História Sweet Nothing - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Jeremy Gilbert, Katherine Pierce, Stefan Salvatore
Tags Delena, Steferine, Stelena, The Vampire Diaries
Exibições 18
Palavras 1.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Fic postada no Nyah a 600 anos, mas resolvi retoma-la aqui <3

Capítulo 1 - NY


Abro os meus olhos, após despertar com a minha música favorita no despertador. Cada músculo do meu corpo insiste em me deixar na cama, mas eu não posso. Me levanto esfregando os olhos, ainda com sono. Seis e meia da manhã e eu aqui de pé.

Não gosto da ideia, mas preciso. Eu tenho que me preparar, já que tenho um evento super importante hoje. Nunca imaginei, de fato, que meus livros fossem fazer sucesso. Quando escrevi, fiz por gosto, por hobbie, não pensei em ganhar dinheiro.  Mas Katherine, como sempre, deu uma de intrometida e foi fuçar nos meus arquivos do Word. Isso porque eu tinha comentado que tinha  acabado de escrever. Então, ela mandou para uma editora que nem tinha muito visibilidade na época, mas agora, é uma das maiores. Porque meus livros fizeram sucesso.

— Elena.— chama Katherine.— Ligação para você.

Caminho até a sala e pego o telefone de sua mão. Era os agentes da Salvatore Studios. Recebi uma proposta para adaptar meus livros ao cinema. Eu ainda estou pensando, porque isso acabaria com a imaginação dos meus leitores. Katherine me olha intrigada. Na verdade, a mesma cara de sarcasmo de sempre.

— Eu realmente acho que você deveria aceitar.

— Você não entende.— respondo.— É uma coisa de escritor.

— Mas, pense. Eles realmente ficariam felizes de ver o livro favorito deles naquelas telas grandes. E outra, imagina o dinheiro que você iria faturar!

— Não é questão de dinheiro, Kath.— afirmo eu.— Sei lá, posso pensar na proposta. Afinal, a gente parte para Nova York daqui a pouco.

Eu e minha irmã vivemos viajando de um lugar para outro. Não consigo ficar parada. Migrando, eu consigo ir achando inspiração para os livros. Já iriamos para Nova York, antes da proposta do estúdio. Tenho que resolver também, algumas coisas com a editora que publica os livros. A empresa quer acertar essa produção e quer que eu opine na escolha dos atores (bom, se eu aceitar).

A Salvatore Studios é uma grande e famosa empresa de produção de filmes. Pelo que eu soube, ela é administrada por dois jovens rapazes. Que 'responsa'. Não sei o que esperar, já dei algumas entrevistas para canais grandes, rádios.. Mas, e agora? Se eu aceitar, vai ser uma atrás da outra por um bom tempo.

Volto ao quarto e pego as minhas malas. Já as fiz ontem, mas Katherine deixa tudo para última hora. Pego uma roupa qualquer e coloco a em cima da mesa. Entro no banho e esqueço do tempo. Afinal, tantas coisas para pensar... Quando saio, minha irmã ranzinza já vem me atormentando.

— Elena, rápido. Ou vamos perder o voo!

Na verdade, falta um bom tempo para chegarmos lá. Mas de fato, eu tenho que parar de ser assim dispersa. Logo eu me visto e ela me chama o táxi que entramos. A nossa casa é a mais ou menos, uns 30 minutos do aeroporto.

Outra coisa que eu esqueci de contar, é sobre a minha irmãzinha querida, Kath. Nós somos gêmeas e é impossível achar uma só diferença em estética entre nós. Já o jeito, chega a doer o jeito que somos diferentes referente á personalidade. Katherine sempre foi meio vingativa e não se importa com ninguém além dela. Mas sei lá, amo minha irmã. Talvez um dia ela melhore.

E eu? Ah claro, uma boba abnegada. Romancista alucinada, acredito que a única coisa que temos certeza é do amor e da morte. Mas não, eu não encontrei o meu amor de verdade. Sempre fui tímida demais para essas coisas. Sou bem pisiciana, entende? Pisciana com ascendente em Câncer e Lua em Peixes.

O carro para e saímos. O voo não demora muito a chegar. Eu tenho muito medo de aviões. Prefiro a água, a terra e até o fogo. Menos o ar. Quando pousamos, é a pior sensação. Parece que vamos cair e vamos virar comida para urubu. Descemos do avião e já tem gente da S.S* nos esperando.

— Senhorita Pierce. Senhorita Gilbert.— diz o homem á nossa frente.

Ele é loiro, meio forte e até bonito.

— Meu nome é Matt Donavan. Sou o representante da empresa e vou guiar vocês até os seus aposentos.

Entramos num carro do tipo esportivo. Chegamos num hotel com uma entrada linda.

— Então, a noite terá um jantar. Peço para vocês que vão de traje social. Vocês conhecerão os donos da empresa, os Salvatores. E vamos acertar tudo para produção.

Subo as escadas do lugar, é tão bonito! Coloco uma roupa bonita e social, um vestido rosa escuro. Katherine usa um preto muito bonito. Esperamos e descemos para festa. Tem muita gente, com pinta de rico. Não me sinto bem nestes lugares. Não que eu seja pobre, após os lançamentos dos livros, graças a Deus, minha situação financeira melhorou muito. Mas eu continuo sendo a mesma Elena Gilbert, pobre ou rica.

— Senhoras e senhores, os irmãos Salvatore.

Todos aplaudem. Sem dúvida alguma, são um dos homens mais belos que já vi em minha vida. Prefiro não ficar prestando muito atenção, porque eles podem ser meus futuros chefes, não é mesmo?  Katherine morde o lábio e dá um sorrisinho malicioso.

— Eles são realmente muito bonitos, não são? —ela diz empolgada — Ouvi muito sobre eles. Depois eu te conto tudo.

Observo o mais novo. Stefan Salvatore, pelo que me lembro ter visto em jornais, na TV e no computador. Sim, eles são realmente muito famosos. Se eu fosse descreve-lo: pele bronzeada, cabelo castanho, olhos verdes, bonito no sentido clássico do termo. Ele me lembra aqueles galãs da década de 50, 60.

Passo os meus olhos para o outro, Damon. Como Katherine, eu já vi vários rumores sobre ele. Fisicamente, cabelos castanho escuros, olhos extremamente azuis. Ele é mais pálido e Deus que me livre esse pensamento, ele tem cara de ator pornô. Já vi ele envolvido em diversas polêmicas com drogas e mulheres. Ele não me parece aquele tipo bom para se envolver. Eles vão cumprimentando todos e se aproximam da nossa mesa. Passo a minha mão no cabelo, meio sem graça com os pensamento que tive.

— Ora ora. — fala Damon com um sorriso. — As mulheres mais lindas dessa festa. Senhorita Gilbert. Senhorita Pierce.

Katherine prefere que a chamem pelo sobrenome de nossa mãe. Já eu, pelo do meu pai. Nos diferencia um pouco. Dou um sorriso á ele. Stefan pega com gentileza a minha mão e deposita um beijo na mesma. Sorrio. Ele faz um mesmo com Katherine.

— Qual é Stefan, ás duas?

— Vai ver que é né, Damon. Senhoritas, espero que aproveitem á festa. Amanhã, trataremos de negócios. Qualquer coisa,  só chamar.

Damon assente e eles vão embora. Katherine olha eles irem embora e morde o lábio inferior (de novo). Solto uma risada muito alta, só ela pra fazer essas coisas mesmo. Quando eles finalmente vão embora, ela se pronuncia.

— Meu Deus. — ela fala pausadamente. — Que homens são aqueles, Elena!? Pergunta se tem isso em Mystic Falls. Eu te respondo, não tem!

Dou um sorriso, prefiro não falar nada.  Como eu conheço Katherine Pierce, sei que ela já tem planos em mente.Ficamos um pouco mais de tempo na festa e eu acabo resolvendo que vou aceitar a proposta. Meus leitores estão me pedindo isso á muito tempo.

Vou para o hotel e tomo mais um banho. Me vem a mente a minha adolescência. Lembro do como apesar de sempre ser uma menina bonita, eu era muito deslocada. Um vazio gigante sempre se fez presente dentro de mim. Namorado, então? Isso é de comer? Katherine me arrastava para as festas que ela ia. Tinha dia que ela beijava quinze, vinte, em uma festa. Namorado, ela já teve uns seis. Quando eu me dava ao luxo de ficar com um, chegava em casa e me sentia mal. Chorava horrores, fica a madrugada inteira acordada.  Sei lá, acho que não nasci para isso.

Afasto esses pensamentos e me jogo na cama, para ir dormir. Afinal, tenho um longo dia pela frente.


Notas Finais


Gente, eu considero meio um diário dela, mas mais ou menos mesmo KKKK opniões please
(faz mó cota que não escrevo)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...