História Sweeter than Sweet - BTS: Imagine Kim Taehyung - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens V
Tags Bangtan Boys, Bts, Kim Taehyung
Exibições 34
Palavras 1.323
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Como assim comecei fic nova sendo que estou demorando para terminar as outras, bom gente tudo no seu tempo né afinal idéias novas sempre são bem vindas...
É a primeira vez que escrevo um imagine então espero que seja de bom grado.
~ Boa leitura ~

Capítulo 1 - Aposta de balada


 

  Estava eu passando por mais uma típica noitada em uma balada de alta classe em Hondae, lugar claramente inapropriado para alguém do meu nível social mas foda-se eu trabalhava a semana toda naquele maldito café de esquina ganhando menos que uma faxineira doméstica, eu só queria torrar todo meu salário em todos os drinks e doses de vodka que aguentasse. E era oque eu estava fazendo, já me encontrava virando a sexta dose de vodka pura goela a baixo naquela altura o ardor nem me incomodava mais, porém os olhares negativos de Hwanhee ( amigo mais velhos da escola e companheiro de balada ) me irritavam muito.

 

 - Vai com calma aí S/N, isso é muita bebida para uma menor. 

 - Virou meu pai agora? Vai pegar alguma garotinha e vê se me deixar em paz. 

 - Eu deveria te deixar aí na merda mesmo, mas como eu sei que você virá uma ogra quando ta bêbada eu te perdôo _ ele coloca o braço em volta da minha cabeça e bagunça meu cabelo. 

 - Ogra é o teu cú, me solta se nao vou vomitar em cima dessa tua jaqueta. 

 - Delicada. ~Risos 

 

 Sim eu era menor, tinha apenas 16 anos e estava numa balada 18 graças a uma identidade falsa, errado? Talvez não ligo só queria me distrair um pouco. Se meus pais sabem que estou aqui, claro que não, bom eu moro sozinha com minha mãe e se quero sair preciso mentir que fui para casa de uma amiga, mas que amiga não tenho amigas meu único amigo é Hwanhee. 

 O relógio batia 2:00h em ponto e Hwan já estava feito criança enchendo para ir embora, mas eu estava o ignorando por completo até porque minha atenção estava totalmente direcionada ao garoto sentado à mesa ao lado, o mesmo que não tirava seus olhos de mim por um segundo se quer e aquilo não estava me incomodando nem um pouco, afinal ele era muito gato e eu não excitava em olha-lo de volta. 

 

- S/N...S/N... 

 Hwan me gritava mas eu mal conseguia ouvi-lo devido a música alta. Ele então me puxa para bem perto de si colocando suas mãos entre sua boca e meu ouvido para abafar o som. 

 - S/N oque aquele cara quer com você, não gosto do jeito que ele te olha. 

 - Aí Hwanhee vou saber, vamos embora to ficando cansada já. Me espera na saída que eu vou no banheiro e já te encontro. 

 

 Ele concorda indo até a saída da balada e eu me levanto em direção ao banheiro feminino, no caminho acabo passando pela mesa onde o garoto que me fitava incansavelmente estava sentado junto de alguns amigos, cruzo na sua frente e puxo meu vestido justo para abaixo já que o mesmo era um pouco curto demais e de imediato percebo seu olhar direcionado para minha bunda e coxas, me sinto extremamente constrangida então saio em disparada ao banheiro quase tropeçando naquele maldito salto alto que usava. 

 Me olho no espelho e dou mais uma retocada no meu batom cor de vinho, quando sai do banheiro sinto meu braço ser puxado com força e antes que eu pudesse me situar do que estava acontecendo sinto mãos rondando minha cintura sem permissão alguma, olho para o indivíduo que fala próximo ao meu ouvido. 

- Tá sozinha bonitinha? Não quer trocar uma ideia? 

Era ele o garoto inconveniente da mesa ao lado, ele então ri baixinho e sinto o ar quente de seu hálito bater contra meu pescoço eriçando meu pelos. Abaixo minha cabeça a encaixando na curvatura do seu pescoço e começo a rir escandalosamente, aquela situação parecia muito Ilaria para alguém afetada pelo álcool como eu. Ele então passa as mãos em meus cabelos e sorri. 

- Você tá tão bêbada. 

Ele levanta minha cabeça puxando meus cabelos da nuca para trás logo em seguindo ele começa a beijar e lamber os cantinhos da minha boca. Empurro ele de leve e viro meu rosto, logo ele me olha confuso. 

 - EI não vai nem perguntar meu nome. Ele revira seus olhos impaciente. 

 - Olá prazer em conhece-la, por gentileza poderia me informar seu nome? 

 - Palhaço, me chamo S/N, e você? 

 - V _ ele me puxa e tenta me beijar. 

 - Calma ai V como assim, V do que? 

 - Quer minha identidade ou oque? 

 - Oué você não disse que queria trocar uma idéia? 

 - Garota você é monga ou oque, me beija logo. 

 - Obrigada disponho mas não fico com caras mimadinhos feito você. 

 - Fica quetinha vai. 

 Ele me empurra com força batendo minhas costas na parede, logo cola seu corpo no meu e começa a me beijar. Suas mãos passeiam pelo meu pescoço e nada gentilmente ele enrola meus fios de cabelo em suas mãos e puxa com certa agressividade, parecia que ele estava querendo me machucar propositalmente. Belisquei seu braço fazendo-o soltar do meu cabelo. Ele então após retirar sua língua da minha boca morde meu lábio inferior tão forte que juro sentir gosto de sangue na hora. E antes que eu pudesse me manifestar sobre algo ele vai até um de seus amigos e pega uma quantia de dinheiro da mão do outro, logo após deixa a balada. 

 Eu não podia acreditar, ele havia ficado comigo por uma aposta. Eu queria matar aquele canalha. 

 Saio em disparada atrás dele, seria óbvio que não deixaria as coisas acabarem assim, ele não sairia impune disso. 

Alcanço o local onde a placa indica ser a saída e de imediato dou de cara com Hwan que lança um olhar irritado a mim. 

 - Sabe quanto tempo eu fiquei aqui te esperando, porque demorou tanto tava cagando? 

 Eu nem ao menos Capitava uma palavra se quer que saia de sua boca, eu apenas fitava aquele garoto se afastar cada vez mais e mais, indo em em direção a um beco ou algo do tipo. Eu não podia perde-lo de vista, Hwan estava me atrapalhando. 

 - S/N eu não posso acreditar, seu rosto tá todo manchado de batom _ ele segura meu braço com uma mão enquanto usa os dedos da outra para limpar os cantos da minha boca. 

 - Hwan desculpa não posso voltar com você preciso resolver um assunto aí. 

 - COMO ASSIM QUE ASSUNTO, JÁ VIU QUE HORAS SÃO É PERIG... 

 Não o deixo terminar apenas solto meu braço de sua mão e corro em direção aquele beco escuro, o cretino já havia sumido do meu campo de visão, mas eu não iria deixar passar não iria calar meu ego e nem abaixar minha cabeça para um ser como aquele. O beco ficava localizado em uma rua totalmente desconhecida para mim, era tão escuro que chegava a ser difícil a visão, mas de imediato consigo enxergar V e quando estou prestes a caminhar em sua direção o vejo de mãos dadas com uma garota que aparentava ser bem mais velha, ela usava roupas de secretária e dali em diante eu com certeza vi oque gostaria de nunca ter visto. 

 V se escora na parede enquanto a mulher o prensa com seu corpo, ele então beija o pescoço dela de forma desesperada enquanto suas mãos apalpavam a bunda dela. Eu estava tendo náuseas com aquela cena. As coisas só ficam cada vez mais nojentas, eles se esfregavam um no outro estavam praticamente transando de roupa, até que a mulher leva suas mãos até o cós da calça dele, ela desfazia seu cinto com toda a calma do mundo. 

Eu precisava sair dali não estava nem um pouco afim de presenciar aquele boquete público. 

 Estava próxima a esquina escondida atrás de uma lata de lixo, me viro de costas me preparando para engatinhar até a saída do beco, eu já havia visto demais. Porém quando estou perto de sair de lá escuto meu nome ser chamado, e de imediato os olhos daqueles dois param sobre mim. 

Eu estava literalmente fudida.     


Notas Finais


Eai oque acharam? Comentários sempre são bem vindos.
Ah me acompanhem também nas outras fics...
Bjus, até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...