História Sweet Revenge- Simbar - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Amanda, Ámbar Benson, Ana, Cato, Delfina, Gaston, Jazmin, Jim, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nico, Nina, Pedro, Personagens Originais, Ramiro, Rey, Ricardo, Sharon, Simón, Tamara, Tino, Yam
Tags Ámbar Benson, Luna Valente, Lutteo, Matteo Balsano, Simbar, Simón Álvarez, Sou Luna, Soy Luna
Exibições 123
Palavras 1.861
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá amoressssssss 3>
muiiiiiiito obrigada pelos favoritos! amo vocês!!!
desculpem a demora,
Boa Leitura!

Capítulo 3 - Cara a Cara Com Ele


Buenos Aires, Argentina
Atualmente

POV ÁMBAR
Me remexo pela milésima vez na cama, não estava sendo fácil eu conseguir dormir sabendo quem tinha estragado a minha vida agora. Saber que ele está lá fora em liberdade, com vida, se divertindo, fazendo mais pessoas sofrerem como eu, me dá um ódio muito grande, e esse ódio eu sinto que cresce a cada dia que passa, algumas pessoas dizem que o tempo cura tudo, mais para mim, não, a cada dia parece a ferida se abre mais. Amanhã vou para Las Vegas, e não posso estar mais ansiosa, e ainda tinham Matteo e Nina que iriam me ajudar. Se eu estou com medo da marfia? óbvio que não, já passei por muita coisa nessa vida, pra ficar com medinho de marfia, e daí que ela é bem organizada, e que a polícia nunca conseguiu capturá-los? eles mexeram com a pessoa errada.

Acordo as seis da manhã tomo um banho rápido e faço minha higiene matinal, me visto como sempre uso meu cabelo em um rabo de cavalo como sempre, e desço até a sala principal da mansão, onde Matteo estava lá me esperando para o café da manhã.

 -- Bom dia -- digo com um sorriso.

 -- Porquê está tão feliz Ámbar Smith? -- Ele diz sério.

 -- Não é óbvio? -- Digo -- Depois de tanto tempo, vou me vingar daquele filho da mãe que tem o nome de Álvarez -- Termino de falar com um sorriso no rosto.

 -- Não pense que vai ser fácil, como eu já disse, essa marfia é muito esperta, e é muito difícil de alguém captura-la. -- Ele diz e eu reviro os olhos. -- Mais, somos mais espertos com eles, por isso eu tive uma ideia -- Lá vem o mano com suas ideias, e o pior é que a maioria dão certo.

 -- E qual é a sua ideia Bálsano? -- Digo, confesso que curiosa.

 -- Para nós destruímos aquela marfia, precisamos atingir o lado mais forte, os chefes. -- Ele diz e eu fico tipo, como assim?

 -- Como assim? -- Digo meu pensamento.

 -- Precisamos, nos aproximar deles ou seja, Valente, Perida e... -- Ele para e olha para mim, sinceramente, não estava gostando muito da ideia. -- Álvarez.  -- Ele diz por fim.

 -- Matteo, o que você quer dizer com aproximarmos? é o que eu tô pensando? -- Eu digo um pouco alterada -- Quer que eu me relacione com o assassino da minha família? por acaso você ficou louco ou o quê? -- Termino de falar, e Matteo dá um longo suspiro.

 -- Você quer destruí-lo não é? o que melhor se não ter ele próximo a você, e quando ele tiver confiança plena em você, nem iria imaginar o estrago que nós iríamos fazer na marfiazinha dele? -- Ele fala e agora eu reflito, ele tem razão -- Esse é o jeito dele não fugir de país em país e não desconfiar de nada que você fizer.

 -- Bom Matteo, você tem razão, mais você acha que ele é burro? e tem mais, não sei se nem vou conseguir olhar para a cara dele sem ter que dar um murro, condirar ter que seduzir esse imbecil! -- Digo frustrada, por quê as coisas tem que ser difíceis, e principalmente pra mim? 

 -- Infelizmente, terá que ser assim mana, ou você acha que eu e a Nina também queremos ter um relacionamento com a Valente e com o Perida? se eu pudesse já mataria aquela mulher agora mesmo, mais é impossível de pega-los, se é que a informação de que eles estão em Las Vegas é verdadeira. -- Matteo diz e eu sinto que estou sendo egoísta com ele, e também, por quê não me relacionar com a desgraça do Álvarez? vou fazer ele sofrer bastante, antes de eu o mata-lo, vou fazer ele pagar por cada morte da minha família.

 -- Tem razão mano, você está certo, e estou sendo uma egoísta, me desculpe. -- Digo dando um sorriso para ele, que sorri de volta.

 -- Não precisa se desculpar, eu sei o quanto é difícil pra você chuchu. -- Ele fala e me abraça, me separo e dou um murro de leve no seu ombro.

 -- Não me chame de chuchu, você me acha sem graça é? -- Falo brincando.

 -- Deixa eu pensar... não, você tem graça, até de mais mocinha -- Ele diz e nós rimos -- Vem vamos tomar café que o vôo sai daqui a duas horas. -- Matteo diz e eu o olho.

 -- Não acredito Matteo, esperei tanto por isso, obrigado mais uma vez -- Digo e ele me puxa para tomar café.

 -- Já disse que não precisa agradecer, eu estou cumprindo a minha parte, e além disso, você vai me ajudar a me vingar da Valente e do Perida também. -- Ele diz se sentando e eu me sento também, sinto um olhar sobre mim e me viro para o lado, Nina estava me olhando com um sorriso meigo no rosto, meu Deus, fala sério, eu sei que ela disse que as aparências enganam mas ela, não seria capaz de fazer mal contra ninguém, isso é impossível! Ai ai ai chega desses pensamentos Ámbar, não tem o porque de você ter ciúmes dela, você é a melhor assistente pessoal que o Matteo poderia ter, ele mesmo disse isso.

 -- Bom dia para vocês -- Nina diz abrindo ainda mais o seu sorriso, e eu me segurei para não revirar os olhos, eu tenho que parar com isso, tenho que ser amiga dela, afinal ela está no meu time e irá me ajudar a fazer minha vingança.

 -- Bom dia Nina, preparada para o trabalho novo? -- Digo tentando ser simpática, Nina e Matteo gargalham e eu fico é sem entender mais nada.

 -- O trabalho não é novo para mim Ámbar, eu trabalho com isso à três anos -- Nina diz e eu quase me engasgo, como é? aquela garota tinha mais tempo de trabalho que eu? impossível! inadmissível!

 -- Mais isso é impossível! como? -- Falo confusa.

 -- Como eu disse, não sou o que pareço Ámbar Smith. -- Ela fala e eu não sei por que, mais deu uma vontade de dar uma voadora nela.

 -- Você já me disse isso, Nina Simonetti -- Digo no mesmo tom que ela, seu sorriso se fecha e o meu se abre de automático.

 -- É... vamos, já falta só meia hora para o vôo -- Sinto que Matteo fala isso para quebrar a tenção entre eu e Nina, concordo com a cabeça e a Nina também, nos levantamos e o motorista nos levou na limusine de Matteo para o aeroporto.

 Cheguei no aeroporto, um pouco ansiosa confesso, aquilo realmente era muito importante pra mim. Ando até a recepcionista para ela colocar a bagagem, me viro e vejo Nico e Pedro, parados em frente ao aeroporto. Eu fiquei tipo como? primeiro, no aeroporto de Bogotá, e agora aqui em Buenos Aires, será que eles estavam me seguindo? eu não sei o porque, mais eu não acho eles confiáveis, pelo menos Pedro, porque Nico realmente foi um anjo na minha vida depois de Matteo. Sacudo a cabeça com esses pensamentos e volto a fazer as minhas coisas, tento não ser vista por eles, acho que deu certo. Entro no avião, vejo que me sentarei ao lado de Nina, ótimo, assim eu vou poder pedir desculpas e perguntar para ela sobre o seu "emprego de três anos". Me sento e ela olha pra mim.

 -- Oi, olha me desculpa se começamos mal, é que eu não estou acostumada a dividir o meu posto. -- Digo verdadeiramente e Nina ri.

 -- Sabia que isso tudo era ciúmes, não precisa, fica tranquila, eu só entrei na equipe de vocês para ajudar vocês, e também vocês a me ajudarem a cumprir os meus objetivos. -- Ela fala e eu fico curiosa com os "objetivos dela.

 -- E quais seriam os seus objetivos? -- Digo e ela não esboça nenhuma expressão no rosto.

 -- A mesma coisa que você, vingança ué -- Ela fala como se óbvio pra mim.

 -- Então todos nós queremos a mesma coisa? interessante -- Digo.
A aeromoça diz para encaixarmos o cinto de segurança. Sinto o avião decolando, chego meus olhos de automático, acontecendo em seguida.

POV MATTEO
Estou preocupado, não consigo dormir nem por um segundo sabendo que aquela desgraça com nome de Luna Valente está por aí a solta com a sua marfia e gastando o meu dinheiro, que eu me esforcei muito para consegui-lo, e aí vem uma filha da puta e me rouba, e o pior é que isso tudo aconteceu na minha cara, me sinto impotente, sinto que eu sou um idiota de ter deixado uma mulher escapar. Mais ela não perde por esperar, vou seduzi-la e depois quando a estiver na palma da minha mão vou mata-la sem dó e nem piedade.

POV NINA
Vejo Ámbar ao meu lado dormindo, sinto inveja dela. Ela tem a aparência de uma mulher, forte e decidida, e eu ainda pareço uma adolescente que ainda nem saiu da casa dos pais, sendo que eu já tenho vinte anos e eu que me sustento. Tudo o que eu consigo pensar é: vingança. Minha doce vingança contra um tal de Gastón Perida. Eu estava no meu teatro assistindo uma grande peça que realizavam, isso foi a três anos, quando chegaram um bando atirando nas pessoas de cara e roubando tudo o que viam, eles estavam uniformizados e encapuzados totalmente em preto.  Só consegui sobreviver por eu saber onde é que ficava o sótão, me escondi lá até a marfia ir embora. Resultado disso tudo: um grande prejuízo. Fiquei sem rumo, não sabia o que fazer, do que eu iria trabalhar agora? eu arranjei um emprego de assistente pessoal, ou seja, matadora de aluguel, passou se três anos, e Matteo me fez uma proposta irrecusável. Além de eu ganhar uma boa grana eu podia m me vingar de quem me fez mal.

POV ÁMBAR
Las Vegas! aqui é lindo, e bem difícil de se concentrar em trabalho! se concentre Ámbar, finalmente você vai ver o assassino cara a cara, fazer ele pagar por tudo! Eu chego no hotel em que estou hospedada junto com Matteo, fico maravilhada, não era igual aos outros hotéis, ele era muito mais muito lindo.
Fico olhando para trás para ver se achava Matteo pois eu o tinha perdido de vista, só que eu esqueci que estava andando, resultado: esbarrei feio com alguém e cai em cima dela com tudo.
Olhei pra frente e vi um homem, indecentemente lindo, arfei com a proximidade, ele sorriu sacana pra mim... não, não pode ser. Essa pessoa é familiar, não lembro de onde a conheço. Sim agora eu me lembro! no dia que meus pais morreram, é aquele garoto que me disse para eu ficar quieta e entrar em casa como se nada tivesse acontecido! A Deus! não é possível! a desgraça está na minha frente e eu estou em cima dela, Simón Álvarez, estou finalmente cara a cara com ele!.


Notas Finais


Outras Fanfics:

I Accepted My Feelings:
https://spiritfanfics.com/historia/i-accepted-my-feelings-one-shot-simbar-6628922

The Vampire Diaries Off Luna:
https://spiritfanfics.com/historia/the-vampire-diaries-off-luna-6645337

Comentem o que acharam por favor!
eu fiquei triste porque algumas pessoas desaparecerem e não comentam nem que sejam um "continua", sejam sinceros, estão gostando da fanfic?
Mil corações pra vcs amoreees
❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...