História Sweet Revenge - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Camila Cabello, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Lily Collins, Ryan Butler, Selena Gomez
Personagens Ariana Grande, Camila Cabello, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Lily Collins, Personagens Originais, Ryan Butler, Selena Gomez
Tags Amor, Bieber, Drama, Justin, Lágrimas, Revelaçoes, Sangue, Vingança
Visualizações 112
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


⚠Cap não revisão
⚠leiam as notas finais

Boa leitura ❤😈🔝🔥

Capítulo 21 - Invitation


Fanfic / Fanfiction Sweet Revenge - Capítulo 21 - Invitation

- O que você quer aqui? - perguntou rude.

- Quero lhe fazer um convite falei simples.

- Convite tá maluca? Não vou a lugar nenhum com você! - olhei pras minhas amigas com um olhar de reprovação depois seguir meus olhos até Chaz e Ryan que se encontrava na sala.

- Você está dizendo isso agora... - respirei fundo tentando me acalmar, lidar com Justin não é nada fácil, mas se ele acha que eu esqueci do que ele fez pra mim, está muito enganado, eu ainda tenho uma vingança para cuidar - Seria uma missão, nós precisamos de ajuda de alguns profissionais, um velhote que guarda 36 milhões em dois cofres em seu escritório... gigamos que ele não confia muito em bancos... - olhei pra Justin que pareceu gostar.

- E onde eu exatamente entro nessa história? - perguntou servindo dois whisky.

- O velhote resolveu aumentar a segurança... ele se sentiu inseguro em relação a festa e ter um invasor que roube seus dólares, e eu simplesmente não posso colocar qualquer capangas meus nessa missão, alguns podem até ser infiltrados e colocar tudo a perder - Justin caminhou até a mim e estendeu um dos copos de whisky, olhei atentamente pro copo porém disfarçadamente até que observei que no interior do copo saia algumas bolhas, ele tá tentando me passar a perna? Ele acha mesmo que pode pegar toda a grana pra ele? - Não obrigada, eu não costumo beber as onze da manhã - sorrir falsamente.

- E quem garante que eu não posso por tudo a perder? Quem garante que eu não posso ser infiltrado? E te de durar? - Justin caminhou até a mesinha de centro e colocou a minha bebida lá.

- Ora, isso vai te beneficiar, não faria essa cagada... - sorrir debochada.

- E se eu te por pra fora da missão, dando um jeitinho em vocês -  se referiu a mim e as garotas - e ter o dinheiro só pra mim? - Justin me olhava atentamente como se busca se minha alma e que pudesse ler todos os meus segredos mais insanos e perturbadores até os mais calmos e verdadeiros, nunca me senti tão invadida, era uma sensação que eu nunca havia sentido antes.

Seus olhos alaranjados percorreu toda a minha iris e pupila protegidos por minha córnea, e por que diabos eu estaria aqui? Eu tenho o número dele era só eu ligar outra hora, era só contar os minutos pra ele sair do banho e falar com ele, e eu simplesmente estava no território inimigo, era como se eu ansiasse por isso, talvez ver ele faça parte do meu perdão? Eu estaria perdoando ele? Não, eu não estaria, eu quero ele beijando os meus pés, quero ele chorando e pedindo desculpas até pela amor de Deus, eu queria ver seu sangue escorrer enquanto minhas vozes riam me elogiando do tiro certeiro.

- Caso aconteça isso, eu irei atrás de vocês... e eu irei contar a garganta dos seus amigos como a de uma galinha, já você? Eu iri te torturar e fazer fazer você passar todos os seu bens pra mim, eu iria mata sua família e depois... Eu ia embora, e enquanto eu degustaria de umas bolhas do melhor champagne e do mais caro apreciando a bela vista da Itália, enquanto você? Estaria tentado subir na vida de novo e vai ver que está cansado de mais para se manter em pé, estaria sofrendo perdas de dar dó e morrerá na marguria do Luto até você olhar pro céu estrelado e pedir perdão a Deus e a garota no qual você deixou na marguria do Luto e da tristeza, porque ela vai está a cima de você, bem bem lá no topo.

Justin me olhava atentamente bem no fundo dos meus olhos guardando cada palavra que minha boca pronunciava e reduzindo as em sua mente.

- Quem é você? - depois de um bom tempo olhando nos fundos dos meus olhos ele sussurrou pra mim, estávamos peitando um ao outro, enquando olhávamos no fundo dos olhos de cada.

- Mas, se eu disser quem sou, você pode não gostar, e isso é tudo que eu tenho - encarei seus olhos, algum tempo atrás seus olhos com tinha um cor alaranjada e suas pupilas pequenas, agora, tinha seus olhos negros e sua pupilas dilatadas era como se ele entrasse no modo de defesa.

- preciso pensar na sua proposta - falou se afastando mudando total assunto, bem melhor.

- Claro, meu número já está gravado no seu celular, sua namorada atendeu então eu ligo pra você pra saber qual é a resposta, ok? - disse pecando minha bolsa e pondo em meu braço.

- Namorada? - riu.

- Eu liguei pra você antes de vir cá, uma garota atendeu e no caso ela foi bem rude, devia ensinar a palavra "educação" pra ela - ouvir salto largos batendo contra a escada e uma "moça" descia com sua mini sai e sua coxas completamente finas a amostra, a garota era linda porém tudo cirúrgicos, seios peitos falso pulava o seu sutiã junto blusa altamente curta. Que nojo, sério que ele pegava prostitutas baratas.

- Desculpa mais Justin ensina melhor na cama - finalmente ela desceu as escadas me jogando um sorriso debochado, Justin estava sentado no sofá e foi surpreendido por seus braços abraçando o por trás. Ela virou seu rosto roubou um beijo seu que me deu náuseas a mulher só faltou engolir ele todo - Aliás, educação deveria ter você pra ligar pro macho dos outros - puta que pariu, eu não aguentava essas gírias de puta, "macho" eu só ria mentalmente.

- Desculpe ligar pro seu "macho" - dei ênfase a palavra macho com certo nojo - eu quaria tratar de assuntos importantes com ele - sorrir debochada.

- Stefane, cala a porra da boca e vai logo embora - Justin mandou um olhar raivoso pra ela.

- Ui, eu adoro machos alfa - puta que pariu aquilo foi a gota do balde, me virei em contrei um jarros com Rosas, não pensei muito apenas peguei as rosas e joguei elas no chão pondo todo meu café nele, minha barriga deu outro embrulho pondo mais ainda.

- Vamos embora logo meninas, essa cena tá me dando náuseas - puxei todas e entramos no carros.

Liguei o ar condicionado e conectei meu iphone no plug e boteu a música "Mi gente" aumentando o som causando um estrondoso eu adoro ranger rover SUV, sair cantando pneu eu não vejo a hora desse roubo, entrará para história.


Notas Finais


Aqui vacilão morre cedo.

Kisses.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...