História Sweetjimin - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Híbrido, Hybrid, Killercypher, Neko, Vhope, Yoonmin
Exibições 1.834
Palavras 3.042
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas :3

AAH~ AGORA JÁ É ANIVERSÁRIO DO BOLINHO MAIS NHOM NHOM QUE JÁ SE VIU e eu fiz questão de trazer um capítulo fresquinho pra vocês <3 Eu tô mal por umas coisas e quis alegrar o dia de vocês!
MUITO, MUITO OBRIGADO PELOS FAVORITOS E COMENTÁRIOS, MEUS ANJINHOS PRECIOSOS!!!!
Tô terminando de responder aos comentários e tô muito feliz por isso pq fico mal quando não tenho tempo pra responder os comentários nhom nhom de vcs...
Enfim, antes de lerem, queria deixar claro que, embora na vida real o Jimin seja um tantinho mais alto que o Yoongi, na fic o Jimin é uma cabeça mais baixa que ele, okay? É só pra vocês não ficarem meio ???? quando eu fizer alguma menção do Yoongi olhar pra baixo pra falar com ele.

Ah, vou começar a tomar cuidado com os títulos dos capítulos, tá? kkkk Perdão, eu esqueço que vocês são mais novinhos que a tia aqui e que a mãe de vocês pode matar se pegar algo indecente escrito no cel, tipo a notificação da fic kkkkk <3

P.S.: FELIZ DIA DAS CRIANÇAS, PESSOINHAS PRECIOSAS!!! Embora vocês cresçam, nunca deixem que ter uma criança dentro de vocês, huh? Dica da unnie/noona! kkkk

Boa leitura ;3

Capítulo 8 - Suquinho


Fanfic / Fanfiction Sweetjimin - Capítulo 8 - Suquinho

MIN YOONGI

Sala de descanso, hospital.

8 de Agosto de 2018, 3:02 a.m.

Fazia algum tempo desde que a cirurgia de última hora havia acabado, mas só agora mesmo que eu havia tido um tempo para me sentar e respirar um pouco. Hoje, inesperadamente, tiveram muitos enfermos, tanto que a quantidade de médicos dispostos naquela determinada área não foram suficientes, então precisei dar uma mãozinha.

Por falar em mãozinha, lembrei que eu estava conversando com Jimin quando precisei ir às pressas para a sala cirúrgica. Peguei meu celular e vi que tinha três mensagens suas não lidas, então as abri e li.

Jimin: Eca!!!!

Jimin: Tchau, Suga!

Jimin: Jimin te ama!

Não consegui evitar que um pequeno sorriso brotasse em meus lábios.

Ah, meu Deus, fazia tão pouco tempo que esse gatinho estava comigo e olha o tanto de coisa que já me aconteceu! Me dava dor de cabeça só de imaginar as coisas que me poderiam acontecer conforme o tempo passasse.

Meu celular começou a vibrar, recebendo uma ligação, e o nome de Hobi brilhava na tela.

– Alô?

Yoongie,  eu estava pensando aqui que poderíamos aproveitar que o Nam está aqui e irmos àquele lugar que costumávamos ir. O que acha?

– O Underground? – Perguntei. – Você sabe bem que o Jin hyung não é lá muito fã de RAP e que não curte ir pra lá. Além do mais, eu tenho o Jimin. Não posso levá-lo num lugar daquele, nunca. 

Ah, qual é, Yoongie... – Falou manhoso. – Tenho certeza de que o Jin hyung o Nam conseguirá convencer, eu sei que sim. E o seu gatinho... Bem, sei lá, deixa ele com o Jungkook.

– E você acha mesmo que o Jungkook não iria querer vir conosco? Por favor, né Hobi. Até parece que você não conhece aquela criança.

Então contrata uma babá, não sei. Só, pelo amor de Deus, vamos sair! Tanto eu quanto você precisamos disso! Huh? Já faz tanto tempo, que porra...

– Hobi, são um pouco mais de três da manhã, estou terminando meu plantão e estou completamente quebrado. Tudo que eu quero fazer é buscar o Jimin na casa do Jin e ir pra casa dormir, e a última coisa que quero pensar é em sair. – Falei suspirando.

Certo, amanhã, quero dizer, hoje eu passo na sua casa às oito da noite e mesmo que o Nam não vá, você e eu vamos! Depois vemos uma solução para o Jimin. Não aceito não como resposta. Tchau, Yoongie! – E encerrou a chamada. 

Suspirei pesadamente fechando meus olhos. Hoseok não tinha jeito mesmo.

Faltava menos de trinta minutos para que finalmente meu plantão acabasse e eu pudesse sair dali. Só Deus sabe o quão cansado eu estava.

De repente, recebi uma mensagem de Jin.

Jin: Que horas mesmo você irá buscar o Jimin?

Yoongi: Eu pretendia fazer isso de manhã cedo, mas já que está acordado posso buscá-lo assim que sair daqui. Seriam mais fácil, embora eu ache que ele está dormindo.

Yoongi: Aliás, por que diabos está acordado a essa hora???

Jin: Estou até agora no escritório terminando uma papelada imensa que meu chefe resolveu me dar de última hora.

Jin: Se quiser eu levo ele, assim você pode descansar.

Yoongi: Jungkook e Namjoon estão sozinhos com o Jimin até agora???

Jin: Fique tranquilo. Eu pedi ao Nam para colocá-lo para dormir. Tenho certeza de que ele fez isso e os três devem estar dormindo agora.

Jin: Ou então assistindo a uma maratona de filmes de terror.

Filmes de terror?

Mas o Jimin morre de medo de filmes de terror e não consegue dormir depois! Grunhi frustrado e comecei a procurar o nome do híbrido em minha agenda, o selecionando e esperando que atendesse. Uns bons segundos depois a ligação foi finalmente atendida, mas uma batida alta vinha do outro lado da linha, me fazendo franzir o cenho.

– Alô? Jimin?!

SUGA! – O híbrido gritou do outro lado, prolongando muito mais que o suficiente a última vogal. – SUGA, O JIMIN TÁ TÃO ANIMADO! – Agora estava prolongando todas as últimas vogais.

– Jimin, onde você está?!

JIMIN NÃO SABE DIREITO. – Começou a rir como se eu tivesse lhe contado algo engraçado. – JIMIN SÓ SABE QUE TÁ AMANDO TUDO! – Voltou a rir.

Meu bom Deus, aquele gato estava bêbado?!

– Jimin, você tomou alguma coisa? – Já estava sentindo o sangue dentro de mim ferver, e minha mão livre se fechou num punho.

DERAM UM SUQUINHO MUITO BOM PARA O JIMIN! NO COMEÇO O JIMIN NÃO GOSTOU MUITO, MAS AGORA O JIMIN ESTÁ NO... CALMA, SERÁ QUE É O OITAVO OU O DÉCIMO TERCEIRO COPO ESSE DAQUI? – Fez uma pausa como se estivesse pensando. – AH, JIMIN NÃO SABE, SÓ SABE QUE QUER MAIS! É DOCINHO E TEM UM GOSTO TÃO GOSTOSINHO DE CEREJA! TEM TAMBÉM UM TOQUE DE MENTA! JIMIN GOSTA DE MENTA PORQUE LEMBRA O GOSTO DO SUGA! – Riu. – EU SOU A CEREJA E VOCÊ É A MENTA! É COMO SE NÓS FOSSEMOS O SUQUINHO PERFEITA! SUGA, O JIMIN AMA A GENTE EM FORMA DE SUQUINHO! TANTO QUANTO JIMIN AMA O SUGA! É UMA PENA O SUGA NÃO AMAR O JIMIN! OPA, DERRAMEI O SUQUINHO... MOÇO, EU QUERO MAIS! – Gritou longe do telefone.

– Jimin, onde estão o Namjoon e o Jungkook? – Perguntei entredentes, ignorando o que havia dito, já me levantando e tirando o jaleco. Sairia um pouco mais cedo do plantão.

O JOONIE ESTÁ NO PALCO DESDE QUE CHEGOU! MEU DEUS, SUGA, VOCÊ SABIA QUE O JOONIE FAZ MÚSICA?! ELE É INCRÍVEL! – A cada frase dita o híbrido ria como se tivesse dito a coisa mais engraçada do mundo.

Juro que estava me segurando o máximo que conseguia para não explodir, mas estava ficando cada vez mais difícil.

– E o Jungkook, Jimin? Cadê ele?

O Kookie... – Agora riu de forma contida, abaixando o tom de voz. – Você sabia que o Kookie é lindo, Suga? Jimin só começou a prestar atenção nisso agora... E ele fica ainda mais lindo agora que tem borboletas azuis em torno dele, voando e voando. – Agora sua risada parecia de uma hiena.

Não pude evitar e soquei com tudo a parede mais próxima a mim, fazendo o barulho assustar as pessoas que passavam pelo corredor, mas no momento eu estava tão cego pela fúria que nem me desculpar eu me preocupei em fazer.

– Eu só vou perguntar mais uma vez, Jimin! Cadê o Jungkook?!

KOOKIE! O SUGA QUER FALAR COM VOCÊ! – Fez-se uma pausa. – MAS CUIDADO QUE PARECE QUE ELE TÁ MEIO 'BRABO'.

Alô?

– Jeon Jungkook. – Pronunciei seu nome num tom baixo e assustador. – Juro por Deus que quando ver você e o Namjoon vou tirar o coração de ambos com um bisturi e desovar o corpo de vocês num lugar onde ninguém nunca vai encontrar!

QUÊ? CREDO, HYUNG! – Começou a rir. Ah, que maravilha. Estava todo mundo bêbado?! – A GENTE SÓ VEIO TRAZER O GATINHO PRA PASSEAR! ESTAMOS NOS DIVERTINDO, HYUNG. LARGA DE SER ESTRAGA PRAZERES!

– VOCÊS SÓ TINHAM QUE CUIDAR DELE, JUNGKOOK, E NÃO LEVÁ-LO PRA PASSEAR! ERA UMA COISA SIMPLES! – Não me aguentei e acabei gritando assim que entrei no estacionamento.

MEU DEUS, VOCÊ É MUITO CHATO, HYUNG! EU SÓ ESTOU MOSTRANDO AO GATINHO O QUE É DIVERSÃO DE VERDADE!

– EU VOU TE MOSTRAR O QUE É DIVERSÃO DE VERDADE, SEU PIRRALHO! ME FALA AGORA ONDE VOCÊS ESTÃO! – Bati a porta do carro o fechando com muito mais força que o necessário.

AH, NÃO... O SUGA QUER VIR ESTRAGAR NOSSA FESTINHA, JIMIN!

SUGA, NÃO! – Agora a voz aveludada do híbrido gritava. – KOOKIE ESTÁ FAZENDO O JIMIN SE DIVERTIR DE VERDADE! JIMIN NUNCA SE DIVERTIU TANTO ASSIM NO CURTO PERÍODO DE VIDINHA DELE!

– PASSA DE NOVO ESSA PORRA DE CELULAR PARA O JUNGKOOK, JIMIN! AGORA!

IH... SUGA TÁ BEM BRABO. – Parecia não estar falando comigo. – JIMIN QUER BEBER MAIS SUQUINHO E DANÇAR, SUGA! JIMIN VAI DESLIGAR, TCHAU, TCHAU!

– JIMIN, NEM OUSE FA- – Então a chamada foi encerrada.

Fiquei olhando sem reação para o aparelho, o apertando entre meus dedos finos. Antes que eu pudesse joga-lo para longe, liguei para Jin, que me atendeu no quarto toque.

Sim?

– EU VOU MATAR SEU NAMORADO E AQUELE PIRRALHO COM MINHAS PRÓPRIAS MÃOS, KIM SEOKJIN!

Meu Deus, Yoongi, o que foi? 

– Aqueles imbecis levaram o Jimin pra Deus sabe onde! Jimin e Jungkook estão bêbados e só Deus sabe onde diabos seu namorado se meteu! – Abaixei meu tom de voz, mas a fúria ainda estava presente.

COMO É QUE É?! – Jin exclamou com a voz afinando. – EU TE AJUDO A MATAR AQUELES DOIS! ONDE ELES ESTÃO?!

– Eu não sei, eles não me disseram e- – Então me lembrei de algo que Jimin havia dito. Que Namjoon estava no palco e que fazia música. – Já sei onde eles estão, e você também não vai gostar nadinha quando souber.

Me manda o lugar por mensagem que te encontro na entrada. – Jin falou e finalizou a chamada.

Enfiei a chave na ignição e dei partida no Range Rover. Eu estava apertando tanto o volante que achei que o mesmo poderia sair em minhas mãos a qualquer momento. 

Abri todas as janelas do carro e deixei o vento forte da madrugada invadir o automóvel. Por sorte tinha poucos carros na rodovia, o que facilitava para que eu chegasse mais rápido ao destino.

O lugar era um tipo de clube onde eu costumava ir para me desestressar quando precisava. Um clube Underground, literalmente debaixo da rua de Busan, onde você subia no palco e fazia seu rap na hora, caso quisesse. Mas vez ou outra eles tocavam um pouco de música eletrônica para que, além de os rappers descansarem ou se prepararem para sua vez, os ouvintes dançassem um pouco, já que ela um tanto complicado dançar ao som de RAP.

Era bonito ver as pessoas contarem suas histórias através das rimas, mas não no intuito de que o público sinta pena ou então de insinuar que sua história era mais fodida que a de fulano. Era algo mais para mostrar tudo que você teve que passar para chegar onde está hoje. O quanto batalhou e lutou, as barreiras que a vida impôs e você teve forças para superar. Hoseok, Namjoon e eu às vezes nos arriscávamos a subir no palco e soltar algumas palavras rimadas, contando nossa história. Era algo extremamente prazeroso e libertador, mas algo que faz anos que eu não fazia.

Estacionei meu carro e desci apressado do mesmo, vendo Jin estacionar o seu do outro lado da rua uns segundo depois.  Apenas nos olhamos e seguimos até a entrada do lugar, onde tinha um segurança imenso com cara de poucos amigos.

– Posso ajudar? – Nos perguntou com sua voz grossa.

– Pode sim. Nos dar licença pra passar. – O segurança podia ter uma cara assustadora, mas garanto que a minha era mais nesse momento.

O cara ficou alternando o olhar entre Jin e eu, ponderando sobre nos deixar entrar ou não.

– Olha cara, nós só viemos buscar três pessoas, não levará nem cinco minutos. – Jin falou, tomando a frente.

O brutamontes suspirou e acabou nos dando passagem.

Embora anos tivessem se passado anos desde que estive ali pela última vez, o ambiente em si era exatamente o mesmo. E por curtos segundos permiti a nostalgia me dominar.

Passei o olhar pelo lugar até encontrar um par de orelhinhas negras e peludas. Analisei um pouco a situação e vi o híbrido dançando, ou deveria dizer se esfregando, junto à Jungkook, que também balançava seu corpo no ritmo da música remixada da Jennifer Lopez com a Iggy Azalea. Era bem irônico ser justamente Booty tocando ali, como se a mesma estivesse sendo tocada somente para Jimin.

Se antes meu sangue fervia, agora estava prestes a entrar em ebulição. Caminhei a passos firmes em direção aos dois, pronto pra matar alguém, mas Jin tomou a frente e puxou a orelha de Jungkook, fazendo o mesmo grunhir de dor.

– QUE PORRA É ESSA, JEON JUNGKOOK?!  – Gritou na orelha do outro. – ONDE ESTÁ AQUELE FILHO DA MÃE DO NAMJOON? – Jungkook indicou com dificuldade o palco, onde os olhos de Namjoon se arregalaram assim que nos viu, o fazendo descer apressadamente e vir em nossa direção.

– Olha, eu posso explicar! – Namjoon falou assim que estava perto de nós, levantando ambas as mãos de forma defensiva. Sua fala estava normal. Embora eu acredite que ele tenha tomado alguma coisa, não parecia bêbado.

Avancei nele, puxando com ambos meus punhos o seu colarinho, trazendo seu rosto para mais perto do meu.

– Acho que você já deve ter decidido a frase de sua lápide, huh? – Falei entredentes. – Você era o mais velho dentre eles, Namjoon! Era só pra você cuidar e colocar o Jimin pra dormir, só isso, e o que você fez?! Trouxe ele pra cá e deixou meu gatinho bêbado, Namjoon! Bêbado!

– Calma, Yoongi! – Falou enquanto se afastava de mim. – O Jimin sabe muito bem o que faz. Sem falar que ele estava com o Jungkook o tempo todo, eu estava vendo. Jungkook não saiu de perto dele em momento nenhum.

Não sei bem o porque, mas aquilo não havia me deixado nenhum pouco mais tranquilo, pelo contrário, havia acrescentado mais coisa para minha lista de frustrações que aquele ponto estava estourando.

– Olhe pra ele, Namjoon! – Apontei para Jungkook que estava com o cenho franzido de dor, já que ainda tinha a orelha sendo puxada por Jin. – Acha que ele tinha condições de cuidar do Jimin?

– Ei, Yoongi hyung. – Jungkook se pronunciou, fazendo com que lhe encarássemos. – Eu estou animado, mas não chego a estar bêbado. Não sou tão irresponsável como vocês pensam! – Sua fala estava normal, me fazendo acreditar que realmente não estava bêbado. Se soltou de Jin e ficou ereto. – EU nunca deixaria nada de mal acontecer à Jimin, hyung!

– Então quer dizer que o deixou beber sei lá quantos copos de bebida estando meio sóbrio, Jungkook? – Falei crispando meus lábios.

– Ele só bebeu dois copos, hyung! E eu estava bebendo com ele, ou seja, ele não bebeu tudo sozinho! – Falou ríspido, me deixando sem palavras. Eu via em seus olhos que estava com raiva. – Depois disso eu só dei suco pra ele, mas ao que parece ele é extremamente fraco pra bebida. Ele precisa se divertir, hyung! Você não pode priva-lo de viver.

Suspirei pesadamente.

Jungkook realmente tinha me deixado sem palavras.

Senti um pequeno punho me dar um soco leve e desajeitado no ombro. Quando olhei para o lado, Jimin estava com a cara fechada. Tinha certeza de que ele devia estar pensando que estava com a cara mais assustadora do mundo, quando na verdade estava muito ao contrário disso.

– Suga é muito malvado! – Falou arrastado e meio enrolado. – Não briga assim com o Kookie! – E continuava a bater o punho em meu ombro inúmeras vezes, jurando que estava me machucando.

Suspirei e segurei ambas as suas mãos.

– Chega, Jimin. Vamos embora.

– NÃO! – Gritou emburrado, tentando se desvencilhar de minhas mãos a todo custo. Eu já estava perdendo a paciência, então o puxei com tudo para meus braços, fazendo com que se chocasse contra meu tórax. Inclinei meu rosto para baixo, fazendo com que ficasse bem próximo ao seu. Olhávamos fundo nos olhos um do outro, e Jimin engoliu em seco. – Vamos embora. Agora. – Falei num tom baixo, fazendo de tudo para não estourar com ele, o vendo assentir minimamente.

Pigarreei, o afastando delicadamente de mim e segurando apenas seu pulso direito agora.

– Vou leva-lo pra casa. – Falei olhando para Jin, que assentiu. – Mais tarde conversamos. – Me virei e sai arrastando Jimin porta afora.

Assim que saímos, recebi um vento gélido batendo em meu rosto. Talvez antes eu não tenha sentido por toda raiva que tinha em mim, mas estava um frio do cacete. Olhei para Jimin e o mesmo deu uma leve arrepiada quando sentiu a brisa lhe alcançar, desde que estava com os braços expostos na camiseta branca com desenhos aleatórios. Tirei minha blusa verde musgo e tentei colocar sobre seus ombros, mas o mesmo afastou.

– Jimin não quer! – Falou emburrado, com um biquinho nos lábios. – Jimin não está com frio!

– Por favor, Jimin. – Falei sem paciência. – Você está morrendo de frio que eu sei.

– NÃO! Jimin não quer nada do Suga! Suga é muito malvado e estraga prazeres! – Mostrou a língua para mim, me fazendo revirar os olhos.

– Larga mão de ser teimoso Jimin, e coloca isso logo. Anda, criança! – Eu tentava a todo custo colocar a blusa, mas ele se negava. Grunhi e tomei novamente seu punho, indo em direção ao meu carro. – Só vamos embora logo, então.

– NÃO! – Gritou relutante, se forçando para o lado contrário que eu tentava lhe levar. – JIMIN QUER FICAR! SUGA BRIGOU COM O KOOKIE E JIMIN QUER VER SE ELE TÁ BEM! SOLTA O JIMIN SUGA!

– Pode gritar à vontade, mas eu vou te enfiar naquele carro e te levar pra casa de qualquer jeito! – Fiz toda força que pude e consegui puxar o híbrido até o carro, mas conseguir fazer com que entrasse no mesmo era outros quinhentos.

Estávamos fazendo um espetáculo maravilhoso no meio da rua. As pessoas deviam achar que Jimin ou era meu filho ou irmão mais novo mal criado.

– Vai logo, Jimin! Entra nesse bendito carro! – Falei entredentes, tentando tirar suas mãos dos batentes da porta do veículo e o coloca-lo no banco do passageiro. – JIMIN, SE VOCÊ NÃO ENTRAR NESSE CARALHO DE CARRO NESSE INSTANTE, VOCÊ VAI FICAR DE CASTIGO! – Mas nem mesmo isso adiantou. O gato só fazia mais força para de manter fora do carro. – AH, JÁ CHEGA!

Grunhi frustrado e segurei sua cintura estreita, o levantando do chão. A briga foi feia pra que eu conseguisse fazer com que sentasse no banco, já o outro parecia um peixe vivo fora d‘água de tanto que se mexia em meus braços tentando se soltar.

O segurei firme contra o banco e passei o cinto de segurança.

– Você! – Apontei meu dedo pra sua cara fechada. – Fica bem quietinho até chegarmos em casa, entendeu? Ou as coisas irão piorar para o seu lado! – O gatinho bufou e cruzou os bracinhos, virando o rosto para frente e fingindo que eu não estava ali.

Soltei o ar pela boca e fechei a porta do carro, dando a volta no mesmo e entrando no lado do motorista.

Ah, seria uma longa noite com esse gatinho emburrado e bêbado...


Notas Finais


Perdão os momentinhos Jikook, é que sangue de jikooka às vezes fala meio alto, assim como de yoonseoka kkkk Mas é tudo por uma boa causa gente, juro de dedinho! Afinal, adoramos uma ceninha de ciúmes, né non~? Aliás, essas ceninhas jikook tão fazendo minha mão de ficwriter coçar pra fazer uma shotacon ABO sos, preciso parar com essas coisas, misericórdia!

Enfim, até o próximo capítulo, meus anjinhos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...