadas com seu senso de humor, seu coreano atrapalhado e sua amizade crescente. 

Depois do jantar cada um foi para seu quarto. Naveguei pela internet e de uma hora para outra eu resolvi ativar meu blog de novo. Eu reli todos os comentários e percebi que todos estavam focando em um Baekhyun que eu sentia que estava ficando no passado, que agora não era 100% materialista, mas tinha abaixado para 80%. Eu comecei a enxergar outras coisas e queria ter alguém para compartilhar isso e não encontrei nada melhor que meu querido diário online. Independente de quantas pessoas lessem, gostassem ou odiassem, eu queria desabafar. 

Olá para quem ainda acompanha meu blog. 

Eu sei que não são muitas pessoas, mas hoje eu só quero imaginar que a tela do meu computador seja um espelho e que eu esteja falando a mim mesmo aquilo que eu quero me ouvir dizer. 

Nesses últimos tempos eu tenho percebido o quanto uma mudança pode chegar lentamente em sua vida sem que perceba, seja através de momentos ou pessoas. A minha mudança chegou através de um ser que tem nome e sobrenome: Park Chanyeol. Antes eu tinha vergonha de assumir que eu acabei por me apaixonar pelo homem que mais odiava na face da Terra e que tudo começou com uma brincadeira no Ano Novo. 

Ele foi o único que jogou na minha cara aquilo que eu não sabia sobre mim e que trazia as pessoas para o meu lado, ele que me fez perceber que minha vida não passou de um teatro completamente ensaiado. Ele acabou por me ensinar valores que ficaram na minha vida apesar dele não estar. Eu passei por um momento delicado da minha vida, uma falência que tirou completamente minhas estruturas financeiras, estruturas essas nas quais eu me agarrava por mera acomodação. Eu tive que passar a ver minha segurança nas pessoas que eu tinha ao meu redor. Lu Han, Sehun, Chanyeol, minha família que também ficou fragmentada. Acreditei que existiriam mais, mas quando a notícia espalhou-se acabei percebendo que minhas amizades poderiam ser contadas nos dedos de uma mão. 

Foi nesse curto período que entendi o verdadeiro conceito de amizade. As pessoas que ficaram ao meu lado mesmo sem que eu tivesse 1000 won na minha carteira eram aqueles que gostavam da essência por pior que fosse de mim, Byun Baekhyun. 

Agora que estou recuperando tudo eu posso ver claramente pessoas voltando e pedindo desculpas por me tratarem mal. Eu parei de ser bonzinho e dizer que aceito as desculpas apenas por querer manter as aparências, percebi o quanto isso cansa. Eu notei que ser uma pessoa que taca o foda-se para tudo, que vai contra as modinhas e padrões que a sociedade impõe, que não se importa com a opinião alheia, sendo que a maioria vem com pessoas que tem cabecinha de vento, que só mantêm por perto pessoas que a amam e que só deseja viver cada dia de cada vez é a forma de conseguir alcançar a felicidade diária. 

Fechando o que eu digo eu vou desativar permanentemente esse blog, principalmente porque não sei se consigo mais falar nada, acho que quero deletar o que eu já escrevi e começar uma nova vida. 

Outro motivo que me trouxe a escrever tudo isso foi agradecer. Para deixar de ser egoísta e perceber que você fez mesmo uma puta diferença na minha vida...

Obrigado, Park Chanyeol. 

Depois de terminar enviei sem nem mesmo deixar o xoxo Byun Baekhyun, pois percebi que as lágrimas resolveram aparecer. Desliguei meu computador e fui para minha cama olhar para meu celular e as incontáveis fotos que tinha com o Chanyeol. Eu o tinha obrigado a tirar muitos, já que ele não era muito fã da câmera, mas eu precisava dessas recordações. 

Como eu posso ter ficado apaixonado ao ponto de mesmo já tendo passado um pouco eu ainda tenho no meu coração uma saudade que chega a doer? Eu estava prestes a me casar e mesmo assim não consigo esquecer meu primeiro e mesmo não querendo admitir, único amor. 

Vi meu Line dar um sinal e meu coração parou quando vi o nome: 

Park Chanyeol. 

Eu voltei, posso te encontrar? 

Se quiser me encontrar eu estou no parque mais perto da sua casa. 

Meu coração parou e minha garganta fechou. 

É óbvio que não vou me encontrar com ele, mas...

Por precaução eu vou me arrumar para mostrar para esse poste que eu continuo muito bem sem ele. 

Para que eu vou me arrumar, eu não preciso ir vê-lo, mas... 

E se ele quiser falar alguma coisa importante comigo?

Eu não preciso saber, mas...

Eu tô curioso!

Ah! Quer saber? Vou atender meu conselho...

Foda-se! Eu vou. 

_______________________________________________________________________

Andando pelo parque percebo poucas pessoas caminhando e alguns casais namorando. Olhei para todos os lados, mas nada de Chanyeol. Olhei na maioria dos bancos e quando comecei a amaldiçoá-lo vi sua silhuera sentada no banco mais distante olhando para o poste de luz com as mãos no bolso de sua calça preta rasgada, brincando com pequenas pedrinhas soltas no caminho. 

Uma garoa começou e não me importei de começar a molhar quando ele olhou para mim e levantou-se. Ele estava olhando diretamente em meus olhos enquanto vinha em minha direção. A minha visão começou a ficar atrapalhada pelos meus fios de cabelo molhados a sua frente. 

— Você está molhando— Chanyeol tirou a jaqueta que usava e colocou em minha cabeça, dispensei na hora. 

— Eu não preciso da sua ajuda— bati fraco em seu braço— Por que me chamou aqui?

— Eu queria te ver— Chanyeol na maior cara de pau falou aquilo, ele estava na ilusão que tudo estava normal entre nós?— E eu não estou na ilusão que está tudo normal, eu sei de toda a situação. 

— Então veio buscar o convite do meu casamento?— ironizei jogando minha franja para trás— Sinto dizer que não foi convidado para tal. 

— Eu não disse que era isso— Chanyeol colocou a jaqueta na minha cabeça mesmo assim— Eu queria ver seu rosto, eu voltei dos EUA, existem pessoas encarregadas de cuidarem da Sra. Lee e eu posso ficar um tempo por aqui— seu rosto estava mais pálido, estava com umas olheiras profundas, seus cabelos estavam sujos e sem vidas, estava sem seus alargadores e piercings, pelo que será que ele estava passando?— Vamos sair da chuva? 

— Por que quis me ver de verdade, Chanyeol?— perguntei nem me importando estar ficando encharcado. 

— Eu precisava recarregar minhas energias— bagunçou o cabelo abrindo um sorriso— E te ver foi a única forma que encontrei dentre as possibilidades. 

— Parece que tudo parece estar igual para você, mas não estão não— falei ficando indignado com a calmaria que ele estava agindo com suas falas. 

— Para mim meus sentimentos estão iguais, eles não mudaram depois de tudo o que aconteceu, você pode não entender que tudo aquilo que fez foi para seu bem, mas logo vai entender que sim— eu novamente estava debulhando em lágrimas— Por que está chorando, Baekhyun?

— Sabia que você é um filha da puta de primeira classe?— joguei meu ódio, não tinha nada a perder mesmo— Eu fiquei esse tempo todo sofrendo por você sem nem ao menos ter motivo, eu não deveria ao mesmo gastar uma lágrima por sua causa. Ainda diz que é para meu bem? Eu teria segurado essa barra tranquilamente se você estivesse ao meu lado, eu teria ido com você aos EUA se tivesse me perguntando se queria ir com você, mas parece que não estava afim de companhia. 

— Isso só iria adiar o problema— segurou meus ombros— Não ia mudar o que está acontecendo agora, você só receberia a notícia em outro continente e quando voltasse a igreja estaria pronta. Se tivesse ido comigo só iria ser pior. Eu penso por nós dois, eu penso de verdade em um futuro para nós. 

— Futuro para nós?— ri em resposta— Eu não consigo ver nenhum, afinal eu estou preso em um casamento agora, tudo porque eu pensei em desistir do dinheiro por amor e você não me incentivou. 

— Outro motivo que me trouxe a escrever tudo isso foi agradecer. Para deixar de ser egoísta e perceber que você fez mesmo uma puta diferença na minha vida. Obrigado, Park Chanyeol— escutei o que tinha escrito mais cedo— Antes eu tinha vergonha de assumir que eu acabei por me apaixonar pelo homem que mais odiava na face da Terra e que tudo começou com uma brincadeira no Ano Novo. 

— Você leu meu blog?

— Eu sempre li seu blog, só que a postagem de ontem foi um dos principais motivos de eu tomar coragem de te chamar aqui— senti o corpo dele mais perto— Eu decorei todas as palavras e com elas eu percebi que ainda sente a mesma coisa por mim, que esse seu ódio é a única válvula de escape que consegue de mostrar a frustração de não conseguir admitir isso. 

— Eu não...— senti as mãos molhadas dele irem de encontro com a minha— Não sinto...— seus lábios se aproximaram dos meus— Mais nada— e roçaram— Por você— finalmente se encontraram. 

Como eu estava com saudade daqueles fucking lábios! Uma lágrima até escorreu por um dos meus olhos. Eu só consegui afastá-lo e sair correndo em seguida, aquilo seria uma tortura mais tarde. 

A tortura consistiria em lembrar que eu ainda nutria sentimentos pelo meu poste pichado. 

_______________________________________________________________________

O dia do casamento tinha chegado e meus pais tinham deixado proibido de eu assistir as notícias. Dizendo que queriam que eu não me estressasse com o que a mídia dizia. O casamento seria em uma pequena igreja aos arredores de Seul. Eu iria em um carro separado dos meus pais e lá nos encontraríamos, sendo que eles iriam mais cedo. 

Eu fiquei sem entender quando cheguei no destino e não vi ninguém na entrada da igreja, ela estava completamente fazia, só as decorações ornamentavam a entrada. Desci do carro e lentamente fui subindo as escadas encontrando Arissa vestida de noiva no altar. Caminhei até ela perguntando o que estava acontecendo ali. 

— Finalmente chegou, meus pés estavam me pedindo descanso desses saltos— Arissa comentou me fazendo ficar completamente bugado— O trânsito devia estar horrível, né?

— O que está acontecendo aqui? Cadê os convidados? Nossos pais? O padre?— apontei para o lugar fazia onde todos deveria estar sentados. 

— O casamento foi cancelado, Baek— Arissa assumiu me fazendo erguer uma das sobrancelhas em dúvida— Eu só estou aqui, porque queria usar esse vestido— deu uma risada— Mas o casamento foi desfeito ontem pelos nossos papais. 

— Desfeito? Por que? Ele não pode ser desfeito, o que eu preciso fazer para mudar de ideia?— quase implorei, juntando minhas mãos como se fosse orar. 

— Não foi por mim, foi por ele— Arissa olhou para a entrada da igreja onde encontrei um Chanyeol vestido com um terno preto, um topete, seus alargadores e seu lápis preto de volta— Eu disse que meu sexto sentido estava certo desde o início. 

— O que ele está fazendo aqui?— perguntei para ela enquanto Chanyeol aproximava-se. 

— É melhor que ele te explique— comentou descendo os degraus, acenando em despedida para mim. 

— Surpreso?— deu uma pequena girada para mostrar seu visual formal e sério— Nunca pensei que vestiria um terno em minha vida. Achei o mais adequado para a ocasião. 

— Alguém desça aqui na Terra e me explique que diabos está acontecendo?— coloquei a mão na cintura e batia meu pé incessantemente no chão— O que aconteceu com meu casamento? O que você fez?

— Eu simplesmente cancelei o seu contrato de casamento, eu não conseguiria vê-lo casando com outra pessoa que não fosse eu— Chanyeol assumiu me fazendo dar uma risadinha interna pelo ciúme escondido naquela fala— Vamos dizer que toda a impressão que eu sou uma pessoa pobre e humilde é enganosa em certa parte por conta da minha família. Eu sou o filho de um dos maiores negociadores de ações da Ásia, resumindo minha família tem fama, dinheiro e poder— eu só conseguia ficar parado tentando repassar aquelas informações na minha cabeça— Quando descobri aquele dia que iria se casar com a Arissa, soube que teria que deixar meu medo de lado e voltar a contactar minha família. 

— Eles moram aqui?— foi a única pergunta cabível para o momento. 

— Não, eles moram nos EUA— minha mente ficou em branco, ele não podia falar o que eu estava pensando— Quando eu recebi a notícia do possível transplante da senhora Lee, vi esse momento como uma oportunidade de entrar em contato com minha família e pedir ajuda ao meu pai— ele falou, porra, não, Chanyeol— Eu contei toda a situação para ele e o mesmo ficou disposto a ajudar. Entramos em contato com seu pai e explicamos toda a situação, o Sr.Byun ponderou, mas percebeu em minhas palavras o quanto eu precisava que ele aceitasse a proposta do meu velho.

— Você pediu que seu pai fizesse o investimento para que eu não casasse?— sabe aqueles tapas na cara dolorosos? Estava recebendo cada um que estava uma delícia ao cubo— Você fez isso, Park?

— Acho que chegou a hora de eu ser sincero com você, não é?— segurou minhas duas mãos— Eu, Park Chanyeol perdi para Byun Baekhyun quando se trata de amor. Quando eu comecei a conviver com você, passei a perceber que esse seu jeitinho mimado, pidão, louco, desnorteado e  problemático foi lentamente me cativando, que era aquele oposto de mim que eu acabei me apegando e me apaixonando— eu estaria sonhando?— Eu sentia medo em assumir isso, eu tinha medo de desestruturar minha muralha de contato pessoal, eu afastava as pessoas de mim com medo de criar vínculos e me preocupar demais, como fiz com o Troye. Mas quando a Arissa entrou em contato comigo e contou sobre o que tinha conversado com ela, percebi que eu já estava entregue o suficiente para tentar esconder alguma coisa. 

— Então, isso quer dizer...— sabe aquela tal de bipolaridade? Eu estava na vibe de sair da tristeza indo para felicidade e já estar querendo escutar aquela linda frase vinda de Chanyeol. 

— Eu te amo, Baekhyun— virei mocinha de filme, para chorar igual um condenado— Eu nunca aceitaria a ideia de te perder, eu nunca aceitaria você se casar, eu tive que fazer você me odiar por um tempo para que eu terminasse de resolver esse problema. Eu percebi nesse tempo que ficar longe de você passou a ser doloroso, eu queria que ficasse ao meu lado a todo momento, eu queria estar ao seu lado para te proteger, te mimar, te corrigir, te abraçar, beijar, te dar carinho, fazer amor, enfim tudo o que eu estivesse capaz de fazer. 

— Eu te amo, Chanyeol!— pulei em seu braço, sendo abraçado e lhe dando um profundo beijo— Eu não me acostumo sem seus beijos. E não sei viver sem seus abraços. Aprendi que pouco tempo é muito. Se estou longe dos seus braços. E por isso eu te procuro tanto. Pra dizer mais uma vez "te amo". Como estou dizendo agora

— Vocês dois, parem com isso. Estão em uma igreja, mais respeito— Lu Han apareceu fazendo eu separar meus lábios dos de Chanyeol— Finalmente posso dormir em paz, não é meu amor?— vi Sehun aparecer ao seu lado de mãos dadas. 

Todos começaram a aparecer. Meus pais, minha irmã, pelo que vi nas feições, os pais de Chanyeol e uma miniatura do mesmo e Arissa. Começamos a conversar e eu sorri cúmplice de felicidade com Chanyeol entrelaçando meus dedos nos dele. 

Aquilo não poderia deixar de ser denominado como perfeito. Sei que a cada dia que passa eu posso mudar, pois a principal causa das minhas mudanças está bem ao meu lado, com a certeza de me fazer feliz apesar de todos apesares. Estamos dispostos a nos fazer feliz e estarmos juntos todos os dias. Mesmo com minha essência de diva fabulosa com purpurina rosa, eu sei que vou ter alguém que me ama pelo que sou ao meu lado, assim como Chanyeol também tenho meus amigos.

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém. Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim. E ter paciência para que a vida faça o resto.

 

 

 

 

 

Nova fic nas notas finais!


Notas Finais


NOVA FIC: https://spiritfanfics.com/historia/cinderelo-7147351

ACABOU!!!!!!!!!!!!!!!
Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y.Y
CHOREMOS!!
Como vou sentir falta!!
Sou dramática mesmo!
De verdade eu quero agradecer todo mundo que acompanhou a fic até aqui e deu amor a ela, vocês moram no fundo do meu coração <33 Obrigadaaaa, sempre que quiserem podem me chamar para conversar!!!
Mas, nova história está aí <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...