História Sweet Tenptacion - Anjos e Demônios - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Anjos, Demonios
Exibições 39
Palavras 2.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem :3!

Capítulo 11 - Onze


[…]

Gabriela

"- NÃAAAAAAAOOOOO! - DEUS ME HELPA POR FAVOR!"

Alice

Olhei para trás tentando localizar quem estava ali. Me deparei com Nathaniel, ele estava com um café nas mãos e entre seu braço esquerdo um livro, os cabelos caídos que não podiam ser arrumados pois suas mãos seguravam o café e um sorriso nos lábios.

- Abençoado seja o café por te impedir de arrumar o cabelo... - falei baixo.

- Oque?! - Disse Nathaniel.

- Hã? Nada. - Sorri disfarçando.

- Okay.... - ele disse em um tom desconfiado. - Posso me sentar?

- Aproveite para descançar sua bunda a vontade. - sorri e pensei 'que bunda'.

Enquanto ele se ajeitava, a garçonete chegou com meu belo capuccino gelado e uma fatia (até grande) do bolo de chocolate que pedi.

- Aqui está senhorita. - ela sorriu e percebeu a presença de outra pessoa. - Ah! Se eu soubesse que estava acompanhada de seu belo namorado teria pedido o desconto de casal! - ela nos olhou.

- AMIGOS! - Corrigimos ao mesmo tempo e alto, tanto que a garçonete deu um pequeno pulo como um gato, dirigindo os olhares de todos presentes até nós. - Desculpe/Desculpa. - dissemos novamentes juntos.

- Haha... Tudo bem... Eu que peço perdão, os casais geralmente vem aqui pelo desconto é raro ver amigos, então supus serem namorados. Bom! Um pequeno incidente não faz mal! - ela sorriu e acenou , voltando ao seu trabalho atendendo pedidos e os trazendo.

Nos encaramos e rimos.

- Namorados... - disse.

- Clichê... - ele riu mais uma vez e o acompanhei.

- Esse pedaço é até grande, não reclame e vamos apenas nos deliciar com essa belezura! - Pedi por outro garfo e prato, dividimos a fatia entre nós e comíamos enquanto conversamos, livros, estudos, acontecimentos antigos da escola que eu ouvia. Ríamos, sorriamos. Nathaniel era uma boa companhia.

- E então a Melod... - ele parou e olhou o celular tocando.

Assenti, afirmando que ele podia atender. Ele começou a falar e me desliguei do mundo, ouvir conversas do telefone não é legal, aprendi isto da pior maneira com Dominic. Estremeci só de lembrar a experiência '-'. Ele disse um "tudo bem" e desligou.

- Minha família... Perdão Alice, é hora de eu voltar.

- Oh. Que nada! Gostei da companhia! - dei-lhe uma piscadela e sorri.

Ele deu uma risada gostosa. Na hora de pagar a conta tivemos uma leve discussão e por fim dividimos igualmente os preços, nós despedimos e seguimos caminhos opostos. Eu estava no parque que se localizava perto de minha casa, andava tão calmamente e havia um certo sono demonstrando-se presente, que acho que podia parar e dormir em um banco qualquer. Estava tão avoada até que ouvi alguém gritando meu nome. Olhei para trás : Gabriela e Kentin sendo perseguidos pelos doidos dos meus amigos : Rosalya e Alexy.

- Mas... Oque... Está acontecendo? - Disse sem entender, Kentin e Gaby se aproximaram (correndo).

- So... Co... rro....! - Disse Gabriela recuperando (ou tentando) o fôlego.

- El... es... Soco... rro! - Agora foi Kentin.

Eles olharam para trás e eles corriam em nossa direção.

- CORRE! -Falaram ao mesmo tempo.

Eles me puxaram e mesmo sem entender eu coloquei o máximo de rapidez nas minhas pernas. Nesta hora agradeço por eu só usar saltos em festas e bem pouco, e sempre sair de tênis ou algum outro calçado confortável. Enquanto corria eu pensava no que eles fizeram para os dois explodirem ao ponto de os perseguirem do shopping até o parque perto de minha casa. De algo eu sei : eu não tenho nenhuma ligação com isso e não levarei culpa por eles.

- ALICE ALEKSI PARE AI MESMO! - esbravejou Rosalya nos perseguindo.

- SE VOCÊ PREZA POR SUA VIDA DE DEMÔNIO, ANJO OU SEJA LÁ O QUE VOCÊ VAI SER! ENTREGUE ESTAS PESTES! - Alexy estava realmente bravo.

- MAS QUE DROGA VOCÊS FIZERAM? - dessa vez eu gritei.

[…]

Estávamos na minha casa. Eu? Sentada no tapete que tinha no meio da sala entre os sofás em uma posição que permitia-me ver os dois lados. Com os braços cruzados, olhei para o lado esquerdo e depois o direito.

- Pois então? - perguntei. - Exigo explicações. - Minha expressão era séria.

Gabriela respirou fundo e começou a contar.

Gabriela

Flash back on*

Depois de ser arrastada por Rosalya e Alexy. Me preparando para o pior, mesmo que o efeito fosse inútil. Loja após loja, toda loja eu era direcionada (obrigada) ao vestiários com roupas que não me agradaram. Já perdia a conta de quantas lojas visitamos naquele shopping. onde está a falta de energia neles? Minhas pernas cansadas, meus músculos mesmo que de demônios estavam doloridos. Posso ser um demônio, mas como a luxúria era nossa fonte, devíamos ter o corpo como o de um humano, uma bela cópia para atrair presas. E no momento meu corpo doía inteiramente. Decidida à parar eu sentei em um banco que localizava-se no meio do shopping perto da escada rolante para o andar há cima. Me esquecendo das minhas companhias, vaguei as orbes pelas lojas diversas, em uma delas, uma silhueta conhecida. Analisando melhor, vi ser o caçador amigo de Alice, se não me engano Kentin não é? Eu até levantaria e o desse um toque como cumprimento, mas eu estava com a minha mais adorada emoção no momento : preguiça. Meu corpo ainda doía e não queria me levantar. Até que ouvi vozes familiares, eles olhavam em volta me procurando, uma inexplicável espécie de cura surgiu em meu corpo e corri até a loja onde o amigo de Alice estava, fugindo dos maníacos por moda. Me aproximei como se apenas tivesse saido de casa numa tranquila tarde para passear. Ele me olhou e sorriu.

- Você é a Gabriela certo? - disse se aproximando.

- Sim. - disse seca.

- Porque todos vocês demônios são revoltados? - ele revirou os olhos.

- Você não sabe de nada do meu passado, então peço que não fique julgando todos dessa forma. E mais, fale baixo, assim as pessoas vão te achar louco falando sobre demônios. - respondi com firmeza.

- Como você virou amiga de Alice? - ele tinha certa incredulidade em seu tom misturado há curiosiedade.

- Igualmente, te faço essa mesma pergunta.- Desta vez eu não dirigi o olhar para ele, pois estávamos em uma loja de instrumentos e vários DVDs com álbuns de cantores desde os clichês pops até os meus amados rocks.

Era óbvio que eu não iria desperdiçar a oportunidade de dar uma pequena olhada e quem sabe algo fisgasse minha atenção. Comecei a andar pela seção de rock, em geral com todos os estilos de rock. Meu coração falhou de tanta emoção e felicidade ao ver um disco de uma das minhas cantoras favoritas : Taylor Momsen. Eu simplesmente amava The Pretty Reckless, Taylor além de possuir uma beleza divina ao meu ver era uma cantora com voz grave e única. Era uma edição limitada e eu procurava a bastante tempo. Sem delongas eu coloquei minha mão para funcionar para finalmente capturar aquele disco, mas minha missão foi interrompida quando outra mão tocou ao mesmo tempo a minha o disco. (Relembrando um pequeno detalhezinho : era o último) Eu não hesitei e o peguei. Ouvindo um reclamar de uma voz estridente demais aos meus ouvidos.

- Hey garota! Esse disco era meu. - Olhei e vi claramente Debra. Com meu olhar de tédio e voz fria revidei.

- Ótimo, você mesma pronunciou. Era. E. R. A. - sorri fraco e sai de perto já seguindo para o lado onde estava Kentin. Quem sabe ele poderia matar aquela coisa asquerosa, literalmente aquele demônio, se eu o desse um bom motivo ela viraria pó facilmente. - Hey hey, caçador você pode matar demônios correto? - já próxima dele perguntei cruzando os braços.

- Se eu sou um caçador eu mato o que? Fadinhas? - ele revirou os olhos.

- Você tem um gênio horrível.

- Idem.

- Enfim, pode matar aquela coisa asquerosa ali? - me virei apontado para Debra, agarrada no poste ruivo mané.

- Eu até gostaria, especialmente aquele ruivo egocêntrico. - ele sorriu. - Mas não posso. Porque deseja a morte deles? - ele arqueeou uma sombrancelha.

- Aquela gelatina ruiva é um mané que só sabe ser arrogante, e a asquerosa não para de me pertubar. Até o fato de nascerem e existirem já é um excelente motivo para que eu os queira em forma de pozinho. Satisfeito? - disse debochando.

- Belos motivos, mas eu mesmo assim não vou matar eles. - Ele disse cuspindo as palavras de forma irônica certamente para me irritar.

- Que assim seja, eu irei pagar meu precioso disco e depois vou até a casa da Alice para fugir de dois monstros. Você quer ir? - perguntei, afinal, sabia que ele e Alice poderiam ser amigos de longa data e o garoto sempre perguntava por ela.

- Bom, aceito. Monstros? - ele perguntou.

- Você ainda não viu oque Rosalya e Alexy são capazes, por trás daqueles rostinhos, são dois maníacos por moda.

Ele riu como uma duvida. Depois de pagar no caixa o meu disco, chamei Kentin, antes de claro acenar para o casalzinho demoníaco. E saímos eu e Kentin da loja. Um breve resumo do que aconteceu depois : Rosalya e Alexy me acharam e começaram e berrar comigo, pois havia sumido e eles se preocuparam, me desculpei e depois fomos os quatro para comer algo na área de refeições do shopping. Conversamos um pouco e então foi o momento da cagada: Kentin começou a provocá-los sobre moda e eu como uma boa pessoa (que gosta de viver perigosamente, se esquecendo das consequências) acompanhei o caçador em suas provocações. Quando reparamos apenas corríamos desesperadamente para fora do shopping em direção a casa da Alice tentando desviar dos dois malucos que nos perseguiam.

Flash back off*

Alice

Suspirei. As vezes gostaria muito de os matar com meus poderes de uma forma nem um pouco amigável, mas infelizmente eles não podem saber da existência deles.

- Da próxima vez eu os coloco para fora da minha casa e isso inclui vocês dois também! - apontei para Rosa e Alexy. - Agora sejam bons amigos e esperem enquanto eu peço uma pizza. - me levantei indo até a escada. Mas antes me virei  para eles. - Façam algo nesta sala ou qualquer lugar desta casa e eu coloco vocês para fora na hora.

Dominic

Estacionei o carro, desci e percebi que a porta estava aberta, entrei em casa e ouvi vozes.

-Alice? - Perguntei franzino o cenho. Aproximando-me da sala, percebi que era os amigos de Alice. - Cambada, onde se encontra minha irmã? - Falei já abrindo dois botões da minha camisa que usava (estava quente não me culpem).

- Pedindo pizza. - eles disseram, nem eu faço um coro perfeito assim '-'.

- Ah. - me joguei no sofá suspirando e relaxando. Afinal passei o dia fazendo tatuagens. - Que calor! - fiz careta, estava cansado e não queria me levantar para ligar o sistema de refrigerador da casa. - ALICE! SUA QUERIDA IRMÃ ARROMBADA! APROVEITA QUE VOCÊ ESTÁ AI EM CIMA E LIGA LOGO O SISTEMA DE AR CONDICIONADO DA VIDA! PORQUÊ EU TÔ MORRENDO DE CALOR! - gritei sem hesitação. Assustando os amigos de Alice, ela gritou algumas palavras nadas cultas de volta e ligou o sistema.

Depois de um tempo a casa estava mais fresca e me levantei indo até a cozinha. Bebi um copo de água e quando estava para voltar encontro Alexy de costas procurando algo na geladeira. Ter certeza de ser hétero eu tinha até aquela hora. Alexy seus glúteos não são de Deus. Espera, porque estes pensamentos surgiram? Decidi parar de o encarar mas o mesmo se virou na minha direção e se aproximando.

-Algo de errado? Você está soando muito. - ele coloco sua testa na minha se aproximando.

Sanidade? Alexy conseguiu esvair ela de mim.


Notas Finais


Muito obrigada pelos Favoritos e todos os comentários! Se vcs gostaram comentem e me deixem feliz :'))))! Peço desculpa por qualquer erro e me digam que eu irei averiguar! Bjs de Nutella ^^!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...