História Sweet replay - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Debrah, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Visualizações 4
Palavras 3.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Saga

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - O primeiro dia


- BOM DIA DORMINHOCAA! - gritava minha irmã pulando em cima de mim para me acordar. - HOJE É O PRIMEIRO DIA DE AULA! Tia Ana vai deixar eu levar biscoitos de lanche!

- É mesmo?? Não se eu comê-los antes! - peguei ela pela cintura e joguei-a na cama, dando tempo para eu correr em direção a cozinha.

- Isso não vale, haha!

Chegamos quase no mesmo instante na cozinha.

- EU GANHEI! - dizia Sam radiante.

- Tudo bem, eu me rendo kkk. - meu Deus.. ela está tão feliz! 

Tomamos café da manhã rapidamente e eu fui para o banho. Passava as mãos suavemente pelo meu cabelo castanho que ia até um pouco antes do meio das costas em comprimento. A água gelada me despertava, e eu comecei a me animar mais para o primeiro dia de colegial.

Coloquei uma regata branca com uma blusa xadrez por cima e um short jeans. Claro que não podia faltar o meu All Star azul escuro e os meus fones de ouvido. Passei um pouco de rímel, lápis de olho e um brilho labial. Ok, estava pronta. Esboçei um sorriso leve enquanto me olhava no espelho um pouco. Nesse tempo, tudo parecia ter dado errado, mas vi que podíamos recomeçar!

A escola da minha irmã era a alguns quarteirões da minha, então saímos mais cedo por não corrermos o risco de nós atrasados se nos perdermos. A instituição não era tão grande, mas tinha crianças brincando já pela manhã. Me abaixei para ficar da altura dela e disse, bagunçando o seu cabelo:

- Se cuida tá, sapeca?!

- Pode deixar Lulu! Não se esqueça de me buscar mais tarde! - respondeu correndo para o primeiro balanço que viu.

Fiquei por um tempo vendo ela brincar. Nossa, ela parecia estar até mais feliz que antes, quando meus pais estavam vivos..

O meu sorriso foi se desfazendo aos poucos. Botei meus fones de ouvido numa playlist de Rock (a que eu particularmente mais gostava!). Lembro do meu pai reclamando que eu poderia ficar surda por escutar música tão alta, mas nunca lhe dei ouvidos.

Na esquina da escola, vi que algumas pessoas já estavam chegando, mesmo estando cedo. Aproveitei o horário para assinar minha ficha de inscrição logo de cara e usar o tempo restante pra rodar um pouquinho pela escola!

Como dito, foi feito. Entrei na escola e um cara que estava com um suéter azul me abordou:

- Oi! Sou o professor Faraize.. precisa de ajuda?

- Olá.. meu nome é Luana, mas todos me chamam de Luna. Sou novata.. poderia me falar onde assino minha ficha de inscrição?

- Pode ver com o Nathaniel, do grêmio. É a sala da direita!

- Ok! Obrigada!

- Tchau Luna! É um prazer te conhecer..

- O prazer é todo meu! - disse já me afastando.

A porta do grêmio era diferente das outras. Ela era vermelha e tinha uma placa dourada indicando que lá era realmente o grêmio. Se eu não soubesse que aquela sala era dos alunos, pensaria ser o escritório da diretora! Abri a porta com cuidado, observando todos os cantos da sala.

Tinha uma mesa redonda de reuniões com várias cadeiras em volta. Prateleiras lotadas de livros completavam as paredes, intercalando com plantas e alguns quadros. Mais no fundo, tinha uma mesa principal com um computador e alguns papéis.

- É.. Oi?

- Oi! Como posso lhe ser útil? - disse um menino loiro que surgiu em meio a papelada.

- Estou procurando um tal de Nathaniel.. preciso assinar minha ficha de inscrição.

- Já achou! Como é seu nome?

- Luana Borges.

- Ok, achei!

Ele se levantou e veio me entregar a ficha com uma caneta. Até que ele era bonitinho. Tinha os cabelos loiros e um par de olhos azuis, e um sorriso incrível!

- Onde eu assino?

- Bem aqui.. - disse me indicando o espaço em branco.

- Ok.. só isso?

- Sim! Seja bem vinda a Sweet Amoris. Você não é daqui, não é?

- Não.. vim do interior!

- Se precisar de algo já sabe onde me encontrar! Se bem que acho que vamos ser da mesma sala..

- Que legal! Nos vemos lá então..

- Até mais!

Ele é bem gentil. Quando saí da sala do grêmio, dei de cara com uma menina alta, também loira.

- Me perdoe.. não te vi!

- Você não olha por onde anda não? Presta atenção, ridícula!

- Calma, princesa! Queimou o cabelo com a chapinha? - completei rindo e saindo da frente da menina.

- Você me paga! Quem pensa que é para falar comigo assim?

- Prazer em conhecê -la, gracinha!

- Sua...

Estava saindo da escola para explorar seu exterior, enquanto isso, vi um menino de cabelos avermelhados que tinha visto toda a cena com aquela menina mais cedo, que estava me olhando com um sorriso questionador.

A única coisa que reparei nele foi que ele usava uma camiseta da minha banda favorita de Rock! Até que as pessoas daqui podem ser interessantes.

A direita, vi que tinha um jardim, então fui logo verificar. Como eu esperava, ele era lindo! Uma estufa era notável ao fundo do lugar e vi que tinha uma menina desenhando algo, enquanto outro menino escrevia em um bloquinho. Não sei porque, mas queria muito saber o que eles estavam fazendo. Não consegui ver seus rostos direito por estarem concentrados com a cabeça baixa, então saí para conhecer mais a escola.

Do extremo oposto, vi que tinha um ginásio, onde um menino com uma tatuagem no braço jogava basquete sem camisa. Algumas meninas estavam o encarando, como se ele fosse uma peça de picanha. Acho que uma estava até com um microfone! Será que ela narra os jogos da escola?

Resolvi voltar para dentro do colégio. Não deu para visitar tudo, mas acho que vi o bastante para um primeiro dia. O sinal indicando o início das aulas tocou e eu fui procurar a minha sala.

(Sala A.. onde será que fica?) Fui passando os olhos pelos corredores a procura de uma placa dourada como a do grêmio, até achar o que eu estava procurando.

Por sorte, uma carteira no canto do lado da janela da sala estava vazio. Aquele lugar parecia perfeito pra mim! Fui andando até ele, já desligando meu Ipod para prestar atenção na primeira aula. Larguei minha mochila do lado da mesa e me sentei, com uma perna apoiada no assento.

As pessoas da sala estavam eufóricas. Pude reconhecer algumas que vi mais cedo em alguns lugares determinados da instituição. Nathaniel estava sentado em uma das primeiras carteiras, junto com aquela menina loira que eu trombei mais cedo. Será que eles são namorados?

Uma mulher morena entrou na sala com uma cara fechada. Se essa era a professora, garanto que seria bem exigente! Kkk.

- Bom dia! Eu sou a professora Delanay e vou dar aula das matérias da área de ciências biológicas para vocês.

(Eba! A primeira aula do ano é de ciências! Não podia ficar melhor! Só se a próxima fosse de literatura kkk) - pensei.

- Bom, como é o primeiro dia de aula, quero que todos os novatos venham a frente para se apresentar.

(Aí meu Deus.. jura?) Senti meu rosto queimar em cerca de 2 segundos, mas fui mesmo assim. Eu e uma menina morena fomos as únicas que foram pra lá. Ela usava uma roupa bem curta e apertada. Estava mascando um chiclete de menta, que cuspiu e acertou o lixo.

- Uouuu! - gritou um menino do fundo da sala.

- Bem, eu sou Kim. Tenho 16 anos e me mudei para cá há poucas semanas.

- Eu sou Luna.. tenho 15 anos e me mudei para cá ontem! Espero que tenhamos um ótimo ano.. - disse olhando quase que diretamente para a menina loira que me fuzilava com o olhar.

- Bem vidas, meninas. Espero que gostem de Sweet Amoris! - ela arrumou o óculos que escorregava pelo seu nariz e continuou - Ok.. vamos começar. Vocês sabem porque estudamos química?

- Para passar no vestibular? - gritou o mesmo menino de antes.

- Exatamente. Por isso pode parecer uma matéria bem inútil. Não vou garantir que seja para todos, mas vou fazer ela ser legal durante esses últimos três anos de prisão.

Até que pela cara que a professora chegou, ela estava bem animada!

A aula passou bem mais rápido do que eu queria, como a de história e sociologia também. O sinal para o intervalo tinha acabado de tocar, quando todos saíram como doidos para comer.

Esperei a muvuca para depois me levantar. Peguei o meu lanche na mochila e estava saindo pensando em ficar em algum lugar no jardim.

Quando estava quase saindo da sala, alguma coisa segurou o meu braço e me fez virar para trás novamente.

- O que você tem aí? - era a menina loira de antes.

- Não te interessa, garota. Desinfeta! 

Ela apertou meu braço mais forte.

- Olha aqui. Eu comando essa escola, então não tente me derrubar. Novata idiota.

- Te derrubar? Quero só distância, sua louca.

- Não quero ver você cruzando o mesmo corredor que eu. Vai se arrepender se nos encontrarmos de novo.

- Aposto que sim. Vou me esforçar para não te procurar, princesa!

Deixei-a falando sozinha e fui para o jardim, como estava planejando.

Tinha um banco embaixo de uma árvore. A sombra que ela causara parecia estar tão fresca! Estava indo para lá, quando no menino do bloco de notas, que andava distraído, como sempre, chegou lá antes que eu. Dei meia volta e sentei na grama mesmo, embaixo de uma outra árvore mais distante.

Coloquei meus fones de ouvido novamente e pensei em passar na biblioteca para pegar um livro antes de ir para casa. Talvez até um para Sam! 

- Ei.. 

- Oi?

- Como você se chama? - perguntou o menino que se sentou do meu lado.

- Luana, mas pode me chamar de Luna.. e você?

- Castiel. Gostei de ver você hoje de manhã. Geralmente as novatas têm medo de Ambre.

- Quem?

- A loira oxigenada..

Não consegui segurar o riso!

- Ah sim. Lembrei. Bom, ela é meio abusada. Comigo não vai ser assim não kkk.

- Tem personalidade.. eu gosto disso. O que você está escutando?

Tirei um dos meus fones e entreguei para ele com um sorriso no rosto. Ele parecia confuso, mas logo entendeu. Olhei para sua camiseta e volvi o olhar para ele.

- Finalmente alguém interessante nessa escola! - disse ele se levantando e tirando a grama da roupa. - Até mais tarde Luna!

Ele até que era simpático. Pensei que era como aqueles bad boys de filmes americanos.

O sinal tocou, e quando eu me levantei, vi que o menino do bloco tinha esquecido seu caderno no banco. Ele era da minha sala, ia devolver para ele logo depois.

A capa do caderno tinha as letras L, Y e S escritas em dourado. Não fazia ideia do que significava, mas peguei e antes de entrar na sala, passei no banheiro.

Aquele menino escreve tanto nesse caderno.. o que será que tem nele? Por um momento eu pensei em ler o que estava escrito, mas seria muita falta de educação. Bem, ele nunca iria descobrir... tudo bem se eu der só uma olhadinha rápida em algumas folhas.

Nele tinha algumas composições. Ele era muito bom! Notei que a maioria era sobre um amor não correspondido.. que pena! No final do bloco, tinha uma espécie de desabafo, não letra de músicas como nas primeiras páginas.

"Eu não aguento mais isso.. não suporto mais ver eles juntos. Não posso ser egoísta assim com ele." - eu parei antes de terminar. Aquela situacao estava desconfortável para mim. Não gostaria que um estranho lesse minhas anotações.

Saí do banheiro rapidamente para não me atrasar para a próxima aula. O dono do bloco sentava na minha frente, então não seria difícil devolver o caderno para ele.

Me sentei e ele já estava lá, parecendo estar com a mente em outro mundo.

- Ei.. você perdeu alguma coisa recentemente?

- Acho que sim..

- Você acha?

- Estou com essa sensação, mas não lembro o que foi..

- Seria isso? - mostrei o bloco de notas para ele. 

Nesse mesmo instante, o rosto do garoto ficou todo corado.

- V-você não ficou lendo o que tinha nele, não é?

- Não li.. está tudo bem..

- Ok.. obrigado por isso. - disse mostrando seu sorriso angelical. 

Uau.. ele realmente era bem bonito. Os cabelos platinados caiam sobre seus olhos, então ele jogou-o para o lado. Não tinha notado, mas um de seus olhos era azul e o outro cor de mel. Não vou negar que aquilo lhe dava um grande charme. O menino usava roupas vitorianas. Eu não uso, mas não vou negar que combina com o jeito misterioso dele.

- Meu nome é Lysandre. Prazer te conhecer.. Lu..?

- Luna! O prazer é todo meu "Lys".. disse rindo ao entender as letras da capa do bloco de notas.

Um silêncio que parecia ter durado horas ficou entre nós. Ele sorriu para mim e eu não consegui segurar o sorriso também. Meu coração acelerou em cerca de 1 milésimo de segundo e eu sentia borboletas no estômago.

- Huh.. minha aula está atrapalhando algo, senhores? - disse o senhor Faraize com uma cara suspeita.

Lysandre me deu uma última encarada e se virou para frente.

- Não está não senhor.. perdoe-nos por isso.. - disse o menino com a voz rouca.

- Nem chegou e já está atirando para todos os lados.. Pó.. Pó.. Pó - disse Ambre lá da mesa da frente.

É sério isso? Revirei os olhos inconcientemente e apenas ignorei o comentário.

- Algum problema, Ambre? - perguntou Castiel com raiva.

- Nehum Cas.. porque está falando assim comigo? - respondeu ela com uma cara de cachorrinho abandonado. Quer dizer que a loirinha gosta do Castiel.. mas ela não namora o Nathaniel?

- Você fala tanta bobeira, as vezes.. é melhor ficar calada.

UOUUUU - as pessoas da sala gritaram isso milhões de vezes. Tá de brincadeira.

- Cas.. - resmungou Ambre baixinho.

Por um momento senti pena dela.. Espera, Castiel estava me defendendo?

Olhei para ele e ele deu uma piscadinha para mim. Assenti com a cabeça. Nesse momento, imaginei que seríamos ótimos amigos. 

Logo depois ele olhou para Lys também. Eles pareciam conversar por códigos kkk. Eu estava gostando daquela escola. Pela primeira vez, não me peguei pensando no que tinha acontecido com os meus pais e isso me fez bem.

As aulas acabaram e eu não demorei para sair da sala, afinal, tinha que buscar Sam.

- Onde você vai com tanta pressa, Luna? Kkk - perguntou Lys ainda sentado na cadeira com as pernas relaxadas.

- Preciso buscar minha irmã na escola dela!

- Quer que eu te acompanhe?

- Oh.. não precisa, obrigada!

- Eu insisto.. bom que podemos nos conhecer melhor no caminho!

- Parece uma boa ideia! Tudo bem então.. vamos?

Ele se levantou e começou a andar do meu lado. Castiel tinha saído há muito tempo. Um pouco mais cedo do final da aula. Acho que ele não gosta muito daqui..

Eu e o Lysandre fomos conversando no caminho todo. Descobri que ele cantava na banda da escola, a que Castiel tocava guitarra também. Ele compunha as músicas, inclusive me contou que vai ter uma festa de início do ano surpresa que eles vão apresentar.

- Mas e você.. canta ou toca alguma coisa também?! - perguntou animado.

- Bem..

- Vai.. me conte!

- Cantar no chuveiro conta?

Ele riu e disse que um dia queria me escutar cantando.

- De jeito nenhum! Eu morro de vergonha!

- Você não lem escolha, Lu..  aceite kkk

Nesse momento, chegamos na escola e vi Sam sentada numa mesinha de piquenique, já fazendo os deveres. Nós éramos irmãs, mas nem um pouco parecidas. Ela puxou meu pai.. ruiva, com um belo par de olhos verdes e algumas sardinhas.

- Sam! 

- Oi! Estou fazendo a lição! Olha como esse livro é bonito! - disse me mostrando a capa em auto relevo da apostila que a escola fornece.

- É bonito mesmo! - disse Lys antes de mim.

- Quem é você? Seu cabelo é engraçado kkk.

- Sam!! Olhe os modos! - disse envergonhada.

- Está tudo bem! Relaxa kkk. - disse Lys para mim mas ainda com os olhos nela. - O seu também é. Me lembra fogo!

- Eu sempre digo isso, não é mesmo Lulu?!

- É verdade kkk.

- Lulu? Gostei desse apelido kkk.

- Seu cabelo me lembra algodão doce! - continuou Sam impressionada.

- Que estranho.. eu também sempre disse isso!

Eu interrompi a conversa dos dois para apresentar o menino que tinha se dado tão bem cm minha irmã.

- Ei Sam, este é o Lysandre..  um amigo da escola.

- Vocês são namorados?!

Senti meu rosto corar. Não consegui olhar para o Lys nessa hora. Meu coração estava quase saindo do meu peito. Vi que ele também tinha ficado um pouco sem graça com o comentário da minha irmã.

- Não somos não! Kkk - disse tentando disfarçar.

- Eu acho que vocês seriam um ótimo casal! 

- Tudo bem Sam.. deu por hoje kkk.

Lys apenas observava a cena, não se esforçando nem um pouco para disfarçar o sorriso kkk. 

- Gostei de você, Sam! - disse ele finalmente, bagunçando os cabelos da minha irmã.

- Obrigada!

Lys nos acompanhou até em casa. Nós enrolamos bastante na escola e já estava escuro quando voltamos. Ele se negou a nos deixar caminhar sozinhas.

Sam não parou de falar o caminho todo. Eu pensava no quanto essa mudança fez bem para ela, e para mim também. Eu que nunca tive amigos verdadeiros pensei que poderia ter nessa escola. Castiel me defendeu! Ninguém nunca tinha feito isso por mim. Lys não era só gentil. Era bonito, educado, inteligente e tudo que uma menina gostaria em um homem. As vezes, no meio do caminho, nossas mãos se tocavam e isso fazia meu sangue pulsar mais rápido nas minhas veias. 

Na porta de casa, Lys levantou Sam no ar e girou, dando um abraço apertado nela para se despedir. Minha irmã não tinha desmanchado o sorriso em nenhum momento hoje. Eu estava me sentindo tão bem!

- Tchau Lysandre. Um dia você vem brincar comigo de Bonecas aventureiras?

- Eu não faço a mínima ideia do que seja isso, mas venho com certeza! Até mais Sam!

- Até! - disse ela correndo para dentro de casa.

Eu me virei para Lys esperando ele falar algo.

- Sua irmã é uma gracinha kkk.

- É sim.. ela nunca gostou tanto de alguém assim. O que você fez?

- Eu tinha que ter feito alguma coisa?

Nós sorrimos um para o outro é aquele silêncio tomou conta do lugar, novamente.

- Bem.. até amanhã? - perguntou ele depois de um suspiro.

- Até! Adorei te conhecer melhor..

- Digo o mesmo para você.. - respondeu ele se aproximando mais de mim.

O que ele ia fazer? O frio na barriga chegou intenso e eu me paralisei. Lysandre colocou suas mãos no meu rosto e deu um beijo suave na testa.

- Boa noite, Luna.. - disse com a voz baixa e rouca. Eu podia sentir sua respiração calma na minha pele.

- B-boa noite..

Ele se virou e seguiu o caminho para sua casa com as mãos nos bolsos. Fiquei imóvel até a minha visão não conseguir distingui-lo mais.

Uou.. que primeiro dia..



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...