História Sweet Temptation - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hopev, Jungkook, Kookyoon, Taekook, Vhope, Vkook, Yoonkook
Exibições 69
Palavras 2.716
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha só se não é mais um capitulozinho kkkk
Aposto que neste a bad vai passar por causa dos anteriores, pelo menos assim espero :)

Boa leitura kkk'

Capítulo 10 - Exceed


Fanfic / Fanfiction Sweet Temptation - Capítulo 10 - Exceed

Se houver alguém que alguma vez passou quase um mês em puro sofrimento, na verdadeira angústia de tentar remediar o maior erro de sua vida, que atire a primeira pedra se sentiu esse tempo passando rápido.

Não havia chance de Taehyung explicar como tem sido torturante passar cada hora de cada dia, tentando visitar Jungkook que sempre rejeitava suas visitas, e mesmo depois de voltar para a faculdade, ignorava a presença do Kim e evitava estar mais que o necessário perto do mesmo. A cada dia que passava, a esperança de conseguir falar com o mais novo se tornava em uma facada em seu peito quando via o outro cada vez mais dedicado a Yoongi, e para piorar mais ainda seu sofrimento, as provocações permaneciam ainda mais insuportáveis.

- E aí seus trouxas! Viram meu namorado? - não havia necessidade de Taehyung retirar o olhar de seu celular para reconhecer que aquele tom arrogante pertencia a Min Yoongi.

- Se você perdeu seu namorado, não somos nós que vamos saber dele. - as respostas em um tom tão arrogante e cínico de Taehyung se tornaram normais desde que o mesmo não deu mais importância e perdeu as forças em manter o silêncio onde apenas revirava os olhos. Estava cansado de fingir. Estava saturado de manter aquela máscara.

- Ultimamente você anda muito inoportuno Taehyung. Ainda não deu para Hoseok? - era inevitável o prazer que o mais baixo sentia em atiçar ainda mais o garoto que a cada dia parecia mais impaciente com tudo. E ver o mesmo cerrar os pulsos era prazeroso demais para evitar.

- Você não é nada além de um mer...

- Oi gente. - a voz marcante de Jungkook interrompeu a frase rancorosa do Kim que se calou e se encolheu na cadeira. Sentiu o braço do namorado o envolver, mas seu corpo automaticamente repulsou o toque daquele que além de notar ainda fez uma expressão confusa, afinal não era a primeira vez que tinha seus toques rejeitados com tamanha frequência.

- Finalmente Kook. Vamos sentar! Estou morrendo de fome. - rapidamente o tom de Yoongi mudou para um oposto. Inocente e amável. O tom que trouxe o sorriso que Taehyung amava e agora odiava por não mais ser dirigido a si.

- Ahm... Eu estava pensando em a gente ir sentar debaixo daque...

- Eu vou indo. Pode ficar Jungkook. Não quero ser incómodo para o vosso romance. - já prevendo o que o Jeon ia falar, e sempre falava quando a sugestão de comerem os quatro juntos surgia, o Kim pela primeira vez não aguentou mais ouvir a quase diária frase do mais novo para o namorado e interrompeu antes que Jungkook levasse a avante.

- Qual o problema Taehyung? Tem aí seu namorado para fazer um almoço romântico na escola... A sós. - o garoto tentou ignorar aquela provocação, mas o tom falsamente  sugestivo o deixou mais irritado do que já estava, e isso o fez perder qualquer controlo que ainda podia ter.

- Mas eu não quero almoço romântico com Hoseok! Aliás, sabia que seu namorado na verdade an...

- Taehyung cala a boca. - o tom exasperado de Jungkook interrompeu por momentos o início de surto do Kim que quando viu o outro abraçando a cintura de Yoongi com a possessão que lhe era familiar apenas sentiu seu psicológico afectado ao extremo.

- Cala a boca você Jungkook! Se está tão ansioso para foder ele não precisa ficar de mimi na minha frente! Relaxa que seu namoradinho daria fácil para você!

Taehyung estava descontrolado, impulsivo e totalmente explosivo com as palavras que já saíam em gritos. Os alunos que antes prestavam atenção a coisas alheias a eles, agora estavam focados no surto que o Kim estava tendo. Não mais estava importado em se conter, estava tão magoado e quebrado que havia desistido de tentar. Apenas queria voltar a acordar sem sentir as lágrimas se formando quando lembrava primeiramente de Jungkook e ainda assistia às demonstrações amorosas entre ele e Yoongi.

- Qual o problema Taehyung? Você não imagina o quanto é gostoso dar para o MEU namorado. - o tom sereno de Yoongi foi o estupim para que as lágrimas logo começassem se formando em seus olhos. Acreditava que mesmo com todo aquele afastamento, pelo menos Jungkook se manteria fiel às palavras de que não conseguia transar com ninguém além do Kim, de que era diferente e apenas faria com quem realmente seu coração ama.

- Você... - primeiro direccionou seu olhar marejado e banhando em desilusão para Jungkook que coçou os cabelos da nuca desviando o olhar para o chão. - Vocês já... - por último olhou Yoongi que tinha um sorriso vitorioso e nenhum traço de estar mentindo.

- Que foi? Namorados transam, Taetae. E nós somos namorados... - o garoto sentiu o chão abaixo de si ruir com as palavras saídas do Min. Olhou ambos e notou o mais velho entrelaçar os dedos aos do namorado que apenas olhava o chão, incapaz de ter alguma reacção.

- E novamente você quebrou uma promessa. Fui tão besta em acreditar em você.

Taehyung falou em um fio de voz tendo finalmente o olhar de Jungkook em si. Notou a tristeza que ali havia, mas tinha certezas que não era metade da que cada lágrima sua transbordava. Pegou suas coisas e saiu o mais apressado do refeitório, sentia sua garganta tão dorida que quase ficou incapaz de respirar, seu peito tinha uma ardência que parecia inacreditável de sentir. Não mais ponderou as consequências de seus atos, nem mesmo quando lembrou que durante seu surto Hoseok estava presente. Sentiu-se arrependido pois sabia que o havia machucado e o mesmo apenas cuidou perfeitamente de si e se esforçou além do máximo para o conquistar, mas seu coração nunca fora de Hoseok, sempre pertenceu àquele que agora era impossível de ter.

- Hey... - o Kim se surpreendeu com aquela presença quando achou que ninguém o iria encontrar no terraço, ninguém além daquele que passava alguns momentos escondido ali trocando carícias carinhosas ou mais afobadas. Afinal, apenas eles iam à zona proibida aos alunos.

- Hoseok... Como... Como me achou? - tentou limpar sua garganta quando se forçou a parar o choro compulsivo que se apoderou descontroladamente de si e ainda mais sentiu sua garganta doer ao impedir os soluços que queriam sair.

- Acho que é hora de a gente falar de verdade Taehyung. - ouvindo seu nome no tom sereno de Jung fez seu corpo estremecer assustado. Nunca aqueles lábios pronunciaram seu nome depois de oficializar o namoro, nunca além de quando Hoseok se chateava, e isso nunca aconteceu.

- C-Como assim? Eu não es...

- Eu já sabia Tae... - o mais velho soltou uma risada triste antes de caminhar até Taehyung e se sentar ao lado do mesmo. Seu olhar se direccionou para o horizonte enquanto seu sorriso triste nascia. - Só acho que nunca quis acreditar e fazer daquele dia uma ilusão.

- Dia? Q-Que dia? - existia uma pura confusão no olhar do mais novo que tentava intender aquelas palavras junto da atitude calma de Hoseok. Sua mente formava hipóteses que nunca iam de acordo com uma atitude calma como aquela.

- Acredito que agora você se sinta como eu... Um simples espectador daquele que ama. - pela primeira vez seu olhar se direccionou a Taehyung e vendo a confusão nos olhos marejados voltou a sorrir triste. Sabia que não podiam mais manter aquela relação que sempre fora unilateral, e tinha certeza que não seria uma conversa fácil.

- Hoseok... Eu...

- Você realmente nunca notou pois não Taehyung? - o olhar do Jung se cravou no seu olhar questionador enquanto sua mente era apenas um painel branco de pura confusão. Realmente não intendia onde o mais velho queria chegar, e antes de falar algo, o levantamento do indicador do mesmo o fez calar.

- Me deixa falar Tae. - o tom sereno em parte acalmava a confusão vulcânica do Kim que apenas concordou com a cabeça e viu o outro voltar seu olhar para o horizonte antes de soltar um suspiro.

- Seus olhos parecem um céu repleto de estrelas quando você o olha como se ele fosse o único homem que você enxerga... E realmente aí eu intendi quando falam que o olhar é o espelho da alma.

- Me... Me perdoa Hoseok... Por favor... - a perplexidade de Taehyung era tanta quanto seu remorso em ter machucado o mesmo. Tinha consciência do quanto era amado por Hoseok, só não tinha consciência que por este tempo todo seu coração silenciado por sua mente, o traía através das maneiras mais simples possíveis.

- Está tudo bem... Eu também sou culpado sabe? Eu podia ter falado com você logo depois de ter percebido o que vinha ignorando ao máximo. - os olhares se cruzaram novamente, e desta vez ambos engoliam o choro.

- Me perdoa por ter enganado você. Me perdoa por ter traído você... Sempre tratou de mim e me amava da melhor forma... Você merece alguém melhor... -  a voz embargada pela angústia saiu tão baixa que Hoseok apenas ouviu pelo silêncio envolvente.

- Eu só queria alguém que me olhasse com metade do amor que você olha para o Jungkook. Você nunca notou pois não?

- Não... Eu percebi tarde demais que Jungkook ocupava algo mais do que o lugar de melhor amigo... E agora não importa mais... Ele fez a melhor escolha em me esquecer... - a suave risada de Hoseok despertou a curiosidade do mais novo que o olhou intrigado. Permitiu, depois algum tempo evitando os toques do mais velho, que o mesmo lhe limpasse as lágrimas que rolavam por seu rosto e selasse sua testa carinhosamente para voltar a fixar os olhares.

- Você também nunca notou como ele te olha... Como se você fosse o único homem que ele enxerga. Tae, ele te ama em silêncio, ele olha você em silêncio, e você nunca enxergou como ele apenas quer você, como ele apenas precisa de você... Do mesmo jeito que você o ama e precisa dele. - a voz podia estar baixa, mas o Kim sabia que não podia contestar sobre o quanto banhada em certeza a voz do mais velho estava.

- Ele é mais feliz com o Yoongi. Ele sorri do mesmo jeito que sorria para mim, ele o abraça do mesmo jeito que me abraçava... Eu sou o passado enquanto o Yoongi se tornou o presente... - doía tanto estar admitindo aquilo que pareceu boa ideia abraçar mais ainda os joelhos enquanto as lágrimas dolorosas caíam.

- Tae... Me beija. - o olhar do mais novo rapidamente adotou o dobro do tamanho, e enquanto Hoseok se aproximava seu corpo automaticamente se afastava. Não conseguia mais beijar o mais velho, e quando foi surpreendido pelos lábios alheios, o empurrou com todas as forças se sentindo ainda mais confuso com aquela acção. Afinal, só agora é que não mais conseguia aceitar o carinho daquele que lhe lançou um sorriso.

- Agora eu posso falar sem dúvidas. Quando você admitir em voz alta, você verá o que sempre esteve na sua frente.

- Admitir o quê? - na mesma hora que o Jung se levantou para sair dali, seu pulso foi segurado e encontrou o olhar confuso do Kim.

- Pare de ignorar seu coração. Eu não quero mais prender você quando eu vejo perfeitamente a realidade que só você não enxerga. - e como se um clique tivesse estalado na mente de Taehyung, o garoto encarou as orbes tristes do mais velho e engoliu a seco.

- Me perdoa por ter machucado e iludido você. Realmente eu não mereço sua dedicação quando... Quando... Quando a única pessoa que tem meu coração não é você. Me perdoa por ter errado tanto quando você não merecia nada disto, mas... Mas eu não consigo me arrepender de cada beijo trocado, de cada toque, de cada momento... Me perdoa por apenas me arrepender de ter aceitado namorar você... Mas... Eu amo o Jungkook. - ao contrário do que imaginou acontecer, no meio de tantas reacções que lhe passaram pela cabeça, Taehyung nunca imaginou receber um abraço amigável de Hoseok que foi o suficiente para se entregar ao choro e ao alívio que foi admitir o óbvio em voz alta. E agora tudo parecia um pouco mais leve.

- Eu te perdoou se você for sincero com quem te ama de volta e aceitar nossa amizade. - as palavras calmas e serenas do Jung trouxera um suspiro rendido e um manear positivo de sua cabeça.

- Obrigado por sempre ser tão bom. - Taehyung falou com os olhos ainda marejados e a sinceridade em suas palavras, e desta vez sorriu sincero e deixou o outro partir enquanto se permitiu chorar e culpar por ter causado tanto sofrimento.

 

 

 

 

 

A paciência ainda era inexistente, a vontade de continuar na faculdade ainda mais inexistente era, mas pela primeira vez em semanas, Taehyung se esforçou para permanecer e assistir às aulas que ainda teria naquele dia. Sua mente viajava nas mais diversas memórias e constatações que antes pareciam impossíveis de enxergar, percebeu então que a conversa com Hoseok realmente valeu a pena.

Quando o último sinal indicou o término definitivo das aulas por aquele dia, decidiu que iria seguir o conselho do atual ex namorado. Realmente ele tinha razão quando falou que devia admitir para quem ama e não apenas para ele, poderia e sabia que seria difícil, mas a memória do dia em que Jungkook se confessou estava tão clara que se tornou seu pilar para não ser domado pela cobardia. Caminhava vagarosamente até ao portão onde sabia que iria ver Yoongi e Jungkook grudados, e esse pensamento fazia com que a cada passo suas pernas parecessem mais pesadas e tão trémulas que o fazia acreditar que iria cair a qualquer momento.

Seu olhar era dedicado unicamente ao chão até ter noção de que estava perto o suficiente do portão para ver perfeitamente o movimento, e longe o suficiente para não ser notado. Decidiu arriscar olhar para a saída com esperança de apenas ver os dois abraçados e apenas necessitar respirar controladamente para não agir como o cobarde que vinha sendo desde sempre e controlar os efeitos de seus sentimentos, mas foi traído por seu coração quando seu olhar topou o casal se beijando apaixonadamente e seu corpo foi fraco o suficiente para deixar novamente as lágrimas rolarem.

Tentou domar o choro silencioso, realmente tentou e ponderou ir até eles para tentar conversar com Jungkook, mas seu coração doía tanto que apenas lhe deu forças para acelerar o passo, quase correndo, e sair dali o mais rápido possível. Passou por eles e se amaldiçoou em encarar uma última vez e seu olhar acabar por cruzar com as orbes negras que pareciam chocadas quando notou o olhar vermelho de Taehyung, mas logo aquelas mesmas orbes negras voltaram a se focar unicamente no outro como se não tivesse visto um Taehyung banhando em lágrimas.

O caminho que não devia ter demorado tão pouco foi feito em uma corrida que só parou na hora que colocou os pés em casa. Trancou a porta e se permitiu escorregar pela mesma até sentar no chão frio, agradeceu mentalmente seus pais terem ido viajar e se entregou por tempo indeterminado ao choro que era sinónimo da angústia cravada em seu coração dilacerado.

- Porque fui perceber que o amo? Porquê? - sua voz sussurrada era explícita no quanto estava custando demasiado aquela maldita tortura que era amar e perceber tarde demais. Apenas queria uma última chance com quem quebrou o coração.

Seus pensamentos foram interrompidos por fortes batidas na porta e seu primeiro impulso foi morder a mão para calar o choro compulsivo e agir como se não houvesse ninguém em casa, não queria que mais ninguém visse seu estado, mas as batidas continuaram e indicavam que a pessoa do outro lado só iria parar quando abrisse a porta. Limpou seu rosto e dolorosamente engoliu todo o choro que saía de si para conseguir abrir minimamente bem a porta. Mas quando a mesma fora aberta e seus olhares se cruzaram um calafrio percorreu sua espinha e suas pernas quase cederam a um encontro com o chão.

- Precisamos conversar.


Notas Finais


E brotou a luz ao fim do tunel para o nosso Taekook :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...