História Sweet Suicide - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Ichigo Kurosaki, Rukia Kuchiki
Tags Hentai, Ichigo, Ichiruki, Rukia
Exibições 164
Palavras 2.888
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ieeeeei seus puto <3
tudo bem?
seeeeeei que demorei muito e me desculpo, entendam que não tenho muito tempo. Enfim, muito obg por todos os favoritos e comentarios. Posso até demorar, ma, em momento algum irei abandonar SS.
Bem, vcs sabm que sempre ponho uma introdução e dps ''Sweet Suicide'' com o titulo do cap, né?!
Pronto, vou deixar uma sugestão para hoje, ouçam essa musica até o ''Sweet Suicide''
MUSICA: So cold versão no violino (eu havia posto o link mas o spirit n permitiu)
Eu particularmente gosto quando está em 1:04 de duração. Façam um esforcinho pra ouvir em conjunto com a musica, vale a pena haha <3
Bem, vou deixa-los seguir leitura.
obs: não tive saco pra editar capa, entao dps eu faço algo.
boa leitura <3

Capítulo 9 - Chapter Nine - Game Boy


Fanfic / Fanfiction Sweet Suicide - Capítulo 9 - Chapter Nine - Game Boy


Apenas divirta-se
Quero te jogar feito um game boy
Qual é a emoção do mesmo brinquedo?

...

 

E em meio a tantas máscaras, abalos sentimentais e confusões sem razão aparente, eu me encontrei aqui... No meio da chuva em um campo de futebol vazio. Abri os braços e rodopiei balançando o babado da minha saia coberta de lama.

Ah! O cheiro de terra molhada preenchia minhas narinas e eu continuei dançando, pulando e até mesmo chorando. Eu sentia um nó na garganta, uma pressão sobre meus pulmões e um súbito mal estar, um enjoo que revirava meu estômago e uma fraqueza que me fazia ir ao chão as vezes.

Mas eu levantava... Como havia de ser.

Nessa altura do campeonato só havia um sereno fraco onde água fria batia contra meu rosto e meus cabelos ficaram grudados em minha testa e pescoço. Baguncei-os e enfiei meus pés em uma poça rasa, meus dedos buscaram sentir o gramado e a sensação não podia ser melhor.

Liberte-se

Balancei meus ombros e  procurei minha bolsa no chão, assim que a vi corri e peguei um tubinho que continha aquilo que eu precisava...

Logo eu me via fazendo bolhas de sabão pelo lugar, rindo sozinha e pisando em lugares mais fundos. Precisei ter cautela pelo meu joelho mas de resto... Eu só precisava abrir os braços e girar, girar vendo o belo arco-íris que o céu exibia após algumas horas de chuva. Girar fitando o vento levar minhas bolhas e me embriagar ainda mais com o cheiro de terra molhada.

Não sei explicar o surto que tive para sair correndo da escola e vindo parar justamente aqui. Não me arrependo.

Mas, queria entender o motivo de tanta monotonia... Tristeza.

Eu vinha me sentindo asfixiada ultimamente.

Às vezes eu pensava seriamente em dar um fim na bela e dolorosa inércia.

Seria meu sonho?

Talvez, mas, se nada é por acaso... Por que eu ainda contava os "e se"?

Eu adoraria poder aderir a arte do foda-se e não me importar com meras superficialidades. Mas, eu me importava pelo simples fato de ser superficial.

Afinal...

Segredo

— Eu queria poder me empenhar na construção de um mundo utópico, só assim, quem sabe eu seria alguém mais... Feliz — murmurei alto o suficiente para que eu pudesse ouvir.

Ri em desgraça, um hábito horrível a meu ver, uma mania que eu não tinha como controlar.

Foda-se

Chore moça

Transborde

Empondere-se e lute

— Transbordar emoções que não me pertencem? Lutar por uma pessoa que não deu a mínima pra mim? — me perguntei agarrando meus cabelos.

Ela se foi sem deixar o menor rastro e agora eu me encontrava em um novo palco com uma máscara mais pesada que a anterior.

Carnavais... Fantasias... Espetáculos subliminares que minha cabeça adorava bolar.

Seria um show de horrores fantástico se não trágico.

Ri novamente me deparando com um delicado abismo da loucura. Tão fascinante e atraente que meu corpo pulsava em ansiedade para saltar e descobrir o segredo de estar a sete palmos do chão.

Moça moça

Que bela suicida, vazia e superficial.

Sentei naquele chão e afundei minha cabeça entre minhas pernas finas e frias.

Não entendo o que se passa

Correção...

Eu não quero entender

Porque sou covarde demais para realizar tal proeza...

Logo meu rosto estava banhado por uma nova rodada de lágrimas, quentes, que fluíam como se fosse a coisa mais natural do mundo, que escapavam pelos lados e deslizavam até meu queixo. Eu queria gritar, mas a voz me faltou e eu só consegui segurar ainda mais os tufos de cabelo curto, como se a sensação de dor fosse me trazer algum conforto.

Dores físicas pareciam menores comparadas ao emocional pelo simples fato de saber o motivo que as causava. De saber a fonte de tanta agonia, o desespero era cruel.

Me vi atordoada, respirei fundo e busquei forças para levantar.

E se foi...

De repente um vazio me abraçou e eu ergi a cabeça diante do cenário desprezível em que eu me encontrava. Acolhi todo o resto de dignidade que eu tinha e por fim levantei, agarrei meu corpo magro e em seguida recolhi meus objetos.

Desnorteada

E é... Moça, que poço profundo.

Superficial

Que crise existencial aterrorizante.

Agora só me restava voltar para o palco no intuito de interpretar uma Rukia sorridente, forte e cheia de... Amigos.

 

.. Sweet Suicide ..

.. Chaper Nine - Game Boy .. 

Vi por cima dos ombros alguém se aproximando, em seguida, ouvi o estrondo dos livros de Renji sendo arremessados em cima da mesa. Ele colocou sua bandeja ao meu lado e se sentou cruzando as pernas.

Marrento

Olhei para sua pose de bad boy e me permiti soltar um riso irônico.

— Que é? — espreitou os olhos — Te rebolo em cima do telhado se me esnobar de novo — murmurou apático.

— É? — indaguei descansando o queixo em cima das minhas mãos cruzadas.

— É — sorriu.

— Foda-se — respondi arqueando a sobrancelha.

— Bom diaaa — Inoue interviu antes que ele pudesse falar algo.

— Estudamos a tarde ruiva — ele murmurou.

— Oh sim — murmurou coçando a nuca.

— Vamos sair depois da aula? — perguntei olhando pra ela.

— Não dá, vou comprar roupa com a Nell — respondeu mordendo uma maçã.

Que?

Nelliel?

— Devia mexer uns pauzinhos pra mim — Renji sorriu se referindo a Nell.

— Não dessa vez. Estou em um missão de juntar ela com meu primo, além de belo casal, eles se gostam — cantarolou.

Fiquei calada enquanto ouvia aquilo, de certa forma, fiquei receosa diante daquelas palavras.

— Se eles não estão juntos deve haver um motivo.

— Ichigo é difícil, mas Nell é louca por ele então desista. — apertou meu ombro ao que sorri pra ela.

— Vou indo nessa — Renji falou balançando os ombros em sinal de foda-se e por fim pegou seus livros. — Tenho que tentar pegar a presidente do grêmio haha — ponderou saindo e acenando.

— Vai pagar de cupido agora é? — perguntei antes que o assunto morresse.

— Nell é maravilhosa. Não vejo ninguém além dela que mereça estar ao lado dele. Aqueles dois ali... Ninguém se mete no meio, não se largam. Ninguém separa. — comentou.

— Se é assim... Por qual razão não estão juntos? — perguntei fingindo não estar nem ai.

— Ichigo trai muito ela, ela também traiu ele. Porém, ele ficou com a amiga dela no sana, maior história. Nenhum dos dois presta — respondeu — De qualquer forma vou intervir.

— Hummmm — sorri.

Que sorriso mais falso, moça.

— Bom! Vou indo lá, marquei de encontra-la daqui a pouco.

— Se cuida, quando chegar em casa avisa.

— Ok — sorriu se levantando.

Pois é...

Tô bem

Ai pá

Da aquela vontade de morrer só de leves.

Mas é aquele ditado né, vamo fazer o que.

 

...

 

Alguns dias haviam se passado e agosto parecia interminável, ao menos meu joelho já não doía tanto eu estava só aguardando dar um mês para poder voltar. Embora a humilhação tenha sido grande, eu havia uma meta, aliás, mais além... Eu precisava voltar e mostrar o quão boa eu iria me tornar, já tinha virado uma necessidade de vida fazer tal proeza.

Dar a volta por cima.

Observei alguns papéis em cima da minha escrivaninha e resolvi ir checar meu peso.

O fiz...

Quarenta e cinco... Céus, eu podia ver claramente os ossos de minha clavícula e mesmo assim a vontade de comer simplesmente não surgia. Apesar de saber que eu estava indo de mal a pior, não era como se eu de fato enxergasse isso. Complexo, mas, eu me sentia a pessoa mais estranha do mundo, minha barriga já não era tão lisa como antes e meus braços pareciam flácidos. As bolsas fundas abaixo de meus olhos me davam uma aparência cansada... Feia.

E os cabelos? Caindo cada vez mais.

Moça moça

Reparei na palidez de meu rosto, eu parecia um cadáver ambulante.

Mas desde quando eu estive viva?

Eu estava fenecendo e nunca estive tão sem rumo...

Por fim lavei meu rosto e desci pra cozinha, encontrei Byakuya no corredor, entretanto ele nem ao menos me olhou.

Era como se eu tivesse voltado a ser um fantasma... Talvez fosse apenas impressão.

Talvez não

Foda-se

Senti meu telefone vibrar e resgatei-o do bolso, havia mensagens do Ichigo, Orihime, Tatsuki e outras pessoas.

Guardei sem dar muita importância e continuei meu trajeto rumo a cozinha, eu necessitava de alimento para sobreviver.

Tã tã tã

Às vezes eu me interrogava sobre meus níveis de retardo mental, mas de boas.

Já era de noite e eu por fim me toquei de que havia trabalhos para fazer.

Resgatei meu telefone do bolso novamente e entrei no chat com Ichigo.

 

Ichigo: Estive analisando umas coisas e cheguei a conclusão de que a lua é redonda e branca, parece uma tapioca [19h23]

 

Idiotaaaaa

 

Eu: Tô digitando com pés pq com as mãos eu tô aplaudindo [20h03√√]

 

* Online *

 

Ichigo: Haha muito engraçada. Sabe aquela prova que fiz na doida? Pse, tirei dois... Sou um fracasso. [20h04]

 

Eu: Então seu Chico Xavier só te deu 2? [20h05√√]

 

Ichigo: Foi ç.ç [20h06]

 

Bloqueei a tela e peguei uma pipoca de micro-ondas.

Novidade; não temos mais micro-ondas.

Aaaaaaaaaaa

Mudei de tática e peguei duas maçãs e uma caixinha de nescau, eu tomaria café mas a preguiça de fazer era maior então apenas subi novamente para meu quarto.

 

Ichigo: Mansh... De repente deu um clarão no céu e ficou tudo preto, eu já tava cantando aqui "como Zaquel eu quero subir" [20h08]

 

Ri alto

 

Eu: KKKKKKKKKKKK [20h15√√]

Eu: Tu é comédia. [20h15√√]

 

* Online *

 

Ichigo: hoje à noite está tão linda que vou chamar de Kurosaki Ichigo [20h17]

 

Eu: Migs para que a leonina da relação sou eu. [20h17√√]

 

Ichigo: Uke keridã, quem é vc no jogo do bicho? [20h18]

 

Eu: Sou leão com ascendente em Madonna, nasci pra brilhar amiga. [20h18√√]

 

Ichigo: Ó as intriga da oposição [20h19]

 

Eu: Uhum [20h20√√]

 

Ichigo: Ei Rukia [20h21]

I: Quando vc estiver morrendo [20h21]

I: É só tomar o leite longa vida [20h22]

I: Tá? [20h22]

I: Kkkkk [20h23]

 

Eu: KKKKKKKKKK [20h32√√]

Eu: Essa foi boa xD [20h33√√]

 

Ichigo: Perdeu a graça [20h45]

 

Eu: Não sei o que se passa com vc [20h53√√]

 

Ichigo: o ferro de engomar kkk passa direitinho [21h00]

I: shit [21h01]

 

Eu: Minha mão na sua cara [21h03√√]

Eu: alisa que é uma beleza [21h04√√]

 

Ichigo: kkkkkkkkkkk [21h05]

 

Eu: hmm [21h06√√]

 

Ichigo: Doois [21h07]

 

Eu: Treees [21h08√√]

 

Ichigo: Vc de 4 [21h09]

I: Ops... [21h10]

I: kkkk  [21h10]

 

AAAAAAAAAAA

Idiotaaaaaa

 

Eu: Vsf kkk [21h11√√]

 

Ichigo: Vou ser feliz :') [21h12]

I: Vou nessa. Até amanhã [21h13]

 

Eu: Já vai? [21h14√]

Af

E é... Fiquei sem meu chat preferido.

 

...

 

Havia uma coisa nos fins de semana que eu gostava de fazer, quer dizer, talvez gostasse.

Aos sábados e domingos minhas tardes se resumiam em "ir estudar".  

O governo tinha um projeto preparatório para ingressar em uma universidade e nós frequentávamos na cabeça de nossos pais.

Tradução: uma ótima oportunidade para sair de casa e passar o fim de semana vagabundando no meio do mundo. Já era quase três horas da tarde quando Inoue decidiu que iria ligar para seu lindo primo de cabelos alaranjados.

Eu mentiria caso dissesse que não fiquei nervosa com a ideia.

— Alô? — murmurou enquanto abria a garrafinha de refrigerante. — Nell? — falou supressa. — Você está na casa do Ichigo? Hmmm vocês vão pra pn? — indagou bebericando o liquido.

Observei a cena criando mil teorias em minha cabeça.

Eles não haviam terminado?

O que ela fazia lá?

— Está aqui sim, espera. — falou me dando o celular.

— Alô? — falei meio surpresa. Mentira, falei muito surpresa.

— Tudo bem? — Ichigo perguntou.

Senti meu coração batendo tão rápido que até o ar fugiu de meus pulmões.

— Sim... E você? — respondi

— Tô legal. Vai pra pn? — indagou e eu apenas mordi os lábios.

— Sim, e você?

— Talvez. Preciso desligar agora, até mais. — e assim o vadio desligou.

— O que ele disse pra você? — Inoue perguntou curiosa.

— Se eu iria pra pn. — respondi fingindo falso interesse.

— Hmmm — balbuciou escorando as costas na parede.

Depois da calorosa ligação o tempo passou voando e logo estávamos na maldita praça.

Inoue tinha a melhor amiga do mundo ao que, eu me sujeitava a todos os seus caprichos. Inclusive frequentar determinados lugares.

Bufei entediada e logo vi alguém que me deixou boquiaberta.

— Tatsuki! — chamei e fui em seu encontro. Inoue havia encontrado suas novas amiguinhas e nem se importou com meu sumiço repentino.

— Olá moça — sorriu.

— O que você faz por aqui? — perguntei.

— Vim apenas dar uma volta e rever os conhecidos. E você? — sorriu.

— Acabei sendo arrastada. — sussurrei.

Sorri e a abracei novamente.

— Oi? — ouvi alguém me cutucar.

— Oi — respondi assim que me virei — Ichigo — sorri meio abestalhada.

MEIO NÃO, TOTALMENTE ABESTALHADA

— Nós encontramos novamente — sorriu me abraçando.

Ele era quente

— E esse joelho ai? — perguntou batendo seu quadril em mim, ponderei ser um golpe e então segurei em sua cintura.

Ele sorriu.

— Um pouco inchado ainda, não te mostro pela calça jeans. Porém, continuo mancando, só não como antes. — respondi.

— Rukiaaaaaaa — ouvi me chamarem e olhei pra ele.

— Vá — falou e se virou pra falar com outras pessoas.

Eu fui mesmo sem querer.

— O que foi? — perguntei a Inoue.

— Já e quase oito horas, temos que ir. — falou

— Vou me despedir das pessoas. — anunciei sem esperar sua resposta. Vi Ichigo de longe, perto de várias meninas.

As mesmas que falaram dele há uns meses.

Falsas

Sai distribuindo abraços por todo lado e por fim apoiei minha mão em seu braço torneado. Fiquei meio receosa sobre o contato mas no fim ele virou e sorriu de lado.

Um tiro doeria menos.

— Até mais ver — sussurrei e ele arqueou uma sobrancelha.

— Vai agora? — franziu o cenho

— Uhum — falei vendo a Tatsuki parando do meu lado.

— Até mais — me abraçou e veio dar um beijo na minha bochecha, seria o cúmulo do clichê dizer que eu também havia me esquivado e que quase rolou um selinho?

Pois é...

Quase

— Desculpa — murmurou virando o rosto.

— É o destino — Tatsuki falou.

Eu ri e acenei na medida em que me afastava. A morena murmurou algo que eu não dei a mínima atenção, me sentia extremamente nervosa e isso era totalmente fora do comum.

Inoue se juntou a nós e por fim seguimos nosso trajeto. Confesso que fiquei surpresa em ver que Tatsuki estava tão bem ao ponto de fazer tudo como antes. Não demoramos em pegar o ônibus e portanto me permiti observar as ruas escuras pela janela aberta e ri ao lembrar do quase acidente. Apesar de ter sido muito rápido, foi engraçado.

Não tivemos muito tempo para conversar e tão pouco dei a atenção que queria. No fim ri, ri bastante, sem saber ao certo o motivo de tanta graça.

Kurosaki Ichigo?

Por que não brincar?

Ele parecia um jogo interessante, eu não era nenhum tipo de santa e tão pouco me importava com algo.

Acho que não seria de tão ruim me divertir um pouco... Sair da mesmice e do tédio.

Chegou o momento de botar uma nova máscara.

Que seja intenso enquanto durar...

Game boy

 

...

 

Já passava das dez da noite quando terminei de escovar os dentes e voltei a teclar com Ichigo, ele havia me mandado uma música e nossa conversa estava quase sem assunto, me aventurei e mandei um trecho da música.

Ousadia é tudo mybem

 

Eu: Eu sou o que o seu coração deseja? [23h20√√]

 

Ichigo: Como assim? [23h24]

 

Eu: Vc não sabe? [23h24√√]

 

Ichigo: Só não entendi bem o sentido da pergunta [23h26]

I: Seja mais clara, vai pra luz kk [23h26]

 

Eu: A letra da música, serial killer [23h26√√]

 

Ichigo: Just have fun [23h30]

I: Wanna play you like a game boy [23h30]

I: Don't want one [23h31]

I: What's the thrill of the same toy? [23h31]

 

Eu: Aí ele põe o troço em inglês [23h31√√]

Eu: Gato, eu não manjo dessas coisas não [23h31√√]

 

Ichigo: A música [23h32]

I: Apenas divirta-se [23h32]

I: Quero te jogar como um game boy [23h33]

I: Não quero um [23h33]

I: Qual é a emoção do mesmo brinquedo? [23h33]

I: Eu posso ser sua ingênuaua [23h33]

I: Baby, i'm a sociopath [23h34]

I: Sweet serial killer [23h34]

I: Amo essa musica Kkk [23h35]

 

Eu: Gostaria de poder, encontrar meu úniconico e verdadeiro amor essa noite. [23h36√√]

Eu: Você acha que poderia ser você? [23h37√√]

 

Ichigo: Quem sabe kkk [23h38]

I: Vc tem vários botes [23h38]

 

Eu: Tem razãoo, sou uma cafajeste [23h39√√]

Eu: Mas bem, vc pode fazer diferente [23h39√√]

Eu: Eu sei que o que eu faço não está certo, posso parar mas eu amo fazer isso [23h40√√]

 

Ichigo: Cafajeste sincera :3 [23h41]

I: Como assim eu posso? [23h41]

 

Eu: Você sabe que eu amo a sensação de agitação [23h42√√]

Eu: Descubra [23h42√√]

Eu: E dai me mostra [23h43√√]

Eu: Vou adorar [23h43√√]

Eu: Mas bem, sinceridade e um bom começo nãoo acha? [23h44√√]

 

Ichigo: Claro [23h45]

I: Ainda mais se ela for constante [23h45]

I: O que você que de mim? [23h45]

 

Eu: Vc [23h47√√]

 

Ichigo: Kkkkkkk [23h48]

I: Eu não presto Rukia [23h49]

I: E você também não é tão diferente assim [23h49]

I: Relacionado a isso [23h49]

 

Eu: Isso é a mais pura verdade [23h50√]

Só um visto...

AAAAAAA

Ele dormiu imundooo.

Vários botes? Como ele sabe sobre as pessoas que fico?

Anda pesquisando sobre minha vida, Kurosaki?

Que interessante! Mal posso esperar pra ver o desenrolar dessa história... 


Notas Finais


PAPOCA MININUUUUUUUUUU
antes que eu esqueça;
1- botes = ficas, beijos com varias pessoas, pegação, essas parada.
2- Rukia é doida e eu amo ela haha
3- não consegui explicar muito bem sobre o programa que ela citou, mas, ele de fato existe e ainda vai dar oq falar...
4- Rukia cafajeste? Mas ela n era lesbica?
R: entaum, ela em complexos com sua propria sexualidade.
5- Tatsuki volouuuuu <3
6- Num sei, to confusa, se tiver algo pra falarem, falem haha
enfim, espero que tenham gostado. Espero vcs ansiosamente no comentarios <3
bjaaaaaaooo, se cuidem e CARPE DIEM <3
OBS: QUALQUER ERRO, FALTA DE COERENCIA E ESSAS PORRA TD VCS ME AVISEM <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...