História Sweet november (Imagine Taeyeon) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Taeyeon
Tags Imagine, Kim Taeyeon, Stephenk, Você
Exibições 72
Palavras 658
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Poesias, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


olá pessoas

seguindo a listinha, trago um imagine com a líder do girls' generation
é baseada em 11:11 da própria taeyeon porque essa música me dá muitos feels :')

espero ter me saído bem no meu primeiro imagine yuri
uma boa leitura <3

Capítulo 1 - Não tente me esquecer


Fanfic / Fanfiction Sweet november (Imagine Taeyeon) - Capítulo 1 - Não tente me esquecer

São 11:11 
Quando não há muito tempo restando no dia 
Quando costumávamos fazer desejos e rir 
Tudo me lembra você 
O vento é tão frio quanto a borda do seu coração 
Quando eu abro a janela, você sopra 
Quando este tempo passar 
Esse término irá acabar? 
Será que vou esquecer você? 

11:11 – Taeyeon  

 

Sweet november  

Capítulo único - Não tente me esquecer  

 

Quando éramos eu e você, e não somente você, eu costumava fugir dos relógios.  

Eu serei breve, tenha paciência, mesmo eu tendo consciência de que você não está me ouvindo, não mais.  

Você é uma garota tão doce, o vale das proporções que poderiam me deixar cega por aquilo que vi em você era gigantesco, como os espaços preenchidos pelos seus sorrisos em meu cérebro, fique tranquila pois estarão guardados para sempre.   

Tão tímida que tive que roubar um beijo seu, aquela noite quente na praia, e depois você não saía de perto de mim, era bem espertinha.  

E depois vieram os momentos a serem gastos uma com a outra, onde eu abria a minha pasta de ideias em evoluções constantes sobre como eu enxergava a vida e suas necessidades, e você me ouvia, tão fascinada, se achando no direito de sentir-se uma colegial boba, como você mesma gostava de ressaltar sempre que podia. Minha pequena, eu era uma criança curiosa presa no corpo de uma universitária responsável.  

Os dias iam passando, você fugia dos olhos da sua mãe para vir me ver, de bochechas vermelhas quando chegava para mim com aquele mapa da felicidade em seus lábios, tão graciosa que nem chegava a ser assim, tão humana.  

Chegou até mesmo chorar na nossa primeira vez, após eu tirar aquele seu sutiã azul de rendas, você cobriu seus seios e se encolheu na cama, dizendo que não queria ser vista daquela maneira, bem, afirmo agora que eu preferia ver suas bochechas vermelhas com a plena ideia do que estávamos prestes a fazer do que vê-la ofegando por estar fugindo.  

Cada minuto com você era o nascimento de uma supernova.  

E o meu medo do relógio aumentava cada vez mais.  

Eu sabia que você iria embora, eu sempre soube.  

Eu sempre soube que teria que esquecer você.  

As férias nunca foram tão perfeitas, não é?  

Eu não quis dar lembranças à você, não era minha intenção fazer aquela doce estrangeira cair nas graças da universitária aproveitadora.  

Porque nada do que fiz com você foi planejado.  

Apenas deixei ser molhada pela chuva inconstante daquilo que fez meu coração parar quando te vi, apenas isto.  

E é exatamente como se isso fosse uma flor rara encontrada no meu jardim, eu teria que deixar você, depois de cuida-la com todo o carinho que merecia, eu teria que deixa-la a sua própria conduta. Porque as suas folhas se agarram em meu coração, e eu não farei questão de arranca-las.  

Você não pode me ver, mas eu te vejo, te vejo procurando por mim enquanto sua mãe tenta te puxar para o portão de embarque. E não creio que possa existir figura mais linda, com você usando aquela flor que lhe dei em seu cabelo, a mão sobre os lábios que já provei serem mais doces do que mel a apertaram-se contra o outro, contrastando com o que eu vejo em seus olhos, brilhantes em seu medo apesar de estarem tristes por não verem aquilo que os fita neste momento.  

Triste e confusa, imaginando se me veria uma última vez.  

Você me deu os melhores trinta dias da minha vida, o melhor novembro estará preso em minha memória por você, e eu não teria como ser mais grata.  

Imagino que quando estiver sozinha no avião, indo para casa, estará querendo me esquecer.  

E então você desaparece, eu sorrio.  

Nós não queremos esquecer uma à outra.  

Disco o número e levo o celular até a orelha.  

-Oi, pequena. 

-Taeyeon? - você sussurra e eu fecho os olhos.  

Com certeza eu não esqueceria você. 


Notas Finais


esqueci de avisar que esse era um imagine diabético hehehe
espero mesmo que tenham gostado <3

beijo no pé


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...