História Sweet Temptation - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hopev, Jungkook, Kookyoon, Taekook, Vhope, Vkook, Yoonkook
Exibições 64
Palavras 2.954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


É... Talvez eu tenha demorado demais... Talvez eu tenha esquecido que devia atualizar com mais frequência... É... Mas só talvez kkkk
Espero que gostem e não venham com tacadas, só tacadas de amor kkkk


Boa leitura kkk'

Capítulo 9 - Blind


Fanfic / Fanfiction Sweet Temptation - Capítulo 9 - Blind

Duas semanas. Havia passado exactas duas semanas depois do acidente de Jungkook, e tudo parecia igual ou até pior que o começo daquela montanha russa de sofrimento e angústia que deixava o Kim em um abismo de dor.

O mais novo havia sido colocado em coma como precaução para uma melhora maior, e nessas duas semanas Taehyung andou por toda a faculdade em busca de um dador compatível, e quando achou, correu com a pessoa até ao hospital com um sorriso cheio de esperanças como já não era visto naquele tempo que passou sem o garoto que havia ficado naquele estado por culpa sua. Mesmo todos falando que não tinha culpa, o mesmo continuava se culpando.

Os pais de Jeon haviam sentido a esperança com apenas a motivação do outro, e quando Jungkook foi levado para uma transfusão de sangue que fora anunciada ser de risco, os três ficaram em uma espera agoniante até seus olhares encontrarem o médico que vinha cuidando do outro e dado esperanças a eles sem sair da realidade do risco que o Jeon mais novo sofria. A realidade onde existia a opção do corpo rejeitar e o garoto não suportar.

- E então doutor? Como foi? Correu bem certo? Ele vai ficar bem certo? Quando...

- Vamos ter calma. Uma coisa de cada vez. - foi impossível para o doutor que interrompeu as frenéticas questões do Kim não sorrir com tanta afobação por respostas, e quando viu o garoto morder o lábio inferior envergonhado, suspirou.

- Tudo correu bem sim. O sistema dele aceitou a transfusão de sangue e agora só precisa de um pouco de descanso. - as palavras do homem de jaleco fez os presentes sorrir e se abraçarem em alívio com a notícia.

- Quando podemos ver ele? - a mãe de Jungkook questionou ainda com lágrimas de felicidade, não conseguia parar de sorrir depois de tanto sofrimento.

- Só amanhã. Aconselho a irem descansar e voltarem amanhã. Não há mais nada que possam fazer além de esperar...

- Mas e se acontecer algo? Eu posso ficar aqui e...

- Taehyung, ele está bem e não corre mais nenhum risco. Podem ir descansar. Se ele acordar mais cedo eu próprio ligo para vocês.

Os três apenas concordaram com a cabeça e avistaram o homem ir em uma direcção oposta à deles. Estavam aliviados e sentiram como se todo o sofrimento que sentiram não havia os deixado em um pânico abismado por tanto tempo. Caminhavam em silêncio pelo hospital até chegarem na entrada e os pais de Jeon insistirem até que Taehyung aceitasse a boleia até sua casa. Estava tão cansado que não se sentia em posição de negar tão firmemente como faria em seu estado normal.

- Taehyung... Muito obrigado pelo que fez por nosso filho. Não sabemos como te agradecer depois de tudo o que fez para ajudar! Se não fosse essa sua busca incansável talvez o pior acontecesse... Muito obrigado mesmo! - a mulher falou quando pararam na porta do garoto que sorriu e sentiu as lágrimas em seus olhos.

- Eu não imagino minha vida sem ele sabe? Estou tão habituado a ele que faria tudo de novo. Eu... Eu daria minha vida por ele... - as últimas palavras do garoto saíram em um sussurro que o assustou por admitir tal coisa em voz alta, mas seu verdadeiro susto foi quando essas palavras lhe pareceram tão certas e que só estavam à espera de serem soltas.

- Vocês teem tudo para dar certo. Só falta enxergar com o coração. - o homem que até à hora tinha mantido o silêncio, se pronunciou com um pequeno sorriso que pareceu cúmplice aos olhos da esposa e confuso demais para o Kim compreender.

- Vá descansar Taehyung. Você teve muito trabalho e não cuidou de si. Vá descansar para ter forças para apoiar nosso pequeno. - a mulher recebeu um sorriso cansado e um manear positivo com a cabeça. Logo Taehyung saiu do carro e acenou em despedida para o casal.

Caminhava a passos rastejantes até seu quarto, contou muito brevemente as novidades a seus pais que logo o mandaram para o quarto descansar. Não estava em posição para discutir, seu cansaço além de notório, o deixava em um estado incapaz de contestar fosse o que fosse. Apenas subiu e se jogou na cama sem se importar com as roupas, afundou rapidamente no mundo dos sonhos esquecendo tudo o que poderia ser chamado de problema.

O Kim não fazia ideia de quanto tempo havia dormido, acordou com o toque de seu celular que indicava alguém lhe estar ligando, ponderou não atender e continuar dormindo, mas a insistência era maior que sua paciência e acabou pegando o aparelho sem cuidado algum.

- Que é?! - não se importava com quem lhe ligava, só queria deixar claro o quanto aquela chamada era incomoda e nada bem vinda.

- Oi amor. Não precisa falar assim... - a voz animada de Hoseok mudou para uma assustada e com um leve tom de tristeza quando notou como o outro estava arrogante.

- Você me acordou... - a falta do costumeiro remorso fez Taehyung culpar o ainda existente cansaço em seu corpo e mente.

- Amorzinho você esqueceu que tem prova hoje? - como um clique de adrenalina, o tiro da realidade fez o mais novo se levantar em um pulo e correr contra o tempo ignorando o namorado.

Como se o tempo tivesse ouvidos e ainda quisesse piorar mais sua situação, tudo o que Taehyung fazia com rapidez parecia demorar o triplo do tempo, e isso apenas o deixava mais irritado. E quando finalmente estava pronto para tomar o caminho da faculdade, correu com todas as forças para chegar pelo menos na hora de entrada. E novamente o destino conspirou contra si trazendo uma súbita chuva surpresa. Amaldiçoava todos os seres existentes e não existentes por ter chegado totalmente encharcado à faculdade.

- Kim Taehyung. Além de três minutos atrasado ainda chegou nesse estado deplorável. - o garoto só queria tacar a mão no professor que sempre parecia ter prazer em implicar consigo. Suspirou e pediu desculpas pelo atraso lançando um olhar implorativo.

- Por favor me deixe fazer a prova professor. Eu me seco quando terminar. - deu mais ênfase a sua expressão implorativa e recebeu um revirar de olhos que ainda mais o irritou.

- E fazer de sua carteira um titanic? Pode esquecer Kim Taehyung. - ouviu de fundo a risada dos colegas que não perdiam uma boa zoeira daquele professor tão irritante. Apenas respirou fundo tentando não se domar pela impaciência.

- Eu coloco alguma coisa professor. Mas me deixe fazer a prova, por favor. - novamente Taehyung insistiu, já era familiarizado com as inertes decisões do homem, mas não deixava de ser o Kim teimoso Taehyung.

- Se não gastasse tempo namorando um outro qualquer você estaria melhor. - o mais novo podia ser o mais teimoso, mas também era um dos mais impulsivos, e ouvir aquilo em tom zombeteiro fez seu sangue ferver.

- Não fale assim de quem não conhece. E minha vida privada não interfere com minha vida de aluno. - tentou novamente parecer sério e calmo, mas a insegurança em sua última frase parecia palpável.

- Sua vidinha privada não me dis respeito garoto, mas a partir do momento que você se preocupa mais em ficar enrolado no Jungkook e isso traz confusão na minha sala, eu tenho todo o direito de me meter! - as palavras do homem lhe levaram à irritação que vinha contido por bastante tempo. Seu namoro com Hoseok era mais que oficial e conhecido por todos, mas mesmo assim todos insistiam em falar que namorava Jungkook.

- Professor, intenda que deve ser complicado para Taehyung namorar Jung Hoseok e ainda ficar dando para Jeon Jungkook. - antes que o garoto tentasse rebater com o homem, um dos alunos da sala achou interessante aumentar ainda mais a discussão e a irritabilidade do Kim que apenas ficou boquiaberto e em consumido pela raiva.

- Vocês não sabem nada da minha vida!!! Eu e Jungkook somos unicamente melhores amigos! E enquanto vocês só sabem se preocupar em vasculhar a vida alheia, eu estava procurando alguém para salvar meu melhor amigo!!! - a importância em apenas fazer a prova e se permitir ser rebaixado desapareceu na hora que o Jeon foi invocado na conversa. Se havia dúvidas de como tirar Taehyung do sério e o levar ao extremo, bastava pronunciar Jungkook que ele se transformava em um mar de irritação e fúria.

- Ah Taehyung qual é?! Você acha mesmo que consegue esconder que na verdade dá para ele? Está na cara que vocês se pegam escondido! Isso é tudo namoros de fachada.

- E daí se eu der para ele?! Pelo menos eu tenho aquilo que vocês nunca terão e andam morrendo de inveja só porque ele NUNCA vai olhar para nenhum de vocês! Vocês são apenas invejosos que se metem na vida alheia! E quer saber professor?! Eu quero que sua prova se foda!

A atitude de Taehyung deixou todos perplexos e em um silêncio mórbido. Sabiam que o garoto mudava quando falavam no mais novo, mas não imaginavam que iriam fazer o maior chorar e ficar indiferente com a faculdade que tanto almejou entrar e tanto se dedicava. Taehyung simplesmente não conseguia mais se importar com a opinião alheia, não conseguia mais ter certezas se ia aguentar fingir tudo estar bem quando sua cabeça era ocupada pela culpa de quase ter matado seu melhor amigo por ser um idiota que escolheu o caminho mais confortável para si, no entanto se mostrou o caminho mais doloroso para seu coração.

Não se importou em estar molhado e correr um risco maior de apanhar um resfriado, apenas colocou o capuz ainda encharcado e caminhou pelas ruas perdido em pensamentos. Não tinha mais certezas de nada, só queria desaparecer com todas as dúvidas que sentia e se enroscar na sensação de protecção que os braços de Jungkook lhe traziam. Ser sempre tão calorosamente apertado e deixar todas as preocupações de lado lhe fazia uma falta indescritível. Não sabia ser tão dependente de Jungkook até o sentimento de perda arrombar todas as certezas de que nunca seria largado, e nesse momento se sentiu péssimo ao constatar que isso estava destruindo aos poucos o coração do mais novo.

As lágrimas caíam sem permissão e isso não lhe preocupou, os olhares estranhos em sua direcção não o incomodavam mais que a ardência em seu peito, a chuva não era tão fria quanto a vaga causada pelo outro. Ignorou todas as ligações de Hoseok sabendo perfeitamente a razão. Havia enfrentado um professor, discutido com um colega de sala e saíu da faculdade sem se importar com nada. Novamente sentiu o celular anunciando uma ligação e o pegou o aparelho, encarou o nome do namorado e relembrou todos os momentos confortáveis que passou ao lado de Hoseok. Mas foi aí que sua mente foi mestra em o apunhalar e comparar o que evitou por demasiado tempo. Por tempo que não devia ter gasto.

Os sorrisos apaixonados que Hoseok unicamente lhe lançava não eram tão contagiantes quanto o sorriso sincero que sempre lembrava um coelho de Jungkook.

As vezes que suas mãos eram interlaçadas pelas de Hoseok pareciam tão corretas que não faziam seus olhos vidrar quando fazia com Jungkook e lhe trazia o sentimento de acolhimento e como se sempre fosse o mais normal a se fazer.

Os abraços apertados e apaixonados de Hoseok eram confortáveis e lhe davam um pouco de paz, ao contrário dos abraços possessivos e duradouros de Jungkook que lhe traziam a sensação de segurança e intocável.

O calor do corpo de Hoseok deixava Taehyung anestesiado por sentir o perfume doce que lhe agradava enquanto que o calor do corpo forte de Jungkook lhe tornava cada vez mais viciado e necessitado em se enroscar definitivamente naquele calor que parecia ser o melhor remédio para suas perturbações.

Os beijos estalados ou até os mais aprofundados de Hoseok faziam o Kim suspirar agradado e gostar dos lábios alheios que sempre o atacavam com serenidade e cautela, mas o beijos de Jungkook eram sempre uma incógnita para si, voavam desde o mais carinhoso e lento até ao mais afoito e necessitado, e em todas as vezes, independentemente do tipo de beijo, seu ar sempre falhava quando sua boca encontrava de Jeon.

A presença de Hoseok que se tornou marcada em sua vida lhe trazia conforto e comodidade, tinha garantido que o Jung era rotineiro demais consigo, sempre esperando na mesma hora e no mesmo sítio, sempre o recebendo com o mesmo sorriso beijo e abraço, sempre lhe perguntando se dormiu bem, sempre chamando demasiados nomes carinhosos, sempre sendo o mesmo. Mas Jungkook não era assim, era o oposto, mesmo o conhecendo à mais tempo que os outros, na sua vida o mais novo continuava sendo uma montanha russa de sentimentos e um turbilhão de sensações, sempre tão imprevisível.

Não fazia ideia de como passou todo aquele tempo ignorando o óbvio, agora intendia porque todo o mundo falava que mais rápido iriam acreditar que namorava Jungkook do que Hoseok, intendia porque falavam que era um namoro de fachada. Ele admitia e tinha certezas de que realmente gostava de Hoseok, o mesmo havia dado a devida atenção e carinho quando Jungkook partiu e voltou um ano depois lhe deixando com o coração quebrado e a ilusão de ser normal entre melhores amigos, mas não era assim e nunca seria com o mais novo. O Jung havia dado a segurança e base que Taehyung precisava para continuar agindo naturalmente sem se afundar nas memórias que partilhava com o melhor amigo. Havia se forçado a acreditar tantas vezes que era apaixonado por Hoseok, que agora não conseguia sair do conforto daquela mentira.

Tudo era diferente entre eles, se forçou a ser cego e acreditar que o que acontecia era comum entre melhores amigos, mas estava longe de ser... Taehyung dava muito mais atenção aos movimentos de Jungkook. Taehyung prestava mais atenção às palavras de Jungkook. Taehyung se demorava encarando os lábios de Jungkook. Taehyung apenas se transformava em um coala com Jungkook. Taehyung usava seu tempo vago com Jungkook. Taehyung vivia para ver Jungkook perto de si.

Melhores amigos não ficam lembrando a primeira vez partilhada um com o outro.

Melhores amigos não ficam grudados até se tornar algo automático na vida de ambos.

Melhores amigos não se beijam com o pretexto de praticar para não desiludir a pessoa amada.

Melhores amigos não exploraram o corpo alheio e anseiam cada vez mais repetir como se sempre fosse a primeira vez.

Melhores amigos não se perdem nas sensações únicas que sentem apenas quando estão de manha na cama.

Melhores amigos é tudo menos o que existe entre Taehyung e Jungkook.

Quando todos esses pensamentos começaram a levar toda a confusão embora e mostraram o que o coração tanto gritava, Taehyung ainda mais chorou, ignorou a chuva e o chão molhado se permitindo sentar encolhido enquanto chorava com toda a sua alma depois de perceber a razão de apenas a presença de Jungkook fazer seu estômago revirar, de a aproximação perigosa dos corpos fazer de suas pernas gelatina e suas mãos automaticamente contornarem os ombros alheios, de sua voz falhar com a sinceridade exalada das orbes negras, de seu coração ficar frenético com os toques e lábios do outro, de seu corpo apenas proclamar pelo mais novo.

Kim Taehyung estava fodidamente apaixonado pelo melhor amigo que havia confessado e aceitado antes mesmo de Taehyung intender o quanto correspondia. E ainda mais doeu ao garoto perceber que só sua mente o enganava enquanto seu coração gritava aos ventos que pertencia a Jeon Jungkook fazia muito tempo. Toda essa clareza que o atingiu fez o mesmo se levantar e correr até ao único sítio onde sabia que poderia resolver aquela dor agoniante. E novamente correu sem se importar com suas pernas gritando por uma pausa e seu coração tomando a liderança enquanto gritava para ser sincero.

- Hey... Como ele está? - Taehyung questionou ofegante na hora que chegou no piso já conhecido e avistou os pais de Jungkook, no entanto, a expressão dos mesmos mudou na hora que o avistaram. Pareciam carregar um olhar tenebroso.

- Bem... Ele já acordou e já falou com a gente... - as palavras da mulher trouxeram um sorriso radiante ao Kim que fez o coração da mulher apertar ao saber que esse sorriso não iria durar muito tempo.

- Que bom! Então eu posso ir vê-lo finalmente. - o garoto caminhou até onde seria o quarto do outro, mas estranhou quando sentiu seu pulso ser segurado delicadamente pela mulher que encarava o chão.

- O que houve omma Jeon? Achei que tudo estava bem...

- E está Taehyung...

- Então que tem eu ir ver ele? - a confusão do mais novo só aumentou quando viu tristeza naquele sorriso doloroso da mulher que o encarava com pesar.

- Ele... Ele pediu para não permitir sua visita... Ele disse que não te quer ver mais... Lamento.

As palavras ditas em um receio agoniante deixou o mais novo sem chão, sem esperança e totalmente desmotivado. Seu coração que achou ter ressuscitado minimamente pela esperança de falar tudo o que descobriu para Jungkook, se despedaçou novamente com aquelas palavras. A cega dimensão com que ficou magoando o mais novo havia sido tão drástica que depois de se tornar visível a seus olhos, mostrou como o peço de suas escolhas sobrepostas aos sentimentos alheios o faziam arrepender amargamente de ter acreditado que o dano em Jungkook não era tão grande.

- Eu acabei perdendo a única coisa certa na minha vida.


Notas Finais


É isso... Por enquantooo kkk
Prometo atualizar mais rápido, sério. Quanto mais amor derem para ela, mais rápido ela continua kkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...